Home Nota Oficial Nota Oficial da FAB sobre a aquisição de caças Gripen NG

Nota Oficial da FAB sobre a aquisição de caças Gripen NG

628
51

Gripen JAS 39E - mock-up

Com relação às recentes matérias publicadas na imprensa sobre o contrato de compra dos caças Gripen NG, este Centro esclarece que:

1. O Comando da Aeronáutica não reconhece que houve irregularidades no processo de aquisição dos caças Gripen NG, e está pronto para prestar os esclarecimentos necessários às autoridades competentes.

2. Em janeiro de 2009, a proposta final foi apresentada pela empresa Saab no valor de US$ 4,531 bilhões.

3. Em 18 de dezembro de 2013, o Governo Brasileiro anunciou a empresa Saab como vencedora para equipar a Força Aérea Brasileira com novos caças. A partir de então, o Comando da Aeronáutica e a Saab iniciaram as tratativas para a formalização do contrato, momento este em que foram realizadas atualizações, tendo em vista a defasagem tecnológica do período (2009 a 2013).

4. Em 24 de outubro de 2014, o contrato de aquisição das 36 aeronaves Gripen NG foi firmado em coroas suecas, em um valor total de SEK 39.882.335.471,65, conforme publicado no Diário Oficial da União de 27 de outubro de 2014. Além das 36 aeronaves, o contrato inclui apoio e suporte logístico, simuladores de voo e sistemas embarcados (como radar, Wide Area Display – WAD, guerra eletrônica, etc).

5. Naquela data (24 de outubro de 2014), o valor de coroas suecas correspondia a US$ 5.4 bilhões. Porém, hoje, o valor equivale a cerca de US$ 4.6 bilhões, já que o contrato foi firmado em coroas suecas e houve significativa variação na taxa de câmbio entre as moedas (dólar americano x coroa sueca). A taxa de conversão utilizada foi a do Banco Central do Brasil.

6. Cabe destacar que o novo caça vai atuar na Defesa Aérea Brasileira por, no mínimo, 30 anos.

Por fim, este Centro enfatiza que o processo de aquisição em questão envolve mais de 30.000 páginas de estudos técnicos pautados na valorização dos aspectos comerciais, técnicos, operacionais, logísticos, industriais, compensação comercial (offset) e transferência de tecnologia.

Brasília, 10 de abril de 2015.

Brigadeiro do Ar Pedro Luís Farcic
Chefe do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica

Subscribe
Notify of
guest
51 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Rogério
Rogério
5 anos atrás

Viu como tudo fica mais fácil qdo esclarecido, se uma nota assim saísse em outubro evitaria muitas especulações negativas

Mauricio R.
Mauricio R.
5 anos atrás

Ah tá, alteraram a configuração padrão da aeronave, incluindo um trambolho de fornecedor diferente daquele da versão original e não houve aumento de preço???
Não houveram custos de desenvolvimento p/ a customização da versão brasileira da referida aeronave???
E a alteração de preço p/ menor. foi tão somente devido ao câmbio???
Me engana que eu gosto!!!

Rogério
Rogério
5 anos atrás

“Naquela data (24 de outubro de 2014), o valor de coroas suecas correspondia a US$ 5.4 bilhões. Porém, hoje, o valor equivale a cerca de US$ 4.6 bilhões, já que o contrato foi firmado em coroas suecas e houve significativa variação na taxa de câmbio entre as moedas (dólar americano x coroa sueca). A taxa de conversão utilizada foi a do Banco Central do Brasil.”

Bom então esta quase o mesmo preço de 2009.

Gardusi
Gardusi
5 anos atrás

Não quero entrar no mérito de que há ou não irregularidade, mas essa questão do câmbio só é usada porque é favorável. Por acaso a FAB ou nosso Tesouro fez algum contrato de derivativo como proteção a uma cotação desfavorável do dólar? Se fez (o que duvido), a melhora na cotação não deve ter alterado nada, pois o preço teria sido travado lá atrás. Se não fez, beleza, o dólar subiu e o preço em reais caiu. Mas estará assim quando houver de fato os desembolsos? Quando começam os pagamentos? Até lá, o governo pode ser outro, a cotação do… Read more »

Felipe Morais
Felipe Morais
5 anos atrás

Segue a conversão no site do banco do Brasil. Valor: 39.882.335.471,65 em coroas suecas. -20 de janeiro de 2009: US$ 4.7 bi= R$ 10.59bi – 01 outubro de 2014: US$ 5.5 bi = R$ 11.07 bi – 10 de abril de 2015: US$ 4.5 bi = R$ 13.85 bi. Considerando-se os arredondamentos, a justifica tem sentindo. De qualquer modo diante da oscilação do dólar, hoje pagaremos mais de 3 bilhões de reais a mais que o valor de 2009. Mais de 2 bilhões de reais a mais que o valor de outubro de 2014. E isso considerando a situação de… Read more »

Groo
Groo
5 anos atrás

A economia com a alteração do câmbio seria maior se tivessem mantido a configuração original.

