Home Noticiário Internacional Treinador Unasur I descartado

Treinador Unasur I descartado

482
85

Unasur_I maquete tamanho real

A Fabrica Argentina de Aviones (FAdeA), subordinada ao Ministerio de Defensa da Arentina, renunciou defitivamente ao projeto do treinador IA-73 “Unasur I”. O projeto surgiu há pouco mais de dois anos, ainda na administração anterior da FAdeA, como uma ideia de produção de uma aeronave de treinamento nos países integrantes do Mercosul. Como o projeto se arrastou por tempo demais, a maioria dos países foi comprando aeronaves de outros modelos, ficando o potencial de vendas restrito a menos de 50 aeronaves, quando os cálculos indicavam que, para assegurar a rentabilidade, a produção deveria ser de, no mínimo, 150 exemplares. Como resultado, sobrou apenas um “mock up”, visto nas fotos de Lisandro Amorelli e da FAdeA. (Juan Carlos Cicalesi e Hernán Casciani).

UNASUR_I_Abandonado

FONTE: www.segurancaedefesa.com

85
Deixe um comentário

avatar
84 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
45 Comment authors
Roberto F SantanaWagnerMarcelo PamplonaMauricio R.Clésio Luiz Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Kojak
Visitante
Kojak

Obrigado Deus.

Jesuixxxxxxxxxxxxxxxxxx

Estava vendo.

CA + MAG = M…………….

JM abre um bom vinho !

Mauricio R.
Visitante

Agora só falta nos livramos do teco-teco da Novaer.

Batalhão do Aço
Visitante
Batalhão do Aço

O Brasil só se da mal nessas parcerias na AL !

Brasil acima de tudo ..

Wolfgangus Mozart
Visitante
Wolfgangus Mozart

Previsível… Logo logo o teco teco bolivariano cairá no esquecimento.

Alber
Visitante
Alber

Mui respeitosamente, corrigindo a frase do amigo “batalhao de aço”:

“O Brasil SÓ QUER se da mal nessas parcerias na AL!”…

Nada “em parceria” com a Argentina presta e graças a Deus nunca vai à frente! Bom… apesar de q…O q vai pra frente naquele País??

Bolivia ganha varios itens doados e qdo vai comprar Helis, compra da frança! O mesmo modelo fabricado em Itajubá!….

Os “teco-teco” da Novaer, me parecem muito bons…. Apesar dos T-25 me parecerem “mais guerreiros”…

eparro
Visitante
eparro

Ainda bem, aparentemente, uma “fria” a menos!

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Verdade isso? Se for, foi de uma estupidez o descarte do projeto, sendo eles mesmos os idealizadores. Isto põe em xeque outros projetos da própria FAdeA como o Pampa III.

Melhor para a Novaer que ficará livre para oferecer um outro projeto (afinal o Kovacs está por lá). O Sovi não tem porte pra substituir o T-27 Tucano, mas o T-25 Universal.

Até mais!!! 😉

Skyraider
Visitante
Skyraider

Argies ainda vão dar o bolo na compra do KC-390. Quem viver verá.

Brigadeiro Antônio de Sampaio
Visitante
Brigadeiro Antônio de Sampaio

Para desalento, tristeza e até mesmo desespero do “King Of Urucubaca” da trilogia, o “Novaer Sovi” está longe de ser um teco teco e deverá ser adotado pela FAB como treinador básico, até mesmo já foi batizado com este nome por um aviador da Força, bem como sua aplicação não se limita ao uso militar para treinamento, pode também atender o mercado civil.

Fica triste não King Of Urucubaca, apesar de você … bem, o resto de canção você já sabe.

Guilherme Poggio
Editor
Famed Member

Não sei o motivo de tanta novidade. O Maradona já tinha a resposta.

Mauricio R.
Visitante

Brigadeiro Antônio de Sampaio 15 de fevereiro de 2015 at 14:30 #

Cuida da tua opinião, que da minha cuido eu!!!

Brigadeiro Antônio de Sampaio
Visitante
Brigadeiro Antônio de Sampaio

Mauricio R.

Não me reportei ao senhor nem a seu comentário ou ao de ninguém por aqui.

Fiz um comentário apenas genérico, e o termo “King Of Urucubaca” é dirigido a todos que torcem contra o meu país e rogam praga a tudo que é nacional, não sei se este é o seu caso, creio que não.

Na verdade eu nem tinha lhe notado.

Reitero, não me reportei ao senhor.

Jr
Visitante
Jr

Para desespero de alguns a FAB vai sim ter o SOVI como substituto do T-25 universal.

Ricardo_Recife
Visitante
Ricardo_Recife

Foi se tarde!

