Home Noticiário Internacional Prazo sueco de 2020 é a nova polêmica na mídia suíça sobre...

Prazo sueco de 2020 é a nova polêmica na mídia suíça sobre o Gripen

273
52

Segundo notícias mais recentes que saíram na mídia suíça, compra da nova versão do Gripen será ajustada para que entregas correspondam às da Suécia, por volta de 2020 –  o caça também foi lembrado nas tradicionais brincadeiras de 1º de abril da imprensa suíça

Como tem sido costume nos últimos meses, uma nova polêmica sobre a escolha do caça sueco Gripen pelo Governo Suíço está agitando a mídia do país. O jornal 24 heures (escrito em francês) credita ao site NZZ Online (escrito em alemão) a informação de que a aquisição de 22 caças será estendida até 2020. A razão principal seria o plano sueco para modernizar sua própria frota do caça, adquirindo aproximadamente 60 aeronaves de nova geração (E/F), o que não seria feito antes de 2020.

Porém, o Poder Aéreo pesquisou mas não encontrou essa informação no site NZZ Online. O que foi encontrado de mais recente foi uma notícia dizendo que a investigação da Subcomissão de Defesa do Parlamento Suíço, a respeito da escolha do Gripen, não será finalizada em abril. Segundo a presidente da Comissão para Segurança Nacional, a parlamentar Chantal Galladé, essa investigação deverá terminar só em junho. A subcomissão está examinando a avaliação dos caças, e o presidente da mesma, o parlamentar Thomas Hurter, disse que a demora é porque a investigação é bastante complicada.

Com a demora, é possível que o Conselho Federal tenha que decicir sobre o programa de armamentos do país sem o relatório da subcomissão, segundo o NZZ Online.

O jornal 24 heures tratou dessa questão do atraso do relatório praticamente da mesma forma que o NZZ Online, apenas com uma diferença de opinião, dizendo que o Conselho Federal talvez não possa dar seu parecer final sobre a compra devido ao atraso na finalização da investigação parlamentar, e não decidir sobre o programa de armamentos sem o relatório. (nota do editor: esse é o único ponto razoavelmente em comum que encontramos nas duas publicações, levando em conta que o 24 heures e outros jornais citavam o NZZ Online. Mas se algum leitor encontrar no NZZ Online a notícia original sobre entregas em 2020, pedimos que nos mande o link, pois infelizmente não encontramos nada mais do que a nota sobre o atraso no relatório).

Mas foi a questão do novo prazo de 2020 que ganhou as manchetes na mídia suíça. Isso porque, até o momento, o Departamento de Defesa do país divulgava como 2015 o prazo para começar a receber os caças que substituiriam os F-5 Tiger, segundo o jornal.

O 24 heures argumenta que na semana passada o ministro da Defesa Ueli Maurer “abriu uma brecha” a respeito desse prazo, falando da questão sueca: “Essa data de 2020 para os caças da Suécia foi bastante repetida nos jornais, mas eu também já ouvi outras datas em meus contatos com o Governo Sueco.” Perguntado sobre isso, Maurer disse que “a oferta da Saab prevê quatro anos entre a data da encomenda e a entrega do primeiro avião. E, a partir daí, o fabricante vai produzir vinte e dois caças em dois anos. Isso nos leva até 2019. Então não há muita diferença em relação aos planos suecos.”

Ainda segundo o 24 heures, a Suíça não iniciaria a produção do novo Gripen E / F, e “deseja andar de mãos dadas com a Suécia na produção industrial.” O jornal cita outra declaração de Maurer:  “Nós sempre dissemos que compraremos uma aeronave já produzida pelo país fabricante.” O 24 heures também afirma que as discussões para finalizar o contrato estão em andamento.

Já na SFTV (emissora suíça), uma declaração do ministro dá a entender que 2020 pode mesmo ser o prazo

A SFTV também destacou essa questão do prazo de entrega para 2020, mas trouxe uma declaração do próprio ministro Maurer ao programa “10vor10” da emissora. Segundo a transcrição divulgada a partir de uma entrevista nos bastidores de um evento (o vídeo do programa 10vor10, em alemão, pode ser visto clicando aqui), o ministro disse: “Estou assumindo como realista que poderemos adquirir as aeronaves por volta do fim desta década”.

