terça-feira, julho 27, 2021

Gripen para o Brasil

F-5BR: doze anos do início do projeto

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

No dia 19 de fevereiro de 2001 pousavam em São José dos Campos os dois primeiros F-5 da FAB que serviriam de protótipos para o projeto F-5BR. As duas aeronaves pertenciam ao 1º/14º GAV, baseado em Canoas, RS. Eram o F-5E FAB 4874 monoposto e o F-5F FAB 4807 biposto.

F-5EM na BASC - festa dos 64 anos do GAVCA - foto Poder Aereo - Galante

- Advertisement -

12 Comments

Subscribe
Notify of
guest
12 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
André

Todos os F-5E e F já foram modernizados para o padrão chamado de BR?

Vader

Não. Faltam os “jordanianos”.

aldoghisolfi

Com todo o respeito à capacidade técnica já comprovada em sucessivas atualizaçõese repontenciamentos e etcetcetc, gostaria de saber se o gabarito técnico inclui os assentos ejetáveis, pois esses pobres vetores já deram o que podiam dar…

Giordani

Não sei se dou os parabéns ou os pêsames… Esse projeto foi um verdadeiro ato de desespero. Ou era isso ou aposentava o Forevis… Dizer, como o godoy regujita na mídia, que o Forevis-M ficou muito bom e rivaliza com os melhores do mundo é uma estupidez! A aviônica dele pode ser boa, mas para quem não tinha aviônica…pô! O F-5M continua dando partida como o F-86! A carga paga continua a mesma, o empuxo continua o mesmo, o giro sustentado continua o mesmo, o limite G continua o mesmo… Que o F-5M ficou bom e é útil, ninguém discute.… Read more »

Mauricio R.

Projeto este que poderia ter sido tocado pela própria FAB, a nível de parque, em parceria c/ a Elbit, mas sem a interferência de quem não manja nada do que seja uma aeronave de caça.
No mais a necessidade de se reformar os F-5, foi consequencia direta das interferênias indevidas no F-X 1, de certa empresa aeronáutica contrariada em seus interesses pela decisão da FAB a época.
E da inoperância da administração FHC, que postergou sua decisão p/ o governo seguinte.
Já a lambança das seguidas adminstrações petralhas, qnto ao tema, bem isto merece um capítulo a parte.

Observador

Como caça “lift” ficou excelente. Mas colocar a defesa aérea sobre os ombros (estreitos) deste caça, é uma temeridade. Hoje em dia a FAB está inferiorizada em relação a alguns de nossos vizinhos, e nem estou falando do Chile, com o qual não temos fronteiras. É o reflexo deste pensamento tacanho de que o Brasil não tem problemas com os seus vizinhos, nem com ninguém, e que o nosso país é o amiguinho de todo mundo. Quando tiver problemas, não haverá meios de defesa eficazes e muito menos tempo para adquirí-los. E esta sempre foi a história no Brasil: não… Read more »

Almeida

Ficou bom, é certo. Mas não é uma plataforma da mesma categoria que outras de 3a geração. O radar Grifo dos F-5M, por exemplo, é moderno mas muito inferior em desempenho ao de um F-16 A/B MLU.

Almeida

Isso sem falar que o AMRAAM e o AMRAAMsky são muito melhores que os Derby.

Giordani

O radar Grifo do Forevis é da mesma categoria do radar Blue Fox que o Sea Harrier usava? Ou é superior?

Marcelo

Almeida disse:
19 de fevereiro de 2013 às 16:28

Acredito que o radar Grifo seja até um pouco melhor que os dos F-16MLU, por ser mais moderno. Mas a plataforma F-16 faz a diferença, além do AMRAAM ser realmente superior em alcance com relação ao Derby.

Mauricio R. pare de forçar a barra…A ELBIT por exemplo, tem experiência com OBOGS?

André

Valeu pelas respostas Vader e Poggio.

Últimas Notícias

Saab entrega segunda seção de fuselagem traseira do T-7A Red Hawk para o programa de teste de voo

A produção e o envio desta seção de fuselagem traseira é o mais recente marco na contribuição da Saab...
- Advertisement -
- Advertisement -