Agora é ver se ninguém vem com uma ideia “maravilhosa” de um caça da UNASUL ou helis de ataque da UNASUl etc ….

Abs,

Ricardo

HMS_TIRELESS
Visitante
HMS_TIRELESS

A melhor notícia do carnaval! Felizmente para o Brasil a avioneta argentina subiu no telhado. No mais é sempre importante lembrar que a diplomacia dos atabaques de Celso Amorim queria a adoção do mesmo pela FAB.

SlatFlapFail
Visitante
SlatFlapFail

Mauricio, se fosse possível, gostaria de ouvir argumentos técnicos que desqualifiquem o Sovi como treinador primário. Você sugeriria qual aeronave então para a FAB adotar?
Saudações.

Brigadeiro Antônio de Sampaio
Visitante
Brigadeiro Antônio de Sampaio

Nos livramos de mais uma bomba. Sei que é uma expressão meio blasé, mas todos já conhecem o termo “negociação ganha ganha”, eu pergunto: na prática, o que a Embraer ou o Brasil ganham com essa tal de “aliança estratégica” com os argentinos? A Embraer está milhão de anos luz da empresa de aeronáutica deles, então, o que temos a ganhar com alguém que possui um hiato seja de conceitos ou de tecnologia tão grandes?? Muito me agrada a parceria entre Brasil e África do Sul, Embraer e SAAB e Brasil e Suécia, essas são sim operações do tipo ganha… Read more »

Heyarth
Visitante
Heyarth

O Brasil deveria repensar sua politica em relação a esses países da AL.

soldat
Visitante
soldat

Brigadeiro Antônio de Sampaio

Senhor Brigadeiro concordo com o senhor em 101%.

(minha opinião)

E também sou a favor da nacionalização de todo o desenvolvimento Bélico Brasileiro e de independência total dos Anglos-Americanos ou dos Americanos-Anglos como queiram…..rsrs….

Brasil acima de tudo e de todos

Só que nos meus comentários nacionalistas eu sou xingado rsrs..

Abraços.

Wilson
Visitante
Wilson

Esses Argies (Mercosul) são mesmo uma mala pra carregarmos….São ima sina bolivariana que nos faz perder tempo, dinheiro e credibilidade….Vai que é tua Dilma….

Space Jockey
Visitante
Space Jockey

Meus sentimentos…!

Oganza
Visitante
Oganza

Ainda bem que o lixo foi para o lixo… ou ao menos a lixeira não está no Brasil. 😀

Zampol
Visitante
Zampol

Quá, quá, quá… King of urucubaca… e o cara vestiu logo a carapuça….

Vamos ver: Embraer, Novaer… Hummmm: acho que o problema é com as coisas que terminam em “aer”.

Qual será a próxima vítima do seu rançoso (e orgulhoso!) opinar? Que tal a Enaer?

Escorpião 183
Visitante
Escorpião 183

Menos uma tranqueira para nos preocurparmos. Já temos problemas demais!

Farroupilha
Visitante
Farroupilha

Se aliar e ter colaboradores fortes e fracos, ricos e pobres, nunca foi um grande problema, quase sempre é solução.
O maior problema de todos em alianças é se juntar a TRAIRAS.

O Brasil só vai se desenvolver de verdade quando entender que jamais pertenceu a América Latina e a África, nossa grande vizinha do outro lado do Atlântico, mas sim ao mundo. Prova disso é nosso povo com origens em toda parte. Nossas melhores escolhas de força e desenvolvimento não estão com nossa vizinhança imediata. Quanto vai cair essa ficha?

Kojak
Visitante
Kojak

“Brigadeiro Antônio de Sampaio
15 de fevereiro de 2015 at 14:30 #”

Onde assino ?

“Brigadeiro Antônio de Sampaio
15 de fevereiro de 2015 at 14:42 #”

https://www.youtube.com/watch?v=zCfyOXJf3ZM

“Zampol
15 de fevereiro de 2015 at 16:29 #”

kkkk rsrsrsrs

Cesar
Visitante
Cesar

Estranho, perderam mais tempo com o mockup do que construir o avião propriamente dito? Deveriam já ter dado andamento num motor, num novo painel, num sistema de comando, na parte estrutural, etc.

Pelo menos a Novaer não colocou todos os ovos na mesma cesta, pois fez um projeto que servisse para aviação civil também.

Parabéns a Novaer e ao Kovacs.

Mauricio R.
Visitante

O Grob 120TP põe no bolso qualquer coisa que sai dessa empresa, que voou um avião ontem e hoje quer pq quer substituir o “Universal”!!!
Vão antes, se provar no mercado civil.

Mauricio R.
Visitante

“Hummmm: acho que o problema é com as coisas que terminam em “aer”.”

