sexta-feira, janeiro 21, 2022

Gripen para o Brasil

‘Saldão do deserto’: última grande leva foi em 2010, com F-16 ‘Block’ 30/32

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

F-16 no AMARG - foto afbase
Parte dos caças F-16C Block 30 que foram retirados das unidades de linha de frente em 2010 e agora estão no AMARG

vinheta-exclusivoConforme noticiado aqui na semana passada, uma fonte do blog Poder Aéreo havia informado que um grupo de militares do Comando da Aeronáutica deveria ir para os Estados Unidos para avaliar células estocadas de caças F-16 no deserto do Arizona (ver matéria nos links abaixo).

E ainda segundo a fonte, a busca seria por modelos das versões C/D Block 40/42. No entanto, conforme levantamento feito pelo Poder Aéreo, a USAF ainda não se desfez dos seus F-16 Block 40/42, que foram continuamente modernizados desde o início deste século (ver matéria publicada aqui, recentemente, nos link abaixo).

A mais recente leva de caças F-16 que deixou as unidades da USAF/ANG/”Air Force Reserve” e seguiu para o deserto do Arizona (Base Aérea de Davis-Monthan que hospeda o 309th Aerospace Maintenance and Regeneration) ocorreu ao longo do ano de 2010. Ela era composta principalmente de caças Block 30/32 (além de modelos mais antigos – Block 25) cuja construção foi autorizada nos anos fiscais de 1985 e 1986, portanto são aeronaves com mais de 25 anos, sendo que passaram os últimos três no deserto.

Pelos dados levantados, 99 caças F-16C Block 30/32 monopostos foram enviados para o deserto do Arizona no ano de 2010 (alguns deles aparecem na imagem acima), mas somente duas unidades do modelo biposto foram identificadas no AMARG. Estas aeronaves fazem parte de uma redução da força de caças da USAF anunciadas no início do ano de 2010. Naquela época, a ideia era retirar de serviço 250 caças entre abril e setembro de 2010, sendo que 113 seriam F-16C. Esta redução foi noticiada aqui, por nós do Poder Aéreo e rendeu uma longa discussão. Vale a pena reler os comentários daquela época e comprara com a situação atual.

VEJA TAMBÉM:

- Advertisement -

11 Comments

Subscribe
Notify of
guest
11 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
asbueno

Deixando de lado a montanha de “SE” e criando uma “situação ideal”, juntemo-nos a Indonésia e Filipinas, criemos uma especificação única de upgrade e contratemos o serviço em um mesmo lugar para baratear a reforma.

Oganza

asbueno disse:
4 de setembro de 2013 às 11:05

“especificação única” – Mesmo que fosse possível (Filipinas e Indonésia não se bicam), arrumemos as malas para Israel, acho que ninguém tem mais experiência em recauchutar F-16 no mundo, devem saber mais coisas nesse sentido até do que a LM rsrsrs.

Mas eu pergunto: Dentro de uma “situação ideal”, dá pra fazer muita coisa com os Blocks 30/32 disponíveis para uma operação no mínimo decente ($) por uns 15 anos?

Sds

Nick

Será que o Block 30 é conversível para o padrão “Viper” (Block60)?

[]’s

Oganza

Nick disse:
4 de setembro de 2013 às 11:52

Eu acho que dá para aproveitar o canopy.

nos Links do VEJA TAMBÉM em “As atualizações dos F-16 da USAF” sugere que não, ao menos nessa galáxia. 🙁

Fernando "Nunão" De Martini

Nick, Até mesmo os radares e outros sistemas voltados para modernizações são diferentes dos aplicados ao “Block 60”, e isso não é à toa: busca-se equipamentos otimizados para mais fácil aplicação nos blocks mais antigos, que não têm várias das melhorias introduzidas do 50/52 pra frente e que, por isso mesmo, têm potencial de crescimento mais limitado. Questão de custo-benefício, em grande parte, e de oferecer algo viável para o mercado de modernizações, seja para os clientes internos (USAF e ANG) quanto externos. Daí o desenvolvimento dos dois modelos de radares AESA voltados a modernizações, um da Raytheon e outro… Read more »

Fighting Falcon

É,
Para usar até 2025 uns 36 Block 30 modernizados seriam de bom tamanho, se for por mais tempo devido as modernizações e demais itens os Block 40… seriam a melhor opção.
Pelo andar da carruagem não deve vir nenhum.
Afinal, os EUA são nossos “inimigos” e coisa e tal.
Se não vem SH, esses também não, já que o fornecedor é o mesmo.

Oganza

Vlw Poggio,
apesar de ficar com o pé atrás com essa possibilidade. Mas enfim.

Mauricio R.

Prá quem voa F-5, tá de mto bom tamanho, lembrando ainda, que os F-16 de Taiwan são Block 20, e vão ganhar o mesmo radar AESA do update da USAF.

Últimas Notícias

Argentina também negocia a compra de caças F-16 da Dinamarca

Segundo o site argentino Pucara.org, as Forças Aéreas da Argentina e da Colômbia estão analisando ofertas para aeronaves Lockheed...
- Advertisement -
- Advertisement -