Home Vídeo Vídeo: caça F-35A dispara canhão de 25mm na capacidade máxima

Vídeo: caça F-35A dispara canhão de 25mm na capacidade máxima

773
42

EDWARDS AFB – Um caça Lockheed Martin F-35A Lightning II disparou 181 projéteis com seu canhão de 25mm de quatro canos, durante um teste no solo na Base Aérea de Edwards, California, no início deste mês.

O canhão fica dentro da asa esquerda do avião e dará a capacidade aos pilotos de engajar alvos no solo e no ar.

A F-35 Joint Strike Fighter Integrated Test Force busca completar os testes no solo este mês e começar os testes no ar no outono. No final do programa de desenvolvimento e fase de demonstração em 2017, o F-35 terá uma arma operacional.

A primeira fase de testes do canhão do F-35 começou em 9 de junho, quando disparos iniciais foram feitos na área de testes de harmonização da base. Nos meses seguintes, a quantidade de munição disparada foi aumentada gradualmente até atingir 181 disparadas em 14 de agosto.

Para conduzir os testes, foi utilizada a aeronave F-35 AF-2, que recebeu modificações e um canhão de produção GAU-22/A. Os testes no solo foram projetados usando um software para replicar o voo real e a aeronave usou munição PGU-23/U, que não explode no impacto

FONTE: F-35.com

Subscribe
Notify of
guest
42 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcos
Marcos
5 anos atrás

Galante, boa noite!!!!
“Os testes no solo foram projetados usando um software para replicar o voo real”.

Obviamente esse software não se destina apenas a abrir a porta do canhão e efetuar os disparos. Tem alguma informação de que esse software proporciona?

Alexandre Galante
5 anos atrás

Marcos, parece que o sistema do F-35 não permite que ele dispare o canhão no solo, então esse software engana o sistema informando ao avião que ele está voando.

ME 109
ME 109
5 anos atrás

como vão usar estas armas de alta tecnologia , contra a invasão barbara

Alex S
Alex S
5 anos atrás

O que fica claro sem achismo ou torcida, que acesso a informação real e videos estão sendo posto na rede. Isso ajuda e muito os amantes da aviação.

Alex S
Alex S
5 anos atrás

M109, num eventual campo de batalha o que salva ainda é um bom tiro, seja de qual calibre for. A pólvora ainda vai fazer muita diferença. Entre uma simples 9mm, e um objeto tecnológico, a diferença ainda é uma 9mm na mão.

xtreme
xtreme
5 anos atrás

já combinaram com os russos ???….rs

Sorry, não resisti. Mas se todos “principalmente os americanos” dizem que o mesmo (F-35) é limitadíssimo para combate …”asa x asa” … essa “fantástica” tecnologia de 25mm parece mais um… “vamos jogar para a torcida”.

xtreme
xtreme
5 anos atrás
ronilson
ronilson
5 anos atrás

Uma vez li em uma revista especializada o seguinte foi se o tempo onde se juntavam um monte de homens para conquistar territorios hoje em dia tudo depende da alta tecnologia o Estado slamico esta ai para provar o contrario

ronilson
ronilson
5 anos atrás

Achei que o canhao do f-35 era de 30mm

ronilson
ronilson
5 anos atrás

Xtreme
Os americanos dizem que o rival do t-50 e o f-35 se colocasem os dois lado a lado no solo eu apostaria no t-50 mas o que conta e a tecnologia embarcada e o combate bvr dificilmente os dois entrariam em combate a curta distançia ai eu apostaria no f-35

Andrei
Andrei
5 anos atrás

Sempre tive curiosidade a respeito do canhão destas aeronaves muito interessante o vídeo, mas fiquei com uma impressão que a tampa iria soltar a qualquer momento.

A-10 30mm
F15/22 20mm

Fusão

F-35 25mm?

Estou enganado ou seria este um canhão com propósito múltiplo prover apoio aproximado e dogfight?

