Home Aviação de Caça Compra de 36 caças Gripen: extrato de dispensa de licitação publicado no...

Compra de 36 caças Gripen: extrato de dispensa de licitação publicado no DOU

542
15

Gripen NG com seis mísseis e duas bombas - foto 3 Saab

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA AEROESPACIAL

COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA AERONAVE DE COMBATE

EXTRATO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO Nº 2/2014

Nº Processo: 67701.013100/2008-35. Objeto: Aquisição de 28 (vinte e oito) aeronaves de caça multiemprego monoposto e 8 (oito) aeronaves de caça multiemprego biposto, Apoio Logístico Inicial e Simuladores de Voo; e Suporte logístico Contratado associado à aquisição de 28 (vinte e oito) aeronaves de caça multiemprego monoposto e 8 (oito) aeronaves de caça multiemprego biposto.

Autoridade Solicitante: Brig Ar José Augusto Crepaldi Affonso.

Autoridade Ratificadora: Ten Brig Ar Juniti Saito.

Contratada: SAAB AB.

Justificativa: Aquisição de recursos bélicos aéreos.

Valor: SEK39.882.335.471,65 (trinta e nove bilhões, oitocentos e oitenta e dois milhões, trezentos e trinta e cinco mil e quatrocentos e setenta e um coroas suecas e sessenta e cinco centavos).

Amparo Legal: Inciso IX do art. 24 , da Lei nº 8.666/93, c/c Inciso I do art 1º, do Dec. 2.295/97

FONTE: Diário Oficial da União (DOU), edição de 27/10/2014, seção 3, página 17  – clique no link para acessar a página original.

FOTO: Saab (em caráter meramente ilustrativo)

Subscribe
Notify of
guest
15 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Augusto
Augusto
5 anos atrás

A vantagem de preço que o Gripen tinha, desapareceu.

O contrato ficou 1 bilhão de dólares mais caro. Repito: UM BILHÃO DE DÓLARES mais caro!

Nautilus
Nautilus
5 anos atrás

Desapareceu não. Para quanto você acha que iria as propostas da Boeing e da Dassault? Ou você acha que só o Gripen é afetado pelas leis da Economia?

Augusto
Augusto
5 anos atrás

Fernando “Nunão” De Martini 27 de outubro de 2014 at 10:45 # “(…) a própria FAB, em nota de hoje, afirmou que ao longo das negociações feitas neste ano os requisitos foram atualizados”. Nunão, houve um aumento de mais de 1/4 do preço previsto inicialmente. Aliás, o fator preço foi uma das grandes vantagens propaladas quando do anúncio da escolha do Gripen. Isso não é atualização e certamente não é correção de valores, isso é um aumento aviltante, que precisa ser explicado nos mínimos detalhes. Vou repetir: mais de 25% de aumento! Isso não existe em nenhuma negociação vantajosa para… Read more »

Antonio M
Antonio M
5 anos atrás

Duvido que um bimotor como o Rafale fique mais barato principalmente de operar. E ja sabemos que comprar apenas não é operar.

E também, vide o Mirage III no Brasil cuja modernização se tornou inviável devido aos custos, comprovado pelo preço que a Índia pagou na modernização de seus Mirage 2000 ….

Mauricio Silva
Mauricio Silva
5 anos atrás

Contratos e especificações são coisas dinâmicas até serem assinados. E aumentos da ordem de 30% do valor são normais, devido a mudanças e atualizações de especificações. Se tudo está bem descrito e justificado, não há por que temer.
Fico pensando nos programas de modernização do A-1 e dos F-5 “jordanianos”. Será que vale a pena seguir em frente com eles?
SDS.

Vader
5 anos atrás

Desolée. C’est fini le monde de las Rafalechetes…

🙂

Clésio Luiz
Clésio Luiz
5 anos atrás

Comprar e operar são coisas diferentes. SH e Rafale continuam masi caros de operar do que o Gripen. E nos outros dois não participaríamos em nada no projeto da aeronave nem teríamos acesso tão bom na integração de armamentos. Fora que o Gripen tem muito mai chances de continuar vendendo (e nós participando dessas vendas como subcontratados) do que os outros bimotores. O Gripen NG é a escolha sensata. O volume da FAB, como o F-5 é agora. Depois poderemos comprar uma quantidade menor de caças de 5ª geração para servir de ponta de lança da FAB.

eduardo pereira
eduardo pereira
5 anos atrás

Parabens à Fab e a todos os que trabalharam neste projeto F…..tao exaustivo (principalmente pra nós aficcionados por aviação), e que venhão os Grifos !!!

Obs. esperar que após anos de negociação os preços ,independente de acertos tecnologicos, fossem os mesmos é muita inocencia.

Sds.

jairo boppre sobrinho
jairo boppre sobrinho
5 anos atrás

Srs
Tb nao podemos esquecer as variações(para cima) do câmbio.
Abs

Augusto
Augusto
5 anos atrás

eduardo pereira
27 de outubro de 2014 at 13:21 #

“esperar que após anos de negociação os preços ,independente de acertos tecnologicos, fossem os mesmos é muita inocencia.”

Mas não era promessa da SAAB o valor de 4,5 bilhões de dólares e pagamento da primeira parcela quando da entrega da última aeronave?

jairo boppre sobrinho
jairo boppre sobrinho
5 anos atrás

Srs
Quando me refiro a variação de cambio, digo apenas se o aumento for em reais, ou coroas suecas – claro, se o aumento for em dólares não tem sentido, dai é aumento mesmo.
Abs

Franco Ferreira
Franco Ferreira
5 anos atrás

Senhores; Há dezoito anos a FAB vem fazendo sucessivas licitações para adquirir, no mercado internacional, aeronaves de combate e material associado em quantidade julgada necessária pelos estudiosos do Estado-Maior. Faz uns poucos anos criou uma “Comissão Coordenadora do Programa do Avião de Combate”. Em se tratando das aeronaves MRCA, nestas quase duas décadas, pelo menos três vezes, fizeram e estenderam as licitações até o limite permitido pela Resolução 655/TCU Plenário de dezembro de 1995. O DOU de hoje publica o post de Nunão. É um extrato de dispensa de licitação, com o preço aviltado em 1 bilhão de dólares. O… Read more »

Franco Ferreira
Franco Ferreira
5 anos atrás

O Processo mencionado no extrato (67701.013100/2008-35) está extinto desde 2013, nos termos da Resolução 655- TCU-Plenário de dezembro de 1995.

Leonardo Pessoa Dias
Leonardo Pessoa Dias
5 anos atrás

Pessoal, não existe versão para este fato. Pensar que este incremento de 25% é por um motivo escuso deixa claro o nível baixo de confiança no governo, mas é uma coisa legal e simples do comércio internacional. Todo contrato quando é assinado possui uma cláusula de reajuste anual, para compensar coisas como inflação e custos de produção, calculados por uma fórmula alimentada por tabelas geradas pela FGV (no caso de ser no Brasil. Não sei se esse contrato é assinado lá, daí a entidade que emite estes números certamente é outra). E todo contrato também possui uma cláusula temporal, que… Read more »