Home Aviação de Transporte Após período de desenvolvimento, projeto KC-390 entra em fase de produção

Após período de desenvolvimento, projeto KC-390 entra em fase de produção

246
56

KC-390 - concepção artística Embraer

ClippingNEWS-PABrasília, 10/10/2014 – Próximo de finalizar sua primeira etapa, que previa o desenvolvimento e a montagem de dois protótipos, o Projeto KC-390 começou recentemente a sua segunda fase, estabelecida via contrato de aquisição, dando início à produção em série de 28 aeronaves para a Força Aérea Brasileira (FAB) pela Embraer.

Para isso, foi publicada no Diário Oficial da União a destinação de U$ 1,9 bilhão para a Embraer, conforme estava previsto no cronograma originalmente estabelecido. O montante será utilizado na aquisição de materiais e na manutenção de funcionários para viabilizar a compra das aeronaves representadas pelos protótipos.

“Estamos dando seguimento ao cronograma que vai garantir as aeronaves para a FAB no prazo necessário para não haver interrupções em suas missões de transporte e reabastecimento em voo”, explica o presidente da Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (Copac), brigadeiro José Augusto Crepaldi Affonso.

Projeto KC-390 - infográfico - Ministério da Defesa

Neste mês de outubro, o avião cargueiro sairá do hangar e terá a sua primeira aparição pública. “O chamado roll out demonstra claramente o acerto do projeto de engenharia e de produção das atividades industriais e, com certeza, até o final do ano, estaremos voando de KC-390”, comemora o responsável pelo projeto.

O KC-390 vai substituir o Hércules C-130, aeronave utilizada para transporte militar, de pessoas e equipamentos, e para reabastecimento em voo de outros aviões. “Essa aeronave está sendo desenvolvida estritamente de acordo com todos os requisitos solicitados pela FAB”, explica o diretor da Copac.

KC-390 reabastecendo A-1 - concepção artística Embraer

Além das 28 aeronaves da FAB, Crepaldi explica que o cargueiro nacional já nasce com grandes possibilidades de exportação para países que também precisarão, em breve, substituir suas aeronaves desse mesmo porte. “Do ponto de vista industrial, é o coroamento da indústria aeroespacial brasileira porque, além de ser a maior aeronave já desenvolvida e fabricada no país, ela vai entrar – com grande possibilidade de sucesso – num nicho de mercado que hoje é dominado pelas grandes empresas internacionais”, concluiu Crepaldi.

KC-390 combate a incêndio - concepção artística Embraer

FONTE / INFOGRÁFICO: Ministério da Defesa

DEMAIS IMAGENS: Embraer

VEJA TAMBÉM:

56
Deixe um comentário

avatar
55 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
15 Comment authors
Luiz FernandoPhacsantosAntonio MSoyuzMauricio R. Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Marcos
Visitante
Marcos

Nove dias… e contando!

Ozawa
Visitante
Member
Ozawa

Certamente isso já foi debatido aqui em algum dos inúmeros post relacionados ao KC 390, mas, revisitando, pois não me recordo dos eventuais debates, há estudos para uma versão de patrulha marítima do KC 390, para substituição futura dos vetustos P-3 Orion na FAB (mal chegaram, rs…), nos moldes do que os EEUU fizeram com o 737-800 para produzir o P8-A Poseidon ? Ou é inviável/contraproducente tecnicamente/financeiramente…

O alcance dos Orion é de aproximadamente 4.000 km, o KC 390 (não já devia ter um nome de batismo ?) é de 6.000 km… Seria um incremento e tanto na patrulha marítima.

Marcos
Visitante
Marcos

Ozawa:

Acho que de projeto existe até algum com capacidade de pouso e decolagem vertical. Já para a realidade.

Aldo Ghisolfi
Visitante
Aldo Ghisolfi

Nem acredito… boa sorte p’ro KC 390!

Os ORIONs estão com um período de vida útil para quantos anos? Não consigo imaginar os seus desativamentos num período medianamente curto…

Marcos
Visitante
Marcos

Ghisolfi:

Acho que o horizonte é de dez anos.
Mas sabe-se lá… de repente a FAB pode ter pretensões de manter as aeronaves por até cem anos.