A questão é: as mudanças no projeto são tão necessárias a ponto de justificar um aumento de US$ 900 milhões do preço original? Se sim, por que estas especificações não constavam nos requisitos originais?

30.000 páginas de estudos técnicos. O bom é que MPF só vai precisar se concentrar nas alterações do contrato.

Mudanças de especificações depois da escolha do fornecedor costumam abrigar valores de corrupção. Isso já ocorreu em diversas licitações.

Se não houver irregularidade, ótimo! Se houver, cana!

joseboscojr
joseboscojr
5 anos atrás

Infelizmente o “Centro” fez estudos demais relativos a outras áreas e não somente às relativas ao emprego operacional, daí ter gerado um relatório de 30.000 páginas.
O Governo tinha que por alguns desses mais de 40 Ministérios pra trabalhar, e cada um, gerar um relatório menor, nas suas diversas área temáticas.

leejunior22
leejunior22
5 anos atrás

Acho que a questão do câmbio foi coincidencia, mas em nenhum momento me assustou o aumento de 900 milhões de dólares no fechamento do contrato, uma vez que foram incluídos novos itens no contrado pela FAB, o cliente. Isso, me parece, é algum MP querendo aparecer. Desde quando, um promotor de justiça pode questionar critérios técnicos? Se houve alguma maracutaia, eu quero saber e que os culpados sejam punidos. Mas, vi uma entrevista dada por um membro do Parquet federal que me deixou transtornado, pois o fundamento era apenas que o preço subiu quase R$ 1 Bi entre uma data… Read more »

joseboscojr
joseboscojr
5 anos atrás

Lee,
E se houve desvios, não chegou a nem um Baru$co.
Ou seja, nada demais.
rsrsss

joseboscojr
joseboscojr
5 anos atrás

Mas eu ainda sou daqueles do interiorrr de Minas que gostaria de saber quanto custa uma unidade. Hoje em dia compra-se 20 mísseis e sai por 400 milhões de dólares o conjunto, porque na conta entra os dito cujos, os mísseis de manejo, os de treinamento, o caixote de madeira, o simulador do míssil, a integração do míssil, o software do míssil, as aletas adicionais (vai que uma amassa), o custo do avião de transporte, da carreta, do pagamento do pedágio, a transferência de tecnologia do míssil, etc. No final, ninguém sabe quanto custa um maldito míssil. E isso serve… Read more »

joseboscojr
joseboscojr
5 anos atrás

Por exemplo, o Brasil recentemente adquiriu 16 mísseis Harpoon. Cada um é tido com custando cerca de 1,2 milhões de dólares. Conta de padaria básica: 16 x 1,2 = 19,2 milhões de dólares. Tá bom! Vamos aceitar que o preço na mídia de cada míssil tá defasado e que cada um custa 2 milhões de dólares. E ainda tem os mísseis de manejo, de treinamento, parafuso extra, manuais, folhetos, transporte, treinamento, etc. Razoável: 50 milhões de dólares. Os nossos custaram 169 milhões de dólares. Esses valores têm seu lado bom. Fica literalmente impossível fazer guerra hoje em dia, que os… Read more »

Augusto
Augusto
5 anos atrás

joseboscojr
10 de abril de 2015 at 15:25 #

“Os nossos custaram 169 milhões de dólares.

Esses valores têm seu lado bom. Fica literalmente impossível fazer guerra hoje em dia, que os preços estão proibitivos.

Que reine a paz eterna entre as nações.

Amém!”

Kkkkkkkkkkkkkkk

leejunior22
leejunior22
5 anos atrás

Bosco,

Só quis passar a idéia de que nem todo aumento de preço é superfaturamento. Ou nem tudo que brilha é ouro…

Lógico que se tem algo de ilegal deva ser apurado, mas não precisava esse carnaval midiático, pois uma das poucas instituições ainda respeitadas nessa Bº$t& de país são justamente as FFAA.

