Home Sistemas de Armas Caças Su-30MKI indianos começarão a empregar míssil Brahmos em 2016

Caças Su-30MKI indianos começarão a empregar míssil Brahmos em 2016

516
28

Brahmos em Su-30 - imagem via Brahmos Aerospace

Primeiro caça modificado para lançamento do míssil foi oficialmente entregue há um mês, e testes em voo estão programados até o final deste ano

Segundo o diretor executivo da Brahmos Aerospace, Sudhir Mishra, a versão lançada do ar do míssil indo-russo Brahmos começará a ser empregada pelos caças Sukhoi Su-30MKI indianos em 2016. A informação foi dada por Mishra ao informativo russo Sputnik News (nova denominação da RIA Novosti) na quarta-feira, 18 de março.

A notícia surge praticamente um mês após cerimônia realizada no evento Aero India, no qual a estatal indiana de aviação HAL /Hindustan Aeronautics Limited) entregou o primeiro exemplar de Su-30MKI modificado para uso do míssil supersônico de emprego ar-superfície do tipo “dispare e esqueça” (fire and forget), em 19 de fevereiro.  Cerimônia entrega primeiro Su-30MKI modificado para Brahmos - foto via Brahmos AerospaceNa ocasião, uma maquete de Su-30MKI foi simbolicamente entregue pelo “chairman” da HAL, T. Suvarna Raju, ao diretor executivo Sudhir Mishra da Brahmos, e diversos documentos da aeronave foram recebidos da HAL na presença de autoridades do Governo e da Força Aérea.

Quanto ao processo de integração em andamento, para o qual contribui a primeira aeronave modificada recebida o ano passado, Mishra afirmou ao informativo russo que “o míssil está agendado para ser adotado em 2016, e mais dez testes serão realizados até o final do ano.” O próximo teste de voo, nesse caso com o lançador do míssil, está programado para maio, e será seguido por voos com mísseis e testes de disparo, segundo o executivo.

No site da Brahmos Aerospace, contudo, permanecia até a publicação desta matéria a informação de que a introdução da variante do míssil lançada pelo Su-30MKI seria iniciada em 2015 (levando em conta testes iniciais de lançamento que deveriam começar em 2014). Texto de apresentação aparentemente mais antigo sobre o míssil, e ainda no ar no mesmo site quando da publicação desta reportagem, trazia datas ainda mais otimistas: começo de testes em voo em 2010 para introdução na Força Aérea Indiana em 2012.

Brahmos em desfile da Força Aérea Indiana em 2011 - foto via Brahmos Aerospace
Brahmos em desfile comemorativo da Força Aérea Indiana em 2011 – foto via Brahmos Aerospace

 

O míssil utiliza propulsão do tipo “ramjet” para atingir velocidades máximas próximas a Mach 3 e voo supersônico de cruzeiro (em altitude elevada) ao longo de toda a sua trajetória, que pode chegar a 290km, atingindo seu alvo na fase terminal de voo (que se dá a cerca de 10m da superfície) com uma ogiva com peso entre 200 e 300kg, que segundo o fabricante tem seu poder de destruição aumentado em várias vezes pela força cinética da velocidade da arma.

IMAGENS (em caráter meramente ilustrativo): Brahmos Aerospace

Subscribe
Notify of
guest
28 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Victor Matheus
Victor Matheus
5 anos atrás

Só um Sukhoi pra conseguir portar um míssil estupidamente grande como este.

Reinaldo Deprera
Reinaldo Deprera
5 anos atrás

Fiquei curioso para saber o RCS desse monstro com essa carga. Deve ser algo mais ou menos parecido com o RCS de um 747.

Save Ferris!

joseboscojr
joseboscojr
5 anos atrás

A pergunta de um milhão de dólares: o que vale mais, um Brahmos transportado pelo Su-30 ou 4 Harpoons/SLAM-ER, transportados por um F-18?

joseboscojr
joseboscojr
5 anos atrás

Victor,
Provavelmente, no Ocidente, só o F-15E é capaz de levar o Brahmos, que para padrões russos, é um peso leve.
A versão aerolançada pesa pouco menos de 3 t.
O Moskit, irmão mais velho do Brahmos, pesa 4 t.

Reinaldo,
Com ou sem o ônibus espacial nas costas??
rsrsrs

Oganza
Oganza
5 anos atrás

Bosco,

Resposta a pergunta de um milhão de dólares: kkkkk

>> 4 Harpoons/SLAM-ER, transportados por um F-18.

Acho que é sempre melhor saturar do que “colocar todos os ovos em uma única cesta”. Ademais, um SLAM-ER aparentemente é mais difícil de se detectar que um Brahmos supersônico… mas não vai adiantar nada se eu não tiver os sistemas para detectar e engajar algum Brahmos disparado contra o meu barquinho.

