Home Drones Uso de drone por pizzaria está sendo investigado pela Anac

Uso de drone por pizzaria está sendo investigado pela Anac

443
33

ClippingNEWS-PAQuem diz que as novidades tecnológicas demoram a chegar no Brasil teve que engolir as palavras na última semana, quando a pizzaria Vero Verde, da cidade de Santo André, na região metropolitana de São Paulo, liberou as imagens de seu primeiro teste de entrega com drones. Realizado em outubro, o experimento foi capaz de levar o prato ao cliente em cinco minutos, metade do tempo necessário para que um motoboy percorresse o mesmo percurso, deixando-o lá sem problemas.

A ação, no entanto, gerou um impasse com a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) e a FAB (Força Aérea Brasileira), que agora estão investigando o caso, de acordo com as informações do G1. Ainda não existe regulamentação para o uso de aeronaves não-tripuladas em território nacional e, de acordo com as organizações, a pizzaria nem mesmo pediu autorização para realizar os testes. O caso será investigado juntamente com uma ação das camisarias Colombo, que também fez uso indevido de drones na última edição da Black Friday.

rata-se do mesmo imbróglio pelo qual passam empresas internacionais como a Domino’s, também do ramo das pizzarias, e a Amazon, a primeira a falar em um serviço de entrega por drones. Lá fora, ambas as empresas foram impedidas de aplicar o sistema na prática devido à ausência de normas que regulam o espaço aéreo compartilhado entre aeronaves comuns e as não-tripuladas.

No Brasil, a situação é basicamente a mesma. Segundo a Anac, caso a pizzaria deseje substituir sua equipe de motoboys pelos drones, deverá aguardar por normas que regulem sua utilização. Além disso, o teste também deveria ter recebido autorização por parte da agência e, como isso não aconteceu, está sujeito a punições pela irregularidade.

De acordo com a agência, todas as decolagens de drones ou qualquer tipo de aeronave não-tripulada precisa ser autorizada pelo DECEA (Departamento de Controle do Espaço Aéreo). Mesmo em caso de testes, como o realizado pela Vero Verde, é necessária a emissão de um certificado de voo experimental, também aprovado pela Anac. Os responsáveis pela pizzaria se defendem afirmando que o teste foi uma operação de baixa altitude e, por isso, acreditaram não ser necessária autorização. É justamente isso que a agência vai investigar.

A Anac garantiu que a legislação em relação ao uso de drones já está em andamento e deve entrar em audiência pública em breve. Ainda não existe prazo para o estabelecimento das normas, mas o órgão diz estar conversando com outros países para garantir a aplicação de regras que visem a segurança, mas, na mesma medida, permitam a utilização comercial das aeronaves.

Motoboys “enciumados”
E, em uma nota no mínimo curiosa, parece que não foram só as agências governamentais que estão de olho no uso de drones para a entrega de pizzas. Ainda de acordo com o G1, os motoboys da pizzaria, os principais afetados pela aplicação de um sistema de entrega por drones, também se mostraram preocupados com a questão, brincando com o fato do robô ser incapaz de levar garrafas de refrigerante, máquinas de cartão de crédito ou até mesmo moedas para o troco.
O peso da própria pizza, de pepperoni, já foi citado como um empecilho pelo estabelecimento por, segundo eles, ser pesada demais. E olha que, nas imagens, dá para perceber que se trata de um prato individual. Além disso, o vento também foi citado como um fator que teria atrapalhado a realização dos testes, mesmo com a entrega acontecendo na metade do tempo que levaria caso fosse realizada por um motoboy.

FONTE: canaltech.com.br

33
Deixe um comentário

avatar
33 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
21 Comment authors
Reinaldo DepreraPanglossRenato.BGilberto RezendeHMS TIRELESS Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Nick
Visitante
Member
Nick

Parabéns à pizzaria pela inovação. 😀

Agora tem de dimensionar a capacidade do drone para sobreviver aos ventos e chuvas.

[]’s

Vader
Visitante
Member

Quando o Estado não atrapalha a iniciativa privada brasileira é capaz de surpreender pela inovação.

Vai aguardar a regulamentação da ANARC? Pega um banquinho e espera sentado…

Sim, há que se ter regras. Mas impedir o uso da nova tecnologia porque o Estado não se mexe é o fim da picada…

eduardo pereira
Visitante
Member
eduardo pereira

Viva a tecnologia e inovação.

Clésio Luiz
Visitante
Active Member
Clésio Luiz

Tudo é muito bonito e bacana até acontecerem os primeiros acidentes. Aí clamam porque o governo não fez nada e só tentou por ordem na casa quando as coisas já tinham virado baderna.