Meu problema é com equipamentos de serventia duvidosa, que única e exclusivamente estão sendo considerados pq há uma supostamente capaz empresa nacional por trás dos mesmos.
Ah e é claro c/ a gentinha intolerante e racista, que não tolera e nem admite opinião divergente da sua própria.

Guizmo
Visitante
Guizmo

Podiam levar esse mock up pra um museu de bizarrices junto com aquele “drone” iraniano

Marcos F.
Visitante
Marcos F.

“Meu problema é com equipamentos de serventia duvidosa”

Mas se o produto cumprir a missão, qual o problema? Se a FAB avaliar positivamente, não há porquê não comprá-lo, afinal, desenvolver a indústria é de extrema importància para as FAs.

Space Jockey
Visitante
Space Jockey

Mauricio R:
15 de fevereiro de 2015 at 19:33

“Meu problema é com equipamentos de serventia duvidosa”

Os E Jets e o T-27 Tucano por exemplo ? Todos os operadores foram enganados pela EMBRAER ?

Silva
Visitante
Silva

Maurício R, Não. Seu problema é contra tudo o que é produzido e desenvolvido no Brasil, com tecnologia nacional. Seu problema é ver que contra todas as dificuldades existentes, algumas poucas e escassas empresas brasileiras, conseguem desenvolver um mínimo de tecnologia de ponta e produzir produtos de alta qualidade, como é o caso da EMBRAER, e por consequência, o país consegue um mínimo de independência possível de equipamentos estrangeiros. Se formos seguir essa sua forma antiquada de pensar, o Brasil ainda seria colônia de Portugal. Você ao que me parece, parou no tempo ou então, sofre de “complexo do colonizado”,… Read more »

Silva
Visitante
Silva

A FAB e a Novaer Craft devem estar respirando mais aliviadas com essa notícia, porque acaba-se de vez com a possibilidade desse ‘aviãozinho bolivariano’ aterrissar por aqui.

O tal do Pampa III, muito provavelmente não sairá também do papel. Não há mercado para ele. Projeto antigo e ultrapassado. O que mais falta para os argentinos perceberem que sua indústria aeronáutica, bem como seu parque industrial em modo geral morreu de vez?

Silva
Visitante
Silva

Farroupilha em 15 de fevereiro de 2015 at 17:29

Assino em baixo meu amigo! O Brasil nada tem a ganhar fazendo parcerias com países de 5ª categoria como é o caso da argentina. Devemos almejar países do nível da Suécia, estabelecendo parcerias duradouras, e não países piores do que nós.

Sds.

Silva
Visitante
Silva

Skyraider em15 de fevereiro de 2015 at 14:29

Eu também duvido que os argentinos vão mesmo comprar 06 unidades do KC-390. Pra começar, eles não tem dinheiro pra isso, estão quebrados. Sem contar os possíveis embargos que eles possam sofrer nessa possível negociação, já que o KC-390 possui vários componentes americanos e europeus.

Sds.

Space Jockey
Visitante
Space Jockey

O que é bom para a EMBRAER é bom para o BRASIL.

Aerococus
Visitante
Aerococus

King of Urucubaca…. Cara, caiu como uma luva. Com direito a um “vestimento de carapuça”.

Curioso chamar de Teco-Teco uma aeronave criada pelo Sr. Kovaks. O camarada tem que saber muito de aviação pra mandar uma dessa – sem, ao menos, se basear em fatos e dados.

Mas tudo bem, todos têm direito a livre opinião, mesmo quando são asneiras desmedidas.

Stenio
Visitante
Stenio

Não vão comprar KC 390 nenhum. Os vizinhos como sempre, comem sardinha e arrotam caviar. Os chineses que se arrisquem a fornecer crédito a Argenzuela. O dinheiro do contribuinte brasileiro não.

Renato
Visitante
Renato

“Space Jockey15 de fevereiro de 2015 at 21:39 #
O que é bom para a EMBRAER é bom para o BRASIL”

Será mesmo? Até pouco tempo atrás a Embraer queria qoe o FX fosse o Rafale.

Iväny Junior
Visitante
Member

Depois da parceria com a China, a FAdeA só vai fazer o que o dragrão mandar.

Arruma mais um caixão pros difuntos teimsos pucará e pampa.