Carlos
Visitante

“O KC-390 vai substituir o Hércules C-130……” Vão precisar muito dos C 130 se o caldo engrossar. “Acho que de projeto existe até algum com capacidade de pouso e decolagem vertical. Já para a realidade.” Em que planeta ? Por favor ………… me poupe. “Os ORIONs estão com um período de vida útil para quantos anos?” 20/25 anos é a previsão, dependendo do dindim para manutenção. http://www.aereo.jor.br/2010/06/15/p-3am-da-fab-parece-novo/ http://www.aereo.jor.br/2008/12/22/pronto-primeiro-p-3am-da-fab/ http://www.naval.com.br/blog/2009/02/06/fab-teria-comprado-misseis-antinavio-harpoon-para-equipar-seus-p-3am-orion/ Detalhe: Sempre apoiei o KC 390 desde a ideia, mas uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa, né Ozawa (rs). O Cel já mencionou aqui, se não… Read more »

Carlos
Visitante

http://www.aereo.jor.br/2012/04/30/aeronautica-estuda-substituto-do-kc-137/

Fazem dois anos e meio.

Cadê os 02/3 KC 767RE – IAI – (MRTT ?)

Entenderam minha opinião ?

“Aliás, estamos comprando 28 KC 390, 05 Legacy, 36 G NG-BR etc ….

Já os E-99 e os Jordanianos, primordiais …… parados “na chon” !”

Esqueci:

Tem cinco ou oito C 105 – Amazonas, o avião mais querido do Juárez (rs).

Rinaldo Nery
Visitante
Member
Rinaldo Nery

O que está parado é o E-99 que está na EMBRAER para modernização. Os demais estão voando.
O P-3 tem 14 horas de autonomia. Seu alcance é bem maior que o do KC-390.
Desconheço as intenções do EMAER para novas versões do KC-390. Isso a EMBRAER vai oferecer.
Quando eu estava na COPAC fui até a 3SC3 e vendi o peixe do E-190 AWACS. Na Suécia, em 2008, falei aos engenheiros da SAAB da necessidade de aumentar o alcance de detecção do ERIEYE PS-890. Mas alcance radar depende de potencia de energia elétrica. Com o E-190 seria viável.

Carlos
Visitante

Dois 767-300ER conversões encomendadas a IAI pela Força Aérea Brasileira no âmbito do programa KC-X2.

767 MMTT – Multi Mission Tanker Transport

“Esqueci:

Tem cinco ou oito C 105 – Amazonas sendo comprados, o avião mais querido do Juárez (rs).”

Rinaldo Nery
Visitante
Member
Rinaldo Nery

São só 3 SC-105. E são bons aviões.

Carlos
Visitante

Só 3 ?

Cel nunca me vistes fazer criticas aos CASA, não sou piloto e não tenho dados para poder fazer comparações com o SPARTAN.

Mas que vão descascar …………. vão (rs).

“Quando eu estava na COPAC fui até a 3SC3 e vendi o peixe do E-190 AWACS. Na Suécia, em 2008, falei aos engenheiros da SAAB da necessidade de aumentar o alcance de detecção do ERIEYE PS-890. Mas alcance radar depende de potencia de energia elétrica. Com o E-190 seria viável.”

Era isso, errei na colocação mais acima, mas adoro a ideia.

Parabéns Cel.

Carlos
Visitante

Nunão,

eu sei ………….

quantos “na chon” na EMBRAER e quantos 100% operacionais ?

Abraços

Carlos
Visitante

“Sempre apoiei o KC 390 desde a ideia, mas uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa, né Ozawa (rs).”

Errei, a frase é do OGANZA.

Carlos
Visitante

Nunão

não há quantitativos, vou pesquisar.

Reiterando:

Não há na face da terra apreciador e entusiasta mais do que eu com a EMBRAER.
Nem seu presidente, nenhum que esteja ligado direta ou indiretamente a EMBRAER.

No máximo igual.

Já postei vídeo aqui do protótipo do primeiro Bandeirante, CTA, época do Mal. Costa e Silva e do Marechal do Ar Marcio de Souza Melo.

Vou parar por aqui, cinco folhas do world não serão suficientes para contar o início dessa Empresa, suas várias etapas, Nobre Cel Ozires Silva, os anos que fui fornecedor, etc …

VIVA A EMBRAER.

juarezmartinez
Visitante
juarezmartinez

Aldo Ghisolfi 12 de outubro de 2014 at 18:51 #

Nem acredito… boa sorte p’ro KC 390!

Os ORIONs estão com um período de vida útil para quantos anos? Não consigo imaginar os seus desativamentos num período medianamente curto…

Aldo! Terás uma surpresa desagradável no final de 2015 sobre este assunto.

Grande abraço

wwolf22
Visitante
wwolf22

o que sera feitos com esses dois protótipos ??
eles continuam com a Embraer para “serem atualizados sempre” (estudados/modificados)para serem usados em testes, ja que eh “protótipo”… ou vao para a FAB ???

