Home Divulgação FOTO: Caças F-35A da USAF e da RAAF voando juntos

FOTO: Caças F-35A da USAF e da RAAF voando juntos

405
36

Dois Joint Strike Fighter F-35A Lightning II, um da USAF e outro da RAAF – Royal Australian Air Force, voam lado a lado após decolarem da Luke Air Force Base, no Arizona. O primeiro esquadrão de F-35B já foi declarado operacional pelo USMC – United States Marine Corps em 31 de julho de 2015.

O pessoal da RAAF que trabalha com o JSF será aproveitado em uma rede de apoio internacional e terá a oportunidade de trabalhar ao lado da indústria de Defesa para apoiar a frota JSF. A Austrália está programando atingir o IOC do seu primeiro esquadrão de F-35s baseados em Williamtown em 2020.

FOTO: Lockheed Martin

36 COMMENTS

  1. Fico aqui imaginando o F-35 nas cores da IAF…

    Agora, esse pessoal da RAAF ta bem servido de equipamento militar, em!?

    F-18 A/B, F-18 F, EA-18G Growler, F-35A, C-17, C-130J, KC-30A… é… Confesso que é de dar uma certa inveja dos caras…

    Sds

  2. Marcelo,
    Achava que somente os americanos e indiandos tem o P8, não sabia que Austrália tem?? Ou irá comprar??
    Mas as forças da Austrália são de primeira linha.
    Brasil está longe de uma Austrália da vida.
    Sds

  3. RR,

    Sera que a solução foi diminuir o tamanho dos pilotos?

    E aproveitando o embalo, quais seriam hoje as medidas ideais de um piloto de F-35?

  4. Eles voam equipamentos estadunidense sem essa baboseira ideológica vira lata de intervenção do Tio Sam ou dependência externa. Uma Força Aérea exemplar num país decente que sabe o seu lugar na geopolítica sem essa de TOT irrestrita ou pseudo ufanismo. Parabéns para os australianos.

  5. Bardini.

    Sinceramente, observando apenas por fotos, creio que um piloto que tenha entre 1,70m e 1,80m poderia se sentar naquele cockpit sem problemas… Mas isso é chute meu, claro…

    Saudações.

  6. F 35 Avião de verdade com alta tecnologia , quando esse avião tiver 100% operacional digo mostrando tudo que é capaz, ai eu quero ver……………………

    Não vai ter para ninguém ,não adianta avião fazer pirueta avoar de cabeça para baixo ou de lado ou para trás ou fazer manobra cobra ou o que for ,vai ser Kill na certa.

  7. nos embasemos em fatos concretos e não em paixões política ideológicas senhores….picuinhas, birras e torcidas infantis em nada acrescentam ao debate…Ter não significa operar….Vide o F-22 mal lançado e já fora de linha e o F-35 já garantido o maior fiasco da historia da aviação militar daquele pais…

    Há fatores importantes como a resposta operacional e o custo..tanto de aquisição como o de operação durante o ciclo de vida..De nada adianta ter vetores de alta capacidade e tecnologia…super fantásticos e mirabolantes…se os custos de desenvolvimento, aquisição e operação tornam o programa impraticável e inviável… a historia militar é cheia de exemplos assim…..

    o programa F-35 ainda tem um longo percurso ..esta muito longe ainda pelo o que vemos de ser funcional…..não adianta se falar em escala em tempos de crise global e vacas magras…para se ter escala é preciso ter compradores……vendas….coisas difíceis em tempos de crise ….vários pretendentes clientes desistiram ou reduziram seus pedidos devido a economia em recessão…….

  8. Fico pensando se o F-35 vai ser como o Grumman F-8 Bearcat, o mais poderoso caça a hélice feito, numa época que os jatos estavam saindo da infância.

    O nemêsis do F-35 não serão outros caças tripulados, e sim VANT’s de combate, sem as limitações que tripulantes humanos impõem.

  9. Meu caro Palpatine ( 8 de agosto de 2015 at 2:42 )…

    “De nada adianta ter vetores de alta capacidade e tecnologia…super fantásticos e mirabolantes…se os custos de desenvolvimento, aquisição e operação tornam o programa impraticável e inviável…”

    E o que existe de “mirabolante” no F-35…?

    Tecnologia stealth? Isso já é estudado desde os anos 60/70 e já vem provando nos últimos 30 anos que funciona…

    Radares AESA? Já existem modelos operacionais a quase duas décadas…

    Sistemas multimissão? Desde os anos 80 que aeronaves multifuncionais vem saindo das pranchetas para o mundo real.

