quinta-feira, setembro 23, 2021

Gripen para o Brasil

Novo rival do Phenom 100 entra em fase final de certificação

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

honda jet

ClippingNEWS-PA  A Honda Aircraft Company anunciou nesta segunda-feira que seu primeiro jato executivo recebeu a primeira certificação da Administração Federal de Aviação (FAA) dos Estados Unidos. O órgão regulador americano também certificou o centro de manutenção da companhia. A provação significa que a aeronave entrará na fase final de certificações e aproxima o futuro concorrente da Embraer do mercado.

 

“Mostramos com sucesso que o HondaJet atenderá os requisitos da certificação tanto em solo como no ar. Estamos prontos agora para começar a fase final de certificação com testes em voo e a participação de pilotos da FAA”, afirmou em nota Michimasa Fujino, presidente e CEO da Honda Aircraft Company.

A expectativa do executivo é de que o jato seja aprovado pela FAA no primeiro trimestre de 2015, e as primeiras entregas devem ser feitas logo em seguida. O programa da Honda já está com atraso de pelo menos dois anos, já que a certificação do jato executivo era esperada para agosto do ano passado.

Honda Jet painel

 

O HondaJet poderá levar até cinco passageiros e terá como similares o Phenom 100, da fabricante brasileira Embraer, e o Citation CJ1+, da americana Cessna. A produção está sendo feita em Greensboro, no Estado americano da Carolina do Norte.

“Civic dos céus”

O projeto da Honda começou no fim da década dos anos 1980 e naquela época parecia pouco realista: transformar a Honda de uma entre várias montadoras de veículos japonesas na primeira fabricante de aviões bem-sucedida do Japão desde a Segunda Guerra Mundial. Executivos da Honda afirmam esperar que o HondaJet agite o mercado de jatos executivos com a mesma eficiência no consumo de combustível, design inteligente e baixo preço que permitiu a primeira geração do Honda Civic combater as gigantes automotivas de Detroit três décadas atrás.

Hondajet_Interior

O design do jato de US$ 4,5 milhões, com os motores estranhamente montados sobre as asas, é parte da razão que permitiu maior espaço interno e eficiência no consumo de combustível. Comparado com jatos similares no mercado atualmente, o HondaJet é projetado para voar cerca de 10% mais rápido e pousar e decolar em pistas mais curtas. Segundo Fujino, o modelo precisa de cerca de 20% menos combustível e oferece aproximadamente 20% mais espaço de cabine – tendo um bagageiro “grande o suficiente para a Paris Hilton”.

FONTE: Portal Terra

VEJA TAMBÉM:

- Advertisement -

9 Comments

Subscribe
Notify of
guest
9 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcos

Não sei a quantos anda o valor do Phenom 100 da Embraer, mas era de US$ 4,3 milhões. E a demora na certificação deveu-se não só a aeronave, mas ao motor, que foi projetado pela própria Honda. Quanto ao projeto e a instalação do motor sobre a asa, se não me engano a Focke Wulf chegou a fabricar um jato regional dessa maneira, mas que não teve boa aceitação no mercado. A Embraer chegou a estudar algo similar para o ERJ-145, mas abandonou o conceito. E a única vantagem que vejo é que você retira peso da fuselagem e joga… Read more »

Marcos

O vídeo ai é do Honda Jet: o começo é igual aos vídeos da Embraer. Cópia por sinal. Mas fica nisso. O povo daqui faz mais gritaria e tem banho de água. A coisa por lá me pareceu mais fria. Mas o que de fato a Embraer fica devendo é a liberação de mais vídeos. O Legacy 500, por exemplo, não tem um único vídeo da cabine. Vai lá saber qual a estratégia da companhia.

http://www.youtube.com/watch?v=uKQ2oqt5dfE

Carlos Alberto Soares

Tem uma questão de super subsidio, parece que já tá rolando na OMC, confere ? Ou confundi com o MRJ ?

Marcos

É o MRJ!

André Sávio Craveiro Bueno

Marcos
27 de dezembro de 2013 at 14:06

Foi a Fooker, com seu VFW 614:

http://www.airliners.net/photo/VFW/VFW-Fokker-VFW-614/1749272/L/

André Sávio Craveiro Bueno

Corrigindo: um projeto conjunto da VFW com a Fokker.

Apenas 14\aeronaves foram operacionais na Dinamarca, França e Alemanha (Luftwaffe).

Mayuan

O parto é de elefante e o obstetra um bicho-preguiça. Vai tempo que escuto falar desse Honda Jet.

Oganza

Marcos, vlw pelo vídeo…

nossa, esse design é muito exótico, ou você ama ou você odeia, não tem meio termo.

Mas pq eles pintaram de amarelo? Ficou igual a patinho de banheira… Honda JetDUKE…

Sds.

Soyuz

Não sou da Embraer como um colega pediu, mas posso discorrer sobre o assunto. Existem dois tipos básicos de layout de aviões comerciais a jato (multimotores) no tocante a posição dar turbinas. Um layout com turbinas sub-alares (como todos os Boeing e Airbus em produção ERJ-170/195). Um layout com turbinas próximos à cauda (Aeronaves executivas em geral, Fokker-100, DC-9, CRJ’s, ERJ-145). A primeira configuração costuma oferecer mais vantagens em relação à segunda, especialmente um melhor aproveitamento do espaço interno da fuselagem, maior limpeza aerodinâmica e menor peso estrutural (a aeronave tem seus principais pontos estruturais, turbinas, função asa/fuselagem e trem… Read more »

Últimas Notícias

Eve, da Embraer, e Bristow firmam parceria para desenvolver operações de UAM com pedido de até 100 eVTOLs

Melbourne, Flórida, 23 de setembro de 2021 – A Eve Urban Air Mobility, uma empresa da Embraer, e a...
- Advertisement -
- Advertisement -