Home Indústria Aeronáutica Embraer fabrica peças em Portugal e traz para o Brasil

Embraer fabrica peças em Portugal e traz para o Brasil

512
14

Linha de produção Legacy 500 - foto Embraer

Com a queda da competitividade brasileira, a Embraer está fabricando peças de aviões em Portugal e exportando para o Brasil

vinheta-clipping-aereoNas duas fábricas que a empresa tem em Évora estão sendo montados componentes para a cauda e as asas dos jatos Legacy 500. As peças são mandadas por navio para o Brasil e aí entram na montagem final do avião. No início de 2014, as fábricas da União Europeia passam a fabricar também componentes para o KC 390, o avião militar que a Embraer vai produzir, segundo João Taborda, diretor de relações externas da Embraer Europa.

“Isso demonstra que o Brasil não perdeu competitividade apenas para a China, mas também para países europeus”, diz Antônio Corrêa de Lacerda, professor de Economia Política da PUC-SP. “Fabricar em outros países está relacionado à lógica de se integrar a cadeias globais de fornecimento, mas, se o custo não compensasse, não fariam isso.” Segundo Lacerda, todos os indicadores de competitividade no Brasil -carga tributária, logística, custo de mão de obra- pioraram, e a questão cambial se agravou.

“Agora, com a desvalorização cambial, a situação pode melhorar; se o real permanecer em um patamar mais desvalorizado, a Embraer terá de rever sua estratégia.” Segundo a Embraer, não foi a “lógica de custos” que motivou a instalação das fábricas em Portugal.

As fábricas fazem parte de uma estratégia global da empresa -e, no caso de Portugal, a oferta de mão de obra qualificada e o sistema tributário transparente foram fatores que pesaram muito.

A Embraer tem outras fábricas no exterior, nos Estados Unidos e na China, mas lá a produção é voltada primordialmente para o mercado daqueles países, e não para exportação para o Brasil. “Chegamos à conclusão de que valia a pena fabricar aqui, também do ponto de vista dos custos”, disse.

Segundo ele, Portugal tem diversas vantagens comparativas: excesso de mão de obra, com muitos técnicos altamente qualificados e engenheiros; governo empenhado em desenvolvimento industrial e a base tecnológica na Europa. “Mas a questão de base é a necessidade da Embraer de ser globalizada.”

Tecnologia

Évora - foto via MSN notícias PortugalSegundo a empresa, a função das fábricas de Évora é estimular desenvolvimento tecnológico em duas áreas muito específicas, passando a fazer dentro da Embraer atividades que antes eram realizadas em fornecedores. A Embraer não quis entrar em detalhes sobre a diferença de custos para fabricar no Brasil e na União Europeia.

“A Embraer não disponibiliza detalhes sobre custos. E analisar essa decisão estritamente em termos de custos induz a um erro de leitura, porque não foi essa a diretriz determinante para a instalação das unidades. É preciso considerar que a parceria é estratégica, e não uma simples alocação em razão de custos de produção ou logística, conquanto estes também tenham sido analisados e, naturalmente, precisavam ser competitivos para não inviabilizar o investimento.”

O investimento total da Embraer foi de € 177 milhões, incluindo empréstimo do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional. A empresa também assumiu o controle, em 2005, da Ogma, estatal portuguesa, e lá se concentra a manutenção de aeronaves.

As fábricas em Évora ainda estão em implantação. Começaram a produzir em novembro de 2012. Segundo Luis Afonso Lima, diretor-presidente da Sobeet, é possível que, diante da crise europeia, a fábrica de Portugal pode estar enfrentando baixa demanda na região, por isso a Embraer teve de direcionar as vendas para o Brasil.

FONTE: Folha de São Paulo (reportagem de Patrícia Campos Mello), via Notimp

FOTOS: Embraer e MSN

COLABOROU: “asbueno”

VEJA TAMBÉM:

14
Deixe um comentário

avatar
14 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
10 Comment authors
Mauricio R.MarcosHMS TIRELESSAntonio MMax Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
HMS TIRELESS
Visitante
Member
HMS TIRELESS

Qual o espanto meus caros? A EMBRAER é uma empresa privada e, portanto, precisa distribuir lucro aos acionistas. E nesse sentido precisa se manter competitiva oferecendo ao mercado produtos com preços competitivos. Se a incomPTência do governo faz o Brasil perder competitividade a empresa não tem nada a ver com isso e tampouco deve sacrificar seus lucros por nacionalismo chinfrim.

Joner
Visitante
Joner

Acredito que o motivo seja a baixa demanda Europeia, esta mais para não deixar a fabrica parada!