Eu não vou nem enumerar os (numerosos) possíveis problemas do uso desses ARPs. Só vou dizer que daqui a alguns anos eles serão motivo de muita confusão, legalizados ou não, podem esperar.

Edgar
Admin
Member

A ANAC só vai “se mexer” pra regulamentar isso o dia que um drone for sugado por uma turbina de um A380 com 500 pessoas a bordo e o piloto for forçado a pousar no primeiro aeródromo disponível.

Como espero que isso nunca aconteça, a legislação certamente irá andar a passos beeeem lentos.

E certamente este é o próximo grande mercado em expansão. Em pouco tempo serão milhares espalhados pelo país.

E os preços são tentadores. Existem alguns sites chineses que com R$ 200,00 você compra versões simples e funcionais.

Guizmo
Visitante
Member
Guizmo

Uma ação como essa, além de marketing, funciona como um “demonstrador de tecnologia”. As aplicações de Drones são variadas e diversos setores, como Mineração, Agricultura e Óleo&Gás podem se valer de seus benefícios.

Não aposto num massificado uso urbano, pois as regras de uso deverão ser rígidas, além do ambiente urbano ser tradicionalmente caótico, com fios de poste, edifícios das mais variadas alturas, a limitação do campo visual de controle, etc.

Um dos projetos que trabalhamos aqui é justamente o de Vant´s, porém nem chegamos perto de investir em seu uso urbano,

Abs

Phacsantos
Visitante
Member
Phacsantos

A Anac está atrasada??? Acho que não! Afinal, a Suiça já tem legislação sobre Drones? E o Canadá? E a França? E o Japão??? Não né… Dessa vez foi só uma pizza, num trajeto muito bem ensaiado com câmeras de todos os lugares para pegar as impressões das pessoas…. O povo se esquece que hoje como os “Aliexpress” da vida tá muito simples importar e montar essas coisas.. Daqui um tempo o dono da casa de rações vai ter um Drone…a lojinha de calcinhas também…a mercearia da esquina…os traficantes dos morros….até aquela loja clandestina lá na periferia que vende fogos… Read more »

geobosco
Visitante
Member
geobosco

Meus caros,
Se a moda pegar, vai ter muito motoboy nas cidades brasileiras desempregados rapidinho!!!!!!

Vader
Visitante
Member

Art. 5o, inc. II da Constituição Federal:

“II – ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei;”

Enquanto não houver regulamentação l e g a l, e aqui se trata de lei em sentido estrito (ou seja, aquela votada pelo Congresso Nacional etc.), penso que está resolvido o caso.

Cabe mandado de segurança contra qualquer ato de autoridade que impedir a utilização dos referidos aparelhos.

Sds.

Vader
Visitante
Member

PS: o fato de outros países serem tão atrasados quanto não justifica a nossa leseira…

PPS: porque que o Poder Aéreo e a Trilogia não começam a entregar a revista diretamente, com uma frota de mini drones? Seria uma forma de bombar na divulgação hein? 🙂

Justin Case
Visitante
Member
Justin Case

Vader, boa tarde.

Eu pensei que colocar a vida dos outros em perigo fosse contra a lei.
Acho que tenho que estudar Direito.
Abraço,

Justin

Soyuz
Visitante
Member
Soyuz

Isto é apenas uma jogada de marketing desta pizzaria, como existem dúzias de ações parecidas pelo mundo, só procurar no Youtube. Existe uma série de problemas técnicos que impedem o uso de drones para este tipo de serviço. A maioria dos endereços não está acessível por drones, especialmente nas grandes cidades, sejam apartamento, sejam casas com obstáculos como postes, arvores, muros, telhados etc.. Tornam na pratica impossível uma entrega segura para endereços que não sejam meia dúzia de selecionados e anteriormente estudados pelos pilotos dos drones. A entrega de pizza tem seu forte no período noturno, logo estes problemas se… Read more »

Vader
Visitante
Member

Justin Case
15 de dezembro de 2014 at 18:30 #

Justin, pois vá fazer, é um curso muito gratificante mesmo para quem não precisa disso para viver.

Se for, vai verificar que não existe crime de “perigo de vida”. O fato tem que prencher o tipo legal (e.g.: “matar alguém”) para ser culpável e punível.

Voar com um drone não significa tentar matar ou ferir alguém.

Sds.

