Home Asas Rotativas FAB vai receber, provisoriamente, simulador CBTS do AH-2 na Rússia

FAB vai receber, provisoriamente, simulador CBTS do AH-2 na Rússia

376
16

AH-12 Sabre - foto 2 P Rezende - FAB

Saiu no Diário Oficial da União (DOU)publicado nesta quinta-feira, 24 de outubro, que uma comitiva da FAB (Força Aérea Brasileira) viajará no dia 3 de novembro para São Petersburgo, na Rússia, para participar do recebimento provisório do simulador CBTS do helicóptero de ataque AH-2 Sabre (Mi-35M).

A comitiva da chamada “Missão EXTRA-PLAMTAX/COMGAP/2013”, formada por quatro oficiais da FAB (um capitão e três tenentes), deverá permanecer na Rússia por 50 dias.

Clique aqui para acessar a página no DOU com o texto original.

FOTO: FAB

Subscribe
Notify of
guest
16 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Antonio M
Antonio M
6 anos atrás

Seria a chegada de um simulador (emprestado ainda por cima) depois de algum tempo operando o helicóptero, devido ao processo de compra não ter contemplado a aquisição de um?!?!?

Marcos
Marcos
6 anos atrás

Antonio

Aqui é Banânia. A coisa vai assim.
Lembro do Antonov An-225, na antiga URSS, onde a aeronave começou a ser construída e o Hangar ainda não estava pronto.

Baschera
Baschera
6 anos atrás

Talvez seja por dizem que voar neste helicóptero é apenas umas cinco vezes mais caro e oneroso do que o fabricante russo havia dito e informado.

Isto que as grandes revisões ainda não se fizeram necessárias…..

Sds.

Justin Case
Justin Case
6 anos atrás

Olá Nunão.

Computer Based Training System é a definição usual para o acrônimo CBTS.
Difícil é saber o que está no pacote que compramos.
Pode começar de um manual em meio eletrônico; pode incluir alguma interatividade apenas no computador (e-learning); pode ter algum dispositivo visual (telas) e de comando (joysticks).
Para ser chamado de simulador, provavelmente inclui uma cabine e a possibilidade de treinar procedimentos normais e de emergência, com visualização e talvez movimento.
Vale a pena investigar para avaliar o que nós adquirimos.
Abraço,

Justin

Grifo
Grifo
6 anos atrás

Senhores, se não me engano o CBT é uma ferramenta interativa para auxiliar no treinamento *teórico* no equipamento, usando PCs comuns. Talvez neste caso contenha a simulação de alguns procedimentos, mas em geral não substitui um simulador completo para o treinamento prático.

Imagino que a delegação da FAB vai a Rússia verificar a localização deste software para português e para as peculiaridades da FAB.

Marcos
Marcos
6 anos atrás

Ai começam a entrar custos adicionais na coisa toda: traduções para o português.

Wagner
Wagner
6 anos atrás

O uso excessivo de simulador pode viciar um piloto a ponto de enganá-lo quando estiver voando de verdade ??

Ou seja, o cara treina no simulador e sabe que por pior que faça ” nao da nada” , ele nao vai explodir.

Será que isso poderia vicia-lo a subestimar o perigo quando em vôo real ??

Com a palavra, os entendidos…

🙂

Justin Case
Justin Case
6 anos atrás

Boa noite, Wagner. Muito interessante sua pergunta. Na minha opinião, com muito treinamento um piloto pode ter sua autoconfiança aumentada exageradamente, a ponto de imaginar que pode resolver qualquer pane ou problema. Acontece que nem tudo pode ser previsto em simulação e as condições reais nem sempre será semelhante às de treinamento. Apesar disso, o simulador é indispensável, pois permite viver situações que nem sempre podem ser treinadas em voo, por segurança ou por condições operacionais. Para o treinamento de procedimentos normais ou operacionais (emprego de mísseis, por exemplo) o simulador também é importantíssimo, pois pode reduzir muito os custos… Read more »

Justin Case
Justin Case
6 anos atrás

…, e as condições reais nem sempre serão…

Baschera
Baschera
6 anos atrás

Fernando “Nunão” De Martini 24 de outubro de 2013 at 16:45 # Nunão, Não sou contra o uso do simulador não…. ao contrário, acho que deve ser usado sempre que possível e sempre que se faça necessário para simular situações que de outra maneira poderiam colocar os pilotos e/ou a aeronave em risco, além de economizar uma “baba” em recursos financeiros e de horas de vôo da máquina. Meu comentário foi em prol do uso do simulador para economizar $$$$ mesmo, além de como já disse, poupar as aeronaves de horas de voo para aqueles “voos” mais simples, .. que… Read more »

Mayuan
Mayuan
6 anos atrás

Como seria bom ver o EB substituindo os Esquilinhos e Panteras adaptados para ataque por esse helicóptero.

juarezmartinez
juarezmartinez
6 anos atrás

Foi oferecido na época mas o comandante do Bavex declinou, parece,que tinha almoçado a pouco tempo……

Grande abraço.

Penguin
Penguin
6 anos atrás

Na Revista Veja desse fim de semana (27/10):

Devido ao deficiente serviço de pós-venda, apenas 6 Su-30V dos 24 adquiridos estão em condições de voo. Falta peças para os demais. As peças levam 2 anos para ser entregues.

Com relação aos helicópteros comprados pela Venezuela da Rússia, 6 já caíram por falta de manutenção nos últimos anos. E que metade da frota restante está impedida de voar por problemas técnicos.

E segundo um major-brigadeiro da FAB, a falta de peças já compromete a segurança de alguns equipamentos do Mi-35.

A ver…

Mayuan
Mayuan
6 anos atrás

Penguin: Até onde sei a FAB forma militares em logística então, se as peças russas demoram a chegar, que estudem os cronogramas de manutenção, levantem quais são as necessárias para a adequada manutenção e peçam com antecedência. Se a Russia mesmo assim demorar pra entregar, diz pra eles que na próxima vez em que vierem oferecer Sukhoi que tragam peças de Mi-35 junto ou darão com a cara na porta. Não querem vender? Tem que nos agradar então. Já passou da hora das FAs pararem com a postura igual daquela música: “com a bunda na janela pra passar a mão… Read more »