Fotos do C-130 Hércules da FAB acidentado na Antártida

    2984
    42

    C-130 da FAB acidentado na Antártida - 1

    Fotos enviadas hoje pelo aplicativo WhatsApp mostram o estado do C-130 da FAB após o acidente ocorrido hoje de manhã na Antártida.

    C-130 da FAB acidentado na Antártida - 2

    COLABOROU: Michel De Vico

    Subscribe
    Notify of
    guest
    42 Comentários
    oldest
    newest most voted
    Inline Feedbacks
    View all comments
    juarezmartinez
    juarezmartinez
    6 anos atrás

    Fude….asa, berço de motor e me parece que o hélice atingiu a fuselagem.

    Grande abraço

    Victor Matheus
    Victor Matheus
    6 anos atrás

    Pelas fotos parece que o tempo não estava muito bom.
    Abrçs!

    Oganza
    Oganza
    6 anos atrás

    Essa é pista Tenente Marsh da Base Chilena, correto?

    O piloto foi muuuuito macho.

    Essa tem a cabeceira ema “falésia” no mar e termina em uma barranco pedregoso, sem espaço para erros ali. 🙁

    Grande Abraço.

    Oganza
    Oganza
    6 anos atrás

    Pelas fotos, o tempo não estava tão bom assim não, com visibilidade entre 200 a 250 m?

    Na primeira foto, ao fundo vc teria o mar e a esquerda deveria tem uma elevação montanhosa e ambos não são vistos. Essa pista tem uns 1.200m e é de cascalho.

    Grande Abraço.

    Marcos
    Marcos
    6 anos atrás

    Colapso do trem de pouso, com danos na hélice.
    E a Antártida não tem sido muito generosa com o Brasil: incêndio na Estação, naufrágio de uma balsa, naufrágio de um navio civil, isso ai agora. Esqueci de algo?

    Aldo Ghisolfi
    Aldo Ghisolfi
    6 anos atrás

    Nestes acidentes, incluindo este do C-130, qual a percentagem de falha humana?

    Brandenburg
    Brandenburg
    6 anos atrás

    Acredito que a perícia do piloto em controlar a aeronave no solo tenha evitado danos mais graves e talvez até vítimas. Não sou expert no assunto mas creio que esse Hercules não retorna ao Brasil voando. Vai ser como o KC no Haití: libera a pista o mais rápido possivel e desmonta-se o dito cujo evitandoa poluição local. Não havendo mortos e feridos a FAB e as famílias dos tripulantes agradecem.

    Mauricio Silva
    Mauricio Silva
    6 anos atrás

    Olá.

    Parece que o aparelho estava “correndo” com o motor em chamas (rastro de dejetos visto na foto), quando houve um colapso do trem de pouso, fazendo o aparelho “pivotar” (dar um “cavalo de pau”) e parar.
    Vai dar trabalho recuperar a célula (localização da base, estado geral da aeronave), se isso for possível.
    SDS.

    Guilherme Poggio
    Editor
    6 anos atrás

    Hummm…

    Frota de C-130 cada vez menor. Torcemos para que o projeto do KC-390 siga de vento em popa. Se não vai sobrar para o C-105 de novo.

    Guilherme Poggio
    Editor
    6 anos atrás

    Da Aviation Safety Network

    The Lockheed C-130H Hercules transport plane suffered a landing accident at Teniente Rodolfo Marsh Martin Air Base, King George Island, Antarctica.

    The right hand main landing gear reportedly collapsed while landing on runway 29. The nr.4 propeller separated.

    http://aviation-safety.net/database/record.php?id=20141127-0

    Guilherme Poggio
    Editor
    6 anos atrás

    Pela foto é o 2470, ex-AMI.

    Construído em 1972 e adquirido pelo Brasil em 2001.

    Edgar
    Admin
    6 anos atrás

    Se o problema fosse “só” no motor, ainda seria possível retornar com a aeronave para Punta Arenas e liberar a pista, mas dadas as fotos acho que ela volta para o Brasil in pieces no porão de um navio 🙁

    As expectativas do pessoal nos esquadrões para entrada em operação do KC-390 são bem baixas… os gordos ainda vão ter que dar conta por um bom tempo, ou passar a bola para os C-105, como dito pelo Poggio.

    Edgar
    Admin
    6 anos atrás

    A propósito, é bom se averiguar com detalhes as causas deste acidente, pois o KC-390 deveria ter sido foi projetado para suportar as condições adversas existentes neste terreno e foi baseado nas especificações testadas e aprovadas pelo 1º/1º GT operando o próprio C-130H em todos esses anos.

    Se tiver de mudar algo no projeto, o momento é agora. (ou não dá mais tempo?)

