Home Noticiário Internacional China vai produzir 1.200 caças J-10

China vai produzir 1.200 caças J-10

702
23

j-10 (1)

O Chengdu Aircraft Industry Group da China vai produzir um total de 1.200 caças J-10 para a PLAAF enfrentar os caças F-16 sobre o estreito de Taiwan no Pacífico Ocidental, de acordo com o jornal Want Daily.

O jornal Voz da Rússia baseado em Moscou informa que o J-10A emprega o motor turbofan Lyulka-Saturn AL-31FN importado da Rússia por causa das dificuldades de desenvolvimento do motor WS-10 Taihang da China. A mais nova variante J-10B será equipada com o motor Taihang.

Geng Ruguang, vice-presidente sênior da China Aviation Industry Corporation, disse que o desenvolvimento do J-10, do motor Taihang e do míssil ar-ar BVR PL-12 mostra que a China tornou-se a quarta nação no mundo a projetar e produzir seu próprio caça avançado.

Geng disse que o radar “phased array” do J-10B capacita o caça a rastrear seis alvos e engajar quatro simultaneamente. Geng também disse que o sistema de radar do J-10 pode travar nos caças F-16 americanos e nos F-2 japoneses sem dificuldade.

Além disso, o míssil ar-ar PL-12 projetado para o J-10 possui especificações similares ao AIM-120 americano usado nos caças F-16A/B da força aérea de Taiwan.

Taiwan atualmente possui 388 caças, dos quais 145 F-16A/B adquiridos dos Estados Unidos. O desequilíbrio no tamanho das frotas de caça sobre os lados do Estreito de Taiwan é uma questão de grave preocupação para a segurança de Taiwan.

Entre 2014 e 2015, 36 caças J-10B serão fornecidos à Força Aérea do Paquistão sob a designação FC-20.

FONTE: www.wantchinatimes.com /  tradução e adaptação do Poder Aéreo baseado no original em inglês

Subscribe
Notify of
guest
23 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
nunes neto
nunes neto
7 anos atrás

O caça de Israel,nascido na china!ParabénsPLAAF.

Guilherme Poggio
Reply to  nunes neto
7 anos atrás

Prezado nunes neto

Eu diria que ele nasceu em Israel e cresceu na China.

Corsario137
Corsario137
7 anos atrás

A-ha-ha a China vai te pegar!

Tem que tirar o chapéu pros caras. Se o J-20 (bagre) ainda é algo bem tosco, na geração 4 eles já chegaram definitivamente.

Alfredo Araujo
Alfredo Araujo
7 anos atrás

EUA, URSS, Inglaterra, França, Suécia e Japão.

A China é no mínimo, a sétima nação a projetar e construir seu avião de combate. Isso se excluirmos Índia, República Tcheca, Polônia e Itália, que ficaram no nível de LIFTs e aviões de combate mais leves…

Soyuz
Soyuz
7 anos atrás

Ótima lista Alfredo;

Agora proponho afunilarmos ela ainda mais.

Destes (EUA, Rússia, Inglaterra, França, Suécia, Japão e China), quantos possuem capacidade tecnológica E financeira para desenvolver o caça SOZINHO nos dias de hoje.

Considerando a célula, propulsão, eletrônica e armamento?

Augusto
Augusto
7 anos atrás

Se formos levar em consideração capacidades financeira e tecnológica, não deixem a Alemanha de fora.

E comparar Israel com China é desconcertante: o primeiro sua tecnologia com menos de 8 milhões de habitantes. O segundo, com 1,35 bilhões… copia na cara dura e não tem nem um décimo da capacidade tecnológica de Israel.

Não vou colocar o Brasil na comparação para não passar vergonha.

Galeão Cumbica
Galeão Cumbica
7 anos atrás

Sem o EUA nem existiria Israel com pais, fora a ajuda vinda de la!!

sds
GC

Nick
Nick
7 anos atrás

Parabéns aos chineses. 🙂

Agora não vejo a China no nível de EUA e Russia. Mas é claro que chegarão lá dentro de uns 15/20 anos.