Quantos aos 03 C105 adquiridos, eles sao versões exclusivas para missão PARA-SAR… com todos os equipamentos para tais missões instalados….

Aldo Ghisolfi
Visitante
Aldo Ghisolfi

Marcos, obrigado!

juarezmartinez… não me assusta vivente! Mal chegaram…

Abraços aos parceiros.

juarezmartinez
Visitante
juarezmartinez

É tchê vai te acostumando, se não tomarem providência, vão começar a encostar um após o outro.

Grande abraço

Baschera
Visitante
Member
Baschera

Tchê barbaridade ….

Enquanto esperamos o debut do KC-390….

Americanos DESTROEM 16 aviões de transporte G-222 no valor de Us$ 486 milhões…..

http://www.defensa.com/index.php?option=com_content&view=article&id=13517:la-fuerza-aerea-estadounidense-destruye-los-16-aviones-de-transporte-g222-entregados-a-afganistan&catid=57:otan&Itemid=186

Sds.

Oganza
Visitante
Oganza

Baschera, muito bom esse link… mas tem umas coisas que não estão claras: A Alenia tinha que fornecer o pós venda, mas tb tinha que fornrcer o treinamento das euipagens afegãs para a manutenção das aeronaves. A Alenia não fez a parte dela ou os afegões não absorveram o treinamento? Pq as aeronaves estavam ao relento em Cabul? A USAF está alegando que a Alenia não cumpril com o contrato… e agora está se livrando das aeronaves e até ai tudo bem, foram eles que compraram e eles “podem” fazer o que quiserem com elas… Mas é a velha hitória,… Read more »

Mauricio R.
Visitante
Member
Mauricio R.

“…nos moldes do que os EEUU fizeram com o 737-800 para produzir o P8-A Poseidon ?”

Elas lá tem escala p/ se fazer isso, afinal são 122 p/ a US Navy, 8 p/ a Índia e falta entrar a encomenda australiana.
Se trocarem 1 x 1 Orions x Posseidons, o backlog vai a 150.
Outras possibilidades seriam a RAF, o Canadá, a Alemanha, a Espanha, Portugal, a Coréia do Sul, Taiwan, etc, etc, etc…

“Ou é inviável/contraproducente tecnicamente/financeiramente…”

Se se observar pelas pífias vendas das versões MPA/ASW/ASuW dos ATR; CN-235/-295, não é algo que mantenha uma linha de produção por mto tempo.

Soyuz
Visitante
Soyuz

Off topic, mas nem tanto

Programa de subsídios para aviação regional favorece Embraer

http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2014/10/1531373-programa-de-subsidios-para-aviacao-regional-favorece-embraer.shtml

Carlos
Visitante

“Aldo! Terás uma surpresa desagradável no final de 2015 sobre este assunto.”

Caro Juárez

Solta tudo tchê !

Abraços

Carlos
Visitante

” Los 16 aparatos forman parte del lote de 20 aviones G-222 de la Fuerza Aérea italiana que la USAF se comprometió a actualizar y poner a punto para que fueran operadas por la Fuerza Aérea de Afganistán en misiones de transporte táctico.”

Carlos
Visitante

“Los trabajos fueron encargados a la empresa Alenia North America, que los entregó entre 2009 y finales de 2012. Sin embargo la USAF afirmó estar disconforme con el mantenimiento que realizaba la empresa y a finales de 2013 canceló el contrato por considerar que no se realizaba de manera adecuada, lo que impedía completar las horas de formación ni las misiones recogidas por contrato por la USAF. Esto supuso que fueran estacionados en el aeropuerto internacional de Kabul donde han languidecido sin uso hasta este fatal desenlace.”

Carlos
Visitante

“Marine Corps Maj. Brad Avots, a Defense Department spokesman, says the G222 program was only meant to serve as an interim solution to the Afghan air force’s need for cargo planes. The fleet was unable to fulfill its mission, he says, so the program was discontinued.”

Baralho, esse ai é não é primo quase gêmeo do Spartan C 27J ?

http://www.usnews.com/news/articles/2014/10/09/millions-in-planes-for-the-afghan-air-force-now-32k-in-scrap-metal

Especialistas, por favor …………. seus comentários.

Abraços

Carlos
Visitante

Atentos no final da matéria ao documento Norte Americano (SIGAR).

Carlos
Visitante
Marcos
Visitante
Marcos

Contagem em andamento: faltam sete dias!!!