    Marcos
    Marcos
    6 anos atrás

    O trem de pouso foi para aquele lugar, a aeronave deu um cavalo de pau e saiu escorregando e todos viraram carona.

    juarezmartinez
    juarezmartinez
    6 anos atrás

    As manchas avermelhadas no chão são provavelmente fluido hidráulico de tubulações que deve ter sido rompidas e óleo lubriiante do motor que arrancou o hélice com o eixo.
    Provavelmente houve danos a longarina da asa e ao berço do motor. Não vai ser fácil trazer esta célula de volta, se vale a pena.

    grande abraço

    Michel
    Michel
    6 anos atrás

    Se a situação apertar mais do que já esta basta ressuscitar o FAB 2453, recém enviado ao Musal…

    Marcos
    Marcos
    6 anos atrás

    Se não tirarem isso dai em 24 horas, vai ter multa!!

    Chamem o FF.

    thomas_dw
    thomas_dw
    6 anos atrás

    este não voa mais – asa, nacele, motor e carenagem mais o trem de pouso, tudo foi para as cucuias.

    vem o verao e o provavel é o desmonte das pecas que podem ser aproveitadas.

    Justin Case
    Justin Case
    6 anos atrás

    Amigos,

    Por segurança, não é prática saudável canibalizar peças de aeronaves acidentadas.
    Como regra geral, deve ser proibido. Em caso de acidente, todas as partes estão sujeitas a esforços não previstas em projeto.
    É possível que alguns itens possam ser reaproveitados, mas não antes de serem submetidos a uma revisão. Acho que retirar diretamente da aeronave e considerar suprimento é um procedimento inaceitável em aviação.
    Abraços,

    Justin

    Justin Case
    Justin Case
    6 anos atrás

    previstos…

    Franco Ferreira
    Franco Ferreira
    6 anos atrás

    Vejam este clip:
    https://www.youtube.com/watch?v=_730n6N0yHw

    As fotos da aeronave “Gordo” indicam a mesma sequência

    Franco Ferreira
    Franco Ferreira
    6 anos atrás

    Outro clipe do mesmo acidente.

    https://www.youtube.com/watch?v=RlpYOvK5cN8

    Franco Ferreira
    Franco Ferreira
    6 anos atrás

    Amigos;

    Sem vítimas a lamentar, cabe a preocupação que os comentaristas expõem.

    Vejam a foto do avião parado, neste post, e comparem com o quadro do avião americano, antes da função dos bombeiros. São iguais. Comparem o aspecto da falha do motor #4 dos dois aviões: São iguais. Vejam que ambas as fraturas foram na caixa de redução do motor.
    No vídeo do segundo post, vejam o avião sendo reparado ao fundo, atrás do Comandante do esquadrão.

    É manutenção nível base; não precisa desmontar, basta inspecionar os pontos de esforço e colocar um motor novo.

    Vader
    6 anos atrás

    Sem chance: este avião é PT: Perda Total!

    juarezmartinez
    juarezmartinez
    6 anos atrás

    Caro Franco!

    Sem uma inspeção muito minunciosa naquela asa eu não poria ete avião para voar,e ainda não colocaria um novo motor naquel berço sem um raio X multi espectral da áreá pinagem do motor.

    Grande abraço

    André Sávio Craveiro Bueno
    André Sávio Craveiro Bueno
    6 anos atrás

    E no vídeo do Franco a coisa toda ocorre sem um hard landing.

    Edgar
    Admin
    6 anos atrás

    Pessoal, pesquisando um pouco aqui, vi que o nosso é, no mínimo, o quarto C-130 a se acidentar naquela região alienígena.

    Os outros três que encontrei foram do esquadrão VXE-6, da US Navy, e são estes:

    http://www.vaq34.com/vxe6/148318.htm

    http://www.vaq34.com/vxe6/155917.htm

    http://www.vaq34.com/vxe6/148321.htm

    Essas páginas são interessantes, contendo fotos e textos sobre as aeronaves e os acidentes.

    Edgar
    Admin
    Reply to  Edgar
    6 anos atrás

    Um detalhe que os acidentes com as aeronaves 148321 e 148318 ocorreram com apenas 2 semanas de diferença! “On 1 February 1971, an LC-130F (BuNo 148321, c/n 3567) crashed in Victoria Land when a JATO bottle broke loose during an open field takeoff. This caused the nose landing gear to collapse. Two weeks later, on 15 February 1971, another LC-130F (BuNo 148318, c/n 3562, named “City of Christchurch”) taxied over a snow berm during a storm while maneuvering for take-off at McMurdo Station. The wing hit the ground, and the aircraft was burned beyond salvage. This was the first USN… Read more »

    Franco Ferreira
    Franco Ferreira
    6 anos atrás

    Juarez;

    Nem eu!!!!!!!

