Home Aviação de Caça Voar um Gripen na África do Sul custa US$ 13.245 por hora

Voar um Gripen na África do Sul custa US$ 13.245 por hora

913
51

SAAF Gripen (6406 Photo Frans Dely).jpg

 –

Informação foi dada por brigadeiro da SAAF na Comissão de Aquisições de Armas do Parlamento Sul-Africano – o oficial também disse que os caças Gripen não estão armazenados

O litro de combustível custa apenas 11 randes (ou US$ 1,08), mas são necessários 135.400 randes (US$ 13.245) por hora para manter um jato de combate Gripen no ar. Os jatos de treinamento Hawk custam um pouco menos, algo em torno de 82.900 randes (US$ 8.110) por hora de voo.

Estas informações foram divulgadas pelo brigadeiro John Bayne na Comissão de Aquisições de Armas na terça-feira. Bayne é o diretor de sistemas de combate para a Força Aérea da África do Sul (SAAF), responsável ​​pelos sistemas Gripen e Hawk.

Bayne disse que os “custos secos” (sem combustível) para um Gripen são de 104.600 randes por hora de voo (US$ 10.232,00) e combustível custa 30.800 randes (US$ 3.013), dando um “custo molhado” total de 135.400 randes. Os Hawk voam a um “custo seco” de R67.500 (US$ 6.603), com custos de combustível de R15 400 (US$1.506) e um custo total de 82.900 randes (US$ 8.110).

A SAAF comprou 26 caças Gripen e 24 Hawk em negócio formalizado em 1999, que a Comissão está a investigar. “Até o momento os Hawks voaram mais de 10.000 horas desde 2005 sem que houvesse um acidente grave e os Gripens cerca de 3.500 desde 2008”, disse Bayne. Ele também disse que houve “alguns pequenos acidentes e incidentes, como em qualquer frota”.

Bayne tocou no assunto controverso se os caças estavam em armazenamento a longo prazo. No início deste ano, a ministra da Defesa, Nosiviwe Mapisa-Nqakula, causou certa confusão dizendo ao Parlamento que 12 dos Gripens estavam em armazenamento de longo prazo porque não havia recursos para voá-los. Em seguida, no mês passado, ela disse ao Parlamento que nenhum dos Gripen ou Hawk foram armazenados.

Bayne disse que a SAAF descobriu que era melhor – e mais barato – não colocar as aeronaves em armazenamento de longo prazo, mesmo que os orçamentos fossem apertados este ano. “Fomos avisados ​​de que esta seria uma tarefa particularmente difícil”.

Bayne disse que a SAAF tinha discutido a questão de armazenamento e manutenção com o fabricante dos aviões, a Saab, no início deste ano depois de inicialmente armazenar 12 Gripens, e, em seguida, estabelecer um processo menos dispendioso. Isso reduziu as horas de manutenção necessárias para o armazenamento e deixou as aeronaves mais disponíveis para o voo.

Gripen da SAAF - foto 2 Denel

“Para estes dois tipos de aeronaves seria muito mais caro e despenderia muito mais manutenção colocá-los em armazenamento de longo prazo”, disse ele. Eles agora trabalham com um programa de manutenção preventiva de rotação que envolve voar o avião de vez em quando. Todos os 26 Gripen são voados e gerenciados desta forma, Bayne acrescentou. Alguns são colocados em “tendas” para retardar o processo de corrosão, enquanto a aeronave está parado.

A SAAF usa um sistema de três camadas para formar ses pilotos de caça. Isto significa que os pilotos começam o treinamento na aeronave Pilatus, em seguida, passam para o Hawk efinalmente os Gripen. O Hawk pode ser usado tanto como um treinador ou como avião de combate.

“A SAAF possui hoje um excelente sistema muito bem balanceado e equipado, com uma formação em três níveis, sendo que o “gap” é maior entre o primeiro e o segundo estágio e relativamente pequeno entre o segundo e o terceiro”, disse Bayne. Ele disse que a taxa de sucesso treinamento é elevada para pilotos, tanto para homens e como mulheres.

Bayne disse que os Hawk e os Gripen têm sido bem utilizadoa de acordo com o ambiente de segurança atual. Ele enfatizou a necessidade de manter os caças como parte da força de dissuasão da SANDF.

FONTE: IOLnews (tradução e edição do Poder Aéreo a partir do original em inglês)

FOTOS: Saab e Denel

NOTA DO EDITOR: para a conversão dos valores de randes em dólares foi utilizada a taxa do Banco Central de ontem (4/9/2013).

