sexta-feira, março 5, 2021

Gripen para o Brasil

‘Pintou’ um problema na entrada de ar de caças F-16 de Israel

Destaques

Defesa aérea da Sérvia atingiu outro F-117 durante a Operation Allied Force

A história de como um jato de ataque stealth F-117 Nighthawk da Força Aérea dos Estados Unidos foi abatido...

HENSOLDT: Sistemas antidrone e de proteção de áreas críticas e estratégicas

Nos últimos anos, a venda de drones cresceu muito no mundo. Esses objetos voadores, cada vez mais comuns em...

FAB coordena Operação Escudo Antiaéreo

Operação aconteceu de forma conjunta entre a Marinha do Brasil, o Exército Brasileiro e a Força Aérea Brasileira No período...
Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Parte interna da entrada de ar dos F-16 C/D ‘Barak’ está soltando tinta, o que levou a manter no solo algumas aeronaves

 –

A Força Aérea Israelense (IAF) proibiu o voo de alguns de seus caças Lockheed Martin F-16C/D “Barak” após a descoberta de que a tinta da parte interna da entrada de ar está se soltando, podendo potencialmente ser ingerida pelo motor. O problema foi detectado em aeronaves operadas nas bases de Hazor e Ramat David (a foto acima é de uma versão mais nova, a “Sufa”, apenas para ilustrar).

Segundo matéria da Flight Global publicada na sexta-feira, 27 de julho, o comandante da IAF, major-general Amir Eshel, ordenou essa proibição de voo para evitar qualquer problema no motor devido à possível ingestão de lascas de tinta.

Apenas os F-16 descobertos com esse problema da soltura de tinta foram proibidos de voar. Ainda assim, toda a frota das versões C/D da IAF será inspecionada. Pessoal de manutenção está removendo a camada de tinta velha e repintando a parte interna das tomadas se ar.

Foi informado pela IAF que esse trabalho nas tomadas de ar afetadas será completado “em breve” e que, se necessário, todos os caças da IAF estarão disponíveis para operações. Segundo a Flightglobal, a frota ativa de F-16 em Israel totaliza 325 aeronaves, incluindo 126 das versões C/D equipadas com motores General Electric F110-100. Apesar dos testes para identificação das causas do problema estarem em andamento, inicialmente foi sugerido que as altas temperaturas deste verão em Israel poderiam ser responsáveis.

Enquanto isso, a IAF iniciou uma investigação após um F-16I “Sufa” de ataque e um avião reabastecedor “Re’em” (baseado no Boeing 707) serem danificados durante um treinamento de reabastecimento em voo, realizado no sul de Israel em 27 de julho. Ambas as aeronaves pousaram em segurança após o incidente, no qual a lança (probe) de reabastecimento do avião-tanque foi “desintegrada”, segundo informações.

FONTE: Flight Global (tradução, adaptação e edição: Poder Aéreo)

FOTOS: Força Aérea Israelense

VEJA TAMBÉM:

- Advertisement -

5 Comments

Subscribe
Notify of
guest
5 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
andreluizsilvacorreia

Pô, a crise ta braba mesmo

O cara nem pode decolar sossegado com o seu caça que logo apareçe um ambulante vendendo muamba

champs

Esse parece ser um dos grandes pontos fracos do F-16, desde os tempos do FX-1 que já rolava uma história parecida. Que as pistas em que operam tinham que estar totalmente limpas pois os detritos podiam ser ingeridos pelo motor e danifica-los.
Acho que por isso nunca foi considerado pra valer aqui na FAB que sempre adotou como princípio a utilização dos caças em pistas não preparadas.

Optimus

Caro, champs… Taí uma questão que acho meio estranha…

Fosse esse caso os únicos caças que seriam interessantes pra FAB seriam o F-15 Eagle, o F-4 Phantom, o Gripen ou o Tomcat… fora esses acho que praticamente todos caças tem tomada de ar na parte de baixo – inclusive o tão “festejado” SU-30…

champs

Optimus,

Pois é, levantei a questão porque não é a primeira vez que leio este tipo de notícia sobre o Falcon, na verdade já li vários comentários em blogs de defesa que confirmam que ele é mais fresco em relação a isso mas não sei se procede a informação.
Os russos tem entre seus requisitos operar em pistas não preparadas, dizem que o Flanker opera…

Vader

champs disse: 29 de julho de 2012 às 11:33 Em uma frase: essa história de F-16 “aspirador de pó” é lenda. Não caia nessa não caro Champs: F-16 operam em pistas cobertas de areia do Chile, passando por Turquia, Egito, Israel, EAU, Iraque até o Afeganistão. Quanto a operar em “pistas não preparadas”: não existe “pista não preparada”: ou existe pista de pouso, ou não existe. Qualquer aeronave de caça pousa em qualquer pista, claro que com a devida manutenção. O que existe são aeronaves mais robustas que outras. O Super Hornet por exemplo é conhecido por sua robustez, até… Read more »

Combates Aéreos

Promessa e realidade: o combate ar-ar BVR – parte 2

Desert Storm – O ponto de virada do BVR? Lt Col Patrick Higby, USAF - Virginia Military Institute (2005) Com 16...
- Advertisement -
- Advertisement -