O povo só lembra da denúncia, nunca do pedido de desculpas, que costuma (quando existente) vir como nota de rodapé.

joseboscojr
joseboscojr
5 anos atrás

Pois é Augusto. Se a gente imaginar que míssil é munição e que, só pra citar um exemplo, cada Harpoon trás um custo de 10 milhões de doletas a unidade, ao contribuinte, e que leva anos pra repô-los (antigamente além de barato era, pagou-recebeu), às vezes é melhor deixar o navio inimigo bombardear a costa. Capaz que sai mais barato! Hoje, numa guerra real, só meia dúzia de países (sendo otimista) conseguem arcar com perdas de unidades maiores, como submarinos, navios, caças, etc. Uma fragata afundada e lá vai uns dez Baru$cos. Um Gripen NG é derrubado e tome mais… Read more »

joseboscojr
joseboscojr
5 anos atrás

Lee, E eu concordo totalmente com suas ponderações. E eu particularmente não tenho a mínima suspeita em relação à aquisição do Gripen, pelo menos não em relação aos militares. Menos em relação à suposta TT, que é difícil de controlar, administrar, etc. , e é onde pode ter algum “baruscozinho” mutretado no meio do embromês habitual desses contratos escritos em hieroglifos. rsrss Na verdade, nem sabia dessa suspeita do MP em relação ao Gripen, e se sabia por já ter lido “en passant”, nem me lembrava. Mesmo porque, como disse nos comentários anteriores, acho tudo caríssimo. Fico até desconfiado de… Read more »

Solskhaer
Solskhaer
5 anos atrás

Trabalho em uma autarquia federal, e daqui vejo o quanto é complicado um servidor fazer a cotação de um simples carimbo, imagina de um caça de ultima geração!
Complicadíssimo para quem cota, pesquisa e fiscaliza para o governo federal qualquer compra, seja ela de um misero lápis e/ao um caça de ponta. Óbvio respeitando o que está na lei de contratos e compras!

Felipe Morais
Felipe Morais
5 anos atrás

Sou dos chatos, se tem um real mal explicado precisa ser esclarecido. A FAB, em razão do aumento substancial e do momento que o país atravessa, deveria ter publicado essa nota antes. Mas que bom que publicou. Quanto à “inquisição”, gostaria de que o Ministério Público e os Tribunais e conselhos de contas espalhados pelo país tivessem estrutura e vontade de querer aparecer assim como o MPF no caso do Gripen. Acredito que o combate aos crimes contra a administração pública não pode acontecer só na frente penal. É necessário que o Estado tenha capacidade de apurar a exata atuação… Read more »

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
5 anos atrás

Notinha mequetrefe. Quanto era o preço em coroas suecas em janeiro de 2009? Se era SEK 39.882.335.471,65, tudo certo e não tem discussão, pois é apenas uma questão de câmbio, já que o preço foi mantido.. Agora se é a licitação era em dólar e o preço em dólar subiu, a FAB tem a obrigação de explicar o porquê do aumento. Se US$ 900 milhões se devem a alterações no projeto, a FAB tem que justificar essas alteração. Isso não é dinheiro de troco, ainda mais para nossas FsAs que possuem equipamento limitadíssimo. Com essa diferença de US$ 900 mi… Read more »

Pangloss
Pangloss
5 anos atrás

Modo Ciro Gomes: “Dá bilhão?”

joseboscojr
joseboscojr
5 anos atrás

Sol, Toda licitação tem a fase interna, inicial, onde há uma estimativa de valor. Eu não sou servidor público, mas imagino que se meu departamento for licitar a compra de 10 mil borrachas e 100 mil lápis, se fosse eu um dos responsáveis pela licitação, a primeira coisa que faria seria ligar pra umas três ou quatro papelarias (ou fábricas de borracha ou lápis) pra saber a média de custo de cada borracha e de cada lápis. Supondo que cada borracha ficasse em 2 reais e cada lápis em 1 real, na média, e levando-se em conta que na compra… Read more »

