Home Divulgação Comunicado da Dassault: Egito opta pelo Rafale

Comunicado da Dassault: Egito opta pelo Rafale

318
97

Rafale no Egito

Saint-Cloud, França, 12 de fevereiro de 2015 – A Dassault Aviation está muito honrada pela República Árabe do Egito da decisão para equipar sua força aérea com o Rafale. Esta decisão é uma continuação da nossa cooperação, que remonta à década de 1970, e tem visto o Mirage 5, o Alpha Jet e o caça Mirage 2000 com as cores do Egito. O Rafale atende às necessidades de países que, como o Egito, exigem uma força aérea soberano do melhor nível.

“Eu gostaria de agradecer as mais altas autoridades egípcias para esta parceria estratégica e histórica. A Dassault Aviation terá a mesma fé que elas depositaram em nós mais uma vez “, declarou Eric Trappier, Presidente e CEO da Dassault Aviation. “Eu também gostaria de agradecer às autoridades francesas, que estavam por trás do programa Rafale, e que forneceram o apoio político, sem o qual não podemos fazer quaisquer exportações militares. Eu também gostaria de prestar homenagem às competências e know-how das 7.000 pessoas que trabalham no Rafale da Dassault Aviation, Thales, Safran e para os nossos 500 subcontratados.”

O Rafale é o primeiro caça completamente “omnirole” capaz de realizar todas as missões atribuídas a aviões de combate (ar-ar, ar-solo, ar-mar). Ele veio primeiro em serviço ativo com a Marinha Francesa e Força Aérea Francesa em 2004-2006, substituindo gradualmente sete tipos de aeronaves pertencentes às gerações anteriores. Foi desdobrado no Afeganistão (2007-2012), Líbia (2011), na região do Sahel-Saharan (desde 2013) e no Iraque (desde setembro de 2014). Ele foi escolhido pela Força Aérea Indiana para proposta de 126 aeronaves. As negociações em torno do Rafale estão em andamento com vários governos.

A Dassault Aviation produz aeronaves militares (Rafale, drones) e aeronaves executivas (os Falcons) no mesmo escritório de design e as mesmas unidades de produção. Suas atividades civis beneficiam-se da alta tecnologia derivada de suas atividades de defesa e oferece uma capacidade internacional para o desenvolvimento industrial em troca. O contrato com o Egito consolida este modelo de negócio, que é sem igual na indústria aeroespacial. Ao longo dos últimos 50 anos, a Dassault Aviation exportou 72% das suas aeronaves para mais de 90 países.

rafaleposter

DIVULGAÇÃO: Dassault

97
Deixe um comentário

avatar
95 Comment threads
2 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
34 Comment authors
Wellington GóesJustin CaseGuilherme PoggioVitorfelipe Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Flick
Visitante
Flick

Quando começarem as manutenções Tutancâmon vai escalar e saltar do alto da pirâmide de Gizé!

Baschera
Visitante
Member
Baschera

Segundo matéria traduzida da RFI (França) o cafetão por trás desta possível aquisição seriam os Emirados Árabes Unidos (aquele sheik do iate maior que uma fragata).

O motivo também seria outro… cutucar o traseiro de Tio Sam…. e mostrar que o Egito não depende de um único cafetão.

Mas o ditador egípsio de plantão tem uma exigência: Algumas unidades teriam que ser entregues logo… para ele mostrar na inauguração do novo (aumentado) canal de Suez.

Sds.

Baschera
Visitante
Member
Baschera

Ainda, segundo outra fonte “tupiniquim”:

Os primeiros seis aviões serão retirados dos estoques da França (versão Rafale B – F3). Os três primeiros seriam entregues em até seis meses. Os outros três em até doze meses.

Os restantes dezesseis (dois versão Rafale B e quatorze outros Rafale C) teriam as entregas iniciais em vinte e quatro meses.

Os EAU (Emirados) serão responsáveis por 50% do financiamento. O restante será bancado pelo estado francês.

Sds.

