quinta-feira, outubro 6, 2022

Gripen para o Brasil

Graças aos russos, contrato suíço do Gripen já não é fundamental para suecos

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Gripen F demonstrador - foto Departamento de Defesa da Suíça

Opinião é de articulista de jornal suíço: com recentes ‘ataques simulados’ de aviões russos à Suécia, cresceu apoio sueco à nova geração do Gripen e contrato suíço deixou de ser fundamental para o futuro do caça, levando Suécia a exigir 1 bilhão em pagamentos antecipados

A curiosa relação de causas e efeitos é uma análise do articulista Xavier Alonso para o jornal suíço “24 heures”, com o sugestivo título de “Quando a Rússia ameaça a Suécia, quem perde é a Suíça”. Apesar de ataques simulados de aeronaves russas à Suécia não serem novidade, e terem ocorrido nos últimos meses tanto quanto ao longo de décadas, um dado mais recente apareceu para a mídia suíça: uma exigência de pagamento de 1 bilhão de francos suíços antes da entrega da primeira aeronave à Força Aérea Suíça, prevista para 2018.

O articulista acredita que a opinião pública (e as forças políticas) da Suécia têm se mostrado mais favoráveis a um aumento nos gastos militares, devido aos incidentes com aeronaves russas, o que estaria por trás da Suécia se mostrar mais dura nas negociações de contrato do Gripen com a Suíça.

Em março, a Rússia simulou ataques a bases suecas. Hoje o governo sueco estaria mais forte em relação às negociações do contrato do Gripen com os suíços (trata-se de um acordo governo a governo) e estaria exigindo um depósito antecipado de um bilhão de francos suíços (cerca de 1,08 bilhão de dólares), o que corresponde a 40% do contrato. Os dois eventos aparentemente não relacionados estariam conectados, segundo Alonso.

No último ano, a compra de 22 caças Gripen pela Suíça vinha sendo descrita como a última chance para a Saab sueca, pois o Governo da Suécia se mostrava relutante em seguir sozinho nessa aventura industrial, condicionando seu apoio à nova versão (E) do caça da Saab à conclusão de um acordo de exportação, com um parceiro forte. A Suíça, assim, era vista como a salvação da empresa.

Gripen F em Emmen - foto Depto de Defesa da Suíça

Naquele contexto, os suecos não hesitaram em oferecer um preço fixo para as aeronaves e assumir total responsabilidade pelos custos industriais e tecnológicos. Porém, a situação mudou dramaticamente nos últimos meses. Após diversos incidentes com aeronaves russas baseadas em Kaliningrado, do outro lado do Mar Báltico, tanto os partidos de esquerda quanto de direita da Suécia querem um esforço na área de defesa.

Tudo indica que a Suécia investirá pesadamente à ameaça da Rússia de Putin e, no meio político, se fala em tornar o país o maior poder militar da Escandinávia. Nesse novo contexto, o contrato suíço que há poucos meses era questão de vida ou morte para a indústria aeronáutica sueca tornou-se apenas “desejável”. A Suécia deu várias garantias à Suíça, mas considera, segundo o articulista, que a Suíça não é mais um parceiro essencial ou indispensável.

FONTE: 24 heures (tradução e edição do Poder Aéreo a partir de original em francês)

FOTOS: Departamento de Defesa da Suíça

VEJA TAMBÉM:

- Advertisement -

20 Comments

Subscribe
Notify of
guest

20 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Joner

Se demorarem mais para fechar esse negócio, vão ficar iguais a nós, logo a SAAB aumenta o valor do caça, pois se a Suécia fazer pedidos do NG, a Suiça vai ficar a ver navios, pois a preferência sempre vai ser dos suécos!

Fabio ASC

É, pelo jeito não são apenas usamericanusbandidus nem osfrancesesfedorentos que pensam, com toda razão, mais neles mesmos do que nos “parceiros” aliados.

Não tem bobo nesse negócio de Defesa e Tecnologia de ponta.

Oganza

Fabio ASC disse:
28 de agosto de 2013 às 14:38

“Não tem bobo nesse negócio de Defesa e Tecnologia de ponta.”

Pura verdade. “Palavras são vento”. Quem se ater à elas e apenas à elas, sempre fará parte do lado perdedor.

No mais, precisamos de um vizinho chato igual aos russos, bem que o Maduro podia fazer uns voos sobre Roraima né? Rapidinho o FX-2 saia.

Joner

Oganza, Raraima talvez ainda não, mas cruzar com o jato presidencial brasileiro em uma viagem da Dilma por aquelas bandas seria interessante!
Imagina a cara da Dilma com uns 3 SU-30 na janela!!!!!!!!!kkkkkkkk

Oganza

pode crer Joner. kkkkkk o pior é que os Su-30 é pouco menor que o Aerolula e 3 brincando perto dele… rs a boca da Gerenta vai entortar de raiva e babar de pavor kkkk

Wagner

O Putin fez um favor a indústria sueca.

Se é que não seja acordo secreto.

Não duvidem se aparecer ” empresa sueca tal construirá fábrica na Rússia” daqui a uns meses…

Fighting Falcon

E a Rússia está renascendo agora após constantes crises, vai demorar a fazer medo a defesa da Suécia.