Vader
Visitante
Member

Brincadeiras à parte, onde o Estado-legislador é omisso a realidade o atropela. O fato social está sempre adiante da lei. Se o Estado não regulamentar logo a questão, de uma forma decente e que permita ao empreendedor honesto e de boa-fé se aproveitar da nascente tecnologia, e não se equipar para fazer valer sua regulamentação honesta, será atropelado pela realidade. E não serão pizzarias ou livrarias que o atropelarão, mas o tráfico de drogas e o crime. Fica a dica. Outro dia, acho que em SP, um helicóptero de R$ 50,00 “Made in China” foi apreendido levando droga para dentro… Read more »

Justin Case
Visitante
Member
Justin Case

Concordo.

Grato pela aula, Vader.
Abraço,

Justin

Rafael Oliveira
Visitante
Member
Rafael Oliveira

Eu sugeriria ao Justin Case não fazer um curso de Direito. Longo e enfadonho demais. No máximo, vale a pena frequentar um ano de curso para a aprender o básico rsrs. Sobre o uso dos drones em si, se, no caso concreto ele expor alguma aeronave a perigo, o fato será típico, eis que já previsto no Código Penal. “Atentado contra a segurança de transporte marítimo, fluvial ou aéreo Art. 261 – Expor a perigo embarcação ou aeronave, própria ou alheia, ou praticar qualquer ato tendente a impedir ou dificultar navegação marítima, fluvial ou aérea: Pena – reclusão, de dois… Read more »

eparro
Visitante
eparro

Vader 15 de dezembro de 2014 at 11:48

Vader 15 de dezembro de 2014 at 20:17 #

Boa Vader! Gostei, apoiado.

Como teria dito William Edwards Deming: “Apontem-me um pioneiro e te mostrarei um bando de índios disparando flexas contra ele”.

A história está repleta de casos semelhantes como Tesla; Diesel; o nosso Irineu Evangelista de Sousa, Barão de Mauá e tantos outros.

Para os amigos tudo (o BNDES inclusive) para os “outros”, basta a lei.

Um viva para essa pizzaria.

eparro
Visitante
eparro

Fora do tópico!

Aliás, a ANAC já divulgou o resultado da análise sobre o que ocorreu com o jatinho do Eduardo Campos?

Iväny Junior
Visitante
Member

A Amazon já realiza entrega por drones nos EUA. Achei que aqui não haveria viabilidade por causa dos bandidos que poderiam roubá-los.

A confusão porvir, se o mercado se tornou viável pelos produtos da china, é outro parâmetro. Imagino até algumas “igrejas” entrando na confusão.

Zampol
Visitante
Zampol

Desculpem se saio do tema, mas lendo as notícias da economia dessa manhã, em particular sobre economia, petróleo e Rússia, não pude resistir.

Está se formando um tsunami de más notícias para o Brasil no horizonte financeiro mundial que nos fará esquecer os dronezinhos em poucos dias.

É como se fosse uma Terceira Guerra Mundial somente Econômica (por enquanto?) e o Brasil parece estar mal posicionado.

Zampol
Visitante
Zampol

Pedindo licença a Belchior:

Mas não se preocupem meus amigos, com os horrores que eu lhes digo,
Isso é somente uma canção!
A vida, a vida realmente é diferente.
Quer dizer: ao vivo é muito pior!

Aldo Ghisolfi
Visitante
Member
Aldo Ghisolfi

Vader, bom dia. Vejo o Estado se retraindo da/na sociedade em atos conscientes, como por exemplos, a retirada do EUB da fronteira coma Bolívia, o fechamento de postos da PF entre outras coisas. Penso que o uso dos drones deve ser restrito, muito restrito, para evitar a possibilidade de “respeito” à “aeronave” que não poderia ser, em tese, abatida senão depois da certeza absoluta de que estaria esendo usada criminalmente. Existe, também, o aspecto prevenção como referido pos vários colegas. Penso que uma entrega de pizza por drone ficaria muito legal num ambiente fechado, um campo de futebol, na praia…… Read more »

Pangloss
Visitante
Pangloss

Eu ficaria mais tranqüilo se o Estado regulamentasse uma espécie de código de trânsito aéreo para drones, com punições severas.

Ainda que a efetividade das normas seja baixíssima no Brasil, acho necessário que haja previsão de punição para abusos que certamente ocorrerão.

Se o brasileiro médio já é um homicida perigoso no trânsito terrestre, não tenho esperanças de que no ar as coisas sejam mais seguras.