Mas um outro jornal suíço teria dado um prazo ainda mais curto para a chegada do primeiro Gripen: 1º de abril!

Apesar de não conseguirmos encontrar a notícia original (talvez por haver uma versão online e outra impressa), diversas mídias repercutiram uma notícia publicada pelo “Frutigländer” na sexta-feira: “No domingo, primeiro de abril, às 11h, o primeiro caça do modelo Gripen chegará ao aeroporto de Reichenbach para testar se a pista pode ser utilizada pelo caça”. A nota foi reproduzida em compilações sobre as brincadeiras de 1º de abril tradicionalmente publicadas na Suíça – embora, no caso do NZZ Online, tenha saído também uma crítica: como várias publicações não possuem edição dominical (e o 1º de abril foi um domingo), esse tipo de notícia publicada antecipadamente acaba prestando, na verdade, um desserviço.

FONTES: 24 heures, NZZ Online e SFTV (tradução, adaptação e edição: Poder Aéreo)

FOTOS: Saab e SFTV

VEJA TAMBÉM:

Subscribe
Notify of
guest
52 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
edcreek
edcreek
8 anos atrás

Ola,

Como sabemos o E/F nao existe ainda, e apesar dos Suecos dizerem que tudo e plug em play, sabemos que nao e assim que funciona.

Vamos ver a confirmacao, mas esse prazo de 2020 me parece bem razoavel.

Isso acabaria ainda mais com as minusculas chances no FX-2 BR, sem um tampao!!!

Abracos,

LuppusFurius
LuppusFurius
8 anos atrás

” escrito em francês ” …….falar ô que?!?!?!

Sendo verdade a data de 2020 teremos que ir de F18SH.Bom tampão não?

Nick
Nick
8 anos atrás

O planejamento sueco sempre foi ter os E/F a partir de 2020. Mas poderiam antecipar pelo menos alguns lotes , para alavancar uma venda externa. É o que está acontecendo.

[]’s

Giordani RS
8 anos atrás

“foi uma notícia dizendo que a investigação da Subcomissão de Defesa do Parlamento Suíço, a respeito da escolha do Gripen, não será finalizada em abril. Segundo a presidente da Comissão para Segurança Nacional, a parlamentar Chantal Galladé, essa investigação deverá terminar só em junho. A subcomissão está examinando a avaliação dos caças, e o presidente da mesma, o parlamentar Thomas Hurter, disse que a demora é porque a investigação é bastante complicada.” Mas precisa investigar? Já disseram e escreveram que a escolha foi economica, não técnica! Penso que os suíços jogaram limpo até demais: “Queriamos o Rafale, mas só podemos… Read more »

Mauricio R.
Mauricio R.
8 anos atrás

“…e apesar dos Suecos dizerem que tudo e plug em play, sabemos que nao e assim que funciona.”

De fato, o mundo real, tem sido mto cruel c/ Le Jaca.

“Isso acabaria ainda mais com as minusculas chances no FX-2 BR, sem um tampao!!!”

Mas são os suecos, fora os americanos, que tem excedendes p/ nos fornecerem um eventual tapão.
A França depende da substituição de M-2000 decrépitos e defasados, por Le Jaca, p/ tanto.

“Precisa investigar?”

Sim, claro dado o hábito de a mídia francesa, pretender falar pelos improváveis clientes, é bom ter tdo esclarecido.
Nos mínimos detalhes.