VEJA TAMBÉM:

51
Deixe um comentário

avatar
43 Comment threads
8 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
22 Comment authors
NautilusJustin CaseVaderHMS TIRELESSOganza Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
eder albino
Visitante
Member
eder albino

Levando em conta a quantidade de aeronaves pretendida pelo Brasil, os custos seriam bem próximos a esses apresentados pela África do Sul. E lançando por terra os custos apresentados de US$ 4.000. Ou este custo menor se refere aos Gripen voados na suécia.

Nick
Visitante
Member
Nick

É bom verificar se o custo de estocagem (ociosidade) pode estar afetando a hora/vôo dos Gripen.

Existem os contratos de valor fixo, que se divido por menos horas de vôo elevam os custos.

[]’s

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

Esses custos não podem serem projetados no Brasil, seria algo simplório demais, as condições aqui são outras.

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

De qualquer forma, os custos apresentados sobre o Rafale e o F-18, ficaram parecidos com o Gripen, um caça monomotor.
Não estou conseguindo achar para comparar, alguém poderia ajudar?

Acho que o Maurício R. está certo, vamos fazer a comparação no nosso Teatro de Operações.

Fighting Falcon
Visitante
Fighting Falcon

Considerando que são poucas aeronaves o custo acaba sendo mais alto, mas não seria muito diferente por aqui.
Se esse que é teoricamente o mais barato para se voar e operar, imagine então os outros dois!
São três excelentes aeronaves, mas temos que pensar no longo prazo, senão vamos ter um grande elefante branco nos hangares.
Situação semelhante creio se fosse adquirido o SU-3?, que é mais pesado, maior e custo de operação provavelmente muito superior aos três finalistas.

joao.filho
Visitante
joao.filho

Discordo completamente. Aqui seria baratissima a hora de voo, ja que se um dia chegassem Grippens no Brasil virariam rainhas de hangar, gastando menos combustivel que qualquer outro operador mundial.

Galeão Cumbica
Visitante
Galeão Cumbica

O motor deles gastariam o mesmo que o motor se adquirido pela FAB, não acho que o preço do combustível aqui seja muito diferente que la, a U$ 1,08, acho sim que pelo menos os custo fixo de combustível por hora poderiamos considerar o mesmo para uma boa aproximação de custo.

Alguem ai sabe quanto custa o combustivel para estes caças aqui no Brasil, acho que assim seria um bom primeiro passo pra determinar este custo??

sds

GC

phacsantos
Visitante
Member
phacsantos

Ou seja:
US$ 13.245,00 = R$ 31.000,00 (aprox. com dólar a 2,35).
1 Gripen x 150 horas = R$ 4.500.000,00.
120 Gripen x 150 horas = R$ 540.000.000,00.

A FAB não teria meros R$ 540 milhões/ano pra manter seus caças voando?

Clésio Luiz
Visitante
Member
Clésio Luiz

Me lembrei agora do relatório dos custos de aeronaves na Austrália. Lá o custo do Hawk era maior que 10.000 dólares. Estranhei e achei que era uma anomalia, mas agora deu para perceber que o bichinho é caro de operar mesmo. Fica claro então o porque de a nossa FAB tentar seguir a trilha de passar do ST para um caça de primeira linha, já que jatos LIFT tem quase o mesmo custo de um caça de primeira linha. Já os custos do Gripen também não surpreendem. O Super Hornet na Austrália está saindo por quase 25.000 dólares a hora… Read more »

thomas_dw
Visitante
thomas_dw

a SAAF é lider na tecnologia de nao voar, cada Gripen voa 6 horas por ano.

Oganza
Visitante
Oganza

Caros colegas, existe muita diferença entre o querosene de aviação comercial para o de aviação de caça? Quero saber tanto na composição quanto no valor?

Achei esse está matéria no JORNAL DO SENADO de 13/06/2013 que fala do valores de combustíveis para aviação, mas é de aviação comercial, por isso a pergunta no parágrafo de cima.

http://www12.senado.gov.br/jornal/edicoes/2013/06/13/falta-estimulo-a-aviacao-e-navegacao

Oganza
Visitante
Oganza

Acho que para chegarmos a valores mais realistas, temos que saber os preços aqui no Brasil. Esse valor ai de 3 mil dólares de combustível por hora de voo está muuuuito estranho, pois de a cordo com o link do jornal do senado e alguns outros mais antigos, esse valor é equivalente ao preço do galão de combustível nos EU. 1 gal = 3,78 Litros 😮

http://www12.senado.gov.br/noticias/materias/2013/06/12/por-falta-de-divulgacao-copa-do-mundo-pode-atrair-poucos-estrangeiros-afirmam-representantes-do-setor-de-turismo

Gente, eu não consigo crer que um Gripen consuma 4 litros de combustível por hora de voo. Prezados, estou muito confuso.