Antonio M
Visitante
Antonio M

E uma versão armada como o AC-130 Gunship, seria viável, se encaixaria na doutrina de nossa FAs ?

http://sistemasdearmas.com.br/ca/macx04ac.html

Mauricio R.
Visitante
Member
Mauricio R.

“Baralho, esse ai é não é primo quase gêmeo do Spartan C 27J ?”

Em uma comparação básica é a partir de onde o C-27J foi desenvolvido, substituindo-se a aviônica e a motorização originais, pelas do C-130J.

Oganza
Visitante
Oganza

Antonio M, o Gunship é um vetor de choque, ele é pensado para provocar terror em uma determinada batalha e fazer a diferença para o apoio aéreo a tropas que estejam enfrentando um grande número de inimigos. Apesar do conceito ter ficado popular no Vietnã primeiro com os AC-47 Puff, carinhosamente chamado de “The Magic Dragon”, eu acho que uma versão dessas para o KC-390 em nossas FFAA não iria vingar não. A questão é que “não” estamos em um conflito aberto e principalmente contra tropas regulares de algum outro Estado em nossas fronteiras e é pouco provável que entremos… Read more »

Oganza
Visitante
Oganza

Antonio M,

Como a Colômbia está em burra com as FARC, eles fizeram a versão deles… é o AC-47T Fantasma. Possui Flir, turboélice… etc.. etc. 🙂

https://i.imgur.com/vD4WP.jpg

Oganza
Visitante
Oganza
Carlos
Visitante
Phacsantos
Visitante
Phacsantos

Carlos
14 de outubro de 2014 at 16:00

Carlos, que notícia bacana!

O preço de US$ 3 mi por unidade não é tão elevado em se considerando os benefícios.

Tomara que seja mesmo instalado nos KC-390!

Abs

Antonio M
Visitante
Antonio M

Obrigado Oganza !

Antonio M
Visitante
Antonio M

Phacsantos
14 de outubro de 2014 at 16:13 #

Carlos
14 de outubro de 2014 at 16:00

Muito bom mesmo, espero que aconteça ….

Mauricio R.
Visitante
Member
Mauricio R.

Tanto Alenia, como Airbus estão desenvolvendo versões “gunship” não dedicadas do C-27J e do C-295.

Oganza
Visitante
Oganza

Mauricio R. Nisso eles são bons. Desenvolver. Vender já é outra história. já tem um tempo, na verdade uns bons 2 anos, que vejo essa galera da EADS, DCNS, suas subsidiárias e afins projetando e fazendo um monte de mockup disso e dakilo outro, cheio de animação em CG bacana, tentando mostrar os troços como se fossem em um estalar dedos e fazendo apresentação deles até em bingo de igreja. O interessante é que os outros fabricantes não fazem nem a metade das parafernálias marketeras deles mas vendem. Talvez o ultimo grande contrato naval dessa década (os destroyers para a… Read more »

juarezmartinez
Visitante
juarezmartinez

Oganza, como tu és “malvado”……..

Grande abraço

Mauricio R.
Visitante
Member
Mauricio R.

Oganza,

Em termos concretos, a Airbus desenvolve sua solução “gunship” c/ a Jordânia.
E a Alenia junto a própria AMI.

Phacsantos
Visitante
Phacsantos

Mas e as vendas? Mostre-me números, cifras,…afinal é isso que importa!

Luiz Fernando
Visitante
Luiz Fernando

OFF TOPIC… mas nem tanto:

São José dos Campos – SP, 15 de outubro de 2014 – No final do terceiro trimestre de 2014, a carteira de pedidos firmes a entregar (backlog) da Embraer chegou ao patamar de USD 22,1 bilhões, o maior da história da Empresa, impulsionada principalmente pela assinatura do contrato do KC-390 e pelo pedido firme de 50 jatos E175 da Republic Airways Holdings Inc., operadora com a maior frota de EJets do mundo.

Mauricio R.
Visitante
Member
Mauricio R.
juarezmartinez
Visitante
juarezmartinez

Melhor assim do que vender e não receber, este governo Portenho atual tem tanta credibilidade quanto o daqui, então…

Grande abraço

Carlos
Visitante

Juarez Martinez

Tiveram uma conversa, sim uma …. com a IAI,

Respuesta en el acto:

“Adelanto en efectivo”.

Em bom e audível Español.

Porsupuesto !

Shalon

Oganza
Visitante
Oganza

Mauricio,
15 de outubro de 2014 at 12:06

Putz… sério?

Jordânia, Rei, deserto… qualquer semelhança com o meu post poderá ser mera coincidência?

Outro exemplo?
FREMM
Vendas externas: 1
Cliente: Marrocos.

=/

Grande Abraço.