domingo, agosto 14, 2022

Gripen para o Brasil

Oficial de Guerra Eletrônica da USAF completa curso em Growler da USN

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Na última quinta-feira, 7 de julho, a Força Aérea dos Estados Unidos (USAF) informou que o capitão Cole Davenport é o primeiro oficial de guerra eletrônica (EWA) da força a se graduar no EA-18G Growler da Marinha dos EUA (USN). O capitão completou no final do mês passado um treinamento de 10 meses na ‘Naval Air Station Whidbey Island’, no Estado de Washington. Sua primeira surtida de treinamento foi em setembro do ano passado.

Desde que o EF-111 Raven deixou o serviço há 16 anos, a USAF vem trabalhando com a USN, já que não possui mais caças dedicados à guerra eletrônica. A aeronave que cumpre a função na USAF é uma versão do Hercules, o EC-130H Compass Call. Assim os oficiais de guerra eletrônica da Força Aérea dos EUA ganham conhecimento e se preparam para o futuro em aeronaves EA-6B e EA-18G Growler. O treinamento do capitão Davenport marca a transição do Prowler (denominação do EA-6B) para o Growler.

Segundo o capitão Daventport, “a Marinha pega bem pesado conosco, por sermos da Força Aérea, e pegam no nosso pé em relação ao jeito que falamos, coisas que fazemos. Mas eles são muito divertidos na hora de voar juntos e também são muito profissionais. Voar no Growler é uma grande oportunidade.”

Após cumprir missões no simulador e realizar voos de familiarização, os alunos dividem o tempo entre aulas em terra e treinamento de voo com até duas saídas diárias, o que inclui uma fase ar-ar, onde aprendem manobras básicas de caça similares às de ‘dog-fighting’, interceptação até chegar,  finalmente, à guerra eletrônica. Então aprendem a localizar e ‘jamear’ emissores, sistemas de radar e comunicações, assim como a empregar mísseis antirradiação, que são guiados pela emissão de radares.

Após completar o treinamento, o pessoal da USAF normalmente é distribuído para cinco esquadrões de EA-6G Prowler que operam em navios-aeródromo. E, ao final desse verão do Hemisfério Norte, também passarão a tripular aeronaves  EA-18G Growler de esquadrões expedicionários. Ao final de três anos operando junto à Marinha, eles voltam a tripular aeronaves da USAF.

FONTE / FOTO DO ALTO: USAF (Força Aérea dos EUA)

FOTOS DE BAIXO: USN (Marinha dos EUA)

NOTA DO EDITOR: o Growler do alto da foto da USAF aparentemente está pintado com uma camuflagem em três tons que era comum às aeronaves da Marinha dos EUA por volta de 1944, que operavam no Oceano Pacífico. Essa pintura da aeronave, que faz parte de um conjunto de mais de 200 aviões da USN com visual comemorativo aos 100 anos da aviação embarcada norte-americana, pode ser vista com mais detalhes na foto logo acima.

Trata-se de uma homenagem ao Grupo Aéreo 85, que operou a partir do navio-aeródromo USS Shangri-La (CV 34) durante a Segunda Guerra Mundial. Comparar com o padrão de camuflagem usual dos EA-18G Growler da USN, como os que são vistos nas fotos abaixo. Pode-se também comparar a configuração diferente de armas e equipamentos da aeronave de Whidbey Island com as das duas abaixo, a primeira servindo em um esquadrão de testes e avaliações e a segunda em operação no USS George H. W. Bush (CVN 77).

- Advertisement -

2 Comments

Subscribe
Notify of
guest

2 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marco Antônio

(não precisa publicar) Comentário do editor:

“Comparar com o padrão de camuflagem usual dos EA-6G Growler da USN (…)”

A referência seria aos EA-18G Growler?

Guilherme Poggio

bem observado Marco Antônio

Últimas Notícias

Grécia enviará uma carta de solicitação para atualizações de 38 caças F-16V em breve

Segundo informações, é apenas uma questão de alguns dias até que o Estado-Maior da Força Aérea Helênica envie a...
Parceiro

LAAD 2023

- Advertisement -
- Advertisement -