    Agora vai ser muito mais fácil descarregar, consertar o trem de pouso, meter um teodolito na asa e nos planos de cauda e decolar trimotor batendo lata.

    Aldo Ghisolfi
    Aldo Ghisolfi
    6 anos atrás

    Porque perda total?

    Longarina se troca; motor se troca; carenagens, nem falar; hélice se troca; trem de pouso se troca… será o caso de canibalizar um gordo por causa deste acidente? Muito pior do que isso aparece nos vídeos que mostram as manicacadas dos seus pilotos…

    Mauricio Silva
    Mauricio Silva
    6 anos atrás

    Olá.

    Prezados, talvez o aparelho até possa ser recuperado se estiver numa oficina especializada, com ferramental e mão de obra adequados.
    Porém o aparelho está numa base chilena da Antártica, cuja infraestrutura duvido esteja capacitada para o tipo de reparo necessário. E montar lá a infraestrutura necessária, pode ser economicamente inviável.
    Acho que aquele “gordo” fez seu último vôo…
    SDS.

    Franco Ferreira
    Franco Ferreira
    6 anos atrás

    Vader
    28 de novembro de 2014 at 12:09 #

    Vader;

    Vamos apostar um doce? Eu aposto num voo de traslado sem carga ou passageiros; talvez até com o trem em baixo.

    Se der “PT” eu perco!

    Edcarlos Prudente
    Edcarlos Prudente
    6 anos atrás

    Ao meu ver não é perda total, claro que deixar esta aeronave em condições de levantar vou será um trabalho hercúleo, mas não impossível! Aeronaves podem ser reparadas e suas partes podem ser refeitas ou trocadas, isso já aconteceu muito aqui na Amazônia com monomotores, dentro do mato mesmo.
    Peças sobressalentes não devem faltar para o C-130 ao redor do mundo. E, talvez, seja mais fácil e menos dispendioso retirar essa aeronave voando que desmontando e encaixotando e levando de navio.

    Edcarlos Prudente
    Edcarlos Prudente
    6 anos atrás

    ‘vou’ o correto é voou!

    juarezmartinez
    juarezmartinez
    6 anos atrás

    Aldo Ghisolfi 28 de novembro de 2014 at 13:16 # Porque perda total? Longarina se troca; motor se troca; carenagens, nem falar; hélice se troca; trem de pouso se troca… será o caso de canibalizar um gordo por causa deste acidente? Muito pior do que isso aparece nos vídeos que mostram as manicacadas dos seus pilotos… Aldo, não é tão fácil quanto parece, veja bem, a estas horas todos os fluídos já congelaram, vão ter que aquecer, drenar e consertar as tubulações danificadas. Vai ser necessário levar macacos hidráulicos, gruas, equipamento de solda, ar comprimido, o escambau para lá, tudo… Read more »

    juarezmartinez
    juarezmartinez
    6 anos atrás

    O Gordo 64 vai escalar na BACO daqui a pouco a caminho da Antartida com o time de resgate.

    Grande abraço

    Oganza
    Oganza
    6 anos atrás

    Na questão de fluído congelar, é verdade que toda vez que eles vão para lá, tem ficar com a APU ligada para manter tudo circulando se não aeronave entra em, digamos, hipotermia?

    Grande Abraço.

    juarezmartinez
    juarezmartinez
    6 anos atrás

    Sim é verdade Oganza, congela tudo.

    As noticias que chegam contam que a aeronave tinha decolado pra fazer um exercicio de lançamento de fardo na área, o tempo mudou e foi obrigada a pousar, no momento do pouso tinha um vento de través de 25Kts.

    Grande abraço

    Rinaldo Nery
    Rinaldo Nery
    5 anos atrás

    Vou chutar um hard langing aliado à fadiga do trem de pouso.

    Mauricio
    Mauricio
    4 anos atrás

    Alguém poderia me informar o que foi feito com a aeronave? Ela voltou voando ou foi desmanchada e voltou por navio. Não consegui nenhuma informação atualizada na internet.

    Erickson Gomes Elias
    Erickson Gomes Elias
    4 anos atrás

    Já pedi informações nem sabia estava fora das atividades vou saber em breve ok.
    Colegas no esquadrão irão me dizer .
    Abraço

    Erickson Gomes Elias
    Erickson Gomes Elias
    4 anos atrás

    A última informação que obtive com fonte de colegas envolvidos no resgate , num primeiro momento ela voltaria voando mas as condições e o elevado custo optou-se por desmontar e vir de navio Marinha! apoiaria!
    não houve vítima!