Home Aviação Comercial Paraná assina acordo com fábrica de aviões da Rússia

Paraná assina acordo com fábrica de aviões da Rússia

2530
5

Russia, irkut mc-21

O Governo do Estado do Paraná, com o apoio da Agência Paraná de Desenvolvimento (APD), assinou um acordo com a fabricante de aeronaves russa Irkut para implantar em Maringá unidades de fabricação de peças e partes de aeronaves e centros de operação para atender o Brasil e a América Latina.

Os termos da cooperação foram definidos nesta quarta-feira (16), em Moscou, Assinaram o acordo, a vice-governadora Cida Borghetti, o vice-presidente da Irkut, Kirill Budaev, o prefeito de Maringá, Roberto Pupin, e o presidente da APD, Adalberto Netto.

Cida Borghetti, que representou o governador Beto Richa, reforçou o objetivo do governo estadual em estimular investimentos em inovação e em tecnologia, que criem empregos de qualidade. “O Paraná dá mais um passo para consolidar um setor considerado estratégico. O Governo do Estado concederá o suporte necessário para o sucesso do projeto da Irkut no Paraná e no Brasil”, disse.

A vice-governadora afirmou que o Paraná se qualifica para receber investimentos do setor. O Estado definiu Maringá e região como áreas para a implantação de um polo de aeronáutica e defesa e o Governo do Estado propôs uma lei específica de incentivos. Chamada de Paraná Aéreo, a lei garante benefícios diferenciados para empresas de projeto, engenharia, manutenção, peças e montadoras de aeronaves civis e militares.

IRKUT – O vice-presidente da Irkut, Kirill Budaev, explica que a empresa está expandindo seus negócios no Brasil e nos países da América Latina. O foco do projeto brasileiro são os modelos da aeronave MC-21, que têm capacidade de 150 a 212 passageiros e já estão em produção na cidade de Irkust. As aeronaves competem diretamente com os aviões comerciais Airbus A320 e Boeing 737.

Segundo Budaev, o MC-21 é uma nova classe de aeronave cuja flexibilidade das estruturas permite se adaptar às necessidades dos clientes (companhias aéreas). O dirigente empresarial russo destaca que o avião da Irkut reduz em 24% o gasto com combustível, em 10 % a manutenção, em 20% o tempo com embarque e desembarque; ao mesmo tempo carrega 17% mais passageiros que outras aeronaves da mesma categoria.

“O MC-21 apresenta alto desempenho de voo com menor consumo de combustível frente a seus concorrentes. Isso permite que as companhias aéreas obtenham um lucro três vezes maior e um retorno de investimento em metade do tempo do que o comparado com outros aviões”, detalha Budaev.

A Irkut Corporation está entre os dez maiores fabricantes mundiais de aviões, possuindo mais de 14 mil funcionários. A empresa é uma divisão do grupo UAC United Aircraft Corporation (UAC), cujo faturamento em 2014 superou US$ 4,8 bilhões.

ETAPAS – O presidente da APD, Adalberto Netto, explica que o acordo possui diferentes etapas. Na primeira parte, a Irkut em conjunto com a Agência e órgãos da prefeitura de Maringá vão concentrar esforços na identificação de possíveis parceiros comerciais ligados a operação de leasing de aeronaves e também empresas interessadas em investir em operações de manutenção de aeronaves (chamado MRO).

“O apoio aos aviões em comercialização e operação será dado pelo centro de operações de Maringá. Esse projeto é a materialização do Programa Paraná Aéreo operado pela APD para atrair investimentos e empresas do setor aeroespacial e defesa”, destaca Netto.

MARINGÁ – Com a demanda e os contratos comerciais definidos, na segunda etapa, o acordo prevê a implantação em Maringá dos centros de treinamento de pilotos, de manutenção e distribuição de peças e equipamentos e de manutenção especializada de aeronaves.

“É uma grande operação que irá gerar diferentes oportunidades para parceiros brasileiros, desde fabricação de peças, a logística, financiamento de aeronaves e treinamento de instrutores”, enumera Netto. O memorando também define parcerias no auxílio na obtenção da certificação da aeronave MC -21.