Já são capazes de desenvolver projetos autônomos, claro que com alguma inspiração estrangeira (F-35, F-22, LAVI, MIG 1.44, SU-27) mas na próxima geração o design será deles, com certeza. Na parte eletrônica e motores ainda estão atrasados mas eles têm a vontade política ($$$) para tirar essa diferença.

O Brasil poderia estar nesse nível, pelo menos em Design e Montagem, se tivesse a mesma vontade. 🙁

[]’s

Wagner
Wagner
7 anos atrás

Bom, motores russos, grana para a Rússia !

Bem que o Irã podia comprar uns 60 desses, iria ser uma grande ajuda para renovar a IRIAF face ao envelhecimento de seus aviões.

Alfredo Araujo
Alfredo Araujo
7 anos atrás

Soyus…

Usando o filtro que vc propôs, continuam na lista EUA, Rússia, Inglaterra e França.
Só que se nesse “short list” a própria China seria excluída… Eles não possuem a tecnologia dos motores… não inteiramente.
E da forma como os eles usam, e copiam, a tecnologia russa, eu acho injusto separar Israel, Suécia e Japão de uma lista que tem a China…
Israel fez com os Mirage, os transformando em Kfir, o que a China fez, e faz, com os Mig-19, Mig-21 e Su-27, os transformando nos seus J-XXX

Marine
Marine
7 anos atrás

A China hoje possui cerca de 180 J-8, 100 Su-30MKK, 76 Su-27SK, 200 J-10, 140 J-11, 240 Q-5 e 72 JH-7 = 696 avioes taticos + 312 de ataque. Deixando-a claramente na Terceira posicao mundial no quesito de dominion dos ceus.

A possivel adicao de 1.000 J-10 se realmente se concretizar mudaria a balanca nao so contra os demais paises Asiaticos mas ate tambem contra a Russia.

Interessante sera ver se tais planos realmente sairao do papel.

Fabio ASC
Fabio ASC
7 anos atrás

Alfredo e Soyuz, se vcs mantiverem a Inglaterra nesta lista, temos que incluir Alemanha, Itália e Espanha, já desde os Harriers e Tornados, o vetor mais importante do UK é o Typhoon, onde divide os créditos com os demais por mim citados.

A China ainda está longe deles… precisa “aprender” fazer motores.

weber_eng
weber_eng
7 anos atrás

Não é só o projeto do avião que tem origem israelense.
Vejam os mísseis ar-ar nos cabides externos, são os PL-8 – Python 3 israelenses da Rafael ADS, fabricados sob licença na China.

Ivan
Ivan
7 anos atrás

“Destes (EUA, Rússia, Inglaterra, França, Suécia, Japão e China), quantos possuem capacidade tecnológica E financeira para desenvolver o caça SOZINHO nos dias de hoje.” Se aplicarmos este filtro com TOTAL rigor, considerando um caça de 5ª geração, apenas os Estados Unidos da América seria aprovado. França. Até a 4ª geração, com enorme esforço nacional e ainda assim comprando alguns ítens fora (assento ejetável, por exemplo) foi capaz de atual de forma ‘independente’. Mas hoje não tem capacidade financeira para um empreendimento de 5ª geração e, consequentemente, não tem capacidade tecnológica, pois não há nenhum projeto nesta linha. Inglaterra. Desde o… Read more »

Ivan
Ivan
7 anos atrás

Marine, O normal é ver apenas o antagonismo entre a China e os Estados Unidos, com seus aliado próximos: Austrália, Coreia do Sul e Japão. Mas há dois grandes antagonistas ao poderoso Dragão Vermelho. O primeiro é óbvio e já combateram nas fronteiras altas e frias. A Índia, com quem os chineses disputaram, disputam e disputarão as águas doces do Himalaia e as águas salgadas do Índico. O segundo, menos óbvio, é a Rússia. Hoje parceiro, compartilhando alguns interesses contra os Yankees, tem uma fortíssima fonte de tensão nas fronteiras pouco povoadas da Rússia asiática com a populosa China. O… Read more »

