segunda-feira, agosto 2, 2021

Gripen para o Brasil

Gama de armas que podem ser empregadas pelo caça Gripen

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Gripen-weaponspread

Já que falaram em armas que o Gripen pode levar, publicamos novamente esse gráfico com armas compatíveis com o Gripen. Nem todas estão homologadas para o avião, mas podem ser integradas sem maiores problemas, já que o avião emprega um “bus” de dados padronizado para armas da OTAN. Clique na imagem para ampliar.

- Advertisement -

31 Comments

Subscribe
Notify of
guest
31 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ozawa

A decantada abertura de códigos fontes à FAB/Embraer adicionaria armamentos nacionais melhores/equivalentes ou seria apenas uma salvaguarda para variações geopolíticas no fornecimento de armas ?

Alexandre Galante

Ozawa, pelo que sabemos qualquer arma brasileira poderá ser integrada facilmente ao Gripen, pois os suecos já estavam adiantando um estudo das armas da Mectron para integração no Gripen NG.

Iväny Junior

Compatível com todos os armamentos que dispomos. Mísseis Piranha/Python/A-Darter/Derby (o piranha é da classe AIM-9).

Na versão naval, só falta ser compatível ao AM39-Exocet, se bem que o Exocet hoje em dia não é mais o que era na guerra das Falklands. Com certeza a MBDA deve ter coisa melhor na agulha (e mais barato) uma vez que com as fusões, hoje em dia também é a fabricante dele.

Bogaz

Opa..agora que vi o logo modificado do poder aéreo. Ficou muito bom!

Almeida

Existem AIM-9 e AIM-9 amigos. AIM-9L é terceira geração como o MAA-1B Piranha, Magic 2 e Python III, o AIM-9M é quarta geração como o Python IV e o AIM-9X é de quinta geração como será nosso futuro A-Darter.

Almeida

E AM-39 Exocet pra que? Ele tem RBS 15 da Saab e o Naval Strike Missile da Kongsberg homologados, ambos muito mais modernos e superiores ao AM-39.

André Sávio Craveiro Bueno

Nossos produtos ainda devem estar alguns passos atrás em relação a europeus e americanos. Mas uma hora a criança aprende a andar e com estímulo constante vai longe. Assim, penso que as armas brasileiras servem como uma salvaguarda (como dito pelo Ozawa), sim, em eventuais tempos bicudos e com boicote. Se não for contraproducente e caro, talvez fosse interessante ter uma gama de armas brasileiras e estrangeiras.

Antonio M

Quantos aos armamentos é completo, não “passa vergonha” frente a outros vetores.

Agora é modernização dos R99 e a compra de reabastecedores. Aliás no R99 deveria comtemplar o probe de reabastecimento.

aereo.jor.br/2013/01/09/fab-assina-contrato-de-modernizacao-dos-e-99/

Iväny Junior

Pois é Almeida

Estou desatualizado quanto ao armamento naval. Mas se eu não me engano, tem um míssil antinavio da MBDA que vai estrear e tem metade do tamanho do Exocet, com o dobro da capacidade de dano.

Lembrei do Exocet apenas porque são os únicos que os Sea King podiam lançar (não sei se eles sofreram modernização depois de 2003), e a possibilidade de comprar em quantidade e padronização sempre termina barateando as coisas.

phacsantos
Brandenburg

Já jogaram o pobre do A-1 para escanteio! Isso é preconceito! Brincadeira gente, o Gripen verde amarelo ficou show.Parabéns! Aproveitando que já estou off-topic recomendo assistir ao programa Entre Aspas da Globonews com dois “especialistas” discutindo a compra do Gripen,Naõ se assustem: Roberto Godoy e Salvador Raza, com a apresentadora Monica Waldvogel tentando se tornar uma especialista.Quem não conhece pensa que os dois passaram todos esses anos dentro da COPAC, assessorando os “inexperientes” oficiais da FAB.Triste!

Carlos Alberto Soares

Logo nota 1.000 fab.mil

Brandenburg
20 de dezembro de 2013 at 14:01 #

“recomendo assistir ao programa Entre Aspas da Globonews com dois “especialistas” discutindo a compra do Gripen,Naõ se assustem: Roberto Godoy e Salvador Raza, com a apresentadora Monica Waldvogel tentando se tornar uma especialista.Quem não conhece pensa que os dois passaram todos esses anos dentro da COPAC, assessorando os “inexperientes” oficiais da FAB.”

Não assisti, vou fazê-lo hoje a noite ou de madrugada.

Seria trágico, mas na verdade deve ser cômico ! kkkk

Galeão Cumbica

A mulher(Monica) disse do problema de oxigenio na cabine do F 19 DA BOEING ai eu parei de assistir, mas valeu pela dica.

sds
GC

Brandenburg

O programa deveria ser cômico mas creio que está mais para trágico pois é assistido por muitos que vão sair com uma idéia completamente deturpada do assunto, infelizmente.A GloboNews perdeu uma excelente oportunidade para chamar profissionais de alto quilate que poderiam esclarecer realmente sobre o assunto.Já era de se esperar. Sds.

phacsantos

Gripen tampão já nas Olímpiadas:

http://www.midianews.com.br/conteudo.php?sid=8&cid=182978

jura_gol

Gente,parem o mundo que eu vou descer.Pelo amor de Deus quem foi o enfeliz que teve a ideia de colocar estes tres animais junto para , comentar um assunto de tal inportancia? F-19 que sofreu dirversas atualizacoes e ainda sofre com a falta de oxigenio foi FODA,desculpem o linguajar,mais vai ser burra assim no inferno.