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Famed Member

Oganza, Não entendi muito bem a sua conta. São 3.000 dólares em combustível por hora e a sua conta, por algum estranho erro de lógica estaria dizendo que 1 galão (pouco menos de 4 litros de combustível) custaria 3.000 dólares, quando seu link diz que custa 3 dólares nos EUA. Não consigo chegar à sua conclusão de que o Gripen consumiria 4 litros de combustível por hora de voo… A conta que eu consigo fazer (baseado em galão a 3 dólares, do seu link) é que 3.000 dólares daria para comprar 1.000 galões, ou 3.780 litros de combustível, a preços… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Famed Member

Sobre o tipo de combustível usado no Gripen, houve um incidente interessante no início da participação do caça no conflito da Líbia.

http://www.aereo.jor.br/2011/04/07/45983/

Blind Man's Bluff
Visitante
Blind Man's Bluff

Se não me engano, aviação civil geralmente utiliza um combustivel padronizado, chamado de Jet A.

Aviação militar utiliza outros tipos de combustíveis, como o JP-8. Me corrijam se eu estiver falando asneira, mas a principal diferença entre os dois combustíveis, civil e militar, são os aditivos que compões suas formulas.

http://en.wikipedia.org/wiki/JP-8

phacsantos
Visitante
Member
phacsantos

Não sei se isso está correto, mas neste link diz:

“The US fuel variety is known as JP5 while the Gripen normally fly using a civil fuel known as Jet A1.”

http://www.thelocal.se/33058/20110407/

Oganza
Visitante
Oganza

Blind Man’s Bluff disse:
5 de setembro de 2013 às 16:56

Vlw Blind… em teoria, não seria errado concluir que os de CAÇA, como o JP-8, acabassem se tornando mais caros, correto?

Agora vem a questão dessa super mega economia de combustível do Gripen, não consigo entender, não bate, ele está praticamente com desempenho de carro popular.

Arredondando grosseiramente, é o mesmo que percorrer uma distância de 800km à 800km/h – Gastando APENAS 4 LITROS.

ESTOU MUITO CONFUSO, devo ter entendido MUITO errado esse post.

Oganza
Visitante
Oganza

phacsantos,

se for isso mesmo, PONTO para a Pulga Alada que nunca deixa de me surpreender. Mas essa MEGA economia, ainda não bate, já até inverti os custos do post, vou fazer contas como os Custos SECOS sendo os MOLHADOS e vise versa.

Sds.

phacsantos
Visitante
Member
phacsantos

Oganza

Foi dito que o Gripen consome US$ 3 MIL dólares/hora
E no link do Senado o custo do galão é de US$ 3 dólares

Logo o Gripen consumiria 1 MIL galões hora

Oganza
Visitante
Oganza

Esquece tudo…

estava usando uma HP-12 financeira que estava configurada para “comer” todas as casas decimais…
hahahaha que vergonha
rsrsrsrskkkkk

Oganza
Visitante
Oganza

é isso mesmo Nunão… estou refazendo as continhas aki com as casas decimais no lugar… as contas estavam certas, rsrsrsrs só faltaram 3 casas decimais… rsrsrs

Oganza
Visitante
Oganza

E Nunão,

com relação aos 4 litros, eles eram o arredondamento grosseiro dos 3,78 litros do galão frente ao meu espanto dos primeiros resultados, e um erro no início levou a uma bola de neve de erros subsequentes. Os 800km/h, é o arredondamento, tb grosseiro de 450 nós que seriam 833km/h…

Enfim… uma LAMBANÇA só. rsrsrs

Grande abraço a todos.

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Famed Member

Sim, Oganza, perfeitamente entendido e compreendido…

G-LOC
Visitante
G-LOC

A conta também me parece coerente com um valor anterior de 4.500 por hora. Seria o custo direto com o custo total (direto e indireto) custando o triplo (13 mil).

wenerassis
Visitante
wenerassis

Eles tem 3 camadas para treinamento, muito bom, embora eles mesmos deixam a entender que prefeririam ter 4. Enquanto aqui na terra da banana o cara sai do tucano direto pros F5 ou A1 sem ter uma aeronave de treinamento adequada como antes tinham os xavantes, isto é fora de noção. Até quando nossas forças armadas viverão esse perrengue ?

