Home Noticiário Internacional Socialistas suíços querem que compra de caças vá a referendo

Socialistas suíços querem que compra de caças vá a referendo

161
9

Segundo matéria da AFP (Agência France Presse), neste sábado os socialistas suíços disseram querer um referendo sobre a decisão do governo de adquirir novos caças por 3,1 bilhões de francos suíços (aproximadamente 2,5 bilhões de euros) se a venda afeta outros gastos.

O Conselho Federal revelou, na quinta-feira, sua proposta de comprar 22 caças Gripen, fabricados na Suécia, para substituir seus envelhecidos F-5. Os socialistas temem que a encomenda represente uma escalada nos gastos militares que poderia ser transformar em restrições do orçamento em outras áreas, especialmente educação, transporte e agricultura.

Num encontro realizado em Lucerna neste sábado, membros do partido passaram, por unanimidade, uma resolução sobre o assunto após um documento detalhando a posição do grupo ter sido aprovado em outubro. O partido rejeita a possibilidade de aumento de gastos principalmente porque não houve uma votação pública sobre a compra das aeronaves, descrita como um “escândalo” pelo membro do Conselho Nacional, Eric Voruz.

Será lançado um referendo se o parlamento procurar uma base legal para justificar restrições orçamentárias ou requerer um aumento do gasto militar para cobrir a aquisição. Se um referendo não brecar o acordo, os socialistas vão pedir uma moratória na compra até 2025.

O acordo para compra do Gripen será submetido ao parlamento como parte do programa militar 2012 do Governo. As decisões parlamentares podem ser submetidas a votação pública na Suíça, no caso de suficientes votos serem coletados.

FONTE: AFP via Yahoo Finance (tradução, adaptação e edição: Poder Aéreo)

FOTO: Força Aérea Suíça (avaliação do Gripen em 2008/2009)

Subscribe
Notify of
guest
9 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Uitinã
Uitinã
8 anos atrás

HUhhhh que pena se isso acontecer o Gripen vai pro ralo de vez, Na suíça as coisas tem que ser certinhas dentro dos conformes, pena pra Saab que tava cantando vitoria, espero sinceramente do fundo do meu coração que isso não aconteça, senão os membros do Blog vão malhar ainda mais os Judas Frances, espero mesmo o se espero.

Corsario137
Corsario137
8 anos atrás

Isso é balela.
Eles tem que substituir os F5 e dinheiro não é bem problema. De todas as propostas essa é a mais barata. Suiço tem uma esquizofrenia com defesa e justificar a compra é algo fácil para o governo.

Observador
Observador
8 anos atrás

Caro Uitinã: É simples politicalha, como bem gosta o pessoal das esquerdas. Mas, ao contrário daqui, o povo é sério e seus políticos se veem obrigados a fazerem escolhas responsáveis, mesmo que impopulares em um primeiro momento. Mesmo que aconteça o cancelamento, o simples fato da Suiça (com suas forças armadas respeitadíssimas e sob critérios técnicos e não políticos) ter escolhido o Gripen E/F, vai abrir o mercado ao avião. Porém, a Suiça mantém por séculos a sua neutralidade porque tem forças armadas extremamente preparadas e prontas para responder à altura qualquer agressão e não por benevolência de seus vizinhos,… Read more »

Clésio Luiz
Clésio Luiz
8 anos atrás

@Uitinã

A compra do F/A-18 também seguiu o mesmo processo, teve um referendo e a compa passou. na Suiça é comum perguntarem a opinião do povo quando envolve grandes projetos nacionais. O povo lá é muito mais maduro e conciente que aqui. Boa parte da população civil é militar da reserva, então muita gente entende que precisa de equipamentos modernos para apoiar o exército.

Vader
8 anos atrás

Para os desinformados, tudo na Suíca é feito à base de plebiscitos/referendos. Aliás, é um dos únicos países do mundo onde ainda é exercida a democracia direta, em votações em alguns de seus cantões. No melhor estilo grego mesmo: o povo se reúne na praça e decide o que quer para sua cidade. Democracia de verdade (e lá é) é SEMPRE bom. Se os suíços decidissem não gastar com caças, oras, é a decisão soberana do povo. Mas como disseram os amigos, oposição é oposição em qualquer lugar. Vão tentar melar qualquer coisa que o governo quiser. Faz parte. Mas… Read more »

Uitinã
Uitinã
8 anos atrás

O que mais me impressiona e o Preço dessa barganha 22 caças dividido por 2.5 bilhões de Euros dá mais de 100 milhões de euro cada uma ou em termos de reais 270 milhões, não sei se vai vir com ouro nos compartimentos internos, mas esse preço e de lascar pra um avião que não vale isso, podiam ter comprado algumas dezenas de F-16 modernos e muito mais capazes que esses, esse preço pode ser que venha alguma coisa mais, junto mas esse preço e uma cacetada. Amigos o Problema não e se os Suíços são todos militares da Reserva… Read more »

Vader
8 anos atrás

Uitinã disse: 4 de dezembro de 2011 às 8:25 Nem Suécia nem Suíça fazem parte da Zona do Euro. Nenhum dos dois países está em crise, pois não estão presos aos lastros de austeridade dos países da CEE. Em um país cheio de carências em áreas básicas (educação, saúde, etc). como o nosso a gente tem a tendência a achar que o povo irá sempre preferir escolher entre tais necessidades em contraposição à sua defesa, em qualquer lugar do mundo. Infelizmente não é assim. Outros povos são muito mais conscientes e ciosos de sua defesa e independência bélica do que… Read more »

DrCockroach
DrCockroach
8 anos atrás

Apenas adicionando outro ponto ao comentario dos colegas. Acredito o que mudou tao rapidamente a decisao do governo Suico em reviver o enterrado (ano passado) FX deles foi o enorme aumento das reservas internacionais. Com a queda da classificacao de risco dos titulos norte americanos houve uma corrida por titulos AAA, e a Suica eh um dos poucos que ainda pagam juros e detem a maxima classificacao. Para terem uma ideia em 12/2009 as reservas internacionais da Suica estavam em 135.3 bilhoes e agora estavam em 282.2 bilhoes (http://www.snb.ch/ext/stats/statmon/pdf/deen/A3_1_Waehrungsreserven_der_CH.pdf). O que causou quase um panico nos Suicos com a procura… Read more »

Ivan
Ivan
8 anos atrás

Uma frase que é atribuída a James Carville, ‘marqueteiro’ (campaign strategist) de Bill Clinton em 1992 sempre deve ser lembrada:

It’s the economy, stupid

E olha que o cara era democrata, prova que eles entendem de economia também…

Sds,
Ivan.