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
5 anos atrás

Bosco, você foi irônico nessa parte, né? “Não é por incompetência, porque pra ser servidor público tem que passar em concursos dificílimos que selecionam as mentes mais brilhantes da Nação.” Te garanto que vários ineptos são aprovados em concursos públicos. Um dos problemas das licitações é que se você for querer comprar com um preço de mercado, não aparecem interessados. Até porque muitas vezes a Administração Pública dá calote e cobrar do governo demora mais do que de uma empresa. Então, graças à 8666 fornecer algo para o governo já é naturalmente mais caro. Se você acrescer a incompetência e/ou… Read more »

leejunior22
leejunior22
5 anos atrás

Bosco, também tenho minhas restrições em relação aos contratos de ToT praticados pelo MD ultimamente. Realmente, parece uma justitificativa legal para sifonar dinheiro, uma vez que fica dificil para mensurar ToT em $. Posso cobrar R$ 10,00 ou R$ 100,00 para dizer a mesma coisa, por exemplo. Só a título de curiosidade, a cotação da Coroa Sueca (SEK) em relação ao Dólar (US$) em 2009 foi a seguinte: 31/01/2009 – SEK 8,3 = US$ 1,00 31/03/2009 – SEK 8,2 = US$ 1,00 30/06/2009 – SEK 7,7 = US$ 1,00 30/09/2009 – SEK 6,9 = US$ 1,00 31/12/2009 – SEK 7,1… Read more »

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
5 anos atrás

Leejunior

Por essa cotação, o preço saiu de SEK 37,6 bi para SEK 39,9 bi.

Aí já dá uma diferenças bem menor, de US$ 277 mi.

Seria uma resposta muito melhor da FAB usar esses números. Mas o ideal seria esclarecer se a proposta era em dólares ou SEK.

E, mesmo assim, justificar o aumento, seja em SEK, seja em US$.

joseboscojr
joseboscojr
5 anos atrás

Rafa, Devo confessar que usei de uma “certa” ironia. rsrssss A melhor maneira de se escolher um trabalhador é através de currículo, cartas de apresentação, experiência descompromissada por um dado período, controle de desempenho, etc. Mas quando há milhares (quiçá, milhões) de interessados em uma única vaga de emprego público (e isso só ocorre porque no Brasil o Estado paga mais que a iniciativa privada, apesar de sermos um país capitalista), onde é obrigatório o instituto da isonomia e tendo em vista que os que estão nos postos de liderança não são imunes à desvios de conduta (e colocariam parentes,… Read more »

Hamadjr
Hamadjr
5 anos atrás

Esta situação é como aquela em que 2 pessoas um é poeta outro inconformado diante do seu dedo apontando para a Lua, o primeiro vê a Lua o segundo vê o dedo. Todo contrato tem salva guardas e este que trata da aquisição do Gripen tem clausula de correção de valores como todo instrumento jurídico, para com esse negócio de enxegar propina em tudo que tudo o que se relaciona ao governo tem corrupção, tem sim e muito desde SP até Brasilia com conexão em todos os estados e municipios mas tem também quem não faz parte da vala comum.… Read more »

Felipe Morais
Felipe Morais
5 anos atrás

Bosco, quanto ao seu comentário lá encima. É importante, mas na prática não é tão simples assim. Na realização de uma licitação, há uma prévia estimativa de preços. Em regra, a administração não pode ultrapassar esse limite. Sabendo disso, as empresas encaminham propostas “superfaturadas”, prevendo à queda no preço durante o procedimento de licitação e minorando a redução do lucro. Sendo assim, é recomendável ( e isso você verá em vários e vários manuais de licitação), que se dispense propostas destoantes durante a pesquisa de mercado para formação da estimativa de preços, seja para mais, seja para menos. Entretanto, fazendo-se… Read more »

joseboscojr
joseboscojr
5 anos atrás

Valeu Felipe!!

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
5 anos atrás

Boscão, não sou nem um pouco contrário a concurso público.

Só quis dizer que as provas costumam ser mal feitas, cheia de coisas inúteis, não cobram raciocínio, é mais decoreba, etc.

O resultado é que muita gente chega para trabalhar no governo sabendo bem menos do que deveria e ainda se achando a última bolacha do pacote.

joseboscojr
joseboscojr
5 anos atrás

Rafa, Mas eu também não sou contra concurso público não. Mesmo porque,num país onde já teve concurso que deu mais de um milhão de candidatos, não tem jeito de selecionar servidores que seja diferente do concurso, tendo em vista que o trem da alegria já passou. Isso de um milhão de candidatos nunca deve ter ocorrido nem na China ou na Índia, mas no Brasil acontece. Normal é algumas dezenas de milhares de candidatos e alguns milhares por vaga. Agora, que não é a melhor maneira, não é. Ou você acha que outro país do mundo civilizado tem concursos como… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
5 anos atrás

Gente, a conversa sobre concurso público está interessante, mas já se distanciou para um caminho (do emprego público, capacitação dos selecionados etc) que sai bastante do foco da discussão da matéria e deste site.