Gilberto Rezende
Visitante
Member
Gilberto Rezende

Donde se conclui que o tal do custo de hora de voo MUUUITO mais baixo do Gripen é o que sempre se disse FOLCLORE SUECO. A MAIOR parte a SECA corre por 10.000 dólares e como tem UM motor custa pouco mais de 3.232 dólares. Se o Gripen tivesse 2 motores gastaria mais 3.012 dólares. Neste caso os dados do Super Hornet PARECEM indicar que de alguma forma os dois motores trabalhando conjuntamente “custam” ligeiramente menos para um custo de 15.000 dólares… E segundo este link: http://www.stratpost.com/gripen-operational-cost-lowest-of-all-western-fighters-janes O custo do Rafale de 16.500 dólares é apenas míseros 254 dólares acima… Read more »

Baschera
Visitante
Member
Baschera

Ora, lembrando que (valores aproximados) em discussões anteriores o custo da hora de voo de um F-5EM da FAB (bi-turbina) estava na casa dos Us$ 10 mil e pico e foi também dito que um F-16 da USAF (mono-turbina) tinha um custo na casa dos Us$ 16 mil e pico… o valor da Hora de Voo do Gripen C/D (mono-turbina) está no intermediário….. mas aproximadamente 50% acima do que a FAB está “acostumada” a gastar com os vetores de sua aviação de caça. Na pindaíba orçamentária que a força convive…. eu acho que seria um razoável impacto orçamentário. Nem falar… Read more »

Baschera
Visitante
Member
Baschera

Errata: onde se le “50%” leia-se 25%…. a metade, portanto.

Sds.

Gilberto Rezende
Visitante
Member
Gilberto Rezende

Maldita matemática… Donde se conclui que o tal do custo de hora de voo MUUUITO mais baixo do Gripen é o que sempre se disse FOLCLORE SUECO. A MAIOR parte a SECA corre por 10.232 dólares e como tem UM motor custa 3.013 dólares de combustível. Se o Gripen tivesse 2 motores gastaria mais 6.026 dólares. Neste caso os dados do Super Hornet PARECEM indicar que de alguma forma os dois motores trabalhando conjuntamente “custam proporcionalmente” 912 dólares a menos para um custo de 15.346 dólares pelo GAO na info do Poggio… E segundo este link: http://www.stratpost.com/gripen-operational-cost-lowest-of-all-western-fighters-janes O custo do… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Famed Member

Gilberto, Acho que temos que tentar ser coerentes nas comparações. O custo de 15.000 dólares a hora de voo do Super Hornet você pegou de uma fonte, enquanto o de 16.500 do Rafale você pegou de outra fonte que diz que o do Super Hornet seria de 11.000 dólares (valores da USN, pois para Austrália seria bem maior para essa mesma fonte) e o do Gripen de 4.700 dólares (que eu acho bem irreal, diga-se de passagem). Se a fonte do Super Hornet a 11.000 estiver errada e a fonte de 15.000 correta (assim como a do Gripen estiver errada… Read more »

HMS TIRELESS
Visitante
Member
HMS TIRELESS

Não trolla Gilberto! Evidentemente que o custo da hora de vôo do Gripen encontra-se nesse valor em virtude da realidade local. Evidentemente que na Suécia o custo da hora de vôo é bem mais baixo. E se na França o custo da hora de vôo da tua amada jaca é de 16.500 doletas,seria bem mais caro aqui caso houvesse o terrível equívoco de escolhê-lo.

Oganza
Visitante
Oganza

Eu acho que é ponto pacífico no MUNDO INTEIRO que os custos de fabricação e hora voo dos 3 concorrentes do FX-2 é, do menor para o maior: 1 – Gripen: é o mais barato (ao menos o C/D, o E/F ainda é uma incógnita) e é o que talvez possua a maior percentual de componentes COTS, contribuindo em parte por seu “baixo” custo de fabricação e operação. 2 – F-18 E/F: é o segundo mais barato e o que possui a maior escala industrial e uma boa taxa de componentes COTS tb. Ambas as características contribuindo para a sua… Read more »

HMS TIRELESS
Visitante
Member
HMS TIRELESS

Perfeito Nunão! Oganza, mesmo que a venda p a India se concretize não haverá redução nos custos para nós em virtude da exigência de uma linha de montagem local.

Oganza
Visitante
Oganza

HMS TIRELESS

Exatamente, foi o que eu disse rs – “Pessoalmente acho difícil que isso aconteça”– pois não só acarretaria em problema semelhante ao do EF-2000 como no caso dos componentes do F-35 fabricados no Japão para a sua encomenda de Lightnings, que aparentemente serão 50% mais caros justamente por não gerar escala.

