terça-feira, agosto 3, 2021

Gripen para o Brasil

Imagens: começam as missões de ‘permanência operacional’ do Rafale na Polônia

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

caça Rafale desdobrado na Polônia - foto 4 Força Aérea Francesa

Na terça-feira, 6 de maio, o destacamento de quatro caças Rafale franceses desdobrados na Polônia iniciou, por demanda da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte), sua missão de permanência operacional (permanence opérationnelle – PO), para proteção do espaço aéreo dos países bálticos.

caça Rafale desdobrado na Polônia - foto 3 Força Aérea Francesa caça Rafale desdobrado na Polônia - foto 5 Força Aérea Francesa

A missão de terça-feira teve duração de duas horas, e envolveu treinamento junto a outras aeronaves da OTAN. O destacamento francês é composto por 70 militares desdobrados na Base Aérea de Malbork, na Polônia, e os caças alternam missões operacionais com as de treinamento, juntamente com os poloneses.

caça Rafale desdobrado na Polônia - foto Força Aérea Francesa

O desdobramento do contingente para reforçar o dispositivo da OTAN na região foi decidido em 16 de abril, sendo que desde o dia 1º daquele mês a França já havia deslocado um avião-radar (AWACS) para missões de vigilância nos espaços aéreos da Polônia e Romênia.

caças Rafale desdobrados na Polônia - foto Força Aérea Francesa caças Rafale desdobrados na Polônia - foto 3 Força Aérea Francesa

FONTE / FOTOS: Ministério da Defesa da França (tradução e edição do Poder Aéreo a partir de original em francês)

VEJA TAMBÉM:

 

- Advertisement -

3 Comments

Subscribe
Notify of
guest
3 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Claudio Calabria

A Dassault definitivamente sabe fazer aviões bonitos.

Mirage 3, Mirage 2000, Mirage F1 e o Rafale são belíssimos e fotogênicos.

Clésio Luiz

Eu vejo duas possibilidades para colocar os mísseis BVR nas asas:

1- Causa menos arrasto;

2- causa menos vibração;

A primeira e segunda não parecem ser o caso do Super Hornet, que com certeza transporta melhor os mísseis semi-embutidos na fuselagem. Mas pode não ser o caso do Rafale.

Vibração reduz a vida útil do míssil, daí todo cuidado é tomado para evitar ao máximo isso.

Outro caso de troca de posições dos mísseis BVR é o F-16, que é o único a levar o AIM-120 em estações de ponta de asa e o AIM-9 embaixo dela.

Últimas Notícias

Pilotos russos usaram receptores GPS feitos nos EUA durante missões de combate na Síria

Pilotos militares russos usaram receptores comerciais GPS de navegação por satélite durante suas operações de combate na Síria, de...
- Advertisement -
- Advertisement -