Home Indústria Aeroespacial Assinado acordo para desenvolver treinador italiano M-345 HET

Assinado acordo para desenvolver treinador italiano M-345 HET

307
0

Alenia Aermacchi M-345 HET no Paris Air Show 2013 - foto Alenia Aermacchi

Aeronave é um desenvolvimento do treinador a jato M-345 da Alenia Aermacchi, e visa ser uma solução mais efetiva e barata do que as oferecidas atualmente com propulsão turboélice

bourget-2013-logoA Alenia Aermacchi e o Secretariado Geral de Defesa / Diretório Nacional de Armamentos do Ministério da Defesa da Itália assinaram na terça-feira, 18 de junho, um acordo para definição conjunta das especificações operacionais e colaboração no desenvolvimento de um novo treinador básico / avançado, o M-345 HET (High Efficiency Trainer – treinador de alta eficiência), cuja entrada em serviço é esperada entre 2017 e 2020.

O novo HET será um desenvolvimento do jato de treinamento M-345 jet trainer, a mais recente solução proposta pela Alenia Aermacchi para a fase básica / avançada da instrução de pilotos militares. O sistema aviônico do M-345 HET envolve uma contenção dos custos operacionais e de aquisição, e visa oferecer uma solução mais barata e efetiva no treinamento de pilotos militares, quando comparada às atuais soluções com propulsão turboélice que, apesar de estarem na mesma classe de peso do M-345 HET e possuírem equipamentos embarcados similares, oferecem desempenho e efetividade de treinamento limitados.

O M-345 HET será equipado com um motor turbofan na classe de empuxo de 1.600 kg (3.500 libras) e oferecerá maior persistência e fatores de carga entre +7/-3,5 g. Além disso, terá aviônicos no estado-da-arte, incluindo HUD (visor ao nível dos olhos) no posto frontal (com repetidora no traseiro), telas digitais multifuncionais para os dois painéis, e controles HOTAS (mãos na manete e no manche). O desenvolvimento do projeto visa também garantir um programa de treinamento perfeitamente alinhado com o do jato avançado e pré-operativo M-346, com elevada similaridade entre as cabines que permitirão interoperabilidade em missões de treinamento conjuntas.

Quanto à logística, a manutenção seguirá o conceito de dois níveis, eliminando o terceiro e mais custoso nível de revisão geral da aeronave, apresentando também fácil acesso aos sistemas, além de um sistema de monitoramento do desgaste e “saúde” (HUMS – Health and Usage Monitoring System) fornecendo informações sobre estrutura, motor e condições de cada componente, para simplificar a manutenção. Será introduzido o reabastecimento sob pressão e um sistema embarcado de geração de oxigênio (OBOGS), reduzindo a equipe de operações em terra, reduzindo o intervalo entre os voos.

FONTE / FOTO: Alenia Aermacchi (tradução e edição do Poder Aéreo a partir de original em inglês)

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of