Soyuz
Visitante
Member
Soyuz

A Bombardier terceiriza muito de sua produção para o solo mexicano. Item a Cessna que também faz, montando inclusive todo um modelo de LSA em solo chinês. Como empresas dos EUA, como a antiga Douglas (hoje Boeing) ou Sikorsky fazem inclusive terceirizando no passado com a própria Embraer. E a lista segue se pesquisarmos melhor. O que chama a atenção, minha em especial é que países como México, China, índia ou o próprio Brasil em passado relativamente recente eram vistos como lugares de baixo custo de mão de obra ideais para terceirização de parte do complexo produtivo de países de… Read more »

Marcos
Visitante
Member
Marcos

A Embraer transferiu toda (ou em parte) a produção de materiais compostos para a fábrica de Évora.

Nesse primeiro momento a Embraer é única cliente dessa unidade.

O Objetivo é, em segundo momento, passar a produzir e comercializar estruturas em materiais compostos para outros fabricantes na Europa.

Vader
Visitante
Member

Nada de novo.

A indústria brasileira responde pela menor parcela do PIB desde o governo de Juscelino Kubitsckek de Oliveira (1955)!

É a famosa desindustrialização do PT. A propósito:

http://www.planobrazil.com/peso-da-industria-na-economia-brasileira-volta-ao-nivel-de-1955/

Joner
Visitante
Joner

Infelizmente, somos um país de commodities, desde sempre uma economia doce movida pela cana-de-açúcar.

Marcos
Visitante
Member
Marcos

off topic

Interessante e raro vídeo com o desenvolvimento, montagem e primeiro voo do Pulqui I:

youtube.com/watch?v=8TuhgUaypIE

Roberto F Santana
Visitante
Roberto F Santana

Excelente dica Marcos.

Gilberto Rezende
Visitante
Member
Gilberto Rezende

Eu já comentei sobre esta VERGONHA HIPÓCRITA CAPITALISTA da Embraer em Évora. O custo de produção das peças em Évora é certamente maior que no Brasil , entretanto é compensado pelos pesados subsídios oferecidos pela União Européia para a instalação das unidades em Portugal. O problema AQUI não é comercial e ÉTICO pois se a Embraer é uma empresa privada isto não é ABSOLUTO pois além do seu passado estatal ela AINDA preserva a especialidade da participação do governo federal como acionista e inclusive com sua Golden Share que não foi usada no seu poder de veto neste caso. Além… Read more »

Max
Visitante
Max

Se eu não me engano muitas das peças dos aviões da Embraer são fabricadas por países europeus como Alemanha e Espanha entre outros.
Eu postei anos atrás um link onde se mostrava a origem dos componentes do Tucano, até o pneu era fabricado na Europa.
Acho que em Portugal se faz uma pré-montagem de componentes de outros países que chegavam aqui totalmente desmontados.
Se não for isso gostaria de saber que peças Portugal fabrica e não simplesmente monta.

Antonio M
Visitante
Member
Antonio M

Gilberto Rezende disse: 1 de setembro de 2013 às 22:20 Qual tecnologia exatamente é essa que nos foi roubada pela privatização? A Embraer desenvolveu muita coisa mas se não fosse pelos convênios para fabricar o Xavante e partes do F5 (soldagem metal-metal por exemplo) o que teria criado ? E se os outros fabricantes se recusassem a compartilhar as tecnologias que absorveu? É justamente essa mentalidade que vem emperrando a economia e provocando a desindustrialização acentuada que acaba sendo o “capitalismo BNDES” prejudicial sim mas, que também é provocado pelo governo que não afrouxa as rédeas para que haja mais… Read more »

HMS TIRELESS
Visitante
Member
HMS TIRELESS

Gilberto Rezende disse: 1 de setembro de 2013 às 22:20 Como de costume você continua o mesmo arauto do passado e do atraso Giba! A diversificação na fabricação de componentes é uma tendência mundial na indústria aeronáutica que, buscando tornar-se mais competitiva procura adotar os mesmo métodos produtivos da indústria automobilística. Alguém aqui já colocou o exemplo da fuselagem traseira do Global Express, que é feita no México, embora o jato continue a ser produzido no Canadá. Grande parte dos componentes do 787 é feita no Japão e o jato continua sendo produzido nos EUA, tanto que até uma nova… Read more »

Marcos
Visitante
Member
Marcos

Pois é!!!

E o que pensam os portugueses sobre a Embraer:

Que essa empresa veio explorar o trabalho dos patrícios. Que o governo português subsidia fortemente essa empresa estrangeira. Que essa empresa, que trabalha com grandes margens de lucro, em dois ou três anos estará levando de volta tudo o que investiu por aqui.

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

Falta de política industrial dá nisso.