Leonardo
Leonardo
5 anos atrás

Esse ganhão tecnológico de 25mm é somente para agradar os fãs da era do dogfight.
Combate BVR é a nova moda atualmente.
Sds

Marcos
Marcos
5 anos atrás

Não sei se li ou alguém comentou que o software proporcionaria um controle de alvo, ou seja, por controle micro dos comandos o software ajustaria a aeronave em relação ao alvo.

Bosco
Bosco
5 anos atrás

Independente do caça ser bom ou ruim no dogfight o certo é que se ele tem um ele forçosamente irá usá-lo, desde que o procedimento seja treinado.
O que é certo é que o canhão deverá ser usado contra ameaças assimétricas (drones, aviões civis, etc) que não justifique um tiro de um milhão de dólares.

carlos victor
carlos victor
5 anos atrás

Apesar das controvérsias,é um caça que ainda gostaria de ver na FAB,mesmo que em poucas quantidades,porem,não antes do SU-50 russo hehehe

sr.ricardo
sr.ricardo
5 anos atrás

Por que 25mm ? existe uma lende de que no USMC os ADEN de 30mm do AV-8A causavam tanto estrago quanto uma rajada leve (6 a 20 tiros) do GAU-8A do A-10. Os vulcans com 20mm tem uma cadência maior mas para mesmo “estrago”gastam muita munição. Para uma pessoa normal o ADEn ou DEFA de 30mm seria uma opção mais práitca, econômica e eficiente. Aí aparece a malandragem da General Dynamics: “Vamos desenvolver uma arma de calibre intermediário de alta tecnologia, que vai nos fornecer o melhor dos dois calibres”. Bom até hoje não li reclamações do USMC sobre o… Read more »

sr.ricardo
sr.ricardo
5 anos atrás

Por que ninguém comenta o fato da Lockheed ter bancado um série de voos do Yak-(1)41 para aprender como motores de sustentação se comportam e todo o esforço estrutural na aeronave. Nào estou dizendo que o Lightning II seja uma cópia do Freestyle, mas sem o segundo certamente não teríamos o primeiro.

Andrei
Andrei
5 anos atrás

pq isto seria relevante numa matéria sobre o canhão?

ronilson
ronilson
5 anos atrás

Andrei
Imagina 200 comentarios so sobre o canhao

Marcos
Marcos
5 anos atrás

Ricardo:
Tem muito tempo que isso já foi discutido por aqui: sim, o F-35 é um avanço do Yak-141, além de ser furtivo. Com o fim do desmantelamento da União Soviética, a LM “associou-se” à Yak e assim pode conhecer melhor o 141. E há quem diga que jamais houve de fato uma concorrência entre o YF-34 da Boeing e o YF-35 da LM, pois o segundo estaria vinte anos a frente.

sr.ricardo
sr.ricardo
5 anos atrás

Tem uma história muito boa da GD: Tem gente que não gosta de falar “Lockheed-Martin F-16”, prefere “General Dynamics F-16”. Acontece que o Falcon não foi criado pela GD !?!? A verdadeira genealogia é Vought : F-8 -> A-7 -> Project ???[não lembro o no.]. Parece que na época a Vought propôs dois projetos para substituir o A-4 o que ganhou virou o A-7, o outro ficou esquecido. Não sei exatamente como (espionagem, compra de projeto…) mas a GD pegou o projeto “desnavalizou” e apresento no LWF – Lightweight Fighter Program e ganhou. A Vought, que ja tinha virado LTV… Read more »

Bosco
Bosco
5 anos atrás

Meu Deus! Lá vou eu de novo!!! O que o F-35B tem que o Yak-141 tinha como inovação? O avião russo tinha 3 motores, o F-35B tem 1. O avião russo tinha dois motores exclusivos para VTOL, já o F-35B tem um “ducted fan” no lugar. O avião russo derretia concreto com seus 3 jatos, o F-35B tem uma temperatura no modo “vertical” muito mais baixa já que mistura o ar frio do “fan” com a turbina. O avião experimental russo tinha um motor principal com um escape articulado tipo 3BSM e o F-35B também tem esse bocal, e ambos… Read more »