LuppusFurius
LuppusFurius
8 anos atrás

Nunão

Concordo contigo, mas…….
Sou Gripado por lógica (é no meu bolso que irá arder). Mas uma parceria com a Boeing não é má.
Na minha “mirrde pinião” , deveriamos ir de F18SH para FAB e MB, e parceria com a Boeing para futuras melhorias nos Vespões.Posteriormente um 5G ou 6G Pesado. Pois o parceiro é forte, e pode nos passar para ontem os 36 caças do Zumbi-2.
Bom resolvido 50% do problema , poderiamos pegar os Gripen E/F (2017 a entrega, tá jóia) e desenvolver o F2020 como caça leve.Ficariamos com um Mix respeitável.

ricardo_recife
ricardo_recife
8 anos atrás

Não vejo a razão desta celeuma. Há muito tempo os suecos falaram a entrega dos Gripen E/F (60 a 80) será a partir de 2020 (podendo ser antecipado caso haja necessidade de algum comprador). O Gripen E/F deverá atender as necessidades operacionais da Flygvapnet por mais vinte anos (2040). O problema para o FX-2 é que vai ter de haver um caça tampão. Não tem jeito. A questão é qual e se vamos comprar ou alugar. Nunão “a conversão de versões C/D para a E/F talvez seja cara demais. As versões possuem diferenças estruturais muito grande. Acredito que alugar seja… Read more »

Guilherme Poggio
Editor
8 anos atrás

Interessante que o Poder Aéreo também mostrou a outra face da cultura suíça. O debate. (Poder Aéreo também é cultura). E não é só lá. Outros países como a Noruega também é igual.

Para alguns pode ser novidade, para outros pode ser perda de tempo. Mas lá eles funcionam assim. Até para mudar o sentido do trânsito em uma rua tem plebiscito.

Para quem não se lembra, quando a Suíça comprou o Hornet na década de 90 teve plebiscito. E eu não vejo porque não ser diferente agora.

LuppusFurius
LuppusFurius
8 anos atrás

Valeu Nunão, excelente explanação……..
Só risca Lê Jaka da lista!!!!!

Sds

Ivan
Ivan
8 anos atrás

A Confederação Suiça ou Confederação Helvética é um país com cerca de 8 (oito) milhões de habitantes, mas dividido em em 26 (vinte e seis) Cantões, ou Estados Federados, alguns com etinia italiana (latinos/lombardos), outros franceses (Celtas ?) e a maior parte germânica.

Se eles não discutissem o que vão fazer creio que já teriam se dissolvido e engolidos pelos vizinhos poderosos.

Sds,
Ivan.

Ivan
Ivan
8 anos atrás

Nunão, Sou gripeiro ( gripado para alguns amigos 🙂 ), e vejo a solução Tampão com compra de 2 (duas) dúzias de Gripen C/D condicionada a encomenda de 3 (três) dúzias de Gripen E/F com algo natural, sem traumas e com grande benefício operacional para a FAB e industrial para o Brasil. Como a linha de montagem do Gripen E/F viria para São Paulo, seria possível continuar a produção de mais uma, duas ou três dúzias de Gripen E/F em conjunto com os 60 (sessenta) ou mais aeronaves para a Flygvapnet sueca. Poderíamos até pensar em um F-X3 para dispor… Read more »

LuppusFurius
LuppusFurius
8 anos atrás

Ivan o Antigo Gripeiro

Ótimo comentário, bem lógico,.Será que nossos Desgovernantes também tem esta visão lúcida????? ……(dúvido)…

LuppusFurius o ” Piá Gripado”
Mas aceitando o F18 SH……

Gilberto Rezende
Gilberto Rezende
8 anos atrás

Nunão por favor pare de PIADA, Gripen melhor solução ??? Como os Grinpas FINALMENTE já admitiram, a Suécia só quer saber mesmo do Gripen NG em 2020, CORRETO ??? Amigo sem rodeios, a quanto tempo está rolando o short list do FX-2 incluindo o Gripen NG ??? Qual era o prazo inicialmente previsto de entrega ??? ERA 2014-2015 !!! Ou seja caça sueco era só na intenção ! A notícia aí acima só comprova o que eu já disse antes sobre o F-X suíço, originalmente o real competidor era o JAS 39 Gripen C/D que estava no processo de aquisição… Read more »

edcreek
edcreek
8 anos atrás

Ola,

Entao para comprar Rafale precisa de tampao? Pessoal nao vamos criar um problema que nao existe para Rafale e Super Hornet…

Comprando da Franca ou Eua teremos os cacas em 2014 e comprando da Suecia teremos que arrumar um tampao de 2. Mao e teremos cacas novos em 2020 sem saber qual o custo real dos cacas que ainda vao ficar muito tempo em desenvolvimento….

