Home Indústria Aeroespacial Saab esclarece e corrige informações de matéria do Poder Aéreo sobre o...

Saab esclarece e corrige informações de matéria do Poder Aéreo sobre o Gripen

215
28

Aeronave Gripen que cumpria a missão de demonstrador da nova geração do caça continuará voando sob a denominação 39-7, mas agora numa terceira fase, de certificação – A esta aeronave deverá se reunir, no programa de testes, o novo exemplar 39-8, que está em fase de projeto

 

Na terça-feira, 22 de maio, o Poder Aéreo publicou matéria a respeito da evolução do programa da nova geração do caça sueco Gripen (versões E/F), cujas informações foram fruto de conversa com o diretor de Marketing da Saab para a campanha do Gripen no Brasil, Andrew Wilkinson, realizada no evento de comemoração de 1 ano do Centro de Pesquisa e Inovação Sueco-Brasileiro (CISB), na quinta-feira anterior.

A assessoria da Saab entrou em contato conosco para corrigir algumas informações equivocadas que publicamos, colocando hoje novamente o diretor Wilkinson em contato com o editor da matéria original (clique na imagem ao lado para acessá-la), para esclarecer e corrigir pontos importantes.

Segundo Wilkinson, o demonstrador da nova geração do Gripen participou de duas fases de demonstração, a primeira envolvendo principalmente o novo tanque de combustível interno combinado ao reposicionamento do trem de pouso, e a segunda fase relativa aos novos sistemas de radar, SATCOM (comunicação por satélite) e RWR (receptor de alerta radar). A fase de demonstração foi finalizada e a aeronave, que recebeu a denominação 39-7, entrou para a fase de certificação, dentro do programa de desenvolvimento das novas versões do caça sueco.

Assim, o código 39-7 não denomina uma nova aeronave de testes, e sim o próprio avião que antes cumpria o papel de demonstrador e que, agora, entra para a fase de certificação do programa da nova geração do Gripen.

Nesta nova fase, o 39-7 deverá receber a nova versão do radar AESA, conforme já noticiado, para iniciar a campanha de certificação do radar, dos aviônicos e do sistema IRST (busca e acompanhamento por infravermelho). Uma nova aeronave, denominada 39-8 e nova de fábrica, deverá se juntar à campanha para a certificação de outros itens que compõem a nova geração do caça, como as novas asas e outras mudanças estruturais que foram demonstradas nas fases anteriores. Segundo as informações corrigidas trazidas por Wilkinson, a aeronave 39-8 encontra-se atualmente em projeto, e não em produção, e a data de sua finalização e primeiro voo ainda deverá ser divulgada.

Assim, a informação sobre os voos de teste da nova fase de certificação do programa, a serem realizados nos próximos meses conforme divulgado na matéria anterior, refere-se ao avião 39-7 que já participou das fases anteriores do programa e não a uma aeronave nova de fábrica.

Demais informações trazidas pela matéria, como as negociações envolvendo a aquisição de aeronaves Gripen E/F de série pela Suécia e pela Suíça, assim como as modificações já cumpridas e demonstradas em relação à versão anterior, não receberam correções por parte da Saab.

Como compromisso do Poder Aéreo com a qualidade da informação trazida aos nossos leitores, ao invés de somente divulgar uma errata junto à matéria citada estamos divulgando as correções nesta nova matéria, com o mesmo destaque da reportagem anterior. Agradecemos ao diretor Andrew Wilkinson e à assessoria da Saab (Gaspar & Associados) pela disponibilidade em prestar os esclarecimentos.

Subscribe
Notify of
guest
28 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Nick
Nick
8 anos atrás

Agora o Gilberto vai fazer a festa 🙂 SHAHUSAUUH!!

Bah, que pisada de bola do sr Wilkinson. Por ele tínhamos 2 protótipos, a realidade é que não tem nenhum. E como a informação dele não procede, desconsiderem meus comentários no tópico.

[]’s

asbueno
asbueno
8 anos atrás

Mas Nick, não faz a mínima diferença.

Como já foi dito e redito a aeronave denominada 39-7 representa muito do que será o Super JAS E/F. Isso pode ser visto por ele ser a primeira aeronave a participar da campanha de certificação.

De fato ele não é novo de fábrica, mas isso não piora nada do ponto de vista da já mencionada certificação, que é o que interessa.

Nick
Nick
8 anos atrás

Caro asbueno,

O problema é que o 39-7 não é um protótipo definitivo. Então não é um protótipo é o demo, que vai incorporando cada vez mais sistemas do Gripen E/F. Vai testanto, avaliando, certificando, mas não é a aeronave.