Grande Abraço.

Victor Matheus
Victor Matheus
5 anos atrás

Bosco,
Eu pensei a mesma coisa, que no ocidente talvez só o F-15 conseguiria transportá-lo!
“Com ou sem ônibus espacial nas costas??”
Hahahahaha!!!
Mas e aí povo, minha dúvida é se sistemas de defesa de navios modernos podem engajar e abater um míssil veloz destes com rapidez, pois pelo que parece, o trunfo do Brahmos é a sua velocidade.
Att.

Edcarlos Prudente
Edcarlos Prudente
5 anos atrás

Todos os Sukhoi Su-30MKI FAI serão modificados para transportar essa arma? Se sim, imagina um ataque com dez Sukhoi Su-30MKI disparando ao mesmo tempo!

“uma ogiva com peso entre 200 e 300kg”

E só basta um acerto!

Saudações!

joseboscojr
joseboscojr
5 anos atrás

Victor, Se veículos de reentrada, 3 x mais veloz, e com RCS muito menor, podem ser consistentemente interceptados, não acho que um míssil supersônico também não possa. Lembra o que dizem do Pantsir S-1, que é capaz de interceptar até um HARM que pesa 10 x menos que um Brahmos e é tão veloz quanto? Se russos dão conta de fazê-lo com um caminhãozinho, imagine o que um destróier ou cruzador não dá conta de fazer. rsrsrssss Uma vez eu disse isso num site (não sei se foi aqui) fazendo a analogia dos veículos de reentrada de mísseis balísticos que… Read more »

joseboscojr
joseboscojr
5 anos atrás

Edcarlos,
Ser morto atropelado por um fusquinha ou por uma carreta de 50 t é ruim de todo jeito.
Esse cenário que você pintou é de assustar qualquer um , seja o Brahmos ou seja o Exocet.
Ninguém quer 10 mísseis antinavios vindo na sua direção.
Cruz credo!!!!
rsrss

Kojak
Kojak
5 anos atrás

“joseboscojr
19 de março de 2015 at 14:03 #

Oganza
19 de março de 2015 at 14:31 #”

Abram uma brahma, rs.

Tai,

AMBEV,

no dia do Show pega uma boa imagem do macho e tissssss abram uma fêmea geladinha.

Os caras são bons mesmo para cumprir prazos,
Oganza e Bosco
montem uma consultoria e vão lá dar uma mãozinha.

$$$$$

joseboscojr
joseboscojr
5 anos atrás

Oganza, Mas esses navios que a gente tá falando são todos muito bem equipados. rsrsrss E você está certo. O SLAM-ER é altamente furtivo. Tanto é que pode voar alto e pra isso precisou de uma asa diferente da do Harpoon, pra se sustentar numa altitude maior. Ele é tão furtivo que não precisa ser “sea-skimming”. Diz-se que só dele poder voar mais alto já tem 50% mais alcance que o Harpoon. Agora, mesmo tendo um RCS ínfimo, e também ter uma assinatura térmica igualmente pequena (além de operar de forma passiva), ele eventualmente será detectado. Aí, talvez levar quatro… Read more »

Kojak
Kojak
5 anos atrás

Bosco

Caro Amigo

O “Iron Dome Navy” estará apto para reagir ?

http://www.ynetnews.com/articles/0,7340,L-4586721,00.html

Lembrando que Israeli e Hindus estão com ótimas relações.

Abraços

joseboscojr
joseboscojr
5 anos atrás

Kojak,
Sem dúvida esse sistema Iron Dome/C-Dome deverá fazer sucesso.
Na verdade a tecnologia de radares de varredura eletrônica, associada á miniaturização dos mais diversos seekers, à fusão de sensores, à automação cada vez maior e à guerra centrada em redes, têm dificultado as coisas pro atacante.
Cada vez fica mais verdadeira a máxima que diz: se pode ser visto, pode ser destruído.
Ser discreto (furtivo) é e sempre será a maior qualidade de uma arma.
Um abraço.

Kojak
Kojak
5 anos atrás

Bosco, esta parte me chamou atenção: “Large naval vessels generally have radar-based interception systems to counter incoming threats. But Rafael executives say C-Dome offers innovations. It can fire up to a missile per second, cover a 360-degree range while piggybacking on a vessel’s own radar systems with heat-tracking missiles that zero in on multiple incoming threats at a time. “C-dome offers something that is not out there (in the market) yet … A small footprint and the capability to engage multiple targets and saturation threats. And it’s based on the only system in the world that has more than 1,000… Read more »

Kojak
Kojak
5 anos atrás

Oganza

dá uma “chegada” no

“Prazo de entrega dos helicópteros EC725 do Programa H-XBR é dilatado em dois anos”

por favor.

Abraços.