Rafale e Hornet pronta entrega e escala garantida, NG para la de 2020 sem escala nenhuma….. cada vez mais a casa cai para o Gripado!

Abracos,

DrCockroach
DrCockroach
8 anos atrás

Em dia de Pascoa, qual eh o Santo que devemos chamar? 🙂 Existem pelo menos duas coisas que nao pode-se abrir mao no caso do Gripen: 1) Preco fixo; b) que a Suecia tb irah adquirir o modelo NG; – Preco fixo eh bem simples, basta a FAB fazer um contrato estabelecendo preco fixo, com clausulas de garantias: eh facil; nao vejo a hipotese de isto nao acontecer se deixarem a FAB trabalhar no contrato, o que parece que nao foi o caso de uma outra aquisicao, se eh que me entendem… – A Suecia tem que adquirir tb os… Read more »

DrCockroach
DrCockroach
8 anos atrás

Interessante tb esta passagem: “A subcomissão está examinando a avaliação dos caças, e o presidente da mesma, o parlamentar Thomas Hurter, disse que a demora é porque a investigação é bastante complicada.” Ou seja, a propria comissao do Parlamento irah double-check se os scores estao ok. Se entendi corretamente, jah na India existiram problemas em duas etapas diferentes da selecao. Na etapa dos scores, na qual um membro da comissao de defesa do Parlamento denunciou manipulacao p/ favorecer o Rafale, haverah um inquerito mas serah executado pelo proprio MinDef, e nao uma comissao do Parlamento. Na etapa da selecao do… Read more »

edcreek
edcreek
8 anos atrás

Ola,

Dr. a unica realidade e que se ficarmos em apenas um lote de 36 unidades, nao compensa financeiramente fazer nada aqui seja com Super Hornet ou Rafale….A coisa so fica interessante em produzir itens para Franca, Índia ou EUA, nesse quesito o projeto do caca fantasma tambem perde!!!

Abracos,

ricardo_recife
ricardo_recife
8 anos atrás

Nunão, Dr. Barata, Luppus, Ivan, parabéns! A discussão está muito boa. Vou fazer algumas considerações. Poder Aéreo é cultura! Suécia, Suíça, Holanda, Noruega e alguns outros países europeus tem uma forte tradição de democracia participativa. Tudo é discutido! Os suíços levam este ponto de sua cultura política ao extremo em seus cantões. Um exemplo sueco é a política de produção de energia nuclear, movida a plebiscitos e debates intensos. Nestes países eleger e deixar para lá não é uma opção. Qual o principal requisito para comprar um caça? Partindo de dois princípios: a) se identificou a necessidade da compra de… Read more »

Justin Case
Justin Case
8 anos atrás

Nunão, bom dia.

No meu entender, caso a decisão seja pelo Rafale ou pelo Super Hornet, não valerá a pena investir em tampões.
Mesmo que a entrega dos F-X seja a partir de 2016, será muito mais barato manter os F-2000 em voo. Imagine o investimento, o tempo e o trabalho para contratar, revisar e armar tampões, preparar infraestrutura, treinar, tudo isto para voar dois ou três anos após a entrega desses indesejados Tampax.
Abraço,

Justin

Justin Case
Justin Case
8 anos atrás

ricardo_recife disse:
8 de abril de 2012 às 10:46

Ricardo, bom dia.

