Home Aviação de Patrulha Último P-3AM da FAB, matrícula 7206, já pousou no Brasil

Último P-3AM da FAB, matrícula 7206, já pousou no Brasil

383
36

P-3AM 7206 - 2

Em mais um furo do Poder Aéreo, publicamos as fotos da chegada a Salvador-BA nesta tarde do último P-3AM da FAB, vindo da Espanha, do lote de 8 aeronaves.

A aeronave, que trouxe 10 tripulantes a bordo, fez o trecho Sevilha – Las Palmas ontem e hoje, Las Palmas-Salvador.

P-3AM 7206 - 4

P-3AM 7206 - 3

P-3AM 7206 - 1

Subscribe
Notify of
guest
36 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Emerson Cosme
Emerson Cosme
6 anos atrás

..seja bem vindo 7206, que possamos desenvolver a doutrina de emprego, operar de maneira segura e satisfatória e que a Fab e a MB possam compartilhar os novos conhecimentos trabalhando em conjunto. Espero que venham mesmo os mísseis e que opere também com torpedos, enfim que seja mesmo operacional…

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
6 anos atrás

Com bom mísseis Ar-Mar e torpedos serão importantíssimos.

Mas …. não temos ou teremos grana para tal, uma pena.

Guilherme Poggio
Reply to  Carlos Alberto Soares
6 anos atrás

Prezado Carlos Alberto Soares

O P-3 é uma daquelas aeronaves que mesmo sem armas possui uma suíte de sensores importantíssima para o campo de batalha moderno e vem provando isso.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
6 anos atrás

As aeronaves que servirã ode fonte de peças, já estão por aqui?

Guilherme Poggio
Reply to  Clésio Luiz
6 anos atrás

Foram as primeiras a chegar. Estão lá no Galeão. (Pelo menos o que sobrou delas)

juarezmartinez
juarezmartinez
6 anos atrás

Esta aeronave estava pronta a um bom tempo, agora apareceu $$$ e finalmente aconteceu o translado.

Vamos aguardar agora os Harpoons.

Grande abraço

Rafael M. F.
Rafael M. F.
6 anos atrás

PBY-2 Catalina de 1943 a 1958
PV-1 Ventura de 1944 a 1960
P-2 Neptune de 1958 a 1976

E agora, o P-3 Orion.

Guilherme Poggio
Reply to  Rafael M. F.
6 anos atrás

Rafael M.F não esqueça dos P-16.

ernaniborges
ernaniborges
6 anos atrás

e em que consistiria os P-16? Os Bandeirulhas?

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
6 anos atrás

P-16 = Tracker.

Serviram na FAB do início dos anos 1960 até meados dos anos 1990, principalmente na função antissubmarino, a partir de bases em terra e embarcados no NAeL Minas Gerais.

Bandeirulha é P-95

Para ver imagens de Tracker da FAB e saber mais, procure aqui mesmo, no campo busca, a matéria “o dono do primeiro catrapo”, sem falar no artigo da Guerra da Lagosta da revista Forças de Defesa número 8.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
6 anos atrás

Caro Poggio

desde a escolha do P-3 Orion procuro acompanhar o tema.

Já comentei no PA ou no PN que em minha opinião foi uma ótima decisão da FAB, a escolha da aeronave, do “recheio”, o retrofit na España etc ….

Ótima relação custo/orçamentária x benefício.

Bem armado, impõe medo e respeito em minha opinião.

Simplesmente gosto desse “garoto”.

Voei muito na ponte aérea com Electra na época do pool,
eita “aviãozinho”(MO) adorável e seguro.

Essa variante/plataforma para fins militares deve ser muito melhor.

“Não é um avião para assustar, mas impõe respeito”. rs

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
6 anos atrás
Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
6 anos atrás

http://www.aereo.jor.br/2011/07/31/as-armas-do-p-3-orion/

Foi isto que comentei, bem armados ….

Edgar
Admin
6 anos atrás

Alguém aí sabe se já existe projeto na FAB para avaliar o P-8 Poseidon no futuro?

Vassili
Vassili
6 anos atrás

Edgar,

Imagino que o futuro substituto do P-3 venha à ser o KC-390 modificado para a função de patrulha marítima, tal como aconteceu com a família ERJ-145, que vestiu a farda e tornousse excelente vetor de alerta aéreo antecipado (E-99), reconhecimento eletrônico de sinais(R-99) e patrulha marítima (P-99).

Com a diferença que o KC-390 já nasceu vestindo a farda.

Até o momento não foi visto nada de oficial sobre um futuro P-390 ou mesmo uma versão AEW&C, mais creio que o caminho natural seja racionalizar cada vez mais a variedade de vetores em operação.

A logística agradece……………….

Abraços.

joseboscojr
joseboscojr
6 anos atrás

Há sim um projeto para adquirirmos o P-8 para além de 2050.
rsrsrss
Brincadeirinha!

Mauricio R.
Mauricio R.
6 anos atrás

Enfim uma aeronave digna para a defesa de nosso litoral e nossas águas territoriais!!! Uma aeronave de verdade extremamente capaz, e não aquelas trapaças toscas da Embraer. “…foi uma ótima decisão da FAB, a escolha da aeronave, do “recheio”, o retrofit na España etc ….” Exceto pela aeronave, a escolha do “recheio” foi absolutamente infeliz, pois poderíamos ter uma versão do SICONTA, ao invés de privilegiar um produto importado. O mesmo se aplica ao retrofit da aviônica, que poderia ser Thales como nos C-105, ou Aeronautics como nos C-130 ex-italianos. Mas é a tal história, se não for Elbit, outra… Read more »

Mateus Felipe
Mateus Felipe
6 anos atrás

galante,8 aeronaves? Não foram mordenizadas 9?

