terça-feira, junho 15, 2021

Gripen para o Brasil

Quem voa mais, gasta mais

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Mudança de conceito e na forma de operação dos novos KC-46 permitirá que o mesmo número de aeronaves voe mais. Mas isto significa gastar mais

 

KC-46A

A Força Aérea dos Estados Unidos (USAF) aumentou o número de horas de voo previstas ao longo do ciclo de vida do futuro avião de reabastecimento aéreo KC-46A, bem como o número de tripulantes com o propósito de usar a frota de forma mais eficiente.

Comparado aos KC-135 na época do presidente Eisenhower, o KC-46 foi projetado para ter um consumo de combustível mais eficiente, uma maior capacidade de combustível, carga, passageiros e de evacuação aeromédica, disse o brigadeiro John Thompson, diretor executivo do programa KC-46.

A nova aeronave deriva do jato comercial Boeing 767 e aviões com origem comercial são geralmente menos dispendiosos do que os de origem estritamente militar.

Planejadores da USAF reavaliaram as estimativas anteriores de uso com base nas médias do KC-135 e concluíram que as mudanças são mais adequadas para utilizar melhor o potencial do KC-46.

Eles decidiram elevar de 2,5 para 3,5 o número de tripulações por KC-46 para atender às necessidades de operações de contingência segundo a Estratégia de Defesa de 2012. No geral, o aumento acrescentará cerca de 60 tripulações ao total da força e permitirá que a USAF voe mais missões usando o KC-46.

As decisões também incluem o uso do KC-46 com foco maior na “associação de força total”. Em poucas palavras, as unidades regulares e da reserva compartilharão o uso do KC-46, permitindo que as taxas de utilização das aeronaves sejam muito maiores que os atuais KC-135.

Membros do alto escalão da USAF informaram ao Congresso do aumento do número de horas de voo segundo as novas diretrizes e mudanças nas concepções de operação, antecipando que isto representará um acréscimo de 11,2% nos custos estimados de operação e apoio da frota em função de um uso maior.

O KC-46A representa o primeiro passo d a USAF para substituir sua frota de envelhecidos Stratotankers. Ele irá fornecer capacidade de reabastecimento e de carga melhorada e aumento da capacidade de evacuação aeromédica. Os primeiros 18 aviões deverão ser entregues em agosto de 2017.

Os custos totais de suporte e operação estão estimados agora em aproximadamente US$ 103 bilhões, mas não há um aumento no custo de aquisição. Cabe salientar que o aumento é devido à maior frequência com que a as aeronaves serão utilizadas e não porque elas são mais caras de operar.

“Isto é fruto de uma mudança de conceito a na forma como vamos operar a aeronave e não um aumento do custo para operar a aeronave. Nós simplesmente vamos voar mais” disse Thompson.

A USAF não planeja aumentar o seu orçamento, disse ele. “O aumento dos custos do KC-46 será reaproveitado a partir dos custos de mão de obra e recursos que foram destinados para o KC-135 (Stratotanker).”

FONTE/IMAGEM:
USAF (tradução e edição do Poder Aéreo a partir do original em inglês)

- Advertisement -
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Reportagens especiais

Fotos do sábado da XXVII Convenção Nacional de Plastimodelismo 2013, no PAMA-SP

Você está em São Paulo? Gosta de plastimodelismo e assuntos relacionados? Então não perca! Neste domingo, último dia, a...
- Advertisement -
- Advertisement -