USAF envia aviões C-27J Spartan novos ao AMARG

    747
    18

    135th_Airlift_Squadron_C-27J_Spartan

    Uma dúzia de aviões C-27J Spartan foi enviada diretamente para o armazenamento na Base Davis-Monthan da Força Aérea em Tucson, Arizona. A aeronave – que pode decolar e pousar em pistas irregulares – foi considerada um luxo que o Pentágono não pode pagar

    A Força Aérea dos EUA está colocando os novos aviões de carga diretamente para armazenamento no deserto do Arizona, porque não tem utilidade para eles – e ainda estão à espera de mais, de acordo com um relatório.

    Uma dúzia de novos C- 27J Spartan foram enviados para uma instalação de armazenamento na Base da Força Aérea Davis-Monthan, em Tucson, Arizona, conhecido como “cemitério de aviões”, e cinco que ainda estão em construção provavelmente vão acabar lá também, relatou o Dayton Daily News.

    “Eles estão muito perto da conclusão para a rescisão ser rentável”, disse o porta-voz da Força Aérea Darryl Mayer, ao jornal de Ohio.

    Os militares vão tentar pensar em outros usos para os aviões enquanto eles estão no complexo do deserto, que tem outros aviões militares e veículos da NASA cujos valores somados são superiores a US$ 35 bilhões, cerca de 4.400 aviões e 13 naves espaciais, de acordo com a Fox News.

    Os C- 27J Spartan podem decolar e pousar em pistas difíceis, mas o programa foi considerado um luxo, pois o Pentágono já não pode pagar depois dos cortes no orçamento, de acordo com Ethan Rosenkranz, analista de segurança nacional para o Projeto de Supervisão do Governo (Project on Government Oversight).

    “Quando eles começam a descartar esses programas, é um desperdício “, disse o especialista ao jornal de Ohio.

    A empresa aeroespacial italiana Alenia Aermacchi foi inicialmente contratada para construir os aviões por US$ 2 bilhões, mas esse número foi diminuído.

    Desde 2007, os militares teriam gasto 567 milhões dólares em 21 aviões C-27J Spartan, mas apenas 16 foram entregues e a maioria está indo para a Base de Davis-Monthan da Força Aérea em Tucson, de acordo com o Dayton Daily News.

    Em 2011, sete senadores democratas de Ohio escreveram uma carta apelando aos militares para comprar 42 adicionais C-27J Spartan, dizendo que fazer o contrário seria “enfraquecer a nossa defesa nacional e a pátria”. Mas também sabiam que a missão iria criar 800 postos de trabalho na Base Aérea da Guarda Nacional Mansfield.

    O “cemitério” é oficialmente conhecido como o 309º Aerospace Maintenance and Regeneration Group (AMARG).

    “Os C-27s estão indo para armazenamento tipo 1000, a mais extensa capacidade de preservação da aeronave, disponível no AMARG”, disse o porta-voz da Força Aérea Ann Stefanek ao New York Daily News.

    Stefanek acrescentou que a boa notícia para o contribuinte norte-americano é que outras organizações, como o Serviço Florestal dos EUA e a Guarda Costeira, já manifestaram interesse nos aviões.

    FONTE: www.nydailynews.com (tradução e adaptação do Poder Aéreo a partir do original em inglês)

    Subscribe
    Notify of
    guest
    18 Comentários
    oldest
    newest most voted
    Inline Feedbacks
    View all comments
    Fighting Falcon
    Fighting Falcon
    7 anos atrás

    Esse avião não poderia ser um substituto a contento dos nossos Bufalos?
    Sabemos que o C-105 teve alguns problemas de adaptação ana região principalmente por questão de hélices. Esse ae não supre essa necessidade? Não conheço o projeto dele.
    Botaria os C-105 em CG equipando o 1º/15º Gav e 2º/10º GAV (aumento de dotação)

    juarezmartinez
    juarezmartinez
    7 anos atrás

    Fighting Falcon 11 de outubro de 2013 at 7:35 # Esse avião não poderia ser um substituto a contento dos nossos Bufalos? Com certeza este deveria ter sido o substituo do Bufalo, não o foi por causa do lobby da EADS e da flata de $$$, pois o C 295 era mais barato. Sabemos que o C-105 teve alguns problemas de adaptação ana região principalmente por questão de hélices. Esse ae não supre essa necessidade? O problema com as hélices pé que são de material composta ao contrário das do bufalo, então em determinados aonde o bufalo pousava com barro… Read more »

    Marcos
    Marcos
    7 anos atrás

    Alguns poréns:

    1) O C-27 custa US$50 milhões contra US$25 do C-295;

    2) Os problemas não são só as hélices. O C-295 da FAB teve seria avaria na fuselagem por conta de uma pedra;

    3) De fato, o C-27 é infinitamente melhor.

    Fighting Falcon
    Fighting Falcon
    7 anos atrás

    Obrigado pela informações juarezmartinez e Marcos.

    Juarezmartinez para não “perder” o investimento, por isso fiz a sugestão de CG.
    Como tem com “único problema” o fato da temperatura, manda ele para o sul do país.

