Home Indústria Aeronáutica Empresa sueca de caças vai instalar fábrica em São Bernardo, no ABC

Empresa sueca de caças vai instalar fábrica em São Bernardo, no ABC

1255
18

Barry Bystedt entrega presente a Luiz Marinho no evento de 1 ano do CISB - foto Nunão - Poder Aéreo

A Saab foi escolhida pela presidente Dilma Rousseff e venderá 36 aviões. Fábrica será instalada em área próxima de rodovias

ClippingNEWS-PAA empresa sueca Saab, que venderá 36 caças supersônicos Gripen ao governo brasileiro, vai instalar uma fábrica em São Bernardo do Campo, no ABC. De acordo com a Aeronáutica, o preço total da aquisição dos aviões será de US$ 4,5 bilhões, a serem pagos até 2023.

Segundo o SPTV, a relação entre o município, a fabricante dos caças e o governo sueco não é nova. Foram pelo menos três anos de encontros e negociações. Já havia, inclusive, a promessa, por parte dos suecos, de instalação de uma fábrica na cidade, independentemente da decisão do governo brasileiro.

A fábrica deverá ter em torno de 5.800 empregados e será instalada em uma área entre a Via Anchieta, a Rodovia dos Imigrantes e o Rodoanel Mário Covas.

Luiz Marinho no Gripen

Para o prefeito Luiz Marinho (PT), alguns fatores, além do preço e das características do avião, foram decisivos na escolha da presidente Dilma Rousseff em preferir os caças suecos aos concorrentes norte-americano (o F-18 Super Hornet, da Boeing) e francês (o jato Rafale, da companhia Dassault).

Entre os pontos citados por Marinho estão a revelação da espionagem do governo dos Estados Unidos à presidente e à Petrobrás. “Isso tudo por exclusão acabou levando à decisão pelo Gripen.”

Decisão

Segundo o ministro da Defesa, Celso Amorim, que fez o anúncio, a decisão “foi objeto de estudos e ponderações muito cuidadosas”. As negociações levaram 15 anos. “A escolha, que todos sabem, foi objeto de estudos e ponderação muito cuidadosa, levou em conta performance, transferência efetiva de tecnologia e custo, não só de aquisição, mas de manutenção. A escolha se baseou no melhor equilíbrio desses três fatores.”

Amorim acrescentou que a aquisição dos caças não terá “nenhuma implicação” no orçamento da União de 2013 nem no de 2014. Segundo ele, a etapa de discussão do contrato pode demorar entre 10 e 12 meses, e a transferência dos recursos para a empresa sueca só será feita após essa etapa.

“[A negociação do contrato] é algo demorado. Implica garantias contratuais de que aquilo que foi ofertado efetivamente ocorrerá”, justificou Amorim. Segundo a assessoria de imprensa da Aeronáutica, ainda será negociado no contrato quando será feito o primeiro pagamento.

O comandante da Aeronáutica, brigadeiro Juniti Saito, informou que os primeiros aviões chegarão 48 meses depois da assinatura do contrato, prevista para o final de 2014. Assim, o Brasil deverá começará a receber as aeronaves a partir de 2018. Segundo Saito, serão entregues 12 aviões por ano.

Saito disse que a transferência de tecnologia será completa e feita diretamente à Embraer, que participará da montagem das aeronaves. “Quando terminar o desenvolvimento, nós teremos propriedade intelectual desse avião, isto é, acesso a tudo”, disse Saito. Segundo ele, a brasileira Embraer e a Saab vão atuar em conjunto na transferência de tecnologia e na produção do caça. Segundo ele, outras empresas poderão, posteriormente, participar do projeto.

‘Vamos pechinchar’

O comandante da Aeronáutica informou que 80% da estrutura do avião será construída no Brasil. As asas, por exemplo, já estão sendo produzida por uma empresa de São José dos Campos e, segundo o comandante, já com padrão supersônico. Segundo ele, serão mais de 15 empresas envolvidas.

Gripen NG Akaer - 1

Saito esclareceu também que os US$ 4,5 bilhões equivalem a proposta feita pela empresa sueca, mas que, durante a negociação do contrato, o valor pode ser revisto. “Nós vamos pechinchar ao máximo”.