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
6 anos atrás

Oito modernizadas para emprego operacional e uma com modernização menos abrangente, para treinamento. Pelo que me lembro, é isso.

Rafael M. F.
Rafael M. F.
6 anos atrás

Guilherme, sei do Tracker, falei especialmente dos esquadrões em terra, acabei esquecendo de especificar.

Mal minha…

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
6 anos atrás

Rafael,

Deve-se sempre ter em mente, também, que aeronaves de operação embarcada como o Tracker só operavam embarcadas em algumas comissões por ano (alguns anos com mum monte de comissões, outros menos).

Na maior parte do tempo, cumpriam suas missões a partir de sua base em terra (BASC). E, em pelo menos dois períodos longos (de vários anos) de manutenção geral e modernização do NAeL Minas Gerais, os P-16 cumpriram suas missões somente a partir de terra.

sergiocintra
sergiocintra
6 anos atrás

Conforme contrato o P-95 levará um radar AESA Selex Seasprey 5000E (total de 8) sendo menores, será que o bicão do Bandeirulha voltará a seu contorno original, alguem viu algo a respeito?

Mauricio Silva
Mauricio Silva
6 anos atrás

Olá. Normalmente os aviões patrulheiros marítimos são derivados de modelos comerciais civis. Um transporte militar (como o KC-390) é considerado muito “pesadão” para a missão de patrulha. Dos aparelhos da Embraer, o EMB-190 E-2 parece ser a opção mais razoável para servir de base par um futuro modelo nacional de patrulheiro naval. Mas… Mas o modelo teria de sofrer muitas alterações e o custo do desenvolvimento provavelmente seria bancado exclusivamente pelo Brasil (salvo interesses extrangeiros, coisa de difícil confirmação), resultando numa aeronave com desempenho (quase certamente) inferior ao do P-8 Poseidon. Se a aviação de patrulha marítima realmente se consolidar… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
6 anos atrás

Senhores,

Até um ano atrás, o foco da Embraer quanto a soluções para o futuro, para patrulha marítima, ainda era a plataforma do ERJ145. Para a plataforma dos novos E-Jets, havia um conceito de AEW&C.

http://www.aereo.jor.br/2013/04/05/plataformas-isr-da-embraer-novidades-a-atualizacoes/

Outras plataformas menores também eram cotadas para esclarecedores marítimos para necessidades menos exigentes, como a família Phenom (mesmo link).

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
6 anos atrás

A FAB não cogita comprar P-8. Tão cedo não se falará disso.
Alguém aí falou que tinha que ser empregada avionica Thales. Eu sou instrutor de ATR72-600, que usa essa avionica, e digo que a avionica Thales é uma bosta. Os franceses, para serem anti americanos, querem reinventar a roda.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
6 anos atrás

Outra correção: o R-99 é uma aeronave de reconhecimento por imagens. E também, juntamente com o E-99, com capacidade de reconhecimento de sinais de comunicações e não-comunicações.

juarezmartinez
juarezmartinez
6 anos atrás

Rinaldo Nery 27 de julho de 2014 at 20:13 #

A FAB não cogita comprar P-8. Tão cedo não se falará disso.
Alguém aí falou que tinha que ser empregada avionica Thales. Eu sou instrutor de ATR72-600, que usa essa avionica, e digo que a avionica Thales é uma bosta. Os franceses, para serem anti americanos, querem reinventar a roda.

Ainda bem que não é somente eu que acha isto….pegou bem em Cel….

Grande abraço

Guilherme Poggio
Reply to  juarezmartinez
6 anos atrás

Realmente franceses e norte-americanos possuem conceitos diferentes. Toma-se como exemplo alguns helicópteros. Geralmente nos helicópteros americanos aperta-se os botões que ficam no painel do teto. Já no helicóptero francês o botão que faz a mesma função é uma chave que se empurra para frente ou para trás.

Gilberto Rezende
Gilberto Rezende
6 anos atrás

Off topic

E o RFI da mordenização do T-27 que teria sido emitido na semana passada não vamos comentar ?

O não houve RFI ???

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
6 anos atrás

Mudar de assunto ? NÃO Este tema não comporta T 27 “juarezmartinez 27 de julho de 2014 at 20:51 # Rinaldo Nery 27 de julho de 2014 at 20:13 # A FAB não cogita comprar P-8. Tão cedo não se falará disso. Alguém aí falou que tinha que ser empregada avionica Thales. Eu sou instrutor de ATR72-600, que usa essa avionica, e digo que a avionica Thales é uma bosta. Os franceses, para serem anti americanos, querem reinventar a roda. Ainda bem que não é somente eu que acha isto….pegou bem em Cel…. Grande abraço” É quem conhece …. conhece.… Read more »

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
6 anos atrás
Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
6 anos atrás
Eder Albino
Eder Albino
6 anos atrás

Aos colegas, uma pergunta.
A “família” C-295 é tão ruim, que nenhum dos colegas acima citou a versão marítima para o nosso litoral?
Pergunta de quem aprender, conhecer mais sobre o assunto.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
6 anos atrás

Eber, acho que o motivo é que o C-295 é uma aeronave menor que o P-3 e sua autonomia é bem menor que o Orion, coisa que é muito importante nesse tipo de missão.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
6 anos atrás

A capacidade de atingir o paralelo 10 (é isso?), limite Este da nossa área de responsabilidade de busca, foi um dos critérios críticos.