    Integração e automação de sistemas? Isso já vem ocorrendo em escala industrial. Normalmente é mais quebração de cabeça com software que qualquer outra coisa; e nada que seja verdadeiramente insolúvel…

    “não adianta se falar em escala em tempos de crise global e vacas magras…para se ter escala é preciso ter compradores…”

    Já são mais de 2000 encomendas de todas as versões, e ele já passou dos 100 exemplares produzidos… As reduções podem ser consideradas marginais diante do total de encomendas ( o único país do consórcio que parece verdadeiramente cambalear é o Canadá )… Na verdade, nessa década, o caça ganhou mais três clientes com Israel e Coréia do Sul e Japão, o que compensou a redução por parte da Itália ( redução essa que pode ser mais ligada ao Eurofigther que ao preço do caça americano ). E na real, só as encomendas da USAF já garantem escala… E a razão para se prosseguir é simples: não ha atualmente alternativa de quinta geração que não ele no Ocidente…

  10. Um gripen ng tem frontal rcs de 0,01 rcs, igual ao do pak fa kkkk de acordo com o texto do bosco que diz que o pak fa tem 0,01 frontal, ainda tem gente que acha q o gripen era o pior da short-list da FAB, do ganhou por causa do preço

  11. Delfim,

    Creio que pelo menos pelos próximos 30 anos ainda haverá a necessidade de um piloto no cockpit para tomar as decisões… Mesmo que derivados do X-47 ou similares estejam prontos antes do final da década seguinte, ainda considero pouco factível confiar somente a eles o combate.

    Sistemas controlados remotamente apresentam seus desafios, principalmente na forma de transmissão de dados e comandos em tempo real. Isso praticamente obriga a existência de instalações de retransmissão em uma rede verdadeiramente complexa, na qual qualquer gap pode resultar em perda de equipamento… Novos sistemas ECM também prometem transformar em um caos o espaço de batalha futuro, atrapalhando a rede de comunicações e interferindo nas operações de sistemas remotos.

    Sinceramente, imagino que no futuro é provável que ambos dividam, por assim dizer, o mesmo espaço. Salvo engano ( li isso a algum tempo ), a Boeing ou a LM lançou a uns anos atrás um conceito futuro para operação de UAVs associados a caças. A aeronave de caça, biplace, teria consigo um UAV, que seria operado por um WSO e investiria contra o alvo em regiões mais perigosas.

    Saudações.

  12. “_RR_ 8 de agosto de 2015 at 12:38

    Já são mais de 2000 encomendas de todas as versões, e ele já passou dos 100 exemplares produzidos… As reduções podem ser consideradas marginais diante do total de encomendas ( o único país do consórcio que parece verdadeiramente cambalear é o Canadá )… Na verdade, nessa década, o caça ganhou mais três clientes com Israel e Coréia do Sul e Japão, o que compensou a redução por parte da Itália ( redução essa que pode ser mais ligada ao Eurofigther que ao preço do caça americano ). E na real, só as encomendas da USAF já garantem escala… E a razão para se prosseguir é simples: não ha atualmente alternativa de quinta geração que não ele no Ocidente…”

    em relação ao f-35 vemos países fantoches sendo forçados politicamente a comprar uma aeronave com projeto 20 anos mais novo que o f-22 e de semelhante custo unitário mas de desempenho amplamente inferior…comparável em alguns aspectos a aeronaves de 4 geração… relatórios emitidos apontam que os custos operacionais e de apoio do f-35 ao longo dos 55 anos sairão mais de um trilhão de dólares….o atraso do desenvolvimento do software torna ainda mais inviável e defasado o programa..já que os rivais ganham tempo para desenvolver respostas….

    ps: por favor senhores editores…me deem mais uma chance…prometo que daqui pra frente me comportarei bem…. não provocarei e não responderei mais a provocações….eu prometo que serei bonzinho..

  13. Uma pergunta:

    Visto que a USAF usa um mecanismo diferente de reabastecimento em voo da USN, as diferentes versões do F-35 também possuem diferentes sistemas?

  14. Caro RR.

    Talvez haja VANT’s de caça, talvez não.

    Mas é fato é que os projetistas já deveriam estar pensando na 6ª geração, mas tal não parece acontecer. Óbvio que o F-35 ainda está em entregas e ainda não debutou em combate, mas geralmente os fabricantes não perdem tempo entre gerações de caças.

    Quanto aos israelófilos, não creio que a IAF receba os seus F-35 antes de 2018, pelos seguintes motivos:

    1 – Israel recebeu seus F-16 depois de outros compradores da OTAN, parece que Israel não desperdiça seus recursos com pressa, sem ver o que os aviões realmente entregam;

    2 – Israel entrou por último, junto com Singapura, no programa JSF, e talvez sócios mais antigos no programa não gostem de ver Israel “furar fila”;

    3 – Israel quer operar versões “customizadas”, com aviônica própria, e isto implica em mudanças na linha de montagem.

