Home Aviação de Caça Gripen: vem aí uma nova geração, sem sombra de dúvidas

Gripen: vem aí uma nova geração, sem sombra de dúvidas

203
20

A brincadeira do título com a imagem também é um tanto infame, mas a verdade é que, com o passar do tempo e novas notícias vindas da Suíça e da Suécia, cujas Forças Armadas demonstraram claro interesse numa nova geracão do Gripen, as dúvidas que muitos já tiveram sobre a viabilidade dessa nova geração vão se dissipando, configurando-se o que se chama de NG nas versões E e F (seja por meio de extensas modificações em células existentes, seja pela produção de células novas – a última questão a ser resolvida).

Pelo menos uma dessas fotos já apareceu aqui, mas é sempre bom rever para perceber as principais diferenças externas entre a versão atual e a futura. Clique para ampliar e conferir os detalhes.

FOTOS: Saab

Subscribe
Notify of
guest
20 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Nick
Nick
8 anos atrás

Caro Nunão, fotos interessantes que mostram as alternativas do futuro Gripen: https://i.imgur.com/Zm1Yy.png https://i.imgur.com/0pGzN.png Segundo o forista que postou são as alternativas de configuração do NG: Alternativa B: – Mesmo airframe dos C/D – Upgrade dos motores RM12 Configuração insuficiente para encarar os desafios nos próximos 20 anos. Alternative C1: – Airframe modificado(mudanças na capacidade interna de combustível, novas asas, entrada de ar maiores) – Novo motor (GE F-414) – Tecnologias atualizadas – From 2023+( a partir de 2023?!? não entendi isso) Segundo a SAAB seria a configuração mais barata Alternativa C2: – Mesmos itens do C1, mas com mais modificações… Read more »

Nick
Nick
8 anos atrás
Nick
Nick
8 anos atrás

Só complementando:

O C2 demoraria mais para desenvolver e custaria mais também , mas seria bem mais adequado à enfrentar os caças predominantes (F-35 e PAKFA).

Seria o ideal para um pós FX-2(que já foi definido para Rafale) e que não vai agregar muito. O C-2 seria perfeito, mas seria necessário a sinalização do governo brasileiro, para que a Suécia optasse por essa configuração ao invés do C-1 que é a configuração da Suiça.

[]’s

LuppusFurius
LuppusFurius
8 anos atrás

Nick,
tiraram o bode da sala e colocaram a Jaca??!?!?
Não acretido no GF, mas Jaca já é demais até prá eles.
Este pessoal não pode abusar tanto do bolso e da paciência do contribuinte.

Antonio M
Antonio M
8 anos atrás

E é muita notícia, apresentações, fotos e especificações técnicas para um avião “que no exciste” …rsrsrsrsrsrsrs!!!!!

Marcos
Marcos
8 anos atrás

E enquanto isso numa “poderosa” nação americana ao Sul do Equador… nada!!

Para quem almeja um assento no Conselho de Segurança da ONU, até agora o que de fato vamos conseguir é um assento em um daqueles piniquinhos de criança, aqueles que você pôe o bebê e começa a ensinar que ele tem de fazer o pipizinho e o cocôzinho.

asbueno
asbueno
8 anos atrás

Começo a pensar seriamente que o pleito de um assento permanente no CS seja apenas retórica, ou melhor, conversa boi dormir. O apelo do blog é majoritariamente militar. Porém, ainda pensando no CS, e além da ótica militar, seria muita cara de pau querermos dizer sim ou não ao mundo enquanto ainda temos muitas lições para fazer em casa: saúde, educação, moradia, saneamento, habitação, infraestrutura (estradas, portos, aeroportos, geração de energia) e controle da maior praga: “o supergafanhoto” Corruptus Invencibiles, que infelizmente não infesta apenas um partido… Tudo isso para dizer que penso que tanto faz para nossos governantes o… Read more »

Observador
Observador
8 anos atrás

Senhores, Fugindo totalmente ao tema central… Se problemas internos fossem impeditivos da presença brasileira no conselho, não haveria porque a Rússia e a China estarem lá, não é mesmo? Mas por que o Brasil deve figurar como membro permanente do Conselho de Segurança da ONU? Simples. Por duas razões. Primeiro: porque merecemos. Somos a quinta nação mais populosa do Mundo e o quinto país mais extenso. Somos o maior país da América do Sul, a maior nação lusófona, tendo laços com países e comunidades na Europa, Ásia e África. Temos a maior extensão de terras agricultáveis no planeta, somos os… Read more »

asbueno
asbueno
8 anos atrás

Observador (18:30): Declino do que disse em relação a não merecermos o CS por conta de nossos problemas internos e concordo com o mencionado sobre China e Rússia. Aliás… Todavia precisamos reduzir e muito esses problemas, por nós mesmos enquanto nação. Algo moral. Palavra esta de significado desconhecido de vasta porção da classe política e classes agregadas. Temos uma oportunidade (janela aberta há mais de uma década!) de comprar caças modernos para nossa linha de frente e não conseguimos fazê-lo. Provavelmente tem a ver com o mencionado por você no seu penúltimo parágrafo. E Certamente não é por conta dos… Read more »

Grifo
Grifo
8 anos atrás

Senhores, um assento permanente no CS não é um dos nossos objetivos nacionais. Entendo portanto que seja o meio de atingir alguma coisa. Mas o quê?

