Hornets assimétricos e Super Hornets simétricos em missões sobre o Iraque

    352
    28

    Hornet do Canadá em missão sobre o Iraque - foto Força Aérea Real Canadense

    Fotos dos caças Hornet canadenses mostram cargas externas assimétricas de bombas e tanques externos, enquanto jatos Super Hornet da Austrália carregam mais tanques e bombas, mantendo a simetria

    Recentemente, mostramos aqui informações e imagens sobre missões realizadas por caças CF-188 Hornet da Força Aérea Real Canadense e F/A-18F Super Hornet da Força Aérea Real Australiana sobre o Iraque, em operações de apoio a tropas iraquianas em combates contra grupos do chamado Estado Islâmico (EI). Nestas imagens que selecionamos, pode-se ver alguns detalhes interessantes das cargas externas dos dois tipos de caças, que são separados praticamente por uma geração na evolução dos jatos de combate, apesar da grande semelhança entre eles.

    Enquanto o Hornet canadense da imagem ao alto cumpriu sua missão com dois tanques externos em configuração assimétrica, com um deles sob a asa direita e outro sob a fuselagem, o Super Hornet da Austrália (imagem abaixo) operou com uma configuração simétrica de três tanques, um sob cada asa e outro sob a estação central.

    Missão Super Hornets da RAAF em 5-10-2014 - foto Min Def Australia

    Outra diferença é que, enquanto o Hornet foi configurado com três bombas guiadas, também assimetricamente (duas sob a asa esquerda e uma sob a direita), o Super Hornet australiano pôde levar quatro bombas, duas sob cada asa, além dos tanques. De fato, uma das evoluções do projeto do Super Hornet em relação ao seu antecessor Hornet  foi dotá-lo de uma estação de armamento a mais sob cada asa.

    Ambas as aeronaves foram configuradas com mísseis ar-ar guiados por infravermelho nas estações das pontas das asas, assim como pods (casulos) designadores de alvos sob as estações da esquerda da fuselagem, logo atrás das tomadas de ar de ambos os modelos. No ângulo da foto acima do Super Hornet australiano o pod está quase todo escondido pelo tanque externo da asa esquerda, mas ainda assim é possível ver parte dele. Já na imagem abaixo, do caça sendo armado antes da missão, o pod está claramente visível.

    Missão Super Hornets da RAAF em 5-10-2014 - armando aeronaves - foto Min Def Australia

    Além disso, ambos os caças levam na estação da direita da fuselagem um míssil ar-ar guiado por radar, cuja cauda é visível na imagem acima do Super Hornet e, com bem mais destaque, nas fotos abaixo dos Hornets canadenses fazendo o “break” para sair da formatura com o avião reabastecedor da Força Aérea dos EUA (USAF).

    Hornet do Canadá em missão sobre o Iraque - foto 2 Força Aérea Real Canadense

    Hornet do Canadá em missão sobre o Iraque - foto 3 Força Aérea Real Canadense

    É importante ressaltar que as aeronaves canadenses e australianas estão operando a partir de bases em países diferentes. Enquanto os caças do Canadá estão estacionados no Kwait, bem mais perto do Iraque, os jatos australianos estão bem mais ao sul, nos Emirados Árabes Unidos. Independentemente dessa diferença na distância até o alvo, ambos os modelos estão sendo reabastecidos em voo nas missões, conforme os relatos sobre as mesmas (veja matérias anteriores na lista abaixo).

    Resumo da história: como mostram as fotos, os novos caças Super Hornets da Austrália estão cumprindo suas missões levando uma bomba e um tanque externo a mais que os velhos Hornets do Canadá.

    FOTOS: Força Aérea Real CanadenseMinistério da Defesa da Austrália

    VEJA TAMBÉM: