sexta-feira, agosto 19, 2022

Gripen para o Brasil

Começa a produção do ‘Distributed Targeting System’ para o Super Hornet

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Na quarta-feira, 1º de janeiro, a Boeing informou em nota que foi iniciada a produção do DTS (Distributed Targeting System – sistema de mira distribuído) para o caça de ataque F/A-18 E/F Super Hornet. O DTS, segundo a empresa, aprimora a consciência situacional das tripulações da aeronave, no engajamento de alvos no solo. A capacidade de operação inicial (IOC – Initial Operational Capability está prevista para janeiro de 2013.

O sistema, segundo a nota, amplia a capacidade de apontamento de alvos do Super Hornet, e faz parte do programa de modernização da rede central de combate (Network Centric Warfare Upgrades program) da Marinha dos EUA (USN), assim como do roteiro de desenvolvimento (Flight Plan) do caça. O objetivo é garantir que o Super Hornet permaneça à frente de ameaças emergentes nas próximas décadas.

A empresa também informou que o início da produção em baixa cadência (Low Rate Initial Production) do DTS foi aprovado pela USN após serem completados, com suceso, os testes iniciais de operação no campo de provas de China Lake (Naval Air Weapons Station China Lake), na Califórnia, e na Base Aeronaval de Patuxent River (Naval Air Station Patuxent River), em Maryland. Os testes foram realizados entre setembro de 2010 e março de 2011, sendo conduzidos pelos esquadrões de testes e avaliações em voo VX-31 and VX-23. (Nota do editor – nas fotos que escolhemos para ilustrar esta matéria, podem ser vistos caças Super Hornet realizando testes em diversos sistemas, voando sobre China Lake e Patuxent River. As fotos do alto e de baixo são de aeronaves do esquadrão VX-9, e a foto do meio é de uma aeronave do VX-23, que foi citado na nota da Boeing – passe o cursor sobre as imagens para ler o descritivo e clique para ampliar).

Segundo Kevin Fogarty, diretor de Sistemas de Missão para os programas do F/A-18 e EA-18G, o “Distributed targeting será um meio de virar o jogo para as tripulações de Super Hornet. O DTS amplia a consciência situacional do piloto e da tripulação, além da precisão da mira no engajamento de alvos no solo. Isso se dá, em parte, pelo uso de tecnologia geo-registration.” Essa tecnologia compara imagens provenientes dos sensores táticos com imagens armazenadas na base de dados do caça, produzindo coordenadas precisas dos alvos.

A nota da Boeing também informa que já foram entregues mais de 480 aeronaves F/A-18E/F para a USN, e que todos os caças Super Hornet produzidos foram entregues antes do cronograma e dentro do orçamento.

FONTE: Boeing FOTOS: USN (Marinha dos EUA)

- Advertisement -

11 Comments

Subscribe
Notify of
guest

11 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
edcreek

Olá,

Mais grana para F/18-Super Hornet que esta cada vez melhor e manos grana para o galaxy class F-35….

Abraços,

RA5_Vigilante

O SH é uma aeronave de primeira linha, assim como seus sistemas de armas. Alguem sabe quais os misseis ar-ar oferecidos no pacote Fx-2 (versões M ou X do aim-9 e qual versão do aim-120) e além disso, sobre a possibilidade de integrar Python e Derby?

Grifo

Alguem sabe quais os misseis ar-ar oferecidos no pacote Fx-2 (versões M ou X do aim-9 e qual versão do aim-120) e além disso, sobre a possibilidade de integrar Python e Derby?

Caro RA5_Vigilante, AIM-9M e AIM-120 C7. A capacidade de integração dos mísseis do inventário da FAB é um requisito da RFP.

RA5_Vigilante

Muito obrigado Grifo e Nunão.
Não acompanhava direito o PA nessa época. Vou ver os links.

Saudações

joseboscojr

A aparente incoerência da proposta americana em nos ceder o melhor BVR e o AIM-9M (ao invés do AIM-9X) deve ser devido ao fato de estarmos desenvolvendo o A-Darter.
O AIM-120C7 era o melhor na época, sendo hoje suplantado pela versão D, ainda não sendo item de exportação.
Mesmo o AIM-9X tem hoje a versão Block 2.

Almeida

O roadmap da Boeing com apoio da US Navy para o Super Hornet é bem extenso e sólido. Toda hora temos novidades e essas novidades entram em produção e operação o tempo todo. Claro, devido aos atrasos do F-35 o Vespão é e continuará sendo por um longo tempo o principal vetor da quarta maior força aérea do Mundo. Mal posso esperar pelo block 3 com os tanques conformais, motores EPE, casulos de armamentos e EOS!

Já o Rafale…

Marcos

F-18 com tanque conformal ficou uma coisa muito feia.

Almeida

Poxa, eu achei ainda mais bonitão! Ganhou “cintura”.

Mauricio R.

Os melhorzinhos neste quesito são os CFT dos F-15, os outros de um jeito ou de outro, não agradaram mto.

Vader

Atualiza a proposta para a FAB, acrescenta os tanques conformais e DTS, AIM-120D e AIM-9X e passa a régua.

Últimas Notícias

B-52, JAS Gripen e F-35 em missão conjunta sobre a Noruega

Hoje cedo, caças suecos e noruegueses escoltaram bombardeiros estratégicos americanos B-52 sobre o território norueguês. Esta é a primeira...
Parceiro

LAAD 2023

- Advertisement -
- Advertisement -