    Marcos
    Marcos
    7 anos atrás
    Control
    Control
    7 anos atrás

    Srs Considerando que os C295 não são adequados para operações em pistas rústicas e sofre grandes limitações em ambientes quentes e úmidos, o mais adequado é substituí-los. Se o Spartan é mais robusto, valeria a pena uma verificação, pela FAB, do interesse do Tio Sam em se desfazer deles por um preço camarada e, caso o preço for bom, comprar um esquadrão e revender os C295. Na verdade, tendo em vista que os Buffalos são muito mais robustos e adequados para operar nas missões envolvendo pistas improvisadas e rústicas, o mais certo era fazer um upgrade (revisão estrutural, troca de… Read more »

    ci_pin_ha
    ci_pin_ha
    7 anos atrás

    Há algum tempo surgiu uma notícia de que estavam planejando voltar a produzir os DHC-5, será que não seria uma boa ideia? Podíamos tentar conseguir autorização para monta-los aqui.

    eduardo pereira
    eduardo pereira
    7 anos atrás

    Bem que poderiam dar um grau nos Bufalos e coloca-los pra voar novamente hein!

    Fernando "Nunão" De Martini
    Editor
    7 anos atrás

    Que Buffalos, esses aqui? https://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2011/10/Avi%C3%B5es-C-115-Buffalo-desativados-e-estocados-no-PAMA-SP-foto-Nun%C3%A3o-Poder-A%C3%A9reo.jpg https://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2011/10/Avi%C3%B5es-C-115-Buffalo-desativados-e-estocados-no-PAMA-SP-foto-3-Nun%C3%A3o-Poder-A%C3%A9reo.jpg http://www.aereo.jor.br/2011/10/23/pama-sp-2011-os-buffalos-dagua/ Gente, já faz tempo que desativaram e estocaram os aviões, escolheram um substituto (levando em conta também que as condições da maioria das pistas, assim como os requerimentos, mudaram da década de 60 pra cá), colocaram em operação etc. Já é tarde para voltar atrás e tentar colocar essas aeronaves de novo pra voar. Há uma infinidade de peças que já eram produzidas quase artesanalmente na última década de operação do Buffalo por aqui, e isso só aumentou, e esse tipo de produção é antieconômica na maioria das vezes, ainda mais para um… Read more »

    eduardo pereira
    eduardo pereira
    7 anos atrás

    É Nunao os bichin tao detonadaços mesmo ,triste ,mas é preciso ter um meio que o substitua à altura .

    Mauricio R.
    Mauricio R.
    7 anos atrás

    Pobrezinho, encarou a ira da USAF e perdeu… Mexa no queijo da USAF e vc vai ver o que te acontece. E o US Army, desvalido, continua necessitando dessas aeronaves, pois continua precisando substitur seus cansados C-23 Sherpas e alguns DHC-7 usados em missões especiais. Qnto as mazelas do C-295 no Brasil, bem isso é o que acontece qndo se compra um táxi-aéreo camuflado p/ fazer o serviço de ac de verdade. Apesar do tanto de pista, algumas asfaltadas e/ou de concreto, construídas pela COMARA; na Amazonia e afora. Aliás uma das poucas matérias da RFA, p/ a qual eu… Read more »

    Control
    Control
    7 anos atrás

    Srs As células existentes dos Buffalos estarem no pau da goiaba e a possível recuperação das mesmos custar o olho da cara não há dúvida; mas também é um fato, para quem andou (e voou) pela Amazonia, que a grande quantidade das alegadas pistas tipo primeiro mundo está mais para propaganda que para realidade. A questão é que o território é enorme e a quantidade de pistas pavimentadas é pequena. O Buffalo ou um avião STOL robusto e pau para toda obra faz falta. A FAB errou com sua desativação e substituição por um avião inadequado para atuar nas mesmas… Read more »

    Mauricio R.
    Mauricio R.
    7 anos atrás

    Tem uns caras, lá na África, nto interessados…

    (http://www.flightglobal.com/news/articles/Ghana-seeks-more-C295s-for-UN-duty-391609/)

    …a FAB poderia vender seus C-295 e então comprar as aeronaves corretas, desta vez!!!

    ivanildotavares
    ivanildotavares
    7 anos atrás

    Marcos, Belíssimo vídeo. Eu não sabia que um avião desse tipo (cargueiro) e desse porte pudesse fazer manobras como as que o vídeo apresenta. Achava que somente caças ou aviões pequenos poderiam dar um giro em torno do seu próprio eixo longitudinal. Agora, falando da oportunidade em si, embora os States não os tenha colocados a venda, lembra a oportunidade surgida da desistência de Trinidad y Tobago em relação aos três OPV da Bae System e que a Marinha do Brasil soube muito bem aproveitar arrematado-os com o projeto e tudo. O problema é que o F-X ainda não foi… Read more »

    Mauricio R.
    Mauricio R.
    7 anos atrás

    OFF TOPIC…

    …mas nem tanto!!!

    Afinal qndo a USAF gosta de um avião, a USAF volta e compra mais:

    “…second multi-year procurement deal for 79 C-130J Hercules tactical transports.”

    (http://www.flightglobal.com/news/articles/USAF-planning-to-award-second-C-130J-multi-year-contract-391712/)

    E tem uns e outros que somente pq a Embraer e a Boeing assinaram uma parceria, em termos bem vagos por sinal, a USAF vá sabe se lá pq adquirir o KC-390.

    Alexandre Galante
    Reply to  Mauricio R.
    7 anos atrás

    Mauricio, ninguém acreditava que a USAF iria comprar Super Tucano um dia…rs

    Vader
    7 anos atrás

    C-295? Tuuuuuuuboooooooooo!!! 🙂

    Iväny Junior
    6 anos atrás

    Custo operacional.