Home Noticiário Nacional Amorim: expectativa da compra de caças neste semestre

Amorim: expectativa da compra de caças neste semestre

84
14

BRASÍLIA – O ministro da Defesa, Celso Amorim, disse nesta quarta-feira que tem a “expectativa” de que a decisão final sobre a compra de caças pelo governo seja tomada neste semestre.

– A decisão é da presidenta, então eu não posso fixar prazos para a presidenta da República. Eu tenho a expectativa de que possa ser neste semestre, vamos ver – afirmou o ministro, após participar da abertura do 1.º Seminário Estratégia Nacional de Defesa: Política Industrial e Tecnológica, no auditório Nereu Ramos, na Câmara dos Deputados.

Amorim esteve recentemente na Índia, país que acaba de anunciar a intenção de adquirir caças do modelo francês Rafale, uma das opções do governo brasileiro. Ele disse que a Índia é um importante parceiro e que é importante trocar informações com o governo indiano. Isso não significa, contudo, que o Brasil vá seguir o mesmo caminho.

Estão na disputa também caças fabricados pela norte-americana Boeing e pela sueca Saab.
– É muito importante que Brasil e Índia troquem informações. Agora, não quer dizer que a decisão venha a ser mesma. Mas uma decisão, quanto mais bem informada, melhor para o país.

O ministro disse estar seguro de que a compra será feita:
– Eu acho que aquisição dos caças, que não é só uma compra, tem que ter transferência de tecnologia, produção nacional, isso vai ocorrer. Eu tenho certeza disso. Agora, exatamente quando, não sei, isso é um julgamento que a presidenta terá que fazer.

Ele afirmou que os estudos estão feitos e que o Brasil precisa equipar melhor a sua frota de defesa aérea:
– Eu acho que os caças são necessários, que a força aérea brasileira necessita, o Brasil necessita desses caças para a sua proteção. O Brasil é um país que hoje detém riquezas, não só as que já detinha, mas tem as do pré-sal. Então, num mundo complexo, o Brasil precisa ter uma força aérea bem equipada e a presidenta está plenamente consciente disso.

Amorim observou que a decisão de realizar a compra em 2012 não teria impacto imediato no orçamento deste ano, embora a negociação, uma vez firmada, vá comprometer recursos por um período de dez anos.
Indagado sobre a demora do Brasil em tomar uma decisão, ele respondeu:

– Isso não é um problema do ministro Jobim, do ministro Amorim. Isso é uma questão da capacidade financeira do país de fazer frente a certos encargos. É uma compra necessária, mas não é barata.

FONTE: Yahoo Notícias/Agência O Globo

14
Deixe um comentário

avatar
14 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
11 Comment authors
F-X2: faltam 18 dias para acabar o primeiro semestre de 2012 | Poder Aéreo - Informação e Discussão sobre Aviação Militar e CivilMarceloVaderOptimusFernando "Nunão" De Martini Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

“- É muito importante que Brasil e Índia troquem informações. Agora, não quer dizer que a decisão venha a ser mesma. Mas uma decisão, quanto mais bem informada, melhor para o país.”

E por acaso consta em algum lugar, que trocamos informações c/ os suiços???
Ou só se trocaram informações c/ a Índia, pois lá Le Jaca é o L1, o preferido???

Marcos
Visitante
Member
Marcos

“… é uma questão da capacidade financeira do país de fazer frente a certos encargos…”

Muito gozado. Parece que não houve nenhum problema financeiro ao desenbolsar recursos da ordem de R$20bi para contrução dos submarinos Moby Dick – o grande elephante branco das profundezas, Flipper I, Flipper II, Flipper III e Fliper IV, os quatro eletro diesel.

Também não faltou recursos para o programa dos helicópetros Super Puma, aqueles com assentos de pele de cordeiro australianos criados nas altas montanhas tibetanas, cujo custo unitário é de R$100 mi, mais caros quase do que os próprios caças.

Nick
Visitante
Member
Nick

Adianta falar que “pode ser” anunciado? De que adianta isso? Ou anuncia ou fica calado.

