Home Aviação Comercial E2: o próximo capítulo dos E-jets da Embraer – vídeo em inglês

E2: o próximo capítulo dos E-jets da Embraer – vídeo em inglês

391
12

Colaborou: Marcos

Subscribe
Notify of
guest
12 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcos
Marcos
7 anos atrás

Quem andou dando aula de aerodinâmica por aqui? Foi o Justin Case?

Pois bem, caro professor, sabemos que a nova asa é necessária por conta de um fan maior. Mas fal: aquela “curva” que a asa faz serve para quê mesmo?

Justin Case
Justin Case
7 anos atrás

Marcos, boa noite. Winglets? Uma das maiores fontes de arrasto em uma aeronave são os vórtices de ponta de asa. Arrasto necessita ser compensado por tração (= consumo de combustível) Além de arrasto, os vórtices causam também turbulência. A principal maneira de diminuir o arrasto de ponta de asa é aumentar o comprimento dela. Mas, em voo de cruzeiro, quando não é tão necessária uma grande sustentação, essa asa mais longa iria aumentar também o arrasto parasita, que aumenta com o quadrado da velocidade. O “winglet” é uma maneira de aumentar o comprimento de asa, diminuindo o arrasto causado pelo… Read more »

Justin Case
Justin Case
7 anos atrás

Aos editores:
Vi alguns erros no meu texto. Existe previsão de voltar a habilitar aquela ferramenta de edição, após enviar mensagem, que funcionou no blog por algum tempo?
Abraços,

Justin

rommelqe
rommelqe
7 anos atrás

Apenas a proposito e aproveitando a deixa do Marcos, recomendo uma literatura muito interessante para aqueles que queiram se aprofundar na tal de camada limite: vide “Boundary-Layer Theory” escrito pelo Dr. Herman Schilichng. Esse é um clássico e pode ser complementado, em termos de aplicação pratica, com a enorme literatura disponível. Também vale a pena distinguir o que são disturbios induzidos por fluxos em geral daqueles fenomenos, em particular, apenas vinculados às camadas limites laminar e turbulenta; cuidado, pois fluxos turbulentos transversais à fuselagem (aí está….) requerem análise mais profunda. Por exemplo, deficiencias no fluxo direcionado às turbinas foi um… Read more »

rommelqe
rommelqe
7 anos atrás

Justin,
Quando postei meu comentário acima ainda não havia visto os seus. Note bem que a nova geração de asas do E2 não possui wing-lets nem shark lets.
Dalhe EMBRAER …parabéns pelo conceito!

Justin Case
Justin Case
7 anos atrás

Bem corrigido, Rommelqe.

Nas imagens da nova geração, existe uma ponta de asa nova, de conceito diferente daquele tradicional de winglet.
Fui no embalo do vídeo e da pergunta do Marcos. Não lembrei que os winglets já existiam para algumas versões anteriores dos E-Jets.
Mas os conceitos relativos aos winglets e vórtices de ponta de asa creio que permanecem válidos.
Valeu,

Justin

rommelqe
rommelqe
7 anos atrás

Justin, Concordo contigo que o conceito dos wing-lets é exatamente como foi por voce explicado. E aí que está a beleza da tecnologia agregada pela EMBRAER nas novas asas dos E2, “dispensando” os wing lets, conforme muito bem instigado pelo proprio Marcos. A nova geometria longitudinal conduz a um carenamento de tripla curvatura das asas, propiciando um efeito aerodinâmico muito similar aos wing-lets; com isso há uma redistribuição/restrição dos fluxos parasitas (ortogonais as seções transversais da asa) compensando/reduzindo as consequentes perdas (não precisa ajustar o fluxo somente nas pontas das asas). Os winglets na realidade , foram uma adaptação adequada… Read more »

Marcos
Marcos
7 anos atrás

Justin: Boa noite! Na verdade não estava me referindo aos winglets. No vídeo, lá pelos 1’30”, aparece a nova asa, vista de frente, onde há uma “ondulação”: a asa não é totalmente reta, como no caso dos atuais E-jets. Era a isso que me referia. Em relação aos winglets: os atuais que equipam os E-jets, são verticais. Nas primeiras imagens divulgadas pela Embraer para os E2, os mesmos tinham inclinação de 45º. Nessa última imagem nota-se que são retas, meio ao estilo dos atuais B-747. Baschera sugeriu que essa nova ponta de asa já seria influência das parcerias com a… Read more »

Marcos
Marcos
7 anos atrás

Não havia lido. Creio que o rommelqe já tirou minha dúvida referente a nova ponta de asa: a tripla curvatura da asa. Grato.

Mas volto a insistir para que olhem o vídeo, lá nos 1’30”.

Marcos
Marcos
7 anos atrás

Falando em aerodinâmica…
Segue interessante vídeo da LM, com dispositivo para controle de “flutter”:

http://www.youtube.com/watch?v=jM1ns11VWS8

Marcos
Marcos
7 anos atrás

Mais: notem que nas concepções futuras de asas, pela Nasa, não há partes móveis. Provavelmente vislumbram o uso de elastômeros.

http://www.youtube.com/watch?v=2NfGBKFBRpQ

rommelqe
rommelqe
7 anos atrás

Marcos, Os dois filmes adicionados são fantásticos. Para aqueles que gostam de aerodinâmica (e hidro também…), vale a pena falarmos um pouco mais a respeito e ligar o filme da EMBRAER com os dois novos que o Marcos postou acima. Dentre as inúmeras formas de vibrações induzidas por fluxos,gostaria de destacar tres: há o “nonstall flutter”, o “stall flutter” e ambos não devem ser confundidos com um tal de “gallapoing”. Aqui vamos apenas nos limitar a velocidades sub-sonicas (se alguem quiser ir mais ale´m também podemos conversar….) O “nonstall flutter” , traduzido para o portugues significa pulsação sem perda de… Read more »