Fábrica da UUAP pode retomar produção do Su-25

Su-25

A fábrica russa Ulan-Ude Aviation Plant (UUAP) pode retomar a produção de jatos de ataque Sukhoi Su-25, informou Leonid Belykh, diretor-gerente da UUAP.

“Nós a usamos para produzir os jatos Su-25 e hoje o nosso equipamento ainda está em boas condições, então a questão está sob consideração. Alguns investimentos sérios serão necessários, e é provável que uma outra fábrica assuma a produção. Mas se o governo nos ordenar a produzi-lo, vamos fazê-lo. Se a produção tiver que ser transferida para outra localidade, que assim seja “, disse Belykh à RIA Novosti.

O Su-25 é um avião de ataque subsônico fortemente blindado projetado para o apoio aéreo aproximado de forças terrestres durante o dia e à noite, dentro do alcance visual. Ele também é usado para ataques a instalações em todas as condições meteorológicas, de dia ou de noite.

O primeiro protótipo voou inicialmente em 1975 Os ensaios foram concluídos cinco anos mais tarde, em 1980.

FONTE: RIA Novosti (tradução e adaptação do POder Aéreo a partir do original em inglês)

Subscribe
Notify of
guest

8 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
eduardo pereira

Que bacana e por estas bandas bem que poderíamos repaginar o AMX e montar umas 100 aeronaves já com suites eletronicas atuais com sensores ,radar e tudo mais, além de um novo motor, mas se do contrário no futuro complementarem nossa força com uns 100 Gripen’s NG Br(fora os 36 iniciais).

Sonhar não custa.

eduardo pereira

…..já seria bem melhor !!!! (SERÁ)

Edcarlos Prudente

Ataque aproximado é um tipo de missão que dispensa o uso de aeronaves furtivas?! Estaria o conceito de aeronave de ataque fortemente armada e blindada mais atual que nunca?!
Sendo capaz de suportar e ludibriar as defesas AA de baixa altitude modernas, talvez o SU-25 ainda seja uma boa opção para os cenários de guerra assimétrica.

Observador

Senhores, Sobre esta história de voltar a fabricar o AMX, devemos lembrar de outra: a do fusca do Itamar. Relembrando: para agradar ao presidente da “República do Pão de Queijo” a Volkswagen relançou o fusca, pois o Itamar pensava que o relançamento do fusca permitiria ao brasileiro ter acesso ao carro popular, pois o carro simples como era, tinha que ser barato. Ledo engano. O fusca relançado em 1993 durou apenas três anos, pois seu preço era similar a qualquer outro popular, mas era um carro com as limitações mais que conhecidas. Com o AMX seria a mesma coisa: vai… Read more »

Reinaldo Deprera

Só se for pra vender pro BOPE.

Save Ferris!

Mauricio R.

Ressucitar o AMX???
Já combinou c/ os italianos, que são os donos do projeto???
Senão, não rola.

Iväny Junior

Bem, pra ataque ao solo, o Su-25 é o equivalente ao A-10 do lado russo, muito embora o thunderbolt II seja mais vitorioso em combate, dado o formato de operação dos EUA. Ainda acho que uma célula com estas características é importante tanto no ataque ao solo quanto no apoio aéreo. O A-10 saiu de operação, mas acredito que irá fazer falta, os storm-shadows são muito caros para operar em T.O.s de baixa intensidade, ao passo que o próprio tucano e demais turbohélices carecem de armamento mais pesado (canhão) para destruir alvos terrestres. O A-1, em que pese a paixão… Read more »

Renato.B

O pessoal da Cessna acredita que existe um mercado para aviões desse tipo, tanto que estão investindo no Scorpion.

Se esse nicho de mercado realmente compensar imagino até que a Embraer poderia aproveitar a experiência acumulada com o AMX, Xavante e o Super TucanoM Mas, mas pelo menos por enquanto, acho isso improvável por uma simples relação de risco x benefício. Assim, acho mais fácil sair um AC-390 que um novo AMX.

Mas vejamos como o mercado vai reagir no futuro.