Marine
Marine
7 anos atrás

Ivan, Concordo. apesar de todos os avancos chineses, eles (sabido por eles mesmos) estao cercados por possiveis oponentes. Com a razao certa e no tempo certo (Ataque a Taiwan, conflito nos gargalos maritimos como Malaca e South China Sea, Himalaia) a China poderia ver-se contrapondo poderes aereos dos EUA, Japao, Coreia do Sul, Taiwan, India e outros paises do Sudeste Asiatico. Ou seja, a China teria que contrapor algumas das mais numerosas forcas aereas e marinhas do mundo. Hoje isso ainda e muito feijao pro prato dela. So o Japao, Coreia do Sul e Taiwan tem tantos avioes taticos quanto… Read more »

André Sávio Craveiro Bueno
André Sávio Craveiro Bueno
7 anos atrás

Lembrando a questão de que possuir não significa operar. Se em nosso caso o problema primário seria o de dispor de orçamento para horas de voo suficientes para o adestramento, no caso chinês, penso eu, o “operar” seria o de estabelecer uma doutrina suficientemente capaz de impor um desafio aos oponentes. Se bem que, com uma quantidade grande de aeronaves, poderiam infestar o céu e subjulgar qualquer tática.

Marine
Marine
7 anos atrás

Andre,

Com certeza o numero dessas aeronaves em operacao, o numero de “sorties” que uma Forca Aerea e capaz de realizer diariamente e sustentavelmente, e a qualidade do treinamento sao questoes chaves.

Mas para nos que aqui nao temos acesso a esse nivel de informacao fica apenas o numero total de aeronaves para podermos fazer comparacoes brutas.

SF!

Control
Control
7 anos atrás

Srs A China tem uma cultura e visão de império, e trabalha com planejamento de longo prazo. Pelo enfoque que ela está dando para a expansão da marinha, seus planos envolvem uma capacidade de intervenção global similar a do Tio Sam. Que ela está longe dos norte americanos, é certo, mas a execução de seus planos segue consistentemente e sua marinha deve atingir um porte próxima da US Navy em 20 anos ou 30 anos. Um aspecto a se destacar, é que a China é o único país que parece estar levando a sério os alertas dos cientistas sobre o… Read more »

DrCockroach
DrCockroach
7 anos atrás

Quanto a capacidade tecnologica: os EUA gastam (ou investem) em pesquisas com defesa metade de todo o orcamento de R&D:

http://www.aaas.org/spp/rd/Hist/Function.jpg

jah outros paises eh cerca de 90% p/ pesquisa em desenvolvimento nao militar, e 10% p/ area militar.

Alguns numeros (Science and Engineering Indicators):

– Alemanha: 94.3% (nao defesa); 5.7% (defesa);
– UE: 90.4 (nao defesa); 9.6% (defesa)
– Franca: 71% (nao defesa); 29% (defesa)
– Corea do Sul: 83% (nao defesa); 17% (defesa);
– China: dados nao disponiveis.

[]s!

tiagobap
tiagobap
7 anos atrás

Isso que é escala…

Fighting Falcon
Fighting Falcon
7 anos atrás

Pode não ser a última palavra em aeronave de caça, mas se o Brasil que tanto diz ser isso e aquilo tivesse 10% do que vão fabricar já seria uma potência regional com tantos caças comuns.
10 esquadrões espalhados pelo país, fora os demais caças em operação.
Tanto falam dos ching lings, mas a inveja aflora neste momento.

Vader
7 anos atrás

Pode ser ching-ling e soltar pecinha, mas acho esse LAVI chinês lindo.