Home Asas Rotativas Helicóptero Caracal em missão durante inundações no Sul da França

Helicóptero Caracal em missão durante inundações no Sul da França

297
16

Aeronave transportou geradores de eletricidade de 2,5 toneladas de peso, ajudando a restabelecer o fornecimento em localidades afetadas

A Força Aérea Francesa divulgou nota na quinta-feira, 4 de julho, a respeito de missão realizada por helicóptero Caracal do Esquadrão de Helicópteros 1/67 “Pyrénées”, quando das inundações que afetaram o Sul da França no mês passado.

No dia 20 de junho, um helicóptero Caracal daquela unidade, baseada em Cazaux, transportou dois grupos geradores de eletricidade 2,5 toneladas para as localidades de Barèges e Sers, com o objetivo de restabelecer o fornecimento de eletricidade.

O esquadrão vinha mantendo tripulações em alerta 24 horas (ininterrupto) para missões de serviço público desde o dia 18, o que incluia um piloto americano em intercâmbio. Na ocasião do acionamento de 20 de junho, a aeronave realizava um treinamento com esse piloto estrangeiro, quando foi chamada a intervir nas áreas inundadas, juntando-se a um helicóptero Écureuil (Esquilo) que já participava da ajuda às localidades atingidas.

Inondations en région Pyrénées. Soutien des armées à la population sinistrée.

As dificuldades na missão de transportar os geradores consistiam em voos com o rotor do helicóptero no nível dos telhados das casas, pois reconhecimentos já mostravam que o local era um vale profundo, com o agravante das condições meteorológicas de teto baixo. Além disso, a aeronave precisava voar com pouco combustível de forma a transportar, pendurada externamente, uma carga de duas toneladas e meia.

A nota ressaltou, porém, que o Caracal é o único helicóptero em serviço na Força Aérea Francesa capaz de transportar uma carga daquele peso naquelas altitudes da missão. Entre outros pontos positivos, destacou-se a resposta rápida e a oportunidade de treinar o piloto estrangeiro em intercâmbio numa situação real.

FONTE / FOTOS: Força Aérea Francesa (tradução e edição do Poder Aéreo a partir de original em francês)

VEJA TAMBÉM:

16
Deixe um comentário

avatar
14 Comment threads
2 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
11 Comment authors
Marcelo AndradeMauricio R.BascheraCarcará 01Nick Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Daniel (Fighting Falcon)
Visitante
Daniel (Fighting Falcon)

O pessoal critica tanto essa aeronave, mas até hoje não vi ninguém falando quais são seus principais problemas abertamente. Alguém pode me dizer?
Sei que tem melhores opções, mas o que condena ela ser o que é hoje é só pq é uma evolução do Puma e família?

Guilherme Poggio
Editor
Famed Member

Daniel (Fighting Falcon) disse:

até hoje não vi ninguém falando quais são seus principais problemas abertamente.

Prezado Daniel (Fighting Falcon), os problemas foram amplamente divulgados pela mídia e pelo fabricante. Inclusive as medidas paliativas.

Existem várias matérias sobre o tema aqui mesmo no Poder Aéreo. Basta digitar EC725 ou EC225 no campo busca. Abaixo separei uma das mais recentes.

Abrs

Solução interina para os EC225 que operam com restrições

Marcos
Visitante
Member
Marcos

1) O nosso saiu caro, muito caro, mais caro que um B-737. Mais de US$ 60 milhões por unidade. 2) A caixa de transmissão, que transfere potência dos motores para o eixo do rotor principal, está se fragmentado. A única solução, pelo jeito definitiva, é instalar uma luz âmbar no painel avisando que a coisa foi para o brejo. Ainda vou mandar um e-mail para a Eurocopter para incluírem uma mensagem de alerta. Assim, acendeu a luzinha, vem a voz digital: f… f… f… 3) O projeto é antigo, ,lá da década de 60. 4) Ninguém nas FFAA brasileitras pediu… Read more »

thomas_dw
Visitante
thomas_dw

1 – este e’ um helicoptero caro, os primeiros 6 Black Hawk da FAB sairam por US$500m

2 – nao e’ bem assim, ja existe um projeto para corrigir o defeito, este modelo e’ um dos mais populares no mercado civil.