Ele contou que a presidente Dilma Rousseff o informou da escolha somente na terça-feira (17). “Presidenta, muito obrigado. Eu acho que a Força Aérea e o Brasil ganharam muito com isso”, ele relatou ter dito à Dilma quando recebeu a notícia. Ele contou que participa do processo de escolha dos caças desde 1995. “Estou muito feliz de ter perseguido esse objetivo”, disse. Segundo ele, todas as empresas foram avisadas ao mesmo tempo da escolha.

Aviões ‘à altura’

O ministro Celso Amorim disse que, com a decisão do governo, “em breve, teremos aviões à altura da necessidade de defesa do país”. O ministro ressaltou – dentro do acordo de transferência de tecnologia – a abertura do código-fonte de armas, que, segundo ele, permitirá adicionar ao avião armamentos brasileiros.

De acordo com o brigadeiro Marcelo Damasceno, chefe da comunicação social da Aeronáutica, os caças Gripen “vão atender às necessidades operacionais da FAB pelos próximos 30 anos”.

Segundo ele, as aeronaves ajudarão na defesa aérea do Brasil e serão capazes de promover ataques no solo e no mar. “Ele [o Gripen] permitirá à FAB enfrentar ameaças em qualquer ponto do território nacional com carga plena de armas. O conjunto de conhecimentos e capacitação tecnológicos contribuirá para que a indústria nacional se capacite para a produção de caças de última geração em médio e longo prazo”, disse Damasceno.

Maquete do Gripen E com as cores da FAB - foto Guilherme Poggio - Poder Aéreo

FONTE: G1

VEJA TAMBÉM:

18
Deixe um comentário

avatar
17 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
11 Comment authors
NickAlexandre GalanteMayuanGilberto Rezendephacsantos Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Soldat
Visitante
Member
Soldat

Ótima noticia.

Iväny Junior
Visitante
Member

Um final de ano de boas notícias.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Não tenho menor preocupação com a parte técnica e de liderança no processo por parte da FAB, nem com a participação da Embraer e outros possíveis atores. Minha preocupação são duas: 1.- Querer aplicar algo de conteúdo nacional que não esteja a altura do ideal no produto final. Puro nacionalismo barato e tipico tupiniquim e 2.- Ingerência do GF e dos PTralhas no processo, de forma a alterar o melhor “desenho” e produto final. Seja por interesse ideológico, anacrônico e outros de qualquer natureza. Creio ser a FAB e seu comando em geral a última trincheira e o bastião da… Read more »

Antonio M
Visitante
Member
Antonio M

Espero mesmo que PoliTicagem não se meta, como não se meteu na época da privatização da Embraer, estavam “ocupados” em ser contra a privatização da Vale, Petrobras etc e nunca ligaram para o destino da Embraer, qualquer que fosse, devido a “grande visão” administrativa e tecnológica dessa galera. Talvez quisessem que fosse à falência mesmo, por pirraça. Mas agora como ganha muitos holofotes vai ter muitos querendo pular no bonde e tirar alguma vantagem política eleitoral e espero que haja uma boa “impermeabilização” que evite isso Basta lembrar do episódio da Embraer quando precisou fazer uma demissão em massa por… Read more »

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

Interessante… A Embraer pinta e borda como bem quer, sob o regime petralha, quase sempre contra os interesses do Brasil e tem gente pensando que o PT é inimigo da empresa??? Menos, mto menos, por favor!!! Mandou aqueles 4200 p/ a rua, mas tinha um imenso backlog de encomendas, avaliado a época em 20 bilhões USD. Logo em seguida garantiu aporte oficial ($$$$$$$$$$$) p/ o desenvolvimento dessa inutilidade chamada KC-390, o ac não vende nem que mate. Foi arrumar empregos p/ portugueses e americanos. “Fez” os updates dos F-5, c/ tecnologia de terceiros, financiada pela FAB e paga pelo contribuinte.… Read more »

Galeão Cumbica
Visitante
Galeão Cumbica

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2013/12/1388200-caca-sueco-sera-montado-na-embraer-diz-fab.shtml

se forem respeitar o infografico, vao fazer mtas coisas aqui!!

sds
GC

Antonio M
Visitante
Member
Antonio M

Mauricio R.
20 de dezembro de 2013 at 7:28

Ainda não tive acesso a essa versão da história que você tem e nem bola de cristal.

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

“Apesar de ser a escolha natural, visto que a Embraer é a maior empresa aeronáutica brasileira, havia…”

Interessante a frase na notícia da Folha, pois ao que consta quem tem a tecnologia, o produto e o know how é a Saab.
A Embraer, nem sabe o que é uma aeronave de caça supersônica, seu portifólio só tem aeronaves de baixo desempenho cinemático (velocidade, ascenção e giro), sua tecnologia é completamente inadequada.
Logo sua serventia tb o é.