Baschera
Visitante
Member
Baschera

Outra coisa… esta foto do Rafale sobre as pirâmides do Egito… é velha pra kct…. é dos anos 90.

Sds.

Juka
Visitante
Juka

A primeira foto é simplesmente sensacional! Não sei se é de verdade ou photoshop, mas que ficou bonita, isso ficou.

Iväny Junior
Visitante
Member

O tom das declarações muda de acordo com a vitória e a derrota nas licitações.

Se o egito tiver uma boa experiência pode ser a ponte que a frança esperava para vender os rafales. Mesmo caros, tem gente que pode pagar.

Iväny Junior
Visitante
Member

Interessante que nessa foto de divulgação das armas aparece o Brimstone, coisa que não tem no site da MBDA, datasheet da arma.

Ademais pra preencher o desenho (bem semelhante ao do Gripen) colocaram vários tamanhos das GBU’s e AASM como se fossem armas diferentes. rsrsrsrs

Marcelo
Visitante
Marcelo

Um avião de respeito, como mostra a segunda imagem.

Delmo Almeida
Visitante
Delmo Almeida
joseboscojr
Visitante
Active Member
joseboscojr

Isso sim é o que um mineiro do interiorrr entende por “comprar caças”.
Entregas das primeiras unidades em 12 meses e todas em no máximo 3 anos.

Delfim
Visitante
Delfim

Os EAU bancaram 50% ? Interessante… Por um lado, pode mudar minha opinião sobre árabes, de uma maneira geral, não possuírem uma postura solidária entre si, como os judeus. Mas, como os EAU também tem interesse na aquisição do Rafale, pode ser que tenham colocado o Egito de “tubo de ensaio” pra ver como é a operação e ainda ganhar uns jurinhos. Salim, Salim… E agora é que vamos ver o Rafale de verdade, com a França mandando bomba contra o EIIL, Egito e outros operadores árabes comprando, mais a Índia. Nada como o uso e a aquisição pra aperfeiçoar… Read more »

Space Jockey
Visitante
Space Jockey

A APACHE e o SCALP são a mesma arma ? As Matra durandal ainda são utilizadas ?

Delfim
Visitante
Delfim

E logo, logo, vai recomeçar a discussão… será que podemos depositar nossa defesa aérea num único modelo de caça ?

Iväny Junior
Visitante
Member

Delmo

“Brimstone é totalmente integrado ao Tornado, e existe interesse de integrá-lo ao Typhoon e ao F-35…” (tradução minha).

Último parágrafo do datasheet da página que você me mandou.
http://www.mbda-systems.com/mediagallery/files/dual-mode-brimstone_datasheet-1315920797.pdf

Wolfgangus Mozart
Visitante
Wolfgangus Mozart

A Dassaul merece ser parabenizada. Se vingar mais exportações, o Rafale deixa de ser engodo e pode atingir, com as devidas proporções, o mesmo sucesso do Mirage 2000. Mas não se precipitem. O modelo francês tem sido usado como alternativa aos embargos de Washington. E, se assim for, poderá ser o natural plano B ao F35.

Iväny Junior
Visitante
Member

Delmo

Achei dentro do press release em que é dito que o Brimstone será integrado ao Typhoon, Rafale e JSF.

http://www.mbda-systems.com/e-catalogue/#/solutions/air/23/system

Porém no hotsite exclusivo dele tem fotos dele montado no Tornado e F-18. Não sabia que os EUA tavam usando.

joseboscojr
Visitante
Active Member
joseboscojr

Space,
A diferença do SCALP para o APACHE (que não é índio) é que o segundo era específico para ataque a bases aéreas e pistas de pouso, e para isso contava com 10 submunições KRISS, destruidoras de pistas.
O SCALP é basicamente um APACHE dotado de uma ogiva unitária na faixa de 500 kg, e é usado contra alvos estratégicos de ponto.
Quanto à Durandal, duvido muito que sejam utilizadas pelas principais forças aéreas do mundo, se é que é utilizada por alguém ainda.