Antonio M

Estou assistindo esse programa agora. Tenho mesmo a impressão que poderia ser melhorzinho.

Se entrar a propaganda do danoninho com o garoto dizendo “não é aviãzinho mãe, é um Phantom F5” …….

Vader
Marcos

O Phantom F-5 foi matéria aqui. E não me lembro a que conclusão que chegaram sobre qual era, ou eram, as aeronaves. Me parece que um era o F-100.

Grievous

Alguém consegue recuperar esse link sobre o Phantom F5? Ouço esse “nome” desde pequeno e nunca soube de onde veio o erro. Especulei que fosse algum tipo de jogada dos militares brasileiros ou alguma mancada da mídia. O Brasil quis o F-4, mas o Tio Sam se negou a vender. Então compramos os F-5 Tiger II e parece que os modelos foram misturados. (pura especulação) (Sem querer ofender ninguém, mas pensei que) talvez os militares pudessem ter feito a confusão pra disfarçar o veto americano. Ou então a mídia já esperava a compra com o nome fechado e acabou se… Read more »

Alexandre Galante
Nick

Praticamente todo o arsenal da FAB está nesse chart do Gripen. 🙂

Só faltaria integrar a SMKB 82/83 + MAR1 + AVMT-300

[]’s

Justin Case

Nick, boa noite.

O Gripen NG terá novo radar, nova aviônica, nova configuração de asa… Isso significa que todo o elenco de armas e sensores terá que ser integrado e certificado de novo.
Claro que algumas etapas poderão ser abreviadas pelo reconhecimento da similaridade com o projeto anterior.
Mas não estou dizendo que isso seja um problema. Pode até ser que essa situação tenha ajudado o Gripen, pois todo o trabalho deverá ter participação brasileira. É uma grande fonte de conhecimento e treinamento.
Abraço,

Justin

Mayuan

Valeu Galante pelo post e Justin pelo excelente adendo.

joseboscojr

O Brasil produz ou está em vias de produzir os seguintes armamentos guiados lançados por aeronaves: Míssil MAA-1 Mìssil MAA-1B Mìssil A-Darter Míssil MAN-1 Mìssil MAR-1 Kits SMKB (Acauã) para bombas de uso geral de 500 e 1000 lb kit de asas extensíveis para as bombas SMKB O que falta: Um míssil ar-ar de médio/grande alcance,] Kit de guiamento terminal para a SMKB (TV, SAL, IR, IIR, MMW, LADAR, SAR, ???), que possa lhe conferir maior precisão contra alvos fixos e capacitá-la a atingir alvos móveis. Um míssil tático menor e mais barato que a SMKB, que possa ser transportada… Read more »

Mayuan

Um fato que chama a atenção é a variedade de fornecedores para cada tipo de arma mas me permitam duas perguntas provavelmente bobas. Lançadores de foguetes não tem utilidade no Gripen ou simplesmente não estão no desenho? Será que os AIM-120 homologados para eles serão a variante D? Sei que os EUA vendem esse modelo mas também nessa variante? Num post antigo, o Bosco (sempre ele) discorre sobre as diferenças entre mísseis Russos de alcance absurdo e tamanho idem frente a mísseis ocidentais como o Meteor e o AIM-120D de menor alcance mas NEZ maior que, combinados com as vantagens… Read more »

joseboscojr

Mayuan, No desenho a única arma não guiada são as bombas da série Mk-80, mas pelo menos os Gripens são sim armados com foguetes. Provavelmente as armas não guiadas nacionais (foguetes de 70 mm, bombas de fragmentação, bomba anti-pista, bombas de uso geral de baixo e alto arrasto) deverão ser integradas. Quanto à versão D, pelo que se sabe até hoje não foi vendida a ninguém fora dos States. Duvido que venhamos a ter também num curto prazo o Meteor. Mas independente disso, mesmo que tenhamos “somente” a versão C7 do Amraam seria sim possível dar um incremento no alcance… Read more »

Mayuan

Valeu Bosco, seu conhecimento dessa área como sempre enriquecendo a todos nós.

joseboscojr

Armas não guiadas têm o inconveniente de serem lançadas de curta distância para que tenham alguma serventia (precisão). Salvo as bombas de uso geral de baixo arrasto que podem ser lançadas de média altitude usando o modo CCIP com uma precisão sofrível (mas úteis contra alvos de área), todas as outras são lançadas de baixa altitude, o que expõe em demasia a aeronave. Daí serem usadas em geral ou em conflitos de baixa intensidade/assimétricos, ou após as defesas antiaéreas já terem sido neutralizadas. Claro que devido à sua principal vantagem, o custo baixo, são usadas em qualquer fase de um… Read more »

joseboscojr

Um abraço Mayuan.

Nick

Caro Justin,

Sem dúvidas,

Como o Gripen E terão sistemas e aviônicos novos como o radar AESA, por exemplo, deverá existir a necessidade de recertificação (ou seria re-homologação?) das armas disponíveis para a versão C. Mas para quem quer código-fonte para integração de armas, será uma ótima fonte de aprendizado. 🙂

[]’s

Últimas Notícias

Aeronave P-3AM Orion completa 10 anos de incorporação à FAB

A data marcou a modernização da Aviação de Patrulha, pois o modelo possibilitou a detecção, localização, identificação e, até...
- Advertisement -
- Advertisement -