Bosco
Bosco
5 anos atrás

Aliás, o Yak-141 é que visivelmente se inspirou no Convair 200.
https://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2014/07/Yakovlev-Yak-141-pic.jpg

Wolfgangus Mozart
Wolfgangus Mozart
5 anos atrás

Pra quem faz 90% das surtidas à noite, voa ao lado de feras como o F15, F16, F18 e F22, ser lento em dogfight num cenário voltado para a discrição e o BVR não vejo demérito algum. Esqueçam o F4B no Vietnã. Os tempos são outros e o tipo de missão que o F35 faz em 90% das surtidas, tornou o canhão supérfluo. Esse avião fará uma revolução na arena de combate até a primeira metade do século.
O problema daqui é que a mentalidade ficou nos anos 80. Esqueçam isso, é passado. 😉

R-Silvestro
R-Silvestro
5 anos atrás

SE o Yak-141 fosse realmente o pai do F-35, só ficaria mais á mostra como a Rússia/URSS foi incapaz de aproveitar a oportunidade.
Igual o tal võo do Santos Dumont. Se ele foi mesmo o pai da aviação e é brasileiro, só fica registrado como uma VERGONHA nacional de ficarmos uns 70 anos sem fábricas de aviões, e que só tivemos uma por insistência do Ozires Silva/militares.
Esse negócio de ah, ele foi o primeiro e blah blah blah.
GRANDES COISA! Foi o primeiro e não foi adiante então não adianta ficar cantando pros 4 ventos.

Marcos
Marcos
5 anos atrás

Voltando ao assunto principal, o canhão.
Pois é, alguns falam em poucos projéteis, só que…
Só que os disparos feitos serão mais precisos. E serão precisos porque há um software que irá corrigir a mira.
De resto, como já foi dito, você vai disparar o quê quando for interceptar um jato civil ou atacar um drone? Vai gastar um milhão de dólares num míssil pirotécnico?

Fernando
5 anos atrás

Mas é claro! Eles gastaram uma boa grana para instalar o canhão no caça só pra agradr alguns fãs, só se forem idiotas mesmo!

Celso
5 anos atrás

Minha impressao sobre o conjunto da obra e vendo o video, eh de q esta porta nao vai aguentar a vibracao qdo a porta for aberta em voo e menos ainda qdo a arma for disparada em media velocidade ……tbm acho q vai ser ate dificil fecha-la…… Minha opiniao OK….Sds

Fernando
5 anos atrás

Yak-141 e o F-35 usam o mesmo conceito para pousos e decolagem vertical, um motor pricincipal com escape articulado e o outro “sistema” de elevação auxiliar que fica logo atras da cabine do piloto, a diferença é que um usa dois motores a jato pra auxiliar na elevação e o outro um ducted fan, mas de resto é o mesmo conceito.
Além do mais Lockheed fez um acordo com a Yakovlev envolvendo mais de 385 milhões de dolares, e a Lockheed não gastaria essa grana se não achasse que pudesse aprender algo com o Yak-141.

Carlos Crispim
Carlos Crispim
5 anos atrás

Pessoal, deixemos o Yak-141 de lado, já sabemos que ambos se “inspiraram” no Convair 200, americano. O canhão de 25mm é muito bom, acho apenas 181 projéteis muito pouco para dar segurança e conforto ao piloto, por isso a existência do software de controle de tiro para otimizar ao máximo a rajada, pois só tem alguns segundos. De resto, avião sem canhão não funciona, independente se é para os fãs ou não, há uma necessidade REAL do canhão, isso é incontestável.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
5 anos atrás

Interessante a portinha que abre na lateral ao mesmo tempo que a superior. Pelo jeito é para resfriar o canhão e seu compartimento.

