terça-feira, outubro 19, 2021

Gripen para o Brasil

Fabricante sueca Saab vende caças Gripen a preços reduzidos

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Demonstrador Gripen F decola de Emmen na Suíça - foto Saab

vinheta-clipping-aereoProfissionais de vendas da empresa de equipamentos militares gostam de exaltar a velocidade supersônica de seus caças, sua capacidade superior de escapar à detecção de radares e a multiplicidade de mísseis que conseguem lançar.

Mas Hakan Buskhe, diretor da sueca Saab, fabricante do único caça produzido fora do grupo de cinco países que são membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU, tem um argumento de vendas menos habitual: o preço dos seus caças.

Buskhe acha que pode igualar receita e despesa se construir 82 caças, 60 para a Suécia e o restante para a Suíça. “Quando a Suécia nos fez uma nova encomenda do Gripen E, muitas pessoas que obviamente entendem dessa área de atuação disseram que precisávamos produzir pelo menos 400 aeronaves para equiparar receita e despesa”, disse Buskhe em entrevista.

“Mas eu disse, se produzirmos esses 82 [encomendados] que temos agora, não haverá motivo para mudarmos nossas metas financeiras [de uma forma] negativa”, afirmou o executivo.

Na maioria dos setores de produção, essa alta relação custo-benefício daria à Saab uma grande vantagem sobre suas concorrentes. Mas na área de equipamentos militares muitas vezes os custos importam menos que o desempenho, o nível de emprego e a política.

Os governos normalmente concordam em desembolsar bilhões a mais para manter grandes projetos em pé. Com exemplo, temos o avião de transporte A400M da Airbus Military, na Europa, e o caça F-35 da Lockheed Martin, nos Estados Unidos.

O setor de equipamentos bélicos sofre em decorrência do ponto de vista de que, “se não é caro, não é bom”, reconheceu Buskhe. Mas ele acredita que essa cultura está mudando em meio ao aperto fiscal em curso no ocidente.

“Acredito que estamos numa mudança total de paradigma na Europa e também, provavelmente, nos Estados Unidos, onde este setor tem de fazer mais por menos”, afirmou o diretor da Saab.

Outros executivos concordam. Na medida em que os compradores de equipamentos militares — mais notadamente o Pentágono — sentiram os cortes de orçamento, eles se tornaram muito mais duros em relação aos contratos, transferindo o risco do investimento e o ônus dos estouros de custos para as contas dos fornecedores.

Isso está obrigando as empresas a se tornarem mais comerciais, uma realidade que, segundo Buskhe, a companhia sueca teve de enfrentar por vários anos, em vista da disposição menos generosa do seu governo .

Ser sueco pode ter ajudado a manter os custos baixos, mas pode dificultar as vendas de produtos de exportação, uma vez que vendas de caças têm tanto a ver com relações políticas e militares quanto as vendas de equipamentos. No entanto, o preço mais baixo praticado pela Saab no fim do ano passado convenceu o governo suíço a optar pelo Gripen.

FONTE: Valor Econômico, via Resenha do EB

VEJA TAMBÉM:

- Advertisement -

15 Comments

Subscribe
Notify of
guest
15 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Baschera

Tsc…tsc…tsccc…. estes suecos…. não sabem que aqui em Puthânfia fazemos menos com mais….. ou melhor, nada com muito.

E aí…. deixam as propostas dos fabricantes virarem pó…. pela terceira ou quarta vez seguida… já me perdi…. afinal, fazem 17 anos que andamos como moscas tontas.

Nada como um pais sério !

Sds.

Marcos

off topic

Agência Espacial brasileira diz que não vai mandar mais astronautas ao espaço!!!

Fighting Falcon

Diferença entre um país que é realmente culturamente amadurecido e desenvolvido com o nosso.
Sem noção querer comparar alguma coisa.
Estamos muitos anos-luz atrás.

joao.filho

O Brasil e o pais do futuro… E sempre o sera!!!

Marcos

Desisti do Gripho depois que a Saab contratou como seu piloto de testes aqui no Brasil um certo sindicalista e Prefeito.

Soldat

Apesar dos pesares ainda tenho esperança que ainda hoje(dia 30) saia o resultado favorável e que seja o GRIPEN….

Sonhar não custa nada rsrs…..

Vader

Soldat disse:
1 de outubro de 2013 às 13:20

Hehehe, Soldat, verifique seu calendário direitinho amigo…

http://www.youtube.com/watch?v=ZwRHIGusjQU

Fernando "Nunão" De Martini

Vader,

Não sei não se acabou. Pode ser que apenas um “round” tenha terminado e ainda se esteja aguardando os próximos.

Um indicativo é que, agora, todos os três concorrentes do F-X2 estão com banners de propaganda no Poder Aéreo. Isso pode indicar que Saab, Dassault e Boeing (mais recente anunciante do site) ainda têm motivos para acreditar na disputa.

Vader

Nossa, nem tinha visto o anúncio da Boeing…

Marcos

Se depois de quase quinze anos, com sistemáticas propostas apresentadas, não decidiram nada, não é agora, depois do fim da validade das mesmas, é que não vão comprar.

Depois o país está fundando: inflação em alta, estagnação, dívida pública explodindo, descontrole de gastos e, finalmente, a cumpanherada efetivando o socialismo bolivariano no Brasil.

Carcará 01

It ain´t over till it´s over…

http://www.youtube.com/watch?v=TmENMZFUU_0

juarezmartinez

Póggio, este negócio provavelmente sai e se sari, sai para o Tio Sam e o SH, porque se os ptralhas resolverem dar uma de galo, vão sentir um cutuco na cloaca da Águia Sam e seus grandes ouvidos e olhos…..

Grande abraço

Baschera

juarezmartinez disse:
1 de outubro de 2013 às 21:31

Então teremos um “revival” a lá SIVAM……

Sds.

Últimas Notícias

FAB realiza enlaces de dados entre aeronaves usando o LINK-BR2 pela primeira vez

Os voos foram realizados durante a execução da Operação Íris, como foi denominada a segunda fase de ensaios de...
- Advertisement -
- Advertisement -