Victor Matheus
Victor Matheus
5 anos atrás

Valeeeeeuu grande Bosco!
Essa do Pantsir pra mim é novidade rsrsrs! E horizonte radar de 25 km também! Caramba é pouco tempo para reagir. Achei que fosse pelo menos o dobro.
Abraços!

joseboscojr
joseboscojr
5 anos atrás

Kojak,
O fabricante exagera um pouco. rsrsss
Hoje há muitos sistemas que alegam ser capazes de defender o navio contra ameaças múltiplas em 360º, tais como: VL-MICA, CAMM-M, Umkhonto, PAAMS, ESSM (combinado com um radar de varredura eletrônica), etc.
E até o RAM, que embora não seja VL, tem capacidade de defender o navio de ataques múltiplos simultâneos.
Um abraço.

Kojak
Kojak
5 anos atrás

Bosco,

Valeu.

O Aldo já te telefonou ? (rs)

Edcarlos Prudente
Edcarlos Prudente
5 anos atrás

Caro bosco, acho que não pintei o cenário todo! Quanto fiz meu comentário pensava na seguinte vitima para o atropelamento:

http://www.naval.com.br/blog/2014/12/05/a-transformacao-do-navio-aerodromo-russo-varyag-no-chines-liaoning/

Neste cenário um único Exocet seria tão eficaz quanto um Brahmos?

Saudações!

joseboscojr
joseboscojr
5 anos atrás

Edcarlos, Sem dúvida o Brahmos isoladamente parece ser mais letal que um Exocet, mesmo se comparado ao Block 3, tendo em vista uma série de fatores, dentre elas, o poder destrutivo de um e de outro. Sem falar que as defesas navais atuais já equacionaram bem a defesa contra mísseis subsônicos sea-skimming com baixo RCS, mas ainda está em evolução a defesa contra mísseis supersônicos sea-skimming com baixo RCS. Se o Brahmos conseguiu reduzir seu RCS ao nível dos mísseis subsônicos convencionais do Ocidente, que gira em torno de um RCS de 0,1 m², e ambos puderem ser detectados no… Read more »

Melky Cavalcante
Melky Cavalcante
5 anos atrás

Caro Bosco:

Caso a frota atacada conte com aeronaves AEW, levando em conta o RCS do Brahmos a qual distância ele seria detectado ?
E como esses sistemas antimísseis a laser se sairiam contra uma salva de Mísseis Brahmos ?
E considerando a grande capacidade de geração de energia de um navio, existe (em operação ou desenvolvimento) algum sistema que emita algum tipo de pulso eletromagnético capaz de provocar pane em algum sistema de um míssil ?

joseboscojr
joseboscojr
5 anos atrás

Melky, Eu tenho até dúvidas se um AEW seria efetivo para dar alerta precoce contra mísseis com RCS tão pequeno como o Harpoon ou Brahmos. É dito que o Brahmos tem RCS 10 x menor que o Moskit. Até aí nada demais, já que o RCS de um Moskit equivale a de um pequeno caça (F-5??). Como sabemos o RCS de pequenos caças, temos uma pista do RCS do Brhamos, o que lhe deixa próximo dos pequenos mísseis subsônicos ocidentais. Também achei que o Brahmos tem um RCS equivalente à metade do Uran, que é semelhante ao Harpoon, que tem… Read more »

rommelqe
rommelqe
5 anos atrás

Grande Bosco, ótimos comentarios!
No exemplo do AEW lembrar que se ele estiver a 25 Km ao norte do navio e o Missil a 25 ao sul, o alerta só vai ver a coluna de fumaça….

Melky Cavalcante
Melky Cavalcante
5 anos atrás

Grato grande Bosco 🙂

Mauricio R.
Mauricio R.
5 anos atrás

Míssil bonitinho mas ordinário, mto grande e principalmente mto pesado, vai precisar de um regime de perda de peso e perda de medidas.
Com somente 2 mísseis por aeronave, o tanto de células necessárias p/ uma estratégia de negação de acesso, seria proibitivo,
Uma versão de mesmo desempenho cinemático, porém menor e mais leve, permitiria o uso a partir de outras plataformas aéreas.

joseboscojr
joseboscojr
5 anos atrás

https://www.ausairpower.net/XIMG/Pacrim-ALCM-SLCM.png
Interessante comparativo entre alguns modernos mísseis russos contemporâneos (e alguns chineses) de grande porte.
Apesar de grande, o Brahmos fica pequeno ao lado do AS-4.

trackback
5 anos atrás

[…] nos planos da Marinha do Brasil (MB)?  Ou serão os mísseis ar-ar BrahMos M  (http://www.aereo.jor.br/2015/03/19/cacas-su-30mki-indianos-comecarao-a-empregar-missil-brahmos-em-20&#8230😉 destinados a aviação naval? Ou serão […]