Joner

Fighting Falcon,

Alguns dias atras eu li que a força aérea da russa tem 200 SU-27, sem mensionar os outros meios, não acredito que eles precisem renascer para fazer medo a que for que seja!!!
Ai vai alguns MIG 25,29,31…….
Há… SU-30, 35, logo logo MIG 29SM, MIG 35 ….
A Suécia se não estou enganado, não tem cem Gripens!

Mauricio R.

Exceto pelo T-50, as demais compras russas de aeronaves militares, não somente caças; tem sido bem fraquinhas…
Negócios pouco maiores que o nosso malsinado F-X 2, mas nem de perto semelhantes ao MMRCA.
E se eu bem me lembro, metade dos JAS-39 produzidos p/ a Suécia, está estocada.
A uns 2 anos faltavam reformar p/ a versão C/D, somente 31 células de JAS-39A/B.

Gilberto Rezende

Tem boi na linha na Suíça…

Como para um negócio QUASE fechado a SAAB exige um pagamento ANTECIPADO a entrega da primeira aeronave de 40% do preço total da compra quando que aqui no incerto FX-2 brasileiro se propaga aos quatro ventos que a proposta sueca é tão BOA que o Brasil só começaria a pagar depois da entrega do último caça ???

Ou os suíços vão fazer papel de otários ou os suecos são uns mentirosos nas promessas no FX-2…

HMS TIRELESS

Não perca seu tempo Nunão! Codo de costume o Sr. Gilberto Rezende expele ___________ contra os outros licitantes do FX-2 no intuito de descontar a frustração de quem sabe que o Rafale está em uma situação péssima no certame, especialmente pelo fato de, conforme tudo o que foi noticiado, o vetor francês ser apenas e tão somente a escolha política do Estadista de Sindicato.

COMENTÁRIO EDITADO. SEJA CORTÊS COM OS DEMAIS PARTICIPANTES.

Nick

E viva a Russia! 🙂

[]’s

Fighting Falcon

Joner,
Realmente possuem uma força aérea com aeronaves incriveis, mas estão com condições $$ para operar?
Essa é minha dúvida quanto a “botar medo” nos vizinhos.

Joner

Fighting Falcon,

Por se tratar da Russia, nunca se tem informações realmente confiaveis, mas o inventário é muito grande, e se tem alguém que sabe operar e manter aqueles equipamentos, são eles. Se tem alguém com satelites para comunicações e espionagem entre esses dois países, novamente são os russos, e vamos usar uma taxa ocidental de disponibilidade, e que esses S-27 estejam na pior das hipoteses com 120 ou 130 jatos em alerta, É MUITA COISA!

Joner

E francamente, novamente sem falar nos outros meios, entre um esquadrão de S-27 antigos e um esquadrão dos Gripens da Suécia, existem misseis russos para lançamentos a 170 Km……., será que daria para a suécia, e se o combate chegasse a ser aproximado, ferrou para a suécia, pois são os Flanker’s, sendo que nesta hipotética hipótese, existiriam mais 10 esquadrões russos esperando o resultado da batalha!!!

Repito, nesta hipotética hipótese, sou mais a Russia, e sem duvidas!
Há,….. Depois viriam os TU-160 sobrevoar a Suécia, mas dessa vez com missão de verdade!!!

Fighting Falcon

Joner,
Concordo, mas discordo kkkk.
Os russos possuem aeronaves excepcionais, misseis excelentes (não sei se já estão operacionais os R-77M), mas duas coisas temos que levar em consideração no hipotético combate:
– menor RCS do Gripen (vantagem na parte de detecção); e
– a NCW sueca é muito avançada.
Principalmente pelo último item na guerra aérea atual, isso pode ser um fator decisivo considerando uma força atacante equilibrada (50 x 50 aeronaves, por exemplo), sem considerar misseis balisticos e coisa e tal.
Acho que não seria tão fácil assim.

Joner

Pois é Falcon, tem algumas coisas estranhas, por exemplo, a Russia no ultimo conflito na Georgia, usava Su-25, não vi nehum SU-27 ou MIG-29 atuando, muito menos os modernos SU-30/35.
Usaram meios baratos por que o oponente era fraco? Creio que sim!
Mas no caso dos Gripens como oponente, creio que iria a “nata” da força aérea!
E duvido que algum Gripen ousaria invadir o espaço aéreo russo, caso conseguisem passar pelos Flanker’s!

Wagner

Joner

Os Su 27 fizeram escolta aérea em algumas ocasiões, mas simplesmente não eram necessários. Os mig 29 tambem estavam na área, um deles abateu um uav georgiano dias antes do conflito.

Senhores

A Suécia é magnífica, mas jamais teria recursos para resistir a uma guerra convencional contra a Rússia.

E isso jamais acontecerá. O que ocorrem são apenas exercícios russos, e estes não estão preocupados com a Suécia, mas sim na proteção de Kaliningrado.

E de fato, os Gripen mal teriam alcance para atacar São Petersburgo…

Últimas Notícias

Caças F-35A da Coreia do Sul operacionalmente despreparados 234 vezes em um período de 18 meses

SEUL, 4 de outubro (Yonhap) — Os caças furtivos F-35A da Coreia do Sul foram classificados como operacionalmente despreparados...
Parceiro

LAAD 2023

- Advertisement -
- Advertisement -