O Japão e a Alemanha são a segunda e a quarta maiores economias do mundo, e ambas dão uma qualidade de vida invejável para os seus cidadãos. E não são membros permanentes.

Observador
Observador
8 anos atrás

Caro Grifo: Não são membros permanentes porque perderam a Segunda Guerra Mundial. O Japão quer uma cadeira no conselho, até para barrar a hegemonia da China. E A Alemanha também almeja a posição, com a diferença que depois da aventura nazista (ou melhor, filme de terror), fica muito difícil empunhar qualquer bandeira nacionalista lá. Por outro lado, a Índia tem o CS como um dos seus objetivos. E tem tudo para fincar o pé lá: território, população, poder econômico, sem falar na bomba. Da mesma forma, a África do Sul quer abiscoitar para si uma vaga, sob o argumento de… Read more »

Observador
Observador
8 anos atrás

IntereSSante.

Daglian
Daglian
8 anos atrás

E mesmo outros lobos caro Observador. Quem está no CS não quer que o poder que este representa para seus membros permantes espalhe-se por aí. O desejo é de manter este poder com quem já tem e os outros… que fiquem fora! Porém, de novo como você disse, será difícil “segurar” certos países fora do CS, tal como a Índia. Acredito que definiremos se temos condições para pleitear o CS em 5~10 anos. Nesse meio tempo, se o FX-2 não for concluído (e um FX-3 para vetores furtivos não for iniciado), se a Marinha não começar a renovar EFETIVAMENTE seus… Read more »

Corsario137
Corsario137
8 anos atrás

Concordo plenamente com o amigo “Observador” e reitero o “Daglian”. Para entrar no clube do CS dinheiro e influência não bastam, é preciso ter armas. Daí o Brasil tem que decidir se quer ocupar mesmo uma cadeira nesse conselho ou não. O momento atual é perfeito para analisarmos a questão. EUA e aliados já teriam feito uma intervenção na Síria se não fosse o veto de Rússia e China. O Brasil segue a linha diplomática do “não alinhado” e portanto acho difícil que alguém queira mais um país pra “melar” as decisões. O Brasil pleiteia uma cadeira como se por… Read more »

Grifo
Grifo
8 anos atrás

Não são membros permanentes porque perderam a Segunda Guerra Mundial.

Caro Observador, isto eu sei. O meu ponto era no entanto que chegaram onde estão sem estarem no CS.

Volto a minha pergunta: queremos chegar no CS como meio de obter o quê?

Control
Control
8 anos atrás

Senhores Nossos políticos tem como crença base que o que importa é a versão e não os fatos, por isto é que temos uma enxurrada contínua de declarações e eventos para a mídia e muito pouca ação prática. Veja-se o exemplo da participação do Brasil na estação espacial, no super-telescópio, o END, e por aí vai. Somos falastrões inconseqüentes. O desejo pela cadeira no CS é função disto, almejamos ficar em evidência, queremos a imagem associada ao poder. Nem passa pela cabeça de nossos políticos que tal posição exige responsabilidade, que o clube é fechado e para entrar o sócio… Read more »

Eduardo RA
Eduardo RA
8 anos atrás

Chegar ao CS para ganhar o que?

Excelente, Grifo!

Talvez para aumentar a jactancia na terra do faz-de-contas…

Justin Case
Justin Case
8 anos atrás

Amigos, bom dia.

Se Japão, Alemanha, Índia, África do Sul, entre outros, estão brigando muito para chegar lá, deve ser importante e dar retorno.
Ou não?
Será que eles são bobinhos?
Abraços,

Justin

Vader
8 anos atrás

Senhores, SE um dia nos tornarmos uma potência militar, econômica e social global seremos CONVIDADOS a entrar no CS da ONU. Não há como ignorar. Sob pena de o órgão se tornar mais irrelevante do que já é. Aliás, o dobre de morte do CS da ONU veio dos EUA, via Mister George Walker Bush, quando da invasão do Iraque. Ele só fez notar o que todos já sabiam, mas ninguém tinha coragem de falar: o CS da ONU não tem relevância para quem tem poder militar REAL (e não retórico). Com todos os vetos franceses, russos e chineses, o… Read more »

Grifo
Grifo
8 anos atrás

Caro Justin Case, não tenho dúvida que todos eles querem ser membros permanente do CS. Quem não ia querer? Mas eles estão brigando muito por isso? É uma prioridade nacional destes países, da forma como o tema é colocado aqui no Brasil pelo Itamaraty? Eu não vejo isso. Ao que eu saiba a África do Sul e a Alemanha sequer defendem oficialmente a sua presença permanente no conselho, preferindo usar eufemismos como “maior presença da África” e “um assento para a Comunidade Européia”. Sair pelo mundo pedindo voto abertamente, e acreditar em promessa de apoio dado em troca de transações… Read more »