sexta-feira, setembro 30, 2022

Gripen para o Brasil

Caça de 5ª geração russo-indiano: contrato de P&D nos próximos meses

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

O programa da versão indiana do PAK-FA, o FGFA, deverá contemplar 200 caças, a um custo de 35 bilhões de dólares em 20 anos – é provável que a Índia abra mão de uma versão biposto, pois esta seria menos furtiva e com menor capacidade de combustível do que a monoposto

 

Segundo o jornal “The Times of India”, o maior contrato de defesa indiano até hoje, no valor de 35 bilhões de dólares, será assinado em alguns meses pela Índia e pela Rússia. Trata-se do programa do caça de quinta geração, futurístico e furtivo, cujo valor do contrato deverá ser gasto ao longo de 20 anos.

O contrato da fase final de projeto ou de pesquisa e desenvolvimento (P&D) para o caça de quinta geração, segundo fontes do jornal, será assinado entre o final deste ano e o começo de 2013, e representará uma aquisição de aproximadamente 200 caças russo-indianos a partir de 2022 (lembrando que, na Rússia, o programa se chama PAK-FA e, na Índia, FGFA). Isso significa a firme rejeição, por parte da Índia, da oferta dos Estados Unidos de seu caça F-35.

Antes mesmo do contrato de pesquisa e desenvolvimento, representantes da Hindustan Aeronautics (HAL) e da Força Aérea Indiana deverão visitar a Rússia para garantir que a documentação completa e outros trabalhos do contrato anterior de projeto preliminar (PDC – preliminary design contract) foram completados. Essa visita deverá ser realizada já na próxima quinzena. O PDC, assinado em dezembro de 2010, teve um custo de 295 milhões de dólares. Já o contrato de P&D está cotado em 11 bilhões, a serem divididos igualmente entre Índia e Rússia (5,5 bilhões para cada).

Em visita a Moscou na semana passada, o comandante da Força Aérea Indiana (IAF), marechal do ar N. A. K. Browne, analisou o desenpenho do caça russo de quinta geração, o PAK-FA, também denominado Sukhoi T-50. A versão indiana será baseada nessa aeronave, porém com modificações para os requerimentos da IAF.

Provavelmente, a Índia vai adquirir apenas aeronaves monoposto, abandonando a ideia inicial de operar caças de quinta geração bipostos

Segundo uma fonte, “até o momento os três protótipos russos do T-50 já voaram perto de 180 surtidas. As instalações de Ozar da HAL, em Nashik, receberão três protótipos em 2014, 2017 e 2019, a serem voados por pilotos indianos.”

Um dado interessante é que, após inicialmente especificar um requerimento para pelo menos 166 caças monopostos e 48 bipostos desse caça de quinta geração, a Índia está considerando a possibilidade de somente adquirir monopostos.  Segundo a mesma fonte, “tanto o F-35 quanto o T-50 são monopostos. Um segundo posto vai comprometer as capacidades furtivas em pelo menos 15%, além de aumentar o peso e reduzir a capacidade de combustível. Além disso, os custos de P&D poderão sofrer um acréscimo de 2 bilhões de dólares para o biposto.”

A fonte acrescentou que “a Rússia já nos deu o rascunho do contrato de P&D. Ele vai incluir o custo do projeto, a construção da infraestrutura em Ozar, desenvolvimento de protótipo e testes de voo. Assim, a Índia terá cientistas e pilotos de testes baseados tanto na Rússia quanto em Ozar durante a fase de P&D, até 2019. Na sequência, a HAL vai iniciar a produção dos caças.”

Até a chegada do FGFA, a Força Aérea Indiana quer reequipar vários de seus esquadrões com o Rafale, em contrato a ser assinado até o final do ano

A IAF está confiante que esse caça “swing-role” vai atender às suas futuras necessidades operacionais. Mas, enquanto isso, como uma medida interina para também resolver o problema do número decrescente de esquadrões de caça (devido à baixa de aeronaves antigas), a IAF pretende assinar até o final do ano o contrato do MMRCA (avião de combate multitarefa de porte médio). O contrato, de aproximadamente 20 bilhões de dólares, visa dotar a IAF de 126 caças Rafale, da fabricante francesa Dassault.

FONTE: The Times of India (tradução, adaptação e edição: Poder Aéreo)

FOTOS: Sukhoi e Dassault

VEJA TAMBÉM:

- Advertisement -

8 Comments

Subscribe
Notify of
guest

8 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Nick

Será que só eu achei meio caro pagar US$11bilhões apenas para desenvolver uma variante indiana do PAKFA? Oo Fazendo as contas: US$35bilhões-> custo total do programa, dividido por 214 caças até 2030: Cada caça custará aproximadamente US$163 milhões para os cofres indianos. O custo de produção unitário sairá por US$112 milhões. Na boa, os russos estão metendo a “faca” nos indianos, já que boa parte do desenvolvimento já foi feito pelos russos. É bom os indianos terem ToT irrestrita de todo o caça, do radar, sistemas de guerra eletrônica, estrutura e design geral do caça, até a produção integral dos… Read more »

Nick

Caro Nunão, Nesse caso, “my bad” 🙂 Mas o custo do programa continua igual: US$35 bilhões para 214 caças (US$163 milhões por caça). O que vai aumentar é o custo unitário de produção sem considerar o P&D: vai de US$112milhões e passa para US$136 milhões para cada caça produzido. Já foge bastante da previsão de US$100milhões que os russos tinham para o PAKFA. Ou então o FGFA tem alguns opcionais que o PAKFA não tem, ou então os Russos estão metendo a faca mesmo no orçamento apresentado para os Indianos. Mas cabe ressalvar que: US$163 milhões por cada caça FGFA… Read more »

Nick

Caro Nunão,

Sobre o efeito de atrasar demais a decisão, acredito que o Brasil nem corre esse risco, infelizmente.

O GF não está nem ae. Se aumentarem o preço, diminui os requsitos ou a quantidade. Ou simplesmente nem compra, que é o que está sendo feito.

[]’s

alphasr71a

A cadeira de 2 Bilhões de dólares.

Justin Case

Amigos, bom dia.

Interessante notícia da Índia, publicada na Aviation Week:

http://www.aviationweek.com/Article.aspx?id=/article-xml/AW_08_20_2012_p24-486241.xml&p=2#

Abraços,

Justin

Hamadjr

Quem leu sobre a LDO para 2013 onde há previsão da despesa esta estimada em apenas R$ 2,257,00 Trilhões de reais e para pagamento da dívida pública de R$ 959,00 e para investimento apenas R$ 106,8 bilhões, vai comprar o que?

Últimas Notícias

Força Aérea Brasileira inaugura nova estação radar de vigilância aérea em Rondônia

Estação será usada pelo Sistema de Controle do Espaço Aéreo (CISCEA) para auxiliar na proteção de fronteiras do Brasil A...
Parceiro

LAAD 2023

- Advertisement -
- Advertisement -