[]’s

Giordani RS
Visitante
Member

“- Eu acho que os caças são necessários, que a força aérea brasileira necessita, o Brasil necessita desses caças para a sua proteção. O Brasil é um país que hoje detém riquezas, não só as que já detinha, mas tem as do pré-sal. Então, num mundo complexo, o Brasil precisa ter uma força aérea bem equipada e a presidenta está plenamente consciente disso.”

Exatamente! Bola por cima e a defesa já não funciona! Essa zaga é um queijo suíço! Pô Mano…

🙁

Almeida
Visitante
Member
Almeida

Blablabla Whiskas Sachet blablabla…

JapaMan
Visitante
JapaMan

Vem campanha política por aí, isso vai ficar pro ano que vem, e quer saber? ja tem vencedor.. não sei pq não assumem logo o fedidão francês e pronto.

Control
Visitante
Control

Senhores O presente rebuliço causado por informações supostamente fidedignas sobre o processo de licitação de caças na Suíça e na Índia é bom, por um lado, pois demonstra um maior interesse pelo assunto, mas é ruim por outro, pois tem demonstrado a nossa ignorância e espírito de país subdesenvolvido. Desqualificar, sem dados sólidos, a decisão dos suíços, um país que tem uma tradição de cuidado e valor com sua defesa é um absurdo. Observe-se que os suíços prestam serviço militar até os sessenta anos, suas compras de equipamentos militares são discutidas e muitas vezes referendadas por voto direto. Ou seja,… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Famed Member

“Mauricio R. em 15 de fevereiro de 2012 às 11:49”

Maurício, nesse sentido, valeria a pena também marcar uma viagem para a Austrália, que é a única operadora de Super Hornet fora dos EUA (tudo bem que lá não foi o caso de uma concorrência internacional, mas seria interessante obter informações com eles).

De qualquer forma, o comandante Saito, que estava na comitiva indiana segundo as informações disponíveis, já fez uma visita a um operador de Gripen fora da Suécia, ainda que não seja na versão E/F: a República Tcheca.

Optimus
Visitante
Optimus

Mas com que dinheiro?! Corte de R$ 55 Bi … e adivinhem qual um dos ministérios que mais sofreu com esse contingenciamento?!

http://g1.globo.com/economia/noticia/2012/02/governo-anuncia-bloqueio-de-r-55-bilhoes-no-orcamento-de-2012.html

Comprar tudo bem… financiamento externo a perder de vista, etc. Mas vão operar a contento 36 Rafales, COMO?!

Vader
Visitante
Active Member

Aguardando esse lixo aí ir visitar a Suíça e a Austrália, no mínimo, para provar que ele não quer enfiar a jaca fedida no “poisadouro” da FAB…

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

Nunão,

Visitar a Austrália p/ se informar a respeito da aquisição e operação do SH, está terminantemente proibido!!!
Pois lá foi antes do prazo e abaixo do orçado…
Mta eficiência assim, só pode ter algo de mto errado.
Profissionalismo, comprometimento, etc, etc, etc…
Petralha, não gosta disso.

Marcelo
Visitante
Member
Marcelo

pois é Fernando, o Saito até queria visitar um operador de Gripen E/F, mas…

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Famed Member

Não sei, Marcelo, nunca ouvi nada dele expressando esse desejo. Você já ouviu? Brincadeiras à parte: Pelo que sei, para o Saito ou qualquer um envolvido na decisão do F-X2 ver um dos caças concorrentes na configuração oferecida para o programa, operando pra valer em algum lugar, só indo à Austrália ou aos Estados Unidos. Porque Rafale F3 “plus” e Gripen E/F, ambos com AESA com operação comprovada em esquadrões da ativa, ainda não dá pra ver operando em lugar nenhum. O que dá é pra ver e voar em aeronaves desses tipos que testam esses sistemas. Quem sabe, se… Read more »

trackback

[…] Amorim: expectativa da compra de caças neste semestre […]