Na minha opinião, embora já tenha sido dito oficialmente “que todos atendem aos requisitos do F-X2” isso não quer dizer que todos atendam IGUALMENTE.
Os resultados serão muito diferentes, não apenas em termos de custos, mas também de riscos, capacidade operacional, prazos, tecnologia disponível, independência, efeitos nas relações internacionais, etc.
Imaginar que se deva comprar um deles apenas porque é mais barato é uma simplificação extrema, inadequada a um projeto de tal importância.
Abraço,

Justin

Marcelo
Marcelo
8 anos atrás

Rafale para já. Chega de enrolação. Aliás, gostaria de indicar aos foristas, a Air Forces Monthly deste mês de Maio. Chamada da capa: Rafale why it’s a winner.
Bem, como está é uma revista de língua inglesa, inclusive sendo a mais importante de aviação militar da Inglaterra, ela tem credibilidade por aqui, Né? Se fosse mídia francesa iria ser ridicularizada ( o que eu acho ridículo, mas fazer o quê…). Bem, o artigo está muito interessante, inclusive com a análise da competição na Suiça onde o Rafale ganhou, mas não levou.
Abraços!

Grifo
Grifo
8 anos atrás

Bem, o artigo está muito interessante, inclusive com a análise da competição na Suiça onde o Rafale ganhou, mas não levou.

Senhores, o Rafale ganhou a concorrência da Suíça? Opa, alguém por favor avise os suíços, que estão lá negociando com a SAAB e não com a Dassault.

Aqui no Brasil ao que se sabe a FAB (ainda) trabalha com a entrega da aeronave em 2016, sem necessidade de qualquer “tampax” qualquer que seja o concorrente escolhido.

Daglian
Daglian
8 anos atrás

ricardo_recife,

A meu ver, o problema do caça tampão não é o fato de que, em algum dado momento, possamos usá-lo. O problema é se este tornar-se definitivo. Se a FAB escolher, por exemplo, o Gripen E/F e vierem tampões C/D até que o NG seja efetivamente produzido, TUDO BEM. É só uma fase temporária enquanto os caças comprados não chegam.

O problema é se comprarmos MAIS F5-EM, MAIS M-2000… esses são tampões que estão mais para caças definitivos para a força o que, claro, ninguém da FAB quer.

Daglian
Daglian
8 anos atrás

Perdão, mais F-5E/F , o M viria só depois da modernização né… rsrsrsrs

edcreek
edcreek
8 anos atrás

Ola, Grifo releia o texto, o NG nao deve ficar pronto em 2016 esse o motivo de toda questao aqui nesse post, para ter o hipotetico caca Anglo/Sueco teremos que ter obrigatoriamente um tapao. Meu outro post nao teve direcao especifica caros amigos, apenas para resaltar que a Franca ja tinha garantido que ao assinar o contrato a producao seria direcionada ao Brasil, assim como os EUA, ja na Suecia isso nao pode ocorrer ja que ele ainda esta em desenvolvimento, eles podem mandar outro caca? Sim, mas teriamos que montar toda um estrutura que seria gasto inutil ja que… Read more »

ivanildotavares
ivanildotavares
8 anos atrás

Por favor não me levem a mal, mais qual o problema se:

Já que não há tempo hábil para substituir os M-2000 de Anápolis pelo vencedor do FX-2, porque não adquirirmos uns poucos F-5 e segurarmos a onda até o final da década? Estaríamos pelo menos com um equipamento extremamente conhecido pela FAB e não sobrecarregaríamos os esquadrões que ora os operam com transferências de unidades para Anápolis/Brasília. Parece que o Chile quer vender alguns.

Abraços
GUPPY

Vader
8 anos atrás

Senhores, o único caça que pode ser entregue em 2014 em condições de emprego definitivas é o Super Hornet. Rafale só em 2016, e Gripen E/F só lá pra 2018. O resto é balela. O Rafale não tem tampão. O Mirage não pode ser “segurado” pra lá de 2016, e novos Mirage estão fora de cogitação, por causa dos custos e porque correm o risco de se tornar definitivos. Então se o GF em muitieramá escolher o Rafale, será Rafale em 2016 e ponto final. O GDA que se agüente com os seus M-2000 até lá. Lembro ainda que o… Read more »

