segunda-feira, agosto 2, 2021

Gripen para o Brasil

T-6, o novo ‘aggressor’ da USAF

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Segundo nota divulgada pela Força Aérea dos EUA (USAF) na semana passada, neste mês começam as operações do treinador turboélice T-6 Texan II na Base Aérea de Nellis (Nevada), cumprindo pela primeira vez o papel de aeronave “aggressor” em treinamentos de pilotos da USAF. As aeronaves são operadas pelo 33º Esquadrão de Caça da Base Aérea de Vance, em Oklahoma, dentro do curso de instrutores de armamentos realizado em Nellis.

Os alunos torman-se especialistas em empregar as capacidades da USAF em conjunto com outras forças dos EUA e de parceiros de coalizões em situações de conflito ou operações de contingência, servindo como consultores para líderes militares em todos os níveis das Forças Armadas e do Governo dos EUA. A chegada do Texan II ao treinamento visa torná-lo ainda mais abrangente.

Segundo o tenente coronel Daniel Garoutte, diretor de Operações do 33º Esquadrão de Caças, “o T-6A Texan II é confiável e tem um custo por hora de voo relativamente barato. É difícil para aviões de caça simularem alvos voando baixo e lentamente, então o Texan II preenche essa lacuna.” O campo de provas e de treinamento de Nevada fornece a arena em que os combates simulados do Texan com os alunos da escola de armamentos terá lugar. Entre as ameaças que a Base de Nellis já oferece estão os caças a jato de alto desempenho  F-16C Fighting Falcon e F-15C Eagle do 64º e do 65º Esquadrões Aggressor. Com o acréscimo dos Texan II, o tenente coronel Garoutte disse que os pilotos poderão enfrentar um cenário complexo, lidando de uma só vez com um conjunto de aeronaves voando lentamente e repidamente, o que é um desafio que obriga a se adaptarem.

Segundo Garoutte, “nós adicionamos uma nova dimensão às tomadas de decisão (dos comandantes de missão), e aumentamos o número de forças oponentes, com uma plataforma de voo baixo e lento.” A participação também dá aos pilotos de Texan II novas esperiências para ampliar sua própria proficiência.

FONTE / FOTOS: USAF (Força Aérea dos EUA)

VEJA TAMBÉM:

- Advertisement -

12 Comments

Subscribe
Notify of
guest
12 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Mauricio R.

Atenção em breve p/ o xiliquê, do ST e seus adoradores…

E lembrem-se:

#embraerforadofx2

É bom p/ a FAB e melhor ainda, p/ o Brasil!!!

Vader

Belas aeronaves e bela pintura.

Leonardo

Caro Mauricio

Nao me leve a mal, mas o que motiva esse seu odio pela Embraer?

Sds.

Sds.

Marcos

Leonardo:

O Mauricio R quer “embraerforafx2” e “odebrechtfabricandoaviao”

Leonardo

Sera isso Marcos? Vai entender, ne!!!!

Black Hawk

senhores creio que o mauricio nao goste nao e da embraer,mas ele quer q o fx2 seja designado sem a embraer no meio do processo… eu acho q ele nao queira a embraer como empresa q possa se beneficiar com os offsets q possao vir com o vencedor do fx2… pra mim ele quer q o vencedor do fx2 nao tenha nenhuma relaçao com a embraer,ele quer q o melhor aviao vença e q nao fique querendo parcerias com a embraer pra ser um “consolo”,tipo vç compra meus avioes e eu ajudo a embraer a creçer,ou faremos uma cooperaçao sei… Read more »

Mauricio R.

Leonardo, A forma impositiva absolutamente inapropriada, com que esta empresa trata a FAB e por conseguinte o Brasil. Exemplos: a) Foi assim na compra dos ERJ-135, a FAB já havia se decidido por aeronaves Learjet 60 usadas, p/ os quais tinha ferramental e pessoal treinado; pois já operava os Lear 35. A Embraer de conluío c/ o bancada do PT de SJC, fez a decisão ser revertida em seu favor. b) F-X 1, qndo o Gripen venceu ao M-2000BR da Embraer. c) P-3 X P-99, será que vão se explicar perante a Comissãoda Verdade, a guerra suja, movida contra a… Read more »

Mauricio R.

Black Hawk,

É por aí, obrigado!!!

Black Hawk

desculpe o erro:
e crescer!!

Leonardo

Maurício,

Infelizmente este “ranço de estatal”, nunca vai mudar nas privatizadas.

Sds.

Mauricio R.

Leonardo,

Esse “ranço de estatal” tem jeito sim, basta ao Estado, exercer sua autoridade.

OFF TOPIC…

…mas nem tanto!!!

Nada como um dia após o outro, a chocante realidade, foram dormir c/ 700, mas acordaram c/ 100:

“…sees a potential market for the 23-tonne payload airlifter of around 100 aircraft – mostly replacements for older versions of the ubiquitous Lockheed Martin C-130 Hercules – assuming a 15% market share for Embraer.”

(http://www.flightglobal.com/news/articles/IN-FOCUS-Embraer-looks-to-make-defence-business-quarter-of-revenue-by-2020-371549/)

Mauricio R.

OFF TOPIC…

…mas nem tanto!!!

Não foi somente na Índia, que o ST sequer pagou place.
Na Arábia Saudita tb:

“Saudi Arabia’s next-generation military pilot training system will comprise 22 BAE Systems Hawk advanced jet trainers and 55 Pilatus PC-21 turboprops, the UK company has confirmed.”

“The UK Ministry of Defence says the package will also include 25 primary training aircraft, but has not confirmed the model involved.”

(http://www.flightglobal.com/news/articles/saudi-arabia-signs-102-aircraft-military-training-deal-372229/)

Últimas Notícias

Pilotos russos usaram receptores GPS feitos nos EUA durante missões de combate na Síria

Pilotos militares russos usaram receptores comerciais GPS de navegação por satélite durante suas operações de combate na Síria, de...
- Advertisement -
- Advertisement -