Iväny Junior
Visitante
Member

Aqui as fotos que eu comentei anteriormente, coloquei o link separado pra nao ficar preso no Spam.

http://brimstonemissile.com/air/

Delmo Almeida
Visitante
Delmo Almeida

Ivany, não falei que não era integrado. Só que tu tinha dito que não achou no site da MBDA, então eu imediatamente lembrei que foi ali que eu busquei informações sobre a arma no tempo da operação sobre a Líbia.

PS 1: Eu falei que o Storm Shadow/Scalp EG não estão integrados ao Eurofighter

PS 2: Não me lembro de ter visto notícia dele com o Rafale

PS 3: Jurava que ele era integrado ao Eurofighter

joseboscojr
Visitante
Active Member
joseboscojr

E Space,
O míssil Storm Shadow é uma versão britânica do SCALP, com uma ogiva tipo BROACH.

Claudio Donitz
Visitante
Claudio Donitz

Estou supreso com o fato de serem os EAU a financiarem esta brincadeira. Achei que fossem os sauditas com o intermédio do príncipe Bandar que normalmente recebe uma comissão de 30% sobre todas as aquisições militares sauditas desde o inicio da década de 80.

Oganza
Visitante
Oganza

Roberto F Santana,

pô sacanagem… 🙂

Abaixo do tanke da asa esquerda.

Grande Abraço.

Kojak
Visitante
Kojak

“Delfim
13 de fevereiro de 2015 at 17:51 #

……….. pode mudar minha opinião sobre árabes, de uma maneira geral, não possuírem uma postura solidária entre si, como os judeus”

Não entendi !

Podes ser mais explicito por favor ?

Sds

Marcos
Visitante
Member
Marcos

Já tem o contrato assinado em mãos???

Space Jockey
Visitante
Space Jockey

Vlw Bosco, eu tenho a revista c a matéria mas é de uns 12/13 anos atras, faz anos que nao leio. O ensaio foi num M2000. Mas lembro que significa em frances:

APACHE
Arma Propulsada de charges ejetables, ou coisa parecida.
Arma propulsada de cargas ejetáveis.

Space Jockey
Visitante
Space Jockey

Roberto
13 de fevereiro de 2015 at 18:41 #

Verdade acho que a MBDA hj…

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Baschera, pois então, eu me lembro daquela foto, acho que foi matéria de capa da FLAP de 1995/6 (ou mais ou menos por ai). Acontece que neste período os sistemas visto na foto não estavam integrados ao Rafale (IRST, OSF, Spectra, dentre outros), por isso eu acredito que esta foto seja mais nova.

No mais, acho a aeronave uma ótima opção para nós no mix Hi-Low, aonde o Rafale a opção Hi (com menos unidades) e o Gripen a opção Low (bem mais numerosos).

Até mais!!! 😉

JMJ
Visitante
JMJ

O contrato oficial foi assinado no dia 12 de fevereiro, na França, sendo que haverá uma cerimonia no Egito, onde sera assinado somente para fins propagandista….Assistindo o video, vemos o qto vale esse avião, o alto grau de desenvolvimento. Vale lembrar que os Emirados Unidos, estao patrocinando essa compra e serao tambem compradores do Rafale, existe uma conversa para se adquirir num total de 70 avioes, sendo esses 24 para o Egito e o restante para os Emirados.

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Eu tive a oportunidade de ver uma palestra 3D sobre a manufatura e sistemas do Rafale durante a LAAD de 2011. Simplesmente um show!!!

fabiano
Visitante
fabiano

beleza esse esta armado ate os dentes mas os gripen ng br o brasil teria interesse no míssil ar ar tipo o meteor

Oganza
Visitante
Oganza

… o Rafale para compor um Hi-Low-mix tupiniquim nunca foi e nunca será uma opção lógica e muito menos inteligente, não para quem sabe fazer as quatro operações básicas e tiver vergonha na cara. Isso só aconteceria com muita propina e mais um, dos já costumeiros assaltos aos cofres públicos. O Molusco de 9 dedos quase conseguiu, mas o Japa não deixou.

