Home Asas Rotativas Portugal gastou mais de 120 milhões com helicópteros que nunca vai receber

Portugal gastou mais de 120 milhões com helicópteros que nunca vai receber

769
10

NH90

Em 2011 e 2012, Portugal gastou 87 milhões num programa da NATO para comprar dez helicópteros. Agora, pagou mais 35 milhões por ter desistido de os comprar

ClippingNEWS-PAO Governo efetuou na última semana de 2014 o pagamento de 35 milhões de euros à NATO Helicopter Industries (NHI), o consórcio de fabricantes que está a produzir uma série dessas aeronaves para vários países da Aliança Atlântica. A verba não corresponde a uma qualquer tranche de pagamento por algum dos dez helicópteros, encomendados em 2001, pelo Estado português, com o objetivo de dotar a há muito existente Unidade de Aviação Ligeira do Exército (UALE) dos respetivos meios aéreos – mas sim ao pagamento de uma indemnização por ter desistido do contrato. A essa verba somam-se os, pelo menos, 87 milhões que Portugal já investiu naquele programa, entre 2011 e 2012.

Iniciada em meados de 2012, a denúncia do contrato só foi selada em outubro passado, quando uma resolução do Conselho de Ministros anunciava que o Governo teria firmado um acordo com a agência de gestão de projetos de helicópteros da NATO (NAHEMA) e a NHI, que terminaria “definitivamente” com a participação de Portugal no projeto cooperativo de desenvolvimento de aparelhos NH90 que envolve a Alemanha, França, Holanda e Itália. Nessa resolução, o Governo autorizava a que se realizasse uma despesa destinada a suportar os encargos decorrentes da desistência, até um total de 37 milhões de euros.

Segundo o Governo, os encargos decorrentes do projeto tinham-se tornado incomportáveis. A continuação da participação portuguesa no programa NH90 implicaria encargos num total nunca inferior a 580 milhões de euros, a pagar até 2028. Em 2012, quando foi anunciada a rescisão do contrato, pelo primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, e pelo ministro da Defesa, José Pedro Aguiar Branco, falava-se em 420 milhões.

FONTE: visao.sapo.pt

10 COMMENTS

  1. Mas e o que acontece com os já recebidos ?

    Li que a substituição dos velhos Pumas pelos NH90 foi muito comemorada pelas tripulações… Os caras são responsáveis pelo SAR de toda a costa, até a Ilha da Madeira.

  2. Os Puma foram substituidos pelo Merlin , com certeza mais cedo ou mais tarde o NH-90 estara operacional, por enquanto …

    Portugal fez bem em cancelar o contrato – melhor um prejuizo de 120 milhoes do que um abacaxi de 580.

  3. Senhores, até onde sei Portugal não vai usar nenhum NH-90. O país desistiu do negócio. Além do mais os hrlis deles seriam da versão TTH, de transporte tático, e não da versão NFH, marinha.

    Isso é o resultado de se contar com o ovo no fiofó da galinha. Portugal em 2000 achava que iria ser a próxima Grã Bretanha do mundo, com toda a grana que os alemães estavam a injetar no país. Veio a crise de 2008 e deu o choque de realidade, prum país que produz pouco mais que vinho e azeite.

    Isso me lembra de alguns, aqui e alhures, que adoram contar o ovo enterrado nos fundilhos da fêmea galinácea, com as costumeiras bobagens de “Bravphil-PuThânphia” e a falácia do petróleo da camada pré-sal que estes celenterados juram de pés juntos que transformará o Brasil numa espécie de Arábia Saudita ao Sol de Parador…

    E se alguém quiser apontar o dedo para alguma das consorciadas, apontem para a Lixocopter, nossa velha conhecida, e nossos sempre encarecedores amigos franceses. O NH-90 está tendo problemas e aumentos de custos muito por causa deles.

    Portugal se lascou por querer acompanhar seus “parceiros da onça” europeus. Aprende português: quer arma barata e funcional sem frescura e sem encheção de saco? Vai no Tio Samuel, e boa.

    Sds.

  4. A muito já desisti de comentar sobre Portugal, ou melhor, o Estado Português em qualquer lugar… um pais que diferente do Brasil, produz conhecimento e muito… suas universidades com seus grupos de pesquisa registraram na ultima década 5x mais “processos” que o Brasil…

    …mas nada fica em terras Lusitanas… tudo é “exportado” e o Estado Ibérico não consegue nem capitalizar isso a seu favor o que dirá dominar a produção de tecnologias desenvolvidas em suas Universidades.

    Já a tranquera NH-90: quem está já se arrependeu e quem entrar é 90% de chance de ser um mud business.

    Ps.: Tecnologias portuguesas dos últimos 20 anos em mãos de gigantes mundiais: TerraGator (Monsanto), Ion Mask (3M), HED – Heat Emitting Diode (Philips), MCG – Micro Casting Gas (Sony) e por ai vai.

    Grande Abraço.

  5. Azeite & Vinho, boa comida, pães & doces.

    Terra boa.

    É muita grana para o PIB deles.

    Esse Euro leva pequenos países a loucura.

    Já passaram os F 16 adiante ?

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here