Cada vez mais acho a formula israelense a mais bem sucedidas de todas. – Compra-se o bolo e o recheio é colocado em casa, com direito a cobertura de chocolate caseiro e cerejinha no topo. rsrsrs

HMS TIRELESS
Visitante
Member
HMS TIRELESS

Oganza:
Acho que a própria FAB já percebeu que para o nosso país a fórmula israelense é a melhor. Não é à toa que tem investido pesadamente no sentido de expandir e solidificar a base industrial local. Bem diferente da Marinha e sua megalomania. Como resultado estão construindo uma base de submarinos imensa, um estaleiro igualmente grandioso e um sub nuclear mas possuem escoltas desdentadas, obsoletas e encostadas no porto.

Oganza
Visitante
Oganza

HMS TIRELESS, desejo do fundo do meu ser que vc tenha toda razão quanto a FAB. O mais interessante desse processo é que a FAB se beneficiou, principalmente dos ganhos tecnológicos, com a PRIVATIZAÇÃO da Embraer e sua expansão para uma se tornar uma indústria global com a FAB colada no vácuo colhendo os frutos. Meus PARABÉNS a ela. Já a MB ainda vai tentar beneficiar-se da nossa revitalização da indústria naval, mas já vimos como isso está sendo feito… ai MEU DEUS, até navio lançado torto já tivemos e a não ser que eu esteja muito enganado, aquela BASE/ESTALEIRO… Read more »

Vader
Visitante
Member

Meus caros, o Gripen voa com JetA1. Qualquer comparação de custo de hora vôo de outros caças com ele é estapafúrdia.

Vader
Visitante
Member

PS: o Super Hornet poderá no futuro voar com etanol. Para um país que é um dos maiores produtores de tal produto no mundo, isso também possui consequências estratégicas imensas.

G-LOC
Visitante
G-LOC

13 mil dolares para levar uma bomba x a uma distância y é diferente de levar 2 bombas x a mesma distância y. O custo-benefício é que é o conceito técnico usado. O custo de operação também é um dos itens do custo total. O pessoal que torce pro Gripen gosta de mostrar só o lado bom da hora de voo.

Vader
Visitante
Member

Guilherme Poggio disse: 6 de setembro de 2013 às 13:18 “Qualquer jato militar voa com JETA1” Poggio, se não me engano tanto o Rafale quanto o Super Hornet não voam JetA1, mas sim o JP-5, que por motivos de segurança (operações a bordo) possui um ponto de ignição mais alto e, principalmente, um CUSTO mais alto. Aliás a USAF hoje usa praticamente só o JP8, que é um JetA1 com anticongelantes, anticorrosivos e aditivos diversos. O JP-4 foi quase que totalmente substituído. São todos similares entre si, com as diferenças específicas. Mas o Gripen salvo engano voa com o JetA1… Read more »

Vader
Visitante
Member

Guilherme Poggio disse: 6 de setembro de 2013 às 14:35 Eita Poggio, que coisa rapaz, acho que estamos falando de coisas diferentes, rs… Que as aeronaves citadas PODEM voar com JetA1 não tenho dúvidas. Aliás, e isso é bom lembrar prum povinho aí que acha que aeronave de combate é bibelô: aeronaves de combate são coisas RÚSTICAS, que apesar de toda a tecnologia são feitas para operar sob as condições mais adversas, inclusive no que toca ao combustível. Turbofans e particularmente turbinas (em especial) são conceitualmente mais simples que um motor a pistão, e ao menos em teoria aceitam praticamente… Read more »

phacsantos
Visitante
Member
phacsantos

Sobre combustíveis de aviação, gostaria de indicar um artigo da Chevron: “Aviation Fuels Technical Review”

https://www.cgabusinessdesk.com/document/aviation_tech_review.pdf

É bem abrangente

Justin Case
Visitante
Member
Justin Case

Muito bom, phacsantos!
Abraço,

Justin

Nautilus
Visitante
Nautilus

Srs. vocês estão fazendo uma tremenda confusão. Vamos aos fatos: 1) O Gripen usa JetA1 como combustível como qualquer jato ou turboélice usa. 2) O brigadeiro sul-africano afirmou que o Gripen lá gasta pouco mais de US$ 3.000 por hora de voo, somente em combustível e que o resto do custo seria de “custos secos” 3) Os suecos dizem que o custo da hora de voo do Gripen na Suécia é de US$ 4.700,00. Ninguém está mentindo ou enrolando ninguém. Se vocês repararam esse “custo seco” a que o Brigadeiro se referiu é o custo para manter toda a estrutura… Read more »