  15. Augusto,
    Eu disse que o RCS frontal do Gripen NG está entre 0,1 e 1 m², (pelado) e o do T-50 é de 0,01 m² all aspect (armado).
    Um abraço.

  16. Palpatine
    8 de agosto de 2015 at 2:42 #

    “Vide o F-22 mal lançado e já fora de linha”

    O F-22 foi projetado no final dos anos 80 e construído nos 90 sob a premissa de que teria inimigos nos anos 2000, quando estaria operacional.

    Felizmente não teve, porque a URSS faliu e desapareceu. E não terá pelos próximos 10 anos.

    Após isso os americanos com certeza já terão outra arma em seu arsenal. Provavelmente um caça stealth não tripulado.

    “e o F-35 já garantido o maior fiasco da historia da aviação militar daquele pais…

    “Fiasco”? Uma aeronave com três versões, mais de 2000 unidades projetadas, mais de uma centena já entregues, vendida pras mais poderosas forças aéreas do planeta, incluindo a Ha’Avyr e a JSDAF um “fiasco”?

    O senhor é piadista? 🙂

    “vários pretendentes clientes desistiram ou reduziram seus pedidos devido a economia em recessão”

    O que? Reduziram de 50 pra 40? De 70 pra 60? O que é isso perto de mais de 2000 unidades?

    Hehehe, o senhor é mesmo um piadista…

  17. Objeto Trollador Não Identificado
    8 de agosto de 2015 at 19:57 #

    “em relação ao f-35 vemos países fantoches sendo forçados politicamente a comprar uma aeronave com projeto 20 anos mais novo que o f-22 e de semelhante custo unitário mas de desempenho amplamente inferior…”

    Bem, em recente exercício muito provavelmente F-35B dos Marines “abateram” F-22. Há enormes dúvidas sobre se o mero desempenho cinemático inferior ao F-22 do F-35 significaria “desempenho amplamente inferior” em um combate real

    De qualquer maneira, o F-35 não foi feito para combater o F-22, que é a melhor aeronave operacional do mundo.

    E sinceramente, chamar países como GB, Austrália, Itália, Japão, Israel, Noruega, Canadá, Dinamarca, Singapura e Turquia de “países fantoches”, e dizer que eles estão sendo “forçados” a comprar o F-35 é não apenas tremendamente desrespeitoso com estes países como espantosamente ridículo…

    Alguns destes países tem milhares de anos de história, e alguns vivem em estado de guerra há décadas. Todos eles são democracias, com direitos civis, “freios e contrapesos” e liberdade de imprensa.

    Cogitar que em tantos países tanta gente teria sido “enganada” pela “grande conspiração americana que quer destruir a capacidade de combate ‘Ocidental'” é forçar demais a barra para qualquer leitor um pouquinho mais sério e não doutrinado pelo antiamericanalhismo…

    “comparável em alguns aspectos a aeronaves de 4 geração”

    Aham… A aeronave de 4a geração vai poder fazer o que quando o F-35 estiver vindo de frente carregando seus mísseis internamente, com RCS de nível stealth?

    Não vai nem ver o que lhe atingiu…

    “relatórios emitidos apontam que os custos operacionais e de apoio do f-35 ao longo dos 55 anos sairão mais de um trilhão de dólares….”

    Divida a operação de 2000 aeronaves por 55 anos e verá que o valor não é tão alto para uma nação que preza a sua segurança e sua supremacia sobre o resto do globo.

    Sem falar que estes números são altamente discutíveis…

    o atraso do desenvolvimento do software torna ainda mais inviável e defasado o programa..já que os rivais ganham tempo para desenvolver respostas….

    Bem, o F-35B já está operacional. O F-35A virá o ano que vem.

    O resto é besteira antiamericana…

  18. Países fantoches? Maior fiasco da aviação americana?
    Eu realmente tento ser neutro, mas infelizmente os anti-ocidentais não deixam…

  19. Valeu Bosco, mas eu não me lembro de ter visto nenhuma imagem dele sendo reabastecido com o sistema sonda.

    Pergunta 2: se um cliente do F-35A quiser o sistema do B e C, vocês acham que isso ficaria muito complicado?

  20. Delmo,
    Teoricamente o espaço da sonda está lá e seria possível, mas até agora todos os clientes do A usam ou usarão reabastecedores dotados de lança.

  21. O Trollador é um gozador.
    Ele exagera tanto que ninguém o leva a sério e nem ele acredita no que ele diz.
    Com certeza absoluta ele achava a Ucrânia um país irmão e aliado da Rússia mas a GB, a Itália, a Coréia do Sul, Japão, etc. , são capachos dos americanos.
    Ele é um gozador!!
    Rrssss

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here