Home Noticiário Internacional As futuras armas do T-50 (PAK FA)

As futuras armas do T-50 (PAK FA)

776
16

T-50 PAK FA - foto Sukhoi via RIA Novosti

Bill Sweetman

O T-50 em exposição no MAKS é mais manso do que algumas pessoas esperavam. Apesar das declarações dos líderes políticos e da indústria, eu suspeito que o caça não vai estar operacional por alguns anos ainda, a não ser sob a forma de um pequeno esquadrão de teste, porque o que a indústria russa propôs a fazer é difícil, sob qualquer perspectiva.

Algumas das pistas para o desenvolvimento do caça também sugerem que o T-50 não irá constituir uma força de combate completa por um longo período de tempo, se é que isso vai realmente acontecer. A Tactical Missiles Corporation apresentou um robusto programa de desenvolvimento de armas convencionais para o Su- 35S .

Indícios de uma nova geração de armas para o T-50 não foram vistos e é provável que quando ele entrar em serviço será com versões refinadas de sistemas existentes. Curiosamente, o mais próximo de uma arma totalmente nova para o T -50 ( medida ) é uma versão altamente modificada de um míssil anti-radar existente, o Kh 58UShE com aletas dobráveis.

Kh-58UShE - foto Aviationweek

O Kh- 58UShE é muito diferente das versões anteriores. Ele é ligeiramente mais curto e tem orientação inercial de meio curso, além de um buscador de amplo espectro. Os Kh-58 anteriores eram equipados com diferentes buscadores para diferentes alvos.

O próximo eventual candidato para a baia de armas do T- 50 é o míssil de longo alcance RVV -BD, que é uma versão modernizada do Vympel R- 37 e foi originalmente projetado para o MiG- 31M Foxhound -B, mas nunca colocado em produção. Ao contrário do R-37, ele foi projetado para ser transportado externamente, conforme vídeos e documentos aqui mostrados com Su- 35S. No entanto, as suas dimensões externas totais estão próximas do Kh-58UShE . Parece provável, portanto, que a baia frontal de armas do T -50 foi desenhada para o projeto de baixo risco do RVV -BD, com o Kh-58 sendo modificado para o mesmo propósito.

Isso tudo é interessante, para dizer o mínimo, porque desde o início dos projetos furtivos nos EUA um princípio orientador tem sido o uso da baixa observabilidade para chegar perto o suficiente e utilizar armas de curto alcance e baixo custo. E aqui vemos os russos equipando seu primeiro caça furtivo com um com um míssil anti-radiação de 1400 libras e alcance de 245 km voando a velocidade de até Mach 4, e um míssil ar-ar de 1125 quilos na faixa de 200 km de alcance.

FONTE: Aviation Week (tradução e edição do Poder Aéreo a partir do original em inglês)

Subscribe
Notify of
guest
16 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
6 anos atrás

O que Bill Sweetman quis dizer tem clareza meridiana ou seja, os russos estão ainda bem atrás em furtividade. Não é senão por isso que estão recheando o T-50 de armas de longo alcance.

Fighting Falcon
Fighting Falcon
6 anos atrás

Armas com grande capacidade. Será que são realmente efetivas do ponto de vista de atualização e acerto no caso das armas ar-ar? Fico pensando um com 170 km de alcance, no “No Zone” será que é preciso? Vamos supor que esteja a uns 100 km de distância no disparo, a aeronave alvo executa manobras de evasão indo no mesmo sentido do missil, ele terá capacidade de alcance, mesmo voando duas vezes mais rápido que o alvo? Situação hipotética: aeronave alvo voando a 1.700km/h, missil a 4.896 km/h a 100 km de distância teoricamente o alvo será atingido depois de 73s,… Read more »

Joner
Joner
6 anos atrás

Eu imagino que para um disparo desses Falcon, o agressor precisa do elemento surpresa, disparando a 100 Km do alvo, sem o alvo saber disso, e o alerta soar quando o míssil estiver a uns 30 Km do alvo, ai até o piloto parar de fazer o que estava fazendo e tomar uma atitude defensiva, o míssil torna-se muito perigoso. E “ca entre nós”, aquelas imagens de filmes em que os pilotos fogem de misseis, não acredito que exista, pois a hora que o alerta RWR soar, ele vai pensar nos filhos, na mulher, ao invés de manobrar, vai é… Read more »

Blind Man's Bluff
Blind Man's Bluff
6 anos atrás

Pelo que eu entendu, o autor não falou muito sobre furtividade e sim sobre capacidades. Os russos sempre deram preferencia aos armamentos de longo alcance, pois, ao contrario dos americanos, que possuem uma enorme capacidade de projeção de força através de seus inúmeros porta-aviões, os russos possuem um mar que está boa parte do ano congelado. Nessa baia frontal, eu até arrisco dizer que, antes dos dois mísseis citados pelo autor, o objetivo é equipa-lo com algum míssil ar-terra/mar nuclear. Vejo esse avião para a Russia, como o Rafale é para a França: Um caça multifunção, para quem não pode… Read more »

Joner
Joner
6 anos atrás

Não vejo a hora de haver imagens da Sukhoi com o T-50 abrindo as baias, disparando, e principalmete, acertando alvos!

Quanto a furtividade do T-50, concordo, não devem ter atingido o padrão do F-22 ou mesmo do F-35, mas estão atras apenas dos USA!
E como já disseram, isso não é demerito algum, pois gastam uma fração dos U$ que os USA vem gastando!