Gilberto Rezende
Visitante
Gilberto Rezende

Sem links: O problema da FAB com os drones é mais ou menos o mesmo da mídia tradicional com a internet… A tecnologia atropela o “dono” anterior quando se massifica. Graças aos chineses com seus drones +- baratos, a internet e os serviços de entrega internacional ficará cada vez mais difícil para a FAB (ou qualquer um) limitar o uso destes aparelhos. Vá ao site comum br, Hypeness e faça uma busca em drones: Você encontrará posts sobre esquadrilhas de drones em rede fazendo telas e imagens 3D aéreas ao entardecer e a noite o chamado light painting Visitas virtuais… Read more »

Oganza
Visitante
Oganza

Gilberto?

Uhhhuuuu Viva a Livre Iniciativa…

… até me belisquei!!! 😀

Meus sinceros Parabéns.

Grande Abraço.

Oganza
Visitante
Oganza

Na história de todos os/as Inventos/inovações sempre foi assim: Primeiro veio o uso depois a regulamentação.

Então qual o problema?

– O problema é que o Brasil nunca fez parte e sempre esteve a anos luz de ambos, dos Inventos/inovações e das discussões das regulamentações. Quando as lá de fora estão prontas, nós as pegamos e “adequamos” aos “nossos” interesses, ou seja, aos interesses de alguns. E sempre atrasados.

Grande Abraço.

HMS TIRELESS
Visitante
Member
HMS TIRELESS

Giba, um passarinho me contou que o dono dos drones é você…rs!

Fora de brincadeira eu até entendo a preocupação da fab afinal, já pensou em drones colidindo com aeronaves?

Gilberto Rezende
Visitante
Gilberto Rezende

Tireless o problema sempre é tentar controlar o incontrolável. Basicamente o risco é o mesmo dos aeromodelistas sem tirar nem por. É só aplicar a mesma legislação. Se vai pela FAB vai estourar aqui na Receita Federal, a Aduana vai proibir a importação de drones até a FAB regulamentar… Aí a FAB leva 8 anos para chegar a uma regulamentação ultra-restritiva e burrocrática… E o mundo estará inexoravelmente mudando para muito melhor com drones ! A maioria dos comerciais “urbanos” são drones pequenos e leves que dificilmente derrubariam uma aeronave de verdade. Para mim que sou um entusiasta dos drones… Read more »

Renato.B
Visitante

Os chineses tem uso intenso de drones. A legislação de lá prevê inclusive multas para o uso não autorizado. Imagino o tempo que deve levar para sair uma autorização.

Por outro lado a solução deles para drones que estão em locais indevidos é simples: eles atiram no drone.

https://medium.com/war-is-boring/the-chinese-military-blasted-a-private-drone-with-a-shotgun-5789a7483014

Pangloss
Visitante
Pangloss

Renato B.,

As soluções chinesas costumam ser bem simples.

O que está bem distante de serem as melhores.

Você saberia dizer se eles mandam a conta da bala usada para abater o drone para o proprietário do aparelho?

Soyuz
Visitante
Member
Soyuz

A legislação que regulamenta aeromodelismo no Brasil não permitiria um voo como este demonstrado no vídeo por dois motivos expostos abaixo.

Portaria DAC 207 de 1999

Estabelece regras para a operação do aeromodelismo no Brasil.

Art 1

(a) A operação de aeromodelos deve ser realizada em locais suficientemente distante de áreas densamente povoadas.

(e) A operação de equipamentos rádio-controlados distintas de esporte e lazer deverão ser submetidas ao Departamento de aviação civil.

Reinaldo Deprera
Visitante
Member
Reinaldo Deprera

Basta um desses cair sobre a cabeça de alguém para que um Jean Wyllys ou qualquer outro deputado do mesmo naipe, apresente um projeto de lei que proíba esse tipo de atividade. Independentemente do quanto ela represente para o progresso econômico do país.

Só não fazem isso com o carro porque este surgiu numa época que esse tipo de gente praticamente não existia.

Save Ferris!

eparro
Visitante
eparro

Oganza 16 de dezembro de 2014 at 16:40 #

Concordo com sua análise Oganza!
Existe aqui uma síndrome de regulamentação específica para aquilo que poderia ser “mais genérico”.

Gilberto Rezende 16 de dezembro de 2014 at 23:28 #

Como disse o Gilberto Rezende, parece-me que algumas modificações na legislação de aeromodelos poderia servir para os drones, de forma a permitir o uso comercial, conforme exposto na matéria.

Olha, se cair na cabeça de alguém, a meu ver já existem leis de sobra sobre isto, vide acidentes com outros veículos, é tudo muito parecido.