domingo, dezembro 5, 2021

Gripen para o Brasil

Concorrência suíça: EADS só apresentará nova proposta se for solicitada

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

O jornal suíço 24 heures trouxe nesta quarta-feira uma entrevista exclusiva com Claas Belling, porta-voz da campanha suíça do grupo EADS, que concorreu com o Eurofighter Typhoon. Como desde novembro praticamente nada saiu na mídia a respeito da repercussão, para o consórcio Eurofighter, da Suíça ter preferido o Gripen da sueca Saab (ao contrário de notícias relacionadas a outro caça não escolhido, o francês Dassault Rafale), o Poder Aéreo traz para seus leitores tradução da entrevista.

A EADS chegou a informar a Armasuisse que se considerava ainda na competição, até que o parlamento aprove a compra de 22 caças Gripen da Saab?

Claas Belling – Depois da decisão da Suíça de adquirir o Gripen,  no final de novembro de 2011, não apresentamos nenhuma uma nova oferta para a Armasuisse.

Nós consideramos que nossa mais recente oferta até à data, de outubro de 2011, era bastante atrativa. Como todas as que apresentamos ao longo do processo de avaliação, que durou de 2008 a 2009. Mas se a Suíça decidir reconsiderar a sua decisão de compra, estaremos evidentemente abertos para tudo.

Por que a EADS não fez uma nova oferta? Como a Dassault…

Claas Belling – Nós não somos autorizados a fazer isso, porque ela deve atender a um pedido oficial de nossos clientes.

O Conselheiro Thomas Hurter, presidente da Subcomissão de Segurança, propôs a idéia de solicitar uma nova oferta aos três fabricantes da competição?

Claas Belling – Eu li a proposição do sr. Hurter, presidente da Subcomissão, que deve lançar luz sobre o procedimento de avaliação das aeronaves. O sr. Hurter é um parlamentar eleito, é um especialista na indústria aeroespacial e de defesa, mas ele não vai decidir sozinho.

Se ele for seguido por outros parlamentares e  esta hipótese for validada, a EADS apresentará uma nova oferta para o seu Eurofighter.

Além disso, a avaliação suíça foi concluída em 2009. Depois daquela data, nós entregamos mais de 170 Eurofighter para diferentes clientes em todo o mundo. A nossa frota mais do que dobrou as horas de operação / voo, chegando a mais de 130 000 horas de voo! Nosso avião tem se desenvolvido desde então, tanto em termos de desempenho quanto de preço.

Sua última oferta para a Armasuisse é de outubro de 2011. Quantos aviões e qual o montante foi proposto?

Claas Belling – Isso é confidencial. E você compreende que eu não quero comentar sobre o que se escreve aqui e ali na imprensa suíça. Já lemos que tínhamos oferecido 17 Eurofighters por 2,2 bilhões. Isso é mais barato do que a oferta de desconto da Dassault para o Rafale tornada pública no final de janeiro (nota do jornal: 18 Rafale por 2,7 bilhões).

Se o preço é essencial a esse ponto, temos versões de baixo do Eurofighter. Mas eu repito, vamos esperar que a Armasuisse nos solicite. Nós dizemos simplesmente que continuamos abertos à discussão.

O contexto político atual que envolve a compra das aeronaves é caótico. EADS tem críticas a formular quanto ao processo de avaliação?

Claas Belling – Não, não podemos deixar de respeitar a decisão da Suíça. Mesmo que não estejamos satisfeitos com a escolha. Nós continuamos à disposição da Armasuisse e do mundo político.

Se formos convidados pela Subcomissão, responderemos a todas as questões.

Jornal também trouxe matéria sobre reunião do chefe do Departamento de Defesa com o Conselho Federal, que após as explicações dadas à imprensa, mantém a decisão tomada

O Conselho Federal não vê razão para reverter a sua decisão tomada sobre a escolha do Gripen. Segundo o porta-voz do Governo Suíço, André Simonazzi, o chefe do Departamento de Defesa,  Ueli Maurer, informou na quarta-feira ao Conselho as explicações dadas à imprensa ontem. Os relatórios de avaliação do novo avião de combate publicadas na imprensa no domingo dizem respeito a um modelo anterior do Gripen sueco. Eram documentos parciais, e não um relatório final. Assim, segundo o vice-chanceler, o Conselho Federal pode decidir com base nos últimos dados disponíveis.

Para o Governo, o Gripen é a aeronave com o melhor custo-benefício, por preencher todos os requisitos militares a um custo inferior que seus concorrentes (Rafale e Eurofighter). Segundo o jornal, Maurer tem esperanças de conseguir um preço melhor que os 3,1 bilhões por 22 aeronaves.

FONTE: 24 heures (notícias compiladas, traduzidas, adaptadas e editadas pelo Poder Aéreo)

FOTOS: Força Aérea SuíçaArmasuisse (imagens da época da avaliação do Eurofighter Typhoon para a concorrência)

- Advertisement -

4 Comments

Subscribe
Notify of
guest
4 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Vader

Parabéns à EADS Eurofighter pela postura sóbria e altaneira. Honestamente, em tempos em que uma certa empresa francesa enche a “mídia” mundial com dossiês fajutos e a destempo, notícias desencontradas e sem pé nem cabeça, cartas anônimas, contra-propostas intempestivas e um lobby desgraçadamente sujo, que utiliza gente que não vale nada para tentar levantar a opinião pública e influenciar a venda de seu produto perante gente que presta menos ainda, nada como ver quem sabe que tem um bom produto, mesmo que não seja tão competitivo, saber se portar como bom perdedor. Que pena. Que lástima. Que “vergonha alheia” que… Read more »

DrCockroach

Eu sempre fui indiferente entre o Typhoon e o Rafale (exceto que acho o Typhoon mais bonito), mas acabo simpatizando com o entrevistado, um gentleman.

[]s!

Marcelo

calma Vader, que raiva no coração…olha a pressão alta hein?

Justin Case

Amigos, Interessante artigo publicado hoje na Suíça: http://www.lematin.ch/suisse/gripen-rafale-eurofighter-epreuve-feu-libye/story/17904363 “ Gripen, Rafale et Eurofighter à l’épreuve du feu en Libye Evaluation des avions de combat — Les trois avions en compétition en Suisse ont été engagés en 2011 lors de l’opération de l’OTAN en Libye. Un spécialiste des questions militaires français fait une évaluation de leurs performances sur le terrain. Par Xavier Alonso, Berne. Jean-Dominique Mercher, spécialiste reconnu des questions militaires, tient un blog qui fait référence, Secret défense. Le journaliste s’est fait connaître par ses avis bien informés dans les pages du quotidien Libération; il travaille désormais pour le magazine… Read more »

Últimas Notícias

Finlândia deve escolher jatos F-35 na concorrência de US$ 11 bilhões

A Finlândia deve escolher os caças F-35 da Lockheed Martin Corp. em sua licitação de 10 bilhões de euros...
- Advertisement -
- Advertisement -