domingo, setembro 19, 2021

Gripen para o Brasil

Quem tem (MUITA) potência decola assim… (2)

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

- Advertisement -

13 Comments

Subscribe
Notify of
guest
13 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Nick

Será que ele chegou a correr 100 metros para decolar?? Oo

Esse é O caça. 🙂

[]’s

Giordani

Se o Forevis faz isso, a célula continua subindo e o J85´s caem…rsrsrssss…

DrCockroach

E quem tem muita potencia pula de 36000m de altitude…

http://www.youtube.com/user/redbull/stratos

Neste meu posto ele estah a 27400m

Aquelas “balls of steel” irao fazer ele romper a barreira do som facil, facil…

[]s!

ivan.ffilho

aposto que ele decola de um porta aviões… sem usar cataputa!
E digo mais, se colocar ele na vertical num suporte, decola que nem foguete…. da pra embarcar até em submarino esse peste!

joseboscojr

Ivan,
Provavelmente ele poderia usar o método STOBAR, sem catapulta, mas precisaria estar sem carga e com um mínimo de combustível.
Com suas 10 t de combustível + 1,5 t de armas internas ele irá precisar de pelo menos uns 700 metros ao nível do mar.

Clésio Luiz

Tinha uma previsão de uma versão naval do F-22, mas foi cancelado, por causa do grande retrabalho necessário para opera em porta aviões, especialmente a velocidade de pouso. Alguma coisa me diz que na verdade foi a USN que colocou terra no projeto, provavelmente estipulando requerimentos de pouso difíceis de atingir sem uma grande retrabalho nas asas. Eu acho que foi orgulho. A USAF, durante a década de 60, adotou várias aeronaves navais, mas a USN sempre recusou “sobras” da força aérea. Barrou o F-111B (o que foi até bom), o F-16N e o F-22N. Depois dos baques na década… Read more »

HRotor

Caro Clésio, pode ter certeza que orgulho e recusa de sobras não fazem parte de qualquer processo de aquisição de armamento…
A padronização normalmente não é desejada por uma força armada individualmente, é pressão governamental para cortar custos.
O que o operador quer é um equipamento que permita cumprir sua missão.
E embora operem “joint” ou “combined”, em perfeita sintonia e sinergia, cada força tem sua especificidade.
Sds/Abs

joseboscojr

E tem aquela velha estória de distribuir o leitinho pra todo mundo, haja vista os 2 fabricantes terem sido escolhidos para o LCS, o que eu particularmente achei um verdadeiro absurdo.

Giordani
Vader

Espetacular! Não correu nem 100 metros de pista.

E depois, aqui e ali, ainda temos que ler um certo “gênio” pregando que os EUA deveriam abandonar o F-22 e o F-35 e voltar para os caças “teen”…

ivan.ffilho

Bosco, como citado num comentário do próprio vídeo, de acordo com o documento AFI11-246V1.pdf, que pode ser facilmente achado no São Google, os raptors nessas apresentações vão com 18000 libras de combustível e 1000 libras de carga interna. Giordani, esse Sea Raptor ae ta mais viajado que meu raptor embarcado em submarino heim! Se já é difícil manter a furtividade com asas de geometria fíxa, imagina com variável! Alias, esse deve ser outro problema de embarcar o F22, que creio terem resolvido no F35. Não basta fazer um avião stealth, ele tem que continuar furtivo mesmo depois de anos de… Read more »

Gilberto Rezende

Vader este capacete deve ter COZINHADO teus miolos. Esta maravilha do vídeo está limitada a 187 unidades e continua com limitações operacionais sérias em vários sistemas e com uma manutenção cara de fazer chorar quem imprime DÓLAR. O que eu disse é que ao invés de buscar um programa de revitalização incerto dos F-15/16/18 Forevis (que parece o caminho que vai ser adotado), eu se fosse da USAF, preferiria uma NOVA aeronave 4,5 ++ convencional americana similar ao Su-35S aproveitando estas turbinas vetoradas e o radar deste carinha aí mesmo num airframe tradicional não stealth, mais simples, barato e efetivo.… Read more »

Vader

É, não foi bem isso o que você disse não, mas como queira… O Super Tucano não será para a USAF, mas sim pra Força Aérea Afegã. E é bastante discutível, para dizer o mínimo, até que ponto se pode dizer que um Super Hornet ou um Super Viper (exemplos) tenham “airframe antigo”. Ao contrário: são aeronaves com concepção em termos de redução de rcs (última atualização de tecnologia em termos de desenho desde o surgimento dos caças teen) mais modernas do que a imensa maioria do que voa por aí; algo em torno de 9 em cada 10 hipotéticos… Read more »

Últimas Notícias

Força Aérea Indiana vai comprar 24 caças Mirage 2000 de segunda mão

A frota Mirage 2000 de 35 anos da IAF, que teve um desempenho excepcional durante a operação Balakot de...
- Advertisement -
- Advertisement -