Oganza
Visitante
Oganza

Silva, Não podemos nos esquecer de que toda a nossa industria é completamente incapaz em produzir as Tecnologias que Fazem Tecnologias “…conseguem desenvolver um mínimo de tecnologia de ponta e produzir produtos de alta qualidade, como é o caso da EMBRAER, e por consequência, o país consegue um mínimo de independência possível de equipamentos estrangeiros.”, Esse é um engano muito comum quando se referem a Embraer e diversas outras empresas brasileiras que possuem produtos de classe mundial. … a Embraer é talvez a empresa mais Embargável que esse país possui. Se meia-dúzia de seus fornecedores internacionais não quiserem vender, ela… Read more »

Zé Abelardo
Visitante
Zé Abelardo

Apesar do Mauricio não precisar de defesa. Toda a unanimidade é burra. “O que é bom pra Embraer é bom pro Brasil” Não necessariamente. A Embraer deve, como toda a empresa privada, buscar o lucro dos acionistas. Não necessariamente o que é bom pra Embraer é bom pro Brasil. O avião da Novaer tem que atender os requisitos da força área e tem que ter um custo adequado. O Estado brasileiro tem usado o dimdim do contribuinte para sustentar a incompetência. Comprando produtos de segunda linha com preço acima do mercado para defender a “indústria nacional”. O caso clássico é… Read more »

Kojak
Visitante
Kojak

“Argenzuela”

kkkk rsrsrsrs tô rindo a meia hora.

Kojak
Visitante
Kojak

“Oganza
15 de fevereiro de 2015 at 22:11 #”

Caro Oganza,

e assim a roda gira:

Uns criam,

outros copiam,

uns copiam e melhoram,

outros copiam e pioram,

outros muitos outros compram,

ai é uma questão de escolha.

Felizmente a EMBRAER compra o que há de melhor e creio que ainda colabore com certo desenvolvimento em alguns itens.

Conhecimento vem de outras raízes e isto você já detalhou brilhantemente na Trilogia.

Abraços Amigo

Zé Abelardo
Visitante
Zé Abelardo

Oganza e Galante,

Deem uma lidinha neste artigo:

http://www.embarcados.com.br/ft232-pirataria-e-propriedade-intelectual/

Um fabricante pode bloquear o funcionamento de um chip através do seu firmware:
– após x usos
– em determinada data
– se presente outro chip que denuncia uso militar

Nenhum sistema fabricado no Brasil é verdadeiramente seguro, pois só produzimos chips para identificação de gado e de memória (sob licença).

Todas as peças para usinagem de precisão são importadas (motores de passo, rolamentos de esferas recirculantes, ferramentas).

Zé Abelardo
Visitante
Zé Abelardo

Oganza e Galante,

Por isso, os EUA auditam os fornecedores para evitar componentes estrangeiros, especialmente chineses.

Rommelqe
Visitante
Rommelqe

Prezado, O estado brasileiro é o maior responsável pelas dificuldades enfrentadas pela nossa industria. Vejam por exemplo a Gurgel, a Engesa e todo o pro alcool (dizimado pela ação predatoria da burocracia estatal e pela Petrobras). Mesmo industrias estrangeiras que são rentáveis no mundo inteiro são aqui ” assassinadas” sem dó, como foi e é a indústria naval ( no tempo da Ishibras e Verolme detivemos uma participação extraordinaria em relação ao mundo inteiro). O custo Brasil está aí em nossa frente e muitos ainda ficam deblaterando contra as forças armadas ao verem- nas incentivarem nosso s produtos. Quem me… Read more »

Juggerbr
Visitante
Juggerbr

Fico pensando em porque existem empresas bélicas em um país. Não seriam para ser fornecedoras de tecnologia militar ao seu próprio país, para que este país possa ser independente de possíveis inimigos? Sei que aqui neste pais em particular essa lógica não funciona bem, pois a Avibras está de pires na mão, pois depende de vendas exclusivamente externas, enquanto as FFAA compram equipamento russo que poderia ter sido desenvolvida na Avibras, desde que houvessem recursos para o desenvolvimento e um contrato de aquisição que bancasse os custos. Esperar que a empresa bancasse sozinha esse desenvolvimento é ser tapado à realidade.… Read more »

Oganza
Visitante
Oganza

Zé Abelardo, artigo bem interessante, mas tem umas coisinhas que eu torci o nariz, não teve jeito e antes de mais nada dou total completo apoio a FTDI. Mas vamos lá. “…até que ponto na intenção legal (legal do ponto de vista legislativo) de proteger seu patrimônio intelectual uma empresa pode propositalmente danificar propriedade alheia sem consentimento judicial? – Pra mim não tem questionamento nenhum ai. Se o proprietária tiver o equipamento danificado e se sentir lesado, ele que vá a Justiça… Lá ele terá que explicar como ou o pq dele ter comprado equipamento pirata… e se ele não… Read more »

Space Jockey
Visitante
Space Jockey

Renato:

“Será mesmo? Até pouco tempo atrás a Embraer queria qoe o FX fosse o Rafale.”

Na verdade era o Mirage 2000-5BR, em 1999