O prefeito Roberto Pupin reforça que a cidade está estruturada para receber investimentos do setor. O polo aeronáutico e de defesa possui uma área de 40 alqueires, ao lado do aeroporto municipal, destinada exclusivamente para a instalação de empresas do setor. “Uma parceria que tem tudo para gerar emprego de alta qualidade, renda e trazer novas tecnologias para o nosso Estado”, afirma

MC -21 – De acordo com os engenheiros responsáveis pelo projeto, o diferencial do MC-21 será seu peso reduzido devido ao uso de materiais de última geração, aerodinâmica aperfeiçoada e motor avançado.

“É exatamente pelos atributos do produto que acreditamos no sucesso do projeto, a tecnologia e as soluções criadas pela empresa para as companhias aéreas do Brasil e América Latina devem garantir um volume significativo de fabricação, vendas e operação de aeronaves, beneficiando o Paraná e a nova base operacional de Maringá”, reforça Adalberto Netto.

Paraná quer ampliar comércio com a Rússia

A vice-governadora Cida Borghetti esteve, também, com o vice-primeiro ministro para assuntos econômicos e comerciais da Rússia, Arkady Dvorkovich. Na pauta, a ampliação das relações comerciais entre o Paraná e a Rússia.

Segundo a vice-governadora, a Rússia quer estreitar relacionamento com os países dos BRICs, entre eles o Brasil, e busca parceiros em diversas áreas, em especial, a de alimentos. ” Estamos identificando boas oportunidades para as nossas cooperativas e o setor de agronegócio”, afirma Cida Borghetti.

Em relação ao comércio, a Rússia é um dos principais parceiros do Paraná, depois da China. Os volumes dobraram desde 2008 e para o ano que vem a previsão é de que a balança comercial supere R$ 1,5 bilhão de reais. Grandes exportadores como as cooperativas C.Vale e Lar lideram as exportações de frango desde 2013.

MEPHI – Na terça-feira, o Governo do Paraná firmou uma parceria com a Universidade Nacional de Pesquisa Nuclear (Mephi) de Moscou para a transferência de tecnologia, pesquisas conjuntas e intercâmbio acadêmico em projetos de prevenção, combate e tratamento avançado do câncer de mama.

Criada em 1942, a universidade pública de Mephi é considerada uma das mais importantes da Rússia. É referência em medicina nuclear, pesquisa, inovação e tecnologia.

A comitiva do Paraná tem reuniões ainda com a empresa Russian Railways, para apresentação do projeto do Trem Pé-Vermelho, ferrovia com linha de passageiros, que ligará as regiões metropolitanas de Londrina e Maringá, e com a Rosatom, empresa de energia nuclear russa, que vem investindo na instalação de centros médicos oncológicos e no desenvolvimento de novas tecnologias em diagnóstico por imagens.

Há também encontros com representantes do Banco de Desenvolvimento e Assuntos Econômicos Externos da Rússia (Vnesheconombank) e com a Aton, o fundo de investimento independente (private equity) mais antigo daquele país.

FONTE: www.aen.pr.gov.br

Subscribe
Notify of
guest
5 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Wellington Góes
Wellington Góes
5 anos atrás

Não acredito que vá pra frente, ainda mais para uma aeronave desse porte. Se ainda fosse com Estados com um parque industrial do setor aeronáutico mais forte como SP, MG, RJ ou RS, talvez esta parceria pudesse gerar algum resultado, além de que seria preciso um parceiro industrial forte, com bala na agulha para uma empreitada destas.

É o que penso.

Victor Matheus
Victor Matheus
5 anos atrás

Boa noite!
Talvez não dê certo na incorporação da fabrica de aviões russa mas acredito que as outras colaborações podem ser frutíferas para o PR.
Abraços!

Hélio junior
Hélio junior
5 anos atrás

Concorrência com a Embraer?

Bruno
Bruno
4 anos atrás

De certa forma será bom pois vamos aumentar nossa parceria com a Russia, alem de gerar empregos e aumentar a qualificação dos engenheiros. Mas será que não vai gerar uma concorrência com a Embraer?

Rogerio Sousa Lima
4 anos atrás

Morram de inveja, socialistas (salvo sociais-democratas). È assim q se faz! Ao contrário dum certo partido, q insiste em nos escravizar via programas sociais. Oxalá isso afete positivamente nossos irmãos catarinenses e gaúchos, tchê !!! E quiça, os amazonenses.