Atenham-se ao tópico, por favor.

Felipe Morais
Felipe Morais
5 anos atrás

Sou servidor público e concordo em gênero, número e grau. rsrs
Não é fácil ser aprovado, longe disso, mas o método de aviação também é longe de ser o ideal.
Trabalho em um local onde a equipe é muito boa, mas existe sim uma quantidade considerável sim de “ineptos”, conforme citado..

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
5 anos atrás

Felipe, por favor leia a solicitação de meu comentário que está logo acima do seu. Imagino que estivesse escrevendo no momento que o publiquei e não o tenha visto.

Vader
5 anos atrás

Boa nota da FAB. Demorou, entretanto. Muito. Abre o olho FAB. Abre o olho, senão vocês vão ficar sem caças. Acho ótimo o MPF investigar. Sério. Tudo que for público. Todas as figuras publicas. Todos os negócios públicos. Todos os contratos. Tudo. Mas enquanto o MPF não investigar a base de R$ 25 bilhões dada de presente pra Odebrecht dos companheiros sem licitação (alô MPF, sem licitação nem concorrência alguma), pra mim não vai passar de politicagem. Enquanto o MPF não investigar o Programa Espacial Brasileiro e fizer uma “razzia” por lá, pra mim esses inquéritos do Gripen não passa… Read more »

Groo
Groo
5 anos atrás

Tem gente séria e pilantra em todo lugar.

O único jeito de preservar as instituições e também os seus membros que agem com correção é extirpar os pilantras.

Dá pra pegar todos os pilantras? Não. Mas isso não significa que não devemos investigar e punir os que forem encontrados.

A imprensa vive noticiando casos de corrupção envolvendo contratos de defesa no mundo inteiro. Só aqui que não.

Não sei se isso é motivo de orgulho ou de preocupação.

Groo
Groo
5 anos atrás
Baschera
Baschera
5 anos atrás

oseboscojr 10 de abril de 2015 at 15:25 Bosco…. os valores do Harpoon citados estão bastante defasados. Claro que os valores citados (veja abaixo) contem outros acessórios (containers, partes, peças, manuais, treinamento, logística etc….) como o amigo está quase “careca” de saber. A FAB adquiriu 20 unidades (16 AGM-84L Block II e mais 4 CATM-84L Harpoon Block II Captive Air Training Missiles) por Us$ 169 milhões (06 de maio de 2014). http://www.dsca.mil/major-arms-sales/brazil-agm-84l-harpoon-block-ii-missiles Poucos dias depois a DSCA (1 de Julho de 2014) notificou o congresso norte americano para uma aquisição muito semelhante da Marinha da Índia. Foram 22 unidades (12… Read more »

Franco Ferreira
Franco Ferreira
5 anos atrás

Isto me parece “fogo-de-cena”. Penso que estão “atirando” na AEL e seus apaniguados. Veremos.

Franco Ferreira
Franco Ferreira
5 anos atrás

http://www.diariodopoder.com.br/noticia.php?i=29960571984 ” O CONTRATO ASSINADO ANO PASSADO CUSTOU US$ 758 MILHÕES A MAIS QUE A PROPOSTA ORIGINAL O Ministério Público Federal (MPF) abriu inquérito civil para apurar suspeitas de irregularidades na compra de 36 caças Gripen pelo governo Dilma Rousseff. O contrato foi assinado em outubro do ano passado custou US$ 4,5 bilhões, equivalente a R$ 13,8 bilhões. O valor é US$ 758 milhões (R$ 2,3 bilhões) mais caro do que a proposta inicial apresentada pela fabricante, a sueca Saab. Segundo a Força Aérea Brasileira (FAB), mudanças nos aviões fizeram com que o valor fosse reajustado, além da desvalorização da… Read more »

Felipe Morais
Felipe Morais
5 anos atrás

Foi isso mesmo Nunão, escrevi no mesmo momento que você.

joseboscojr
joseboscojr
5 anos atrás

Mas o que tem a ver uma empresa particular contratar o cunhado de quem quer que seja?
Tudo bem que por receber verba pública ela é passível de ser fiscalizada pelo CN via TCU e seus executivos estarem sujeitos às penalidades previstas em lei, mas a escolha de seus funcionários é livre.

joseboscojr
joseboscojr
5 anos atrás

Acima eu citei o que considero ideal do ponto de vista de seleção de pessoal na área de RH, entre elas estava a “carta de apresentação”, conhecido QI. O Estado não pode usar dessa via, mas a iniciativa privada pode. E um QI do comandante da aeronáutica, que até prova em contrário é uma pessoa de bem e de alta relevância na sociedade é um fator a ser levado em conta na iniciativa privada. Se isso pode ser relacionado com algum favorecimento desse senhor à empresa, aí são outros quinhentos, mas até que essa relação de causa e efeito seja… Read more »

Groo
Groo
5 anos atrás

http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/licitacao-dos-cacas-da-fab-volta-a-emperrar

Essa história tá parecendo a do Lulinha na gamecorp.

