Poder Aéreo visita a Base Aérea de Anápolis

    609
    21

    BAAN 2.9.14 - 9

    Poder Aéreo/Forças de Defesa esteve hoje na Base Aérea de Anápolis (BAAN) para a reunião das mídias que vão fazer a cobertura do evento Portões Abertos 2014. Na base estão sendo realizadas as operações BVR II (“beyond visual range” – além do alcance visual) e Sabre III e pudemos conhecer um pouco dessas operações que tiveram inicio no dia 18.08 e vão até o dia 18.09.

    Agradecemos à FAB a oportunidade de fazer algumas fotos das aeronaves que participam das operações e também dos Mirage 2000 desativados.

    BAAN 2.9.14 - 6

    BAAN 2.9.14 - 5

    BAAN 2.9.14 - 4

    BAAN 2.9.14 - 3

    BAAN 2.9.14 - 2

    BAAN 2.9.14 - 1

    BAAN 2.9.14 - 7

    BAAN 2.9.14 - 10

    BAAN 2.9.14 - 11

    BAAN 2.9.14 - 12

    21 COMMENTS

    1. Dia 27 estaremos lá para participar do Maryba dos Argus e Guardiões.
      O pessoal do Poder Aéreo poderia pedir pro Rodrigo e pro Hofmann pra cobrir o evento também. A cerimonia é muito bonita. E ainda tomamos um Black Label de lambuja.

    2. A FAB podia espetar uns M-2k aqui em SP, Pça Campos de Bagatelle , Museu Cata-Vento, etc…aqui na praça do meu bairro tb ia ficar legal
      .

    3. Me ajudem a entender:

      Os aviões não estão na cabeceira da pista?

      Na terceira foto, o soldado que está no meio dos aviões, está fazendo o quê?

      O que é que ele tem na mão? Esqueceram de retirar a capa do pitot?

      • “Guizmo em 03/09/2014 as 9:43
        Caros,
        O “Sapão” ainda está operacional?”

        Sim, o que sei é que ainda falta substituí-lo completamente em dois esquadrões, o Pelicano (de busca e salvamento, baseado em Campo Grande, pela versão C-SAR do EC-725) e o Falcão (baseado em Belém, onde já começou a ser substituído pelo EC-725).

        Se não me engano, os demais esquadrões que operavam o Sapão (o Harpia de Manaus e o Pantera de Santa Maria) já o substituíram totalmente pelo Black Hawk.

        Ou seja, falta pouco para o Sapão ser definitivamente aposentado na FAB.

    4. É, não são caças de 1º mundo mas, é o que a gente tem em mãos, afinal todos os pilotos são de primeira linha e o exercício também!
      Que dor me dar ao ver os Mirages da foto, parecem cachorros largados pelo dono!

    5. Aldo Ghisolfi disse:
      3 de setembro de 2014 at 9:05 #

      Me ajudem a entender:
      Os aviões não estão na cabeceira da pista?
      Na terceira foto, o soldado que está no meio dos aviões, está fazendo o quê?
      O que é que ele tem na mão? Esqueceram de retirar a capa do pitot?

      Aldo, boa tarde.

      Entre os procedimentos de operação do F-5, existe um cheque final feito pelo mecânico imediatamente antes da decolagem, com retirada de um pino de segurança, o qual é mostrado ao piloto.
      A maioria dos aviões de caça têm procedimento semelhante, mas somente quando os aviões estão armados. Normalmente os aviões realizam o táxi (trajeto até a cabeceira da pista) com as armas instaladas, mas desativadas por segurança.
      Abraço,

      Justin

    6. Só complementado o Cel Justin, junto com a despinagem é feito um último check visual na aeronave antes da decolagem e no caso F 5 o trem de pouso dianteiro é arqueado hidraulicamente e o mecãncio observa se existe algum possível vazamento.
      Este procedimento na BACO é chamado de “Ximango”.

      Grande abraço

    7. Justin Case, porque o procedimento da FAB é deixar ao relento aeronaves que ainda possuem valor comercial, vide os m2000, caso apareça um futuro cliente, não seria interessante pelo menos emplastificá-los caso não haja cobertura?

    8. Olá, Erikson.

      O hangar que servia ao GDA em Anápolis certamente tem espaço para doze aeronaves.
      Então, para as aeronaves estarem fora, provavelmente o hangar está sendo utilizado temporariamente para a manutenção das outras aeronaves, de outras Unidades participantes da operação. Os F-2000 seriam, nesse caso, novamente recolhidos ao terminar essa Operação BVR.
      Acho que os aviões somente seriam deixados ao relento se já tivesse sido decidido que não têm mais valor comercial significativo e que seriam vendidos como sucata.
      Abraço,

      Justin

    9. Não sei sobre ainda haver algum Mirage III estocado lá, Roberto, além dos que servem como monumentos.

      Vale lembrar que a atualização do Google Maps tem periodicidade própria. Muitas vezes, fica-se anos numa mesma imagem (por exemplo, se os Mirage 2000 estivessem dentro do hangar, e não do lado de fora como foi o caso dos mostrados nesta reportagem, você não veria nenhum mesmo).

      Por exemplo: por muito tempo, mesmo após muitos Mirage III já terem sido retirados de Anápolis (para servirem de monumentos por aí) o google maps ainda mostrava aquele mesmo bloco compacto de Mirage III agrupados numa área da base.

      Quem foi à BAAN da última vez foi o Samuel, que fez esta matéria.

      Creio que ele poderá responder à sua pergunta.

    LEAVE A REPLY

    Please enter your comment!
    Please enter your name here