quarta-feira, setembro 22, 2021

Gripen para o Brasil

Há 32 anos, F-14s da USN derrubavam dois Su-22 líbios no Golfo de Sidra

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Em agosto de 1981, a VI Frota da Marinha dos EUA fazia manobras no Mediterrâneo Central. Naquela época, o coronel líbio Kadafi fazia ataques particularmente duros contra os EUA e ameaçava atacar os navios americanos que penetrassem no Golfo de Sidra, águas internacionais que a Líbia reivindicava.

O primeiro dia de manobras assistiu a muitas tentativas de aviões líbios intrusos, que foram interceptados e escoltados para fora da área de operações. Foram nada menos que 35 incidentes.

No dia 19 de agosto, dois caças Grumman F-14 Tomcat do esquadrão de caça VF-41 Black Aces, callsigns “Fast Eagle 102” e “Fast Eagle 107”, baseados no navio-aeródromo USS Nimitz, voavam numa PAC em formação de combate, afastados 3.000m um do outro, com o ala voando 2.000m mais alto.

230211_Su-22_Libya

Num dado momento, detectaram dois sinais não identificados no radar. O líder da formação avistou os estranhos a 12km de distância e virou-se imediatamente para interceptá-los.

Pouco depois, a distância entre os aviões americanos e líbios tinha diminuído para perto de 5km, quando os intrusos foram identificados visualmente com segurança como caças-bombardeiros de fabricação soviética Sukhoi Su-22 “Fitter”, da Força Aérea Líbia.

Nos segundos seguintes, os pilotos americanos viram o líder líbio disparar um míssil AA-2  “Atoll”  guiado por infravermelho contra eles. Pelas regras de engajamento, os Sukhoi passaram a ser considerados como hostis e os Tomcat ficaram livres para combater, sem pedir permissão ao comando.

Depois que o líder líbio disparou o míssil, os dois Su-22 partiram em direções diferentes para tentar evitar os F-14. Kleeman, o comandante do elemento, perseguiu o avião da esquerda e seu ala, Muczynski, atacava o da direita.

Enquanto o ala líbio subia e se inclinava para começar a girar, seu líder girava brutalmente para completar 180 graus. Kleeman tinha previsto essa manobra e colocou-se na cauda do Sukhoi, a uma distância de 1.400m, enquanto Muczynski perseguia o líder.

Kleeman travou no alvo e lançou contra ele um míssil AIM-9L Sidewinder, destruindo o Sukhoi. O piloto líbio se ejetou. Muczynski fez o mesmo poucos segundos depois, mas o paraquedas do piloto do avião que ele derrubou não abriu.

O fato de deixar um grande afastamento entre os 2 Tomcat, impediu o inimigo de avistar ambos ao mesmo tempo, contrastando bastante com a formação fechada e taticamente ineficaz dos líbios.

Embora o F-14 não tenha sido projetado para “dogfight”, o treinamento recebido pelos pilotos da Marinha na escola Top Gun os capacitou a superar o inimigo em aeronaves menores e potencialmente mais manobráveis que eles.

F-14-New.17a

VF-41 - RIO Dave Venlet Cmdr Hank Kleeman Ten Muczynski e RIO Jim Anderson

VF-41 – (À esquerda) RIO Dave Venlet, Cmdr Hank Kleeman e (à direita) Ten Muczynski e RIO Jim Anderson.

Fast_Eagle_102

“Fast Eagle 102”, responsável por um dos abates de Su-22 líbios

- Advertisement -

19 Comments

Subscribe
Notify of
guest
19 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ozawa

Da tripulação do Fast Eagle 102, o Cmdr Hank Kleeman acabou falecendo poucos anos depois, em 1985, num acidente durante o pouso com um Legacy Hornet, como instrutor na Fight Weapons School, ou “Top Gun”, e sua esposa processou a Boeing, alegando defeitos no trem de pouso do Legacy, num litígio, ao que parece, ainda sem solução. Já o seu Oficial de Sistemas de Armas, Dave Venlet, hoje Vice-Almirante, é/foi oficial-executivo do projeto F-35C na USN…

Aos entusiastas, já se encontra esgotado em muitas lojas, mas talvez no ebay, ainda seja possível encontrar, são belíssimos:

http://www.flyingmule.com/products/CW-782976

http://www.flyingmule.com/products/CW-782983

eduardo pereira

F-14 THE BEST !!
Pessoal tem um animê japones que se chama “Macross ” é antigo porém existem muitas séries denominadas ovas (oriundas da série original ) vocês precisam ver os caças ( sao F-14 que se transformam em robôs ) muito bacana ,eu tenho todas as séries que consegui deste desenho e caso queiram procurar a mais legal(minha opiniao) se chama MACROSS FRONTIER e na Macross Zero os graficos sao bem impactantes em relaçao à aparencia identica ao Tomcat !!
Sds.

Guizmo

Melhor caça, melhor fight weapon school, melhor Marinha!

Pegando uma frase dos badges do US ARMY: “Mess with the best, die like the rest”

F - 5

Vi um de longe há algumas décadas atrás em Recife, após um pouso de emergência.