Marcos
Marcos
5 anos atrás

Não basta ser a mulher de César, tem de parecer a mulher de César.

Wellington Góes
Wellington Góes
5 anos atrás

E ai, o problema ainda é só com a parte política civil?!?! Há, invariavelmente, na cultura brasileira (civil ou militar) a necessidade de complicar as coisas e/ou ter alguma vantagem pessoal. O engraçado é que para algumas empresas estrangeiras há uma leniência e uma facilitação das coisas, detalhe, muitas das vezes sem qualquer ganho tecnológico à outras empresas brasileiras, já em outros casos, há uma má vontade (para dizer o mínimo). Não é uma defesa desta ou daquela, muito menos uma condenação prévia, mas eu sou daqueles que pensa que pau que bate em Francisco, bate em Chico também. Dois… Read more »

Edgar
Admin
5 anos atrás

Extraído do link informado pelo Groo:

“Agora, com as restrições orçamentárias do ajuste fiscal, admitiu a VEJA que não poderá alugar mais nada.”

Sinistro! Será que procede a informação?? Caso positivo, o futuro a curto prazo da FAB estaria comprometido.

joseboscojr
joseboscojr
5 anos atrás

Groo,
No meu comentário das 9:57 havia me referido ao caso isolado de um cunhado do Saito ser empregado numa empresa particular, mas frente ao texto da Veja que você indicou, retiro o que disse.
A coisa é muito mais complexa do que a minha análise inicial e superficial permitiu.

Vader
5 anos atrás

Ah sim MPF:

Não se esqueça de investigar o negócio de uma tal fabricante de helicópteros que recebe transferência de tecnologia dela pra ela mesma, e q ganhou uma concorrência pra vender às FFAAs um helicóptero que nenhuma delas queria, e pelo qual se pagou preço de F-16.

Andre Luis
Andre Luis
5 anos atrás

Vader. Concordo plenamente com você. Chega a ser insulta a nossa inteligência a falta de investigação sobre o contrato com a Odebretch na Base naval da Marinha de 25 Bilhões de reais, até aqui. Só este valor, de 25 Bilhões já é inacreditável. E nada do MPF investigar o governo que fez este contrato, ????? Você disse tudo que eu queria dizer, Vader. “Boa nota da FAB. Demorou, entretanto. Muito. Abre o olho FAB. Abre o olho, senão vocês vão ficar sem caças. Acho ótimo o MPF investigar. Sério. Tudo que for público. Todas as figuras publicas. Todos os negócios… Read more »

Andre Luis
Andre Luis
5 anos atrás

Por quê o Ministério não fez nenhuma denúncia sobre a

1. Base Naval de 25 Bilhões de Reais?

2. A “transferência” de Tecnologia da Eurocopter Europeia para a Eurocopter no Brasil na compra de helicópteros caríssimos, acima da concorrência?

3. Programa espacial Cyclone com a Ucrânia.

4. Compra de submarinos Franceses mais caros quando o Brasil já tinha comprado a tecnologia dos Submarinos Alemães e já tinha absorvido a tecnologia??? Causando um desperdício de Bilhões de reais.

5. Uso dos jatinhos da FAB para transportar a Rosimery Noronha junto com o ex-presidente Luis Inácio…..

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
5 anos atrás

Amigos, a venda de equipamentos militares varia muito de País pra País. Cada cliente é um cliente. Não há preço de tabela. Por isso os Harpoons da India têm um valor e os nossos outro. A quantidade comprada, é óbvio, influencia no preço. O João Bosco foi muito feliz no exemplo, pois no preço final estão imbutidos muitos detalhes: treinamento, publicações, a caixa de madeira, transporte, assistencia técnica, sobressalentes etc. O contrato do CL-X tinha 5 volumes, e em dez meses na COPAC não consegui ler tudo. Alguns requisitos do FX-2 foram modificados depois da escolha porque houve avanços tecnológicos… Read more »