Magal
Magal
8 anos atrás

Na verdade tanto o SH quanto o Rafale podem ter slots de produção negociados para serem entregues em 2014. A linha de produção do SHornet está no momento atendendo as diversas encomendas da US Navy assim como a mesma coisa está acotencendo no caso do Rafale. Para resolver essa questão é só negociar com ou a US Navy ou com a F Aérea francesa e assim poderíamos ter algumas dessas aeronaves aqui em 2014 (provavelmente não na configuaração Br, o que poderia acontecer mais tarde). Esse tipo de negociação é bem normal e mesmo a FAB cedeu vários dos seus… Read more »

Marcelo
Marcelo
8 anos atrás

Grifo disse:
8 de abril de 2012 às 13:15

caro Grifo, na Suiça, assim como na Índia, ninguém ganhou ainda. Estes governos só expressaram o bidder com quem estão negociando…

Saudações cordiais.

Ivan
Ivan
8 anos atrás

Marcelo, A pergunta foi para o Grifo, um forista bem mais informado, mas vou me atrever opnar. Acredito que o Rafale já ganhou na Índia e o Gripen já ganhou na Suiça. Ambos com méritos e dentro do que cada uma daquelas nações esperam de um novo caça, principalmente dentro das missões que devem cumprir e do papel no planejamento de defesa de cada um. Falta negociar valores finais, configuração final e finalmente (rs rs rs rs) assinar o contrato. Mas que já ganhou… ganhou! Evidentemente pode haver uma improvável reviravolta, mas é muito difícil a esta altura do campeonato.… Read more »

Mauricio R.
Mauricio R.
8 anos atrás

“Sim, mas teriamos que montar toda um estrutura que seria gasto inutil ja que logo seria substituida.” Ué??? Não foi o que se fez p/ o M-2000??? A vantagem é que suecos e americanos tem aeronaves suficientes p/ podermos trocar os M-2000, tdos os F-5M em operação e tb aqueles passando pelo update. Com os americanos, troncam-se tdas as células velhas, por outras estalando de novas!!! Com os suecos primeiro trocamos nossas aeronaves atuais pelos Gripen C/D e dpois qndo recebermos os Gripen E/F, os Gripens mais antigos poderiam subistituir os A-1/AMX. E a FAB ainda economiza a grana, de… Read more »

Grifo
Grifo
8 anos atrás

caro Grifo, na Suiça, assim como na Índia, ninguém ganhou ainda. Estes governos só expressaram o bidder com quem estão negociando…

Caro Marcelo, quem disse que o Rafale ganhou na Suíça foi você, não eu.

Realmente eu acho que só dá para dizer que ganhou mesmo depois do dinheiro entrar na conta, e até lá tanto na Suíça quanto na Índia ainda tem muita água para rolar. Mas eu me surpreenderia se o “bidder” que está em “negociações exclusivas” não levar em ambos os casos.

Marcelo
Marcelo
8 anos atrás

Grifo disse: 9 de abril de 2012 às 18:10 Grifo, você não entendeu a ironia, o que é desculpável, pois é um texto escrito. o Rafale “ganhou” tecnicamente, mas não “levou” comercialmente. Cappice? Gostaria que todos pudessem comprar a revista AFM, mas vai uma palhinha: Notas para Air Policing, que é a missão mais importante para a Suiça (ainda tem as notas de DCA,OCA, Recce e Strike): Gripen 4.2 Gripen NG 5.33 Rafale 6.71 Rafale F3+ 6.98 Typhoon 6.2 Typhoon P1EA 6.48 notem que nem a evolução do Typhoon é melhor que o Rafale atual…o Gripen e o Gripen NG,… Read more »

Grifo
Grifo
8 anos atrás

Caro Marcelo, o Armasuisse deixou claro que os relatórios vazados foram relativos ao Gripen C/D, não do NG.

Será que levou mesmo “somente” pelo preço? Não teria sido também pela transferência de tecnologia, pela logística, pelo custo de operação, pela integração de armamentos, e tantos outros itens que não contavam naquele relatório vazado?