[]’s

asbueno
asbueno
8 anos atrás

Tudo bem, não é o ideal, mas o bonde está andando. O 39-7 não será apenas uma aeronave de exibição.

Foi uma pisada de bola de precisão da informação

asbueno
asbueno
8 anos atrás

OK, a especificação não está congelada.

DrCockroach
DrCockroach
8 anos atrás

Prezado Nunao,

O entrevistado, me parece, foi surpreendido com o entrevistador. A verdade eh que nao estao acostumados com jornalistas realmente especializados, por isso, deve ter falado sem refletir o suficiente as palavras.

Mais uma vez, ponto p/ o Blog.

[]s!
P.S.: Num eventual futura entrevista, vc poderia abrir um espaco p/ as perguntas dos leitores do Blog a Saab; assim vc poderia levar algo daqui tb. Ou, quem sabe, nos poderiamos produzir algumas perguntas aqui, e vcs do Blog enviam por email e solicitam a resposta, que tal? sairia uma excelente materia.

Gilberto Rezende
Gilberto Rezende
8 anos atrás

ÔÔ É a festa do estica e puxa…

Viva a festa da XUXA…

Vida longa ao Gripen DEMO >> Gripen 39-7 >> Gripen NG >> Gripen E/F…

Parece que nem em Suécia vai ter protótipo de VERDADE este ano…

Chupa que é UVA…

Experimenta que é de MENTE…

UH ! UH!….

Se passaram no comercial…..

P.S. Ainda bem que você sabia da festa aqui NICK !!! 🙂

Gilberto Rezende
Gilberto Rezende
8 anos atrás

MENTA ! MENTA ! MENTA!

MENTAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA !!!!!

Agora me expulsam do SITE!!!

Eu errei sem querer, não foi de PROPÓSITO, RAIOS…

asbueno
asbueno
8 anos atrás

Repito, não é o ideal mas não faz grande diferença.
A opiniões são livres e não passam disso. O fato, o concreto é que o programa do Juper JAS 39 E/F anda.

Em tempo: prefiro o SH.

Mas adoraria mesmo o mix (quase impossível) de Gripen e SH.

Nick
Nick
8 anos atrás

Passado o carnaval do Gilberto, 🙂

Continuo favorável ao Gripen E/F. Mas levando-se em consideração o tempo de desenvolvimento, 36 Gripen C/D em leasing seriam necessários.

Mas eu seria favorável à uma versão mais Stealth do Gripen E/F. Por exemplo, modificações mais extensas na estrutura da célula, incorporação de um weapons bay interno, e uma versão mais potente do GE-414, o EPE.

Poderia até demorar mais, mas estaria mais apto a “brigar” com os 5ª geração que deverão dominar o cenário ar-ar e ar-terra a partir de 2020.

[]’s

Grifo
Grifo
8 anos atrás

Senhores, acho que é mérito da SAAB ter procurado o Poder Aéreo para esclarecer uma matéria incorreta que era favorável a ela, e propiciar ao Gilberto Rezende alguns momentos de prazer. Honestidade é sempre o melhor caminho.

Gilberto Rezende
Gilberto Rezende
8 anos atrás

Nick eu acho que já disse isso para tí noutro site que infelizmente anda bem parado. A falta de apoio/definição ao projeto Gripen NG por parte da força aérea sueca decorre na realidade, na minha opinião e colocando-me como um “brigadeiro sueco”, justamente destas necessidades mais Stealth que mencionaste no teu post. A Suécia tem munição LIMITADA e tem de lidar com o poder aéreo russo na sua área geopolítica. Um projeto “NOVO” de Gripen NG de 4,5 geração não faz o MENOR SENTIDO (militarmente falando a médio prazo) para os MILITARES SUECOS !!! Neste momento eles tem que raciocinar… Read more »

Marcelo
Marcelo
8 anos atrás

Sempre é bom que a verdade venha a tona.

Quanto ao caso do display do Rafale colimado no infinito, para mim, é óbvio que representantes da Boeing e da Saab digam que não faz falta. Estranho seria se dissessem que faz sim, muita falta…Se a mesma pergunta for colocada para algum representante do Rafale, a resposta, é claro, será inversa.

Seria interessante se algum dia a pergunta pudesse ser colocada para algum piloto não francês que voou o Rafale. Aliás esse senhor inglês do link abaixo voou, e gostou muíssimo do que viu e sentiu:

http://www.flightglobal.com/news/articles/flight-test-dassault-rafale-rampant-rafale-334383/

Abraços.