A base aérea de Recife vivenciou grandes caças nos anos 80 e 90….

Marcelo Andrade

Menos pessoal, sempre gostei do F-14 mas, tirando o seu super radar AWG-9 e seus mísseis Phoenix AIM-54, ele era lento nas curvas, pergunte ao pessoal da antiga do Senta Pua, o F-5 sempre ficava na cola dele, o pessoal dos Esquadrões Agressor em Miramar, pilotando A-4 e F-5 que o digam. Sem falar dos problemas eternos com os motores TF-30 que se fossem acelerados abruptamente sofriam estol do compressor (no filme Ases Indomáveis é isto que acontece, quando morre o Goose), trocado pelo F110, que possibilitava o F-14 ser catapultado sem o uso de pós-combustor. Mas, sem dúvida, foi… Read more »

Marcelo Andrade

Já ia esquecendo,

não vale colocar fotos e desenho da Coleção “Aviões de Guerra”, hein!! rsrsrsr, Tenho até hoje todos os volumes. De vez em quando eu os folheio com saudades da Guerra Fria!!!

Alexandre Galante

Marcelo Andrade, vale sim! heheh
Justamente pela nostalgia e por falta de mais material sobre o tema na net. Abs!

Fernando "Nunão" De Martini

Fotos interessantes F-5 (aliás, são do seu sucessor na Coreia do Sul…)

Vale a pena uma matéria pra debater a respeito. Já estou fazendo.

F - 5

Se inveja matasse…rs

Soyuz

Os F-14 a 3000m um dos outros e com 2000m de diferença de altitude.
Os Su-22 “colados” um nos outros.
Os Su-22 disparando fora da solução de tiro de um AAM ultrapassado.

Mesmo roteiro seguido nas Malvinas pelos pilotos argentinos e britânicos.

Semelhanças não são meras coincidências.

F - 5

Nunão:

É uma bela aeronave.
Não sei se de alta-performance, mas certamente seria uma bela discussão sobre o caça.
Enquanto lá pelas bandas do oriente já tenho sucessor, por aqui a coisa está séria…

Hamadjr

Então a Republica Islâmica do Iran, ta bem na foto com seus F-14 rsrsrs

juarezmartinez

Vale a pena uma matéria pra debater a respeito. Já estou fazendo. Soyuz disse: 19 de agosto de 2013 às 17:29 Os F-14 a 3000m um dos outros e com 2000m de diferença de altitude. Os Su-22 “colados” um nos outros. Os Su-22 disparando fora da solução de tiro de um AAM ultrapassado. Mesmo roteiro seguido nas Malvinas pelos pilotos argentinos e britânicos. Semelhanças não são meras coincidências. Leia mais (Read More): Há 32 anos, F-14s da USN derrubavam dois Su-22 líbios no Golfo de Sidra | Poder Aéreo – Informação e Discussão sobre Aviação Militar e Civil E o… Read more »

Clésio Luiz

‘Embora o F-14 não tenha sido projetado para “dogfight”…’ Isso é um erro que vem sendo perpetuado ao longo dos anos. Tanto o F-14 quanto o F-15 foram projetados visando o combate aéreo a curta distância, devido as duras lições da Guerra do Vietnam. Tanto é a USN fez questão que ele tivesse canhão interno. O F-14 é superior em dogfight a qualquer caça anterior Mach 2 anterior. Ele voa em círculos ao redor do Phantom e do Mirage III. E poucos caças supersônicos poderiam verdadeiramente tirar o sono de pilotos de Tomcat. A manobra padrão para se livrar do… Read more »

Soyuz

@ Juarez

“E o roteiro seguido por pilotos Chilenos e Brasileiros em uma Salitre, aprendemos a lição também só que 20 anos depois,e após apanhar que nem cachorro dos Tigre III da FACH”

Como ousa falar Juarez que a FAB esta atrás de alguma força aérea sul americana em doutrina 🙂

Abraços

Soyuz

Concordo Clésio

Dizer que o F-14 não é tão bom em combate aproximado como um F-16, F-15, Mig-29, Su-27 que foram projetados deste o início com elevadas taxas de giro e relação empuxo / peso elevadas é uma coisa.

Dizer que o F-14 é ruim em combate aproximado é outra bem diferente. Ele é um compromisso ótimo entre um caça BVR, superioridade aérea e ainda por cima embarcado. Relações difíceis de se harmonizar no projeto.

jairo boppre sobrinho

Srs
Clésio, obrigado pelos conhecimentos – tb o Soyuz – sempre considerei e ainda considero este o mais belo dos caças de todos os tempos – foi admiravel ao seu tempo – mas este tempo passou, infelizmente.
Abraço a todos

Luiz Augusto Azevedo

Quando os F-14 derrubaram os líbios eu estava na California. Lembro que os americanos vibraram. O Tomcat é lindo.

Últimas Notícias

Embraer amplia o Programa Pool com a Cobham, da Austrália

Singapura – 22 de setembro de 2021 - A Embraer anunciou hoje a assinatura de uma extensão e ampliação...
- Advertisement -
- Advertisement -