Mas se foi mesmo “somente” pelo preço, mais uma vez fica a lição que fazer muito mais que os requisitos é bom, mas fazer os requisitos e oferecer o preço mais baixo é muito melhor.

Grifo
Grifo
8 anos atrás

E, é claro, o Rafale não “levou” nada. Só faltava esta na lista de desculpas francesas, “levei mas perdi no preço”…

Marcelo
Marcelo
8 anos atrás

Fernando “Nunão” De Martini disse: 10 de abril de 2012 às 12:27 caro Nunão e caro Grifo, sim, pode até ser que essas notas dos GRIPENs (“normal” e “NG”) não sejam as finais (só para constar a revista é de Maio de 2012 e eu recebi a versão digital anteontem…). Mas, vejam se vocês concordam comigo: as notas dos Rafales (“normal” e “novo”) e dos Typhoons (“normal” e “novo”) são as finais, pelo menos para a Suiça… As notas dos Gripens estão sendo revisadas para “darem” acima de 6 e eles poderem justificar que não estão comprando um avião pior… Read more »

Marcelo
Marcelo
8 anos atrás

caro Nunão: posso fazer até melhor, posso tentar criar um arquivo eletrônico da reportagem que é de Maio de 2012 mesmo, da Air Forces Monthly, ou seja, uma referência meio difícil de falar mal, ao contrário da mídia francesa, em que só metem o pau por aqui…
Também saiu um artigo sobre o F-X que eu também não li ainda! 🙂
Mas agora eu não entendi…vc conseguiu a revista ou não? Posso mandar para o seu email?
Abraços.

Ivan
Ivan
8 anos atrás

Curiosa esta questão das notas. Com vazamento ou sem vazamento, de 2008, 2009 ou 2011, o bom, ‘velho’ e confiável F-18C Hornet é o parâmetro de comparação com nota 6,0 (seis) e todos os concorrentes do Tielersatz (TTE), caças de geração 4,5 (com plus ou +++), ficaram com notas em torno de 10% maiores, ou seja, um ganho de desempenho relativamente pequeno. Sim, o Hornet suiço são dos modelos C (26 unidades) e D (7 unidades), tendo passado recentemente por uma MLU que os capacitou para operações ar-terra, tendo em vista que originalmente realizavam apenas missões ar-ar. Somando à pequena… Read more »

Ivan
Ivan
8 anos atrás

Mas é sempre bom lembrar que o Tiger Tielersatz (TTE) é um Partial F-5 Tiger Replacement programme, ou seja, programa de substituição parcial do F-5 Tiger.

O avião a ser substituido é o pequeno, resistente e longevo Tiger II,
sendo o Hornet usado apenas como parâmetro de comparação.

ricardo_recife
ricardo_recife
8 anos atrás

O olhando para o benchmark da competição Suíça (6,0 do velho Hornet) e observando o desempenho geral dos Eurocanards vejo que se os suíços quisessem um biturbina deveriam ter escolhido o Super Hornet, em termos numéricos certamente ganharia fácil dos outros concorrentes. O mais importante e poderoso avião a voar sob o cocar das forças aéreas da Europa será o F-35 JSF, todos os deltas europeus que hoje voam já estão ultrapassados frente a este competidor a o novo caça russo PAK-FA. Nunão, os suíços já explicaram em detalhes que os relatórios vazados ou continham informação incompleta ou eram simplesmente… Read more »

Grifo
Grifo
8 anos atrás

sim, pode até ser que essas notas dos GRIPENs (“normal” e “NG”) não sejam as finais (só para constar a revista é de Maio de 2012 e eu recebi a versão digital anteontem…). Caro Marcelo, tanto eu quanto o Nunão assistimos a entrevista coletiva do ministro da Defesa e da cúpula da Armasuisse, onde eles disseram de viva voz que aqueles dados se referem a versão anterior ao Gripen que eles estão adquirindo. O Nunão inclusive usou esta afirmação para o título da matéria, que recomendo fortemente a leitura porque é o melhor artigo sobre o assunto que saiu na… Read more »