Ivan
Ivan
8 anos atrás

Marcelo,

Novamente este assunto do Peter Collins ???

Conversa antiga, de 2009, que foi debatida aqui no AEREO em várias matérias do final daquele ano, notadamente nesta abaixo ‘linkada’:
http://www.aereo.jor.br/2009/11/24/dassault-envia-carta-ao-poder-aereo-a-respeito-do-rafale-para-os-emirados/

Abç,
Ivan, o antigo.

Nick
Nick
8 anos atrás

Caro Gilberto, Eu já postei aqui, o chart com as opções de desenvolvimento da versão E/F do Gripen para a FAS. Vai desde uma simples remotorização do C/D , com atualização dos aviônicos(radar AESA, IRST, MAWS, etc) até uma versão que se aproximaria do projeto FS2020, com mais capacidades Stealth. Mas demoraria mais para sair(2025). O Gripen E/F proposto para a Suiça, e para o Brasil, seria um meio-termo. Não seria uma simples remotorização, e atualização eletrônica. Como todos devem estar cansados de saber, envolve modificações na célula, com maior capacidade de combustível, novo motor, novos sistemas, mais furtivo(mas não… Read more »

Nick
Nick
8 anos atrás

Ahmmm perdoem os erros de edição 😀

[]s

Marcelo
Marcelo
8 anos atrás

Oi Nunao! A alternativa, eu coloquei no meu comentário, mas você não copiou essa parte:

Seria interessante se algum dia a pergunta pudesse ser colocada para algum piloto não francês que voou o Rafale.

Abraços!

Justin Case
Justin Case
8 anos atrás

Nunão, boa noite. Não é pergunta fácil de responder essa da importância de manter o foco no infinito ou voltar para lá. Só quem já sentiu o problema (e entendeu) pode opinar. A dificuldade em obter o foco ocorre normalmente quando não há referência suficiente no fundo. Para entender melhor: Quem já assistiu uma demonstração aérea já deve ter sentido: Ao desviar os olhos do avião que se afasta e tentar readquirir o “tracking”, não se consegue mais. Ou quando a gente volta a encontrar, já é avião definido, com cauda, asa, cor, etc. Se eu encontro um ponto no… Read more »

juarezmartinez
juarezmartinez
8 anos atrás

ick eu acho que já disse isso para tí noutro site que infelizmente anda bem parado. A falta de apoio/definição ao projeto Gripen NG por parte da força aérea sueca decorre na realidade, na minha opinião e colocando-me como um “brigadeiro sueco”, justamente destas necessidades mais Stealth que mencionaste no teu post. A Suécia tem munição LIMITADA e tem de lidar com o poder aéreo russo na sua área geopolítica. Um projeto “NOVO” de Gripen NG de 4,5 geração não faz o MENOR SENTIDO (militarmente falando a médio prazo) para os MILITARES SUECOS !!! Neste momento eles tem que raciocinar… Read more »

Justin Case
Justin Case
8 anos atrás

Amigos, Sobre os prazos de implementação das soluções propostas, a minha opinião: – Gripen C/D, Rafale e Super Hornet estão operacionais já há algum tempo. – Rafale BR estaria operacional no mesmo tempo que o Super Hornet BR. – Nenhum deles é Plug & Play para armas, pods, comunicação e outros requisitos específicos brasileiros. – Infraestrutura, treinamento e logística todos precisam. – Apenas Rafale e Super Hornet podem ser recebidos e operar rapidamente com suas armas e pods de origem. Já um Gripen NG que atenda minimamente aos requisitos ainda tem longo caminho a percorrer. Mas o que demora mais… Read more »

Grifo
Grifo
8 anos atrás

Senhores, este negócio de instrumentação focada no infinito parece ser muito bom para caças que não tenham ainda HMD. Para quem já tem, me parece irrelevante.

Vader
8 anos atrás

Ai Ai de novo esse papo do tal do visor colimado do Rafale? Que papo mais chato…

juarezmartinez
juarezmartinez
8 anos atrás

igos, Sobre os prazos de implementação das soluções propostas, a minha opinião: – Gripen C/D, Rafale e Super Hornet estão operacionais já há algum tempo. Não é verdade. – Rafale BR estaria operacional no mesmo tempo que o Super Hornet BR. Mais uma vez não é verdade, o SH já tem radar Aesa, HMD e barramento que facilita a integração com armas nacionais e Isralelenses, o Rafale, nção tem nenhum dos dois operacionais ainda e não tem previsão de abertura de sofware par aramas de origem não Francesas. – Nenhum deles é Plug & Play para armas, pods, comunicação e… Read more »