Um uso do canhão que pouca gente lembra, é o tiro de aviso para uma aeronave que está entrando em espaço aéreo protegido, e não responde às chamadas de rádio.

Delfim
Delfim
5 anos atrás

Então o uso de canhão no F-35 se restringiria a tiros de aviso e ameaças assimétricas, com uso de software de mira pra gerenciar os disparos ? Ora, coloca-se um Pontiac M39 – o mesmo do F-5 – com uma generosa capacidade de munição, e pronto. Mais leve e barato. A cadência elevada de disparo era necessária porque afinal se disparava em dogfight, quanto mais projéteis tentava se acertar no inimigo mais rapidamente, melhor. E na base do olhômetro, sem software de auxílio. O famoso “spray and pray” – pulverize (chumbo) e reze (pra acertar). Afinal quem não abate é… Read more »

Marcos
Marcos
5 anos atrás

Falando em F-35…
Teste da versão C no Nimitz:

https://www.youtube.com/watch?v=H2YYoElZFq4

Marcos
Marcos
5 anos atrás

A imagem não é nova, é do ano passado, mas mostra essa versão evoluindo. Os britânicos devem estar arrependidos.

Marcos
Marcos
5 anos atrás
Bosco
Bosco
5 anos atrás

Todo caça possui software para o canhão. Todo radar de caça com canhão tem o modo “canhão” onde a pontaria é mostrada no HUD e deve ter algum sinal sonoro. No caso do F-35 que não tem HUD esse software deve ser mais “complicado”. Há uma distância “ótima” onde a probabilidade de acertos é maior devido à “dispersão” dos projéteis. O caça tem que colocar o caça inimigo nessa “faixa letal” e o software aliado ao radar é que avisa o piloto quando isso acontece. Provavelmente o software também mostra o melhor caminho para que o piloto consiga melhor posicionar… Read more »

sr.ricardo
sr.ricardo
5 anos atrás

Bosco 21 de agosto de 2015 at 23:38 Por favor não se estresse. É sabido o fato da Lockheed e a Yakovlev terem trabalhado juntas – na verdade a 2a. contratada pela 1a. Os estadounidenses foram aprenderam e melhoraram e daí ? Daí que eles devem ter economizado algum tempo e recursos. Estão certos. Fizeram melhor que a MDD com a BAe e o Harrier, já que a MDD praticamente só custeou o projeto da BAe para a asa do AV-8B. Não aprenderam e não evoluiram o projeto, tanto é o Boeing X-32 não usou o projeto da MDD no… Read more »

sr.ricardo
sr.ricardo
5 anos atrás

Bosco 21 de agosto de 2015 at 23:40 #

“Aliás, o Yak-141 é que visivelmente se inspirou no Convair 200”

Como diria uma falecida tia minha:
“É igual , só que diferente!”.

Se bem que . . . . . será que dá pra fazer um Gripen VTOL ?

Em 1/72 acho que dá!

Grande abraço

Lúcio Sátiro
Lúcio Sátiro
5 anos atrás

Caramba, olha a cadência de um negócio desses ! Agora é colocar o F-35 para voar e testar na blindagem de um Armata russo, vamso ver se a blindagem do bichão suporta essa descarga toda kkkkk

Nick
Nick
5 anos atrás

Talvez a melhor arma no futuro seja enviar worms para atacar o software do caça adversário. 🙂

[]’s

Delfim
Delfim
5 anos atrás

Bosco.

Pensei que, do jeito que falam do F-35, que o piloto decidisse pelo canhão e o software disparasse automaticamente quando o alvo entrasse na mira, sem desperdício de munição.

Carlos Campos
Carlos Campos
5 anos atrás

o Yak tinha três motores e o F35 tem dutos para canalizar os gazes e manter o equilíbrio no ar, não o que se negar que a Yak assessorou parte do projeto JSF e LM não esconde, a diferença é que os estadunidenses tinham e tem mais dinheiro que os soviéticos/russos