Home Aviação de Caça F-22: comandante da USAFE recomenda basear caças em caráter permanente na Europa

F-22: comandante da USAFE recomenda basear caças em caráter permanente na Europa

566
8

F-22

Em função das recentes ações aéreas da Rússia na Europa, o comandante da Força Aérea dos Estados Unidos na Europa (USAFE) está solicitando o estabelecimento de uma base permanente de caças F-22 Raptor na região.

A USAF enviou para a Europa no mês passado quatro caças F-22 pela primeira vez como parte da “European Reassurance Initiative”, um esforço do Pentágono para acalmar a ansiedade entre os aliados europeus que enfrentam uma Rússia ressurgente.

O movimento pode ser o primeiro passo no estabelecimento de uma base permanente para o caça de quinta geração, conforme declarado pelo general Frank Gorenc, comandante da USAFE, na quarta-feira (16/9) durante a conferência anual da Associação da Força Aérea.

A Força Aérea foi capaz de enviar rapidamente os jatos para a Base Aérea de Spangdahlem, na Alemanha, a partir daí para a Polônia, e, finalmente, à Estónia, disse Gorenc. O deslocamento dos aviões mostrou que a infra-estrutura existente na região é adequada para apoiar a aeronave, enfatizou.

FONTE: Defense News (tradução e adaptação do Poder Aéreo a partir do original em inglês)

Subscribe
Notify of
guest
8 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
cvn76
cvn76
4 anos atrás

Acho muito difícil de acontecer…..tirando os esquadrões de treinamento, testes de armas e ensaios de vôos; a USAF só dispõe de 5 esquadrões de combate equipados com o F-22.

2 Esquadrões em Langley/VA
2 Esquadrões em Elmendorf/AK
1 Esquadrão em Tyndall/FL

Wellington Góes
Wellington Góes
4 anos atrás

Tenho o mesmo entendimento, Poggio.

Wellington Góes
Wellington Góes
4 anos atrás

Uma hora ou outra vão ter que reabrir a linha de montagem do F-22, pois os F-15 não vão durar pra sempre e o F-35 não tem a mesma capacidade pra estabelecer superioridade aérea.

Marcelo
Marcelo
4 anos atrás

Wellington,
A USAF vai de F-35, e já iniciou estudos para um 6a geração, talvez em conjunto com a USN, para IOC por volta de 2030. Reabrir a linha do F-22 nesse momento não deve ser viável economicamente. Mas quem sabe? Se o Trump ganhar tudo é possível. Ele disse que quer recomissionar o USS Iowa !!!
Abraços

Mauricio R.
Mauricio R.
4 anos atrás

E desde qndo 4 aeronaves mesmo sendo F-22, constituem alguma dissuasão???
Ainda mais contra os russos:

“The results were dispiriting. Given the recent reductions in the defense budgets of NATO member countries and American pullback from the region, Ochmanek says the blue team was outnumbered 2-to-1 in terms of manpower, even if all the U.S. and NATO troops stationed in Europe were dispatched to the Baltics — including the 82nd Airborne, which is supposed to be ready to go on 24 hours’ notice and is based at Fort Bragg, North Carolina.”

(http://snafu-solomon.blogspot.com.br/2015/09/its-official-russia-would-win-war-in.html)

Mauricio R.
Mauricio R.
4 anos atrás

“Será que a reabertura da linha de produção do F-22 não estaria por trás disso?”

Pra que??? A Boeing já tem a solução:

“We all know the issues with the F-35.
Can’t climb, can’t run, can’t run.
To add to the misery it can’t carry a decent missile load.

The F-15 2040C can.”

(http://snafu-solomon.blogspot.com.br/2015/09/f-15-2040c-upgrade-package.html)

joseboscojr
joseboscojr
4 anos atrás

O F-22 tem algumas características interessantes que faz dele mais que um simples caça. A combinação de furtividade com um radar AESA com capacidade SAR/MTI e com o sistema ALR-94 permite ao F-22 levar o conceito de “multi role” a um novo patamar. Na verdade ele é uma combinação de caça bombardeiro furtivo com um AWACS, um E-8 JSTAR e um RC-135. E isso tudo bem dentro do território inimigo. Quatro em um! Sem falar que seu radar AESA tem um potencial de “jamming” de longo alcance, na banda X, capaz de prover proteção a uma esquadrilha de ataque. Quatro… Read more »