Em 2020 vamos ver quantas horas de voo terão as Jacas egípcias.

Grande Abraço.

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Pra quem acha que o Typhoon é o suprassumo dos caças de 4ª geração chamar os outros de burros só acha que o Rafale é uma boa opção, é complicado. A título de informação, o próprio Typhoon não ganhou na Arábia Saudita e Áustria sendo vencedor de uma concorrência minimamente limpa. Não atoa todo o bizumzum que a então EADS/BAe System teve que enfrentar tempos atrás. Assim como vamos ver quanto sairá as horas de voo dos Gripen E/F, até lá……….. A questão é saber o quanto cada aeronave vai entregar aos seus operadores, qual será sua relação de custo-benefício,… Read more »

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

*por achar

fabiano
Visitante
fabiano

gosto do rafale mas longe da fab . mas o egito tem tanta grana assim porque o bicho e caro pra chuchu por ser der 4 geração

fabiano
Visitante
fabiano

caças monomotores tem a hora de voo mais barata que caças bimotores pelo menos na questão do combustivel

Oganza
Visitante
Oganza

Custos da hora de voo entre Gripen e Rafale kkkkkk É um belo e eficiente caça e só… pq ele é inoperável para quem tem um mínimo de responsabilidade com custos operacionais e padece com a falta de recursos… fala sério… ele e o Typhoon são os AC do mercado mais caros do mundo, tanto para se adquirir quanto para operar… Simples Assim. Só uma insanidade para propor essa discursão e ainda mais se colocar a diferencia do que é “entregar” e do que é ter horas mínimas necessárias para se manter proficiência e doutrina… é cada coisinha que se… Read more »

fabiano
Visitante
fabiano

custos são importantes para um pais que vai ter muitos cortes orçamentários.agora se for para gastar muito e melhor ir de f35 pelo menos e de 5 geração caro mas que vai ter muitas encomendas mesmo a custo superior. valeu

Delfim
Visitante
Delfim

Kojak

Eu quis dizer que judeus, em geral, são mais unidos que árabes.

Será que escrevi tão mal assim ?

Abraços.

Delfim
Visitante
Delfim

A Veja desta semana traz informações quentes. Além da ajuda americana (doada a contragosto, ver adiante), ele ganhou US$ 30 bilhões (!) da AS, Kuwait e EAU, dezinho de cada, apenas pra gastos militares (!!), por causa da Irmandade Muçulmana. Sentindo o cheiro de dinheiro, Putin fez uma visita ao Egito, e deu de presente uma AK-47 customizada… e uma usina nuclear (!!!). Deve ter gente coçando o kipá. O presidente egípcio Abdel Sissi e o Obama não se cruzam, mas se Obama vacilar Sissi cai no colo do Putin. E quem tem 30 bilhões de doletas na mão pra… Read more »

Jorge Mendes
Visitante
Jorge Mendes

Israel é hoje uma grande nação devido a união do seu povo.
A estrela de Davi triunfa sempre.

Oganza
Visitante
Oganza

fabiano, “agora se for para gastar muito e melhor ir de f35 pelo menos e de 5 geração”… – e o pior meu caro, hj ele está no LRIP – Low Rate Initial Production com o custo de $114 milhões, mais barato que a Jaca e baixando… …mas alguma sapiência disse que “era de mais para o Brasil”. Fazer o que? Talvez tenha sido melhor assim, afinal de contas uma coisa é verdade: o F-35 tem muuuuitos problemas para serem resolvidos e ninguém de fato sabe qual será sua hora de voo… mas que o cocar da FAB ia ficar… Read more »

fabiano
Visitante
fabiano

oganza , demais para o brasil correto .mas pelo menos graças a deus não compramos a jaca . grande abraço

Vitor
Visitante
Vitor

Será que aquele cabide para 3 GBUs menores caberia no nosso A-1M, seria uma otima integração para multiplos alvos taticos em terra. Se conseguirem integrar dois em cada asa seria equivalente a 12 GBUs em 1 A-1M 😀
um abraço!