Antonio M
Visitante
Member
Antonio M

Mauricio R.
20 de dezembro de 2013 at 8:28 #

Interessante essa teoria de que empresas não podem aprender, desenvolver novas tecnologias.

phacsantos
Visitante
Member
phacsantos

Rapaz…que ódio é esse?

Você mandou currículo e a Embraer recusou. É isso?

Gilberto Rezende
Visitante
Member
Gilberto Rezende

Ainda não entendi BEM esta parte, o post fala de uma fábrica que a EMPRESA SUECA vai instalar em São Bernardo… Os comentários ignoram o post e dizem que o caça será montado na Embraer. E muitos dizem que a AKAER é que vai produzir o Gripen no Brasil… Vou fazer minha tentativa de entender… A SAAB vai aproveitar a Lei brasileira de Defesa e vai montar uma fábrica em São Bernardo do Campo onde ela será a verdadeira dona e a AKAER será o seu laranj…, digo Sócio (e suposto dono) na porcentagem que a lei exigir. As partes… Read more »

Antonio M
Visitante
Member
Antonio M

Estou adorando as teorias de conspiração.

E já li no blog sobre o AMX e os relacionamentos de Embraer com Aeritalia e Machi, e vou ler novamente na próxima revista.

O Próprio consórcio Airbus tem vários paises/empresas.

Mas aqui tudo é irregular, indecente, ilegítimo e com certeza só vai dar errado.

De fato, não duvido de nada no Brasil mas prefiro acompanhar essas negociações do Gripen e ver depois..

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

Antonio M 20 de dezembro de 2013 at 8:37 #

A Embraer vende bem no mercado executivo e melhor ainda no mercado regional, ela pode faze-lo, investindo seus lucros nisso.
O dinheiro do contribuinte, não é dela e nem é p/ isso.

Antonio M
Visitante
Member
Antonio M

Mauricio R.
20 de dezembro de 2013 at 10:35 #

No mundo, é comum empresas receberem verbas do governo para desenvolvimento de projetos militares. Pode-se discutir por quê, como, quando e onde mas, até onde vejo outros países fazerem, não é ilícito.

Concordo que o modelo “capitalismo BNDES” não deveria ser assim, mas a realidade é essa. As insenções fiscais não são exclusivas para a Embraer, são apenas fruto da teimosia, ignorância, preguila do governo/governos de fazerem as reformas fiscais/tributárias que necessitamos. Inclusive o BNDES é sócio da Embraer.

E no meio de tudo isso é preciso sobreviver.

Mayuan
Visitante
Mayuan

Por mais que as coisas possam dar muito certo, sempre tem muita gente torcendo para que acabem dando muito errado.

Dizem que democracia é isso. Tia Teteca me ensinou outro nome!

Alexandre Galante
Visitante
Member

É incrível como tem brasileiro que torce contra o Brasil!

Antonio M
Visitante
Member
Antonio M

E não apenas para negociar caças, tomara que o tipo de negociação que foi feita sirva para ajudar a melhorar como se fazem as coisas por aqui, que ao menos se transforme em case de estudo.

Até agora não há evidência de favorecimentos, propinas milionárias etc. Foi escolhido um produto que passou por levantamento técnico. Mostrou que a burocracia não é prejudicial, qdo seguido nos trâmites normais porém mais uma vez o governo foi pródigo em estendê-la e paralisa-la demasiadamente precisando de outros fatores, acontecimentos para tomar uma decisão

Fica evidente quanto a politicagem pode atrapalhar o desenvolvimento do país.

Nick
Visitante
Member
Nick

Caro Gilberto, A nova lei que considera empresas de Defesa, exige que o controle seja nacional. No caso da Akaer, a participação da SAAB será MINORITÁRIA, algo que não acontece por exemplo, com a AIRBUS HELICOPTERS de ITAJUBÁ vulgo Helibrás. Em relação ao Gripen, o que acontecerá segundo o meu entendimento, claro: Existirá uma cadeia de produção que envolverá empresas como a IMBRA, AKAER, SAAB, que produzirão e montarão partes da estrutura e sistemas do Gripen E. Esses componentes por fim serão enviados para Gavião Peixoto para integração, montagem final, testes e entrega dos caças para a FAB. E sinceramente… Read more »