3 – O projeto do UH-60 Black Hawk e’ do fim dos anos 60, voou primeira vez em 1974

4 – O Exercito tinha acabado de comprar 9 Super Puma, vai ganhar mais 15, a FAB com certeza ficou contente em ganhar um helicoptero do padrao do Caracal, a Marinha tambem.

eduardo pereira
Visitante
Member
eduardo pereira

Nao concordo com o preço,claro, mas resolvendo o problema que impede ,por medida de segurança, que a aeronave voe sobre as aguas ,é bem vindo,ja que “temos” que aceitar o que nos enfiam guela a baixo, ao menos esta novo deverá agregar algo à industria nacional.
Melhor 15 Caracois na mao do que trocentos Helis quaisquer voando em se tratando de Brasil e investimentos com as FAs.

Nick
Visitante
Member
Nick

Já estão fazendo o recall gratuito para trocar a MGB???

Se não, menos, bemmmmm menos.

[]’s

Carcará 01
Visitante
Member
Carcará 01

ô bicho feio o tal do Super Frelon viu… Quem entende melhor de helis, pode me explicar: é/foi um bom helicoptero pra sua categoria??

Carcará 01
Visitante
Member
Carcará 01

Outra, tb nao sou fã do Caracal e sou completamente contra a sua compra. Heli perfeito para nos é o BH mesmo, e digo isso pq conheço quem voa a máquina e o cidadão me dz que ele é sensacional!!! Mas que eu saiba, as Makilas não eram problema não, apenas a MGB (isso da parte motriz). É verdade mesmo??Ou é pq as makilas são subdimensionadas pra ele?

Baschera
Visitante
Member
Baschera

Carcará 01,

Os helicópteros AS-332 Super Puma e AS-532 Cougar tem como motorização dois turboeixos Turbomeca Makila 1A1 com 1.877 SHP cada, e tem quatro pás.

O EC-725 Caracal (outros também o nominam EC-725 Super Cougar) tem como motorização a Turbomeca Makila 2A1 com 2.100 SHP cada, mas a caixa rem cinco pás.

O eixo é o mesmo para os dois modelos, porém os motores do EC-725 são mais potentes e tem uma pá a mais para a mesma caixa de transmissão….

Provavelmente está aí o problema….

Fonte: http://www.turbomeca.com.br/_v2/c_empr_prod_maki.php

Sds.

Baschera
Visitante
Member
Baschera

Errata: Onde se le “caixa rem”… leia-se “caixa tem”….

Sds.

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

“…este modelo e’ um dos mais populares no mercado civil.” Mas foi justamente na variante civil que o problema da MGB se manifestou e é esta que está interditada, p/ voos sobre a água na UK e Noruega. “…é/foi um bom helicoptero pra sua categoria??” Contemporâneo do Sea King, o projeto da cabeça do rotor e da fuselagem inferior, tiveram consultoria da Sikorsky. Os israelenses operaram, primeiro trocaram as turbinais originais Turmo pelas T-58 e depois assim que possível, trocaram-no pelo Sea Stallion. Os sul-africanos tb, ao nível do mar era uma máquina e tanto, sobre a savana e em… Read more »

Carcará 01
Visitante
Member
Carcará 01

Obrigado Maurício.

Olhem o acidente quase agora em SFO com um 777:

http://www.ktvu.com/news/news/local/boeing-777-crashes-while-landing-sfo/nYfcx/

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Pessoal,

Favor lerem a matéria sobre a utilização do Caracal no Afeganistão. Não houve qualquer problema com a aeronave que sempre esteve com 90% de disponibilidade. Tirando o calor e a altitude, fato que outros helis tb sofreram, o EC-725 se saiu muito bem. Tb não entendo porque aqui no blog falam tão mal. No valor está inserido não só o preço da aeronave como a transferência de tecnologia e manutenção.

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Delculpem, faltou citar a fonte da matéria. A última revista ASAS, que tem o SU-35 na capa. Há uma matéria sobre a utilização pelo Exércto e Força Aérea Francesa.