Farroupilha
Visitante
Farroupilha

Compra e venda de prateleira, quando liberada pelos envolvidos, é bem rapidinha. Principalmente quando o fabricante fatura de tudo que é lado… mamando por décadas em serviços de pós-venda.

Já na Índia, sem prateleira, a coisa tá empacada…

Mr. White
Visitante
Mr. White

Talvez se nao fosse pelo imediatismo da cleopatra, cairia muito melhor o F-35, ja que dinheiro nao esta sendo problema! O investimento ao longo prazo seria muito mais sabio e estrategico do que ter os Rafales em sua forca aerea. Logo logo iremos ver mumias voando e franceses passeando de camelo pela terra arida!

Mr.W

Oganza
Visitante
Oganza

Vitor, partindo do princípio que poderia ser integrado… seriam sim 12 GBUs, mas o A1 é pequeno e teria que ver se os pylones externos suportam o peso do cabide e as 3 GBUs, além do que, com os 4 hardpoints ocupados e com toda essa carga o A1 teria um “voo de galinha”, ele sairia de Santa Maria por exemplo e chegaria a Florianópolis e provavelmente não voltaria… 🙁 …na prática, ele só tem dois hardpoints sob as asas disponível para bombas e um limitado na linha central da fuselagem ventral, que geralmente é usado para levar algum Pod… Read more »

BravoMike
Visitante
BravoMike

Vitor, Vitor…. ótima colocação, será que a FA aproveitaria essa ideia e colocaria em nossos Amx-M pilones duplos ou triplos para Ar-terra e Ar-ar, além de economizar nas missões levaria o Amx a outro padrão definitivamente!
Ps: no caso desse upgrade no Amx porque não colocar logo um radar de ponta tipo Vixen500E Aesa!!!
Um abraço.

Vitor
Visitante
Vitor

Caro Oganza, essa implementação sugerida de pilones triplos como o do Rafale apresentado no diagrama acima, com certeza traria uma vantagem em missões “Taticas”!! Acredito no potencial do AMX, apesar de ser subsônico, como bombardeiro ele se demonstrou excelente. A respeito do ” Voo de Galinha “, repito, para “missões Taticas” e nosso Amx conta com revo, ou estou enganado??
Agradeço pelos comentários livres !!

rcolistete
Visitante
rcolistete

Vide pág. 36 desse relatório suíço oficial : http://www.vbs.admin.ch/internet/vbs/fr/home/themen/rust/2012/dokumente.parsys.39200.downloadList.76854.DownloadFile.tmp/botschaftrp2012undgripenfondsgesetz.fr.pdf A Suíça estimou o custo de operação anual de 22 Gripen E em CHF 96 mi, incluindo combustível (CHF 21 mi), manutenção (CHF 51 mi) e pessoal (CHF 24 mi), isso após alguns anos de operação (no início os custos são muito mais altos). Ou seja, (CHF 96 mi = US$ 103,536) / (22) = US$4,706 mi/ano para operar cada Gripen E na Suíça. Lá o padrão é voar 180h/ano, então daria um custo de hora-vôo de aprox. (CHF 96 mi = US$ 103,536) / (22 * 180h) = US$ 26… Read more »

Oganza
Visitante
Oganza

Vitor, caro colega, a definição de missão “Tática” não tem nada haver com a distancia a ser percorrida, e sim com o alvo a ser atingido. Se eu decolar de Santa Cruz no RJ para bombardear a usina de Angra, que é ali do lado, será uma missão “Estratégica”, pq o alvo é estratégico. Mas eu posso decolar da mesma Base de Santa Cruz e ir destruir 4 Blindados em Belém do Pará… são alvos táticos, por tanto uma missão “Tática”. 🙂 Outra coisa, é que Não importam que tipo de missões sejam realizadas pelos caças, a regra vigente, e… Read more »