sábado, junho 19, 2021

Gripen para o Brasil

Brasília faz pouso de emergência em aeroporto angolano

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Um avião do tipo Embraer, 190 da companhia Aero-Jet, com 32 ocupantes, incluindo a tripulação, fez ontem uma aterragem de emergência no aeródromo do Soyo, sem causar danos graves aos passageiros nem ao aparelho.

O avião, que estava ao serviço da companhia aérea Fly 540, fazia a rota Cabinda/Luanda e transportava 29 passageiros, oito dos quais foram transportados para o banco de urgência do hospital municipal.

O chefe dos serviços de urgência do hospital do Soyo disse que os oito passageiros levados para aquela unidade não apresentavam problemas graves, à excepção de uma senhora, que teve uma súbita queda da tensão arterial.

“Não houve problemas de maior, todos os sinais vitais dos pacientes estavam normais.
Depois de recuperarem psicologicamente receberam alta e encontram-se bem”, acrescentou Dinis Mário.
Um dos ocupantes do aparelho, Sérgio Silva, 26 anos, visivelmente assustado, disse ao Jornal de Angola que não sabia, exactamente, o que se tinha passado, e que aguardava por explicações da Fly 540.

“Descolamos do aeroporto de Cabinda e minutos depois começou a instabilidade do avião, que se inclinou em direcção para o céu, com velocidade incrível, o que causou pânico nos passageiros”, disse.

O passageiro acrescentou: “a dada altura sentíamo-nos como se estivéssemos a flutuar, apesar dos cintos de segurança que tínhamos. Isto durou cerca de dois minutos”.

O chefe de escala da Fly 540, Calala luís, afirmou que se registaram problemas no mecanismo conhecido por “Prime Pitch Up”.

“Nos minutos seguintes à descolagem, segundo o comandante, verificou-se que o nariz do avião estava um pouco mais inclinado para cima e o peso todo para trás”, contou a fonte.

“O comandante tentou equilibrá-lo, usando o sistema automático que não obedeceu logo. Com insistência, a situação inverteu-se, o nariz foi para baixo e a cauda para cima”, afirmou Calala Luís.

Uma vez que o aeródromo do Soyo era o mais próximo, o comandante recorreu a ele, referiu o chefe de escala da Fly 540.

FONTE: Jornal de Angola


NOTA DO EDITOR:
tem algo muito estranho nesta matéria. A aeronave da foto é um EMB-120 Brasília (possivelmente da Air 26 Linhas Aéreas), os únicos aviões da Embraer que a Fly 540 opera são dois EMB-145 e não há E-190 em atividade em Angola.

- Advertisement -

3 Comments

Subscribe
Notify of
guest
3 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Corsario137

Poder Aéreo,

Viajo regularmente para angola e também nunca vi um E-170/90. Já os Brasilia tem aos montes, bem como os Dash 8.

Corsario137

Caro Poggio, Costumo dizer que o aeroporto de Luanda é quase uma feira de aviação permanente. Primeiro que o aeroporto é uma loucura. Fazem uso do aeroporto, tanto pista quanto hangares: – Companhias Comerciais Internacionais: Boeing 747, 777, 767; Airbus A340; MD-11. – Companhias Comerciais Domésticas: Boeing 737 200, 300, 800; Embraer 120, 145; Dash 8. – Força Aérea Angolana: Antonovs e Ilhushins, não sei dizer que versões, mas tem um muito bonito de asa alta e motores acima delas. – Aviação Executiva: Falcons 900, 2000, 7x ; Gulfstrem. – Offshore: S76 C+/++, AS 365 N2/N3, AS332 L2, EC225. Além… Read more »

Reportagens especiais

Saab Gripen E: ‘dark horse’

Por Chris Thatcher Se você está seguindo o processo complicado de substituir a frota antiga de aviões de combate CF-188...
- Advertisement -
- Advertisement -