Nick
Nick
6 anos atrás

Não entendi bem o que o Bill Sweetman quis dizer.

Na prática é claro que as armas do SU-50 Firefox serão os mesmos do SU-35S, ou versão evoluídas dos mesmos. E com claras vantagens em termos de lançamentos, à semelhança com o que ocorre entre um F-22 e um F-15 usando o mesmo AIM-120 C7.

E é claro que um 1º esquadrão será um esquadrão de desenvolvimento, da mesma forma que ocorre com os F-35. Agora com relação aos prazos acredito que 2020 seria um prazo razoável.

[]’s

Wagner
Wagner
6 anos atrás

Original em ingles patrocinado por : Movimento anti-comunista norte americano, Raytheon e Lockeed Martin. Patrocínio especial : Partido Republicano.

joao.filho
joao.filho
6 anos atrás

Wagner, faltou isso:

Brought to you by:

The John Birch Society.

joseboscojr
joseboscojr
6 anos atrás

A arma básica do avião é a “bomba” graças a uma característica básica, o avião está lá em cima e o alvo aqui em baixo e a gravidade juntando os dois. Asas e motores são “atarraxados” nelas porque cada vez mais fica mais difícil o avião se aproximar do alvo a ponto de poder lançá-la devido à existência da artilharia antiaérea. Na medida que existem aviões furtivos, a velha, boa e barata bomba de ferro volta à ordem do dia, mesmo porque ela é a síntese da furtividade, pois sequer tem um propulsor que possa denunciá-la. Quanto a armas a… Read more »

Groo
Groo
6 anos atrás

O alcance do AIM-120 também está sendo aumentado, chegam a falar de um alcance de 180 Km para a versão D.

Além disso, há previsão de bombas planadoras para o F-22 e F-35 e mísseis ar-terra para F-35.

Mayuan
Mayuan
6 anos atrás

Concordo que o objetivo do longo alcance das armas propostas para o T50 seja compensar suas deficiências de furtividade frente a adversários como o F22 e F35. Parece lógico o raciocínio. Só não entendo em que ele possuir a capacidade de carregar armas grandes e pesadas vai impedir que, em outro cenário, talvez outro tempo (quando tiver sua furtividade melhorada) ele não possa carregar armas menores para operar à semelhança do que fazem os furtivos americanos, ou seja, aproximando-se ao máximo antes de disparar. Não quero dizer com isso que seja melhor ou mesmo igual ao já consolidado F22 ou… Read more »

Gilberto Rezende
Gilberto Rezende
6 anos atrás

Recadinho ao Abílio Doceiro.

Seu comentário maldoso ao T-50 se replica igualmente aos vetores americanos F-22 e F-35 que igualmente entrar~]ao em serviço usando armas feitas para os caças de 4,5 geração e em alguns caso como no F-22 sequer podem usar as armas mais capazes das aeronaves de 4,5 geração…

Pelo menos o T-50 tem um míssil anti-radiação só dele…

Ivan
Ivan
6 anos atrás

Desde o final de janeiro de 2010 venho alertando que PAK-FA deve ser visto como um sistema de armas que atuará dentro da doutrina russa e terá como um dos alvos prioritários a infraestrutura aérea que o ocidente costuma por no ar para viabilizar sua campanha aérea. Partindo de posições protejidas, um escudo imaginário formado pela IADS russa com SAM móveis de diversos alcances sobrepostos, os futuros Sukhois furtivos realizariam ataques ar-ar contra aeronaves AWACS, AEW, J-Stars, outras de guerra eletrônica, REVO e até mesmo os airlift que abastecem a linha de frente. Discutimos muito se o Perspektivny Aviatsionny Kompleks… Read more »

Gilberto Rezende
Gilberto Rezende
6 anos atrás

Ivan Ivanovich Goratchim !!!

O mutante de duas cabeças russo-siberiano com a paracapacidade de detonador nuclear dos átomos de carbono e calcio ???

P.S. Demais mortais, esta é só para quem conhece a série de sci-fi alemão Perry Rhodan…

Ivan
Ivan
6 anos atrás

Gilberto,

добрый день

Conheço e tenho mais de 600 (seiscentos) pockts books da coleção, comprados em sebos por onde passei. Pois é, mania que herdei (com orgulho) do meu pai, a origem do Ivanovich… he he he.

Mas hoje meu ‘perfil’ (seção transversal abdominal) está mais para Reginald Bell, com apetite semelhante.

Em tempo, não tenho nada de russo, apenas a admiração pela tenacidade daquele povo e beleza das mulheres russas em terras tão agrestes.

Приветствия,
Ivan Ivanovich. 🙂

Gilberto Rezende
Gilberto Rezende
6 anos atrás

Ivan no momento estou RE-lendo a série num e-reader Kindle DX especialmente adquirido para este fim. Minha coleção ocupava um vasto espaço e minha malvada (porém sábia) segunda esposa gaúcha aproveitou uma das minhas viagens e doou para a biblioteca do Sesi minha coleção do Perry Rhodan. Para meu infortúnio quando fui a biblioteca quase um mês depois da doação para pedir meus livros de volta explicando que quem doara não era dona dos livros fui surpreendido pelo choro da bibliotecária que pedindo desculpas prometeu devolver minha coleção mas que eu teria que esperar um pouco e me mostrou uma… Read more »