domingo, dezembro 5, 2021

Gripen para o Brasil

LAS: proposta comercial será entregue dia 18

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Ivo Ribeiro

A Embraer, fabricante brasileira de aviões, já está pronta para disputar a concorrência reaberta pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos para compra de aviões militares. Nesta segunda-feira, dia 4, a empresa vai entregar a documentação relativa à fase “past performance” (experiência da aeronave) e no próximo dia 18 a proposta comercial final. A informação foi passada ao Valor por Frederico Curado, presidente da companhia.

A fabricante brasileira participa da disputa com o Super Tucano. Em consórcio com a americana Sierra Nevada venceu a concorrência no ano passado, mas o processo foi suspenso neste ano. O avião concorrente ao da Embraer é o AT6, fabricado pela americana Hawker Beechcraft.

De acordo com Curado, que se mostra otimista, o resultado da licitação, conduzida pela Força Aérea americana (Usaf), só será conhecido em janeiro de 2013. Ele não soube explicar o porquê da data, mas fontes do setor apontam o processo eleitoral de escolha do novo presidente americano como a provável razão.

Segundo Curado, uma das alterações no processo traz um pouco de preocupação à Embraer – a que eliminou a comparação em voo dos aviões. Mas a empresa teve uma compensação, diz, com a segunda, que trata da comprovação de performance anterior do avião (past performance). “O Super Tucano é um avião bem superior ao da Hawker no tipo de missão que é definido na licitação”.

A concorrência envolve a compra de aviões de ataque leve, voltados para missões de contrainsurgência. “Enquanto o Super Tucano já tem uma longa experiência em combate em vários países, o deles é uma aeronave de treinamento que está sendo adaptada”, disse. “A performance dela será inferior”.

O Super Tucano tem 182 encomendas, das quais 158 já entregues. O avião está presente, além do Brasil, na Colômbia, Chile, Equador, Indonésia e República Dominicana. Há uma venda a um país africano ainda não entregue (*).

Vencer a disputa nos EUA, destacou Curado, é importante porque o governo americano passa a ser um cliente da Embraer. “Hoje, já são fornecedores do Departamento de Defesa dos EUA empresas italianas, francesas…”. Além disso, ganha a chancela de um cliente de peso internacional.

A concorrência envolve, nessa primeira etapa, um lote de 20 aviões, com valor em torno de US$ 355 milhões. A encomenda poderá chegar a 50 aeronaves, alcançando US$ 1 bilhão.

Neste ano, informou Curado, a Embraer está investindo US$ 650 milhões. Desse valor, dois terços estão sendo aplicados em Pesquisa e Desenvolvimento de novos produtos, como os aviões executivos Legacy 450 e 500. O último jato começa a voar no terceiro trimestre.

FONTE: Valor Econômico, via Notimp

NOTA DO EDITOR: já são três os países africanos que compraram o Super Tucano: Mauritânia, Angola e Burkina Faso.

- Advertisement -
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Últimas Notícias

Os jatos mais avançados da Força Aérea dos EUA podem estar vulneráveis ​​devido às suas próprias armas

A Força Aérea dos Estados Unidos tem algumas das aeronaves mais sofisticadas do mundo e está